A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXPERIMENTO x. Turma:2ESD32A Integrantes: Alessandra Trota Brunna Galvão Manuela Pestana Márcia Armstrong Monica Peres Patrick Siqueira Rachel Costa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXPERIMENTO x. Turma:2ESD32A Integrantes: Alessandra Trota Brunna Galvão Manuela Pestana Márcia Armstrong Monica Peres Patrick Siqueira Rachel Costa."— Transcrição da apresentação:

1 EXPERIMENTO x

2 Turma:2ESD32A Integrantes: Alessandra Trota Brunna Galvão Manuela Pestana Márcia Armstrong Monica Peres Patrick Siqueira Rachel Costa

3 Focamos essa experiência em fixar o olhar da pessoa em um foco (que observa), chamando a atenção da mesma, para que ela venha sentir emoções adversas com imagens impactantes, podendo deixá-la confusa, incomodada, curiosa e até com medo de uma realidade inexistente, causando uma dupla visão.

4 Você deve ter visto as cores corretas do semáforo. Isto acontece porque as células foto-sensitivas dos nossos olhos ficam cansadas e perdem a sensibilidade para aquelas cores: verde, azul e vermelho. Na imagem posterior, as cores suplementares substituem as cores verdadeiras no fundo preto. O verde torna-se vermelho, o azul torna-se amarelo e o vermelho torna-se verde.

5 A "luz negra", geralmente observada em boates, na realidade emite uma pequena porcentagem de luz violeta e uma grande porcentagem de raios ultravioleta, invisível ao olho humano. Entretanto, alguns materiais denominados fotoluminescentes, absorvem os raios ultravioleta e devolvem ao ambiente raios com freqüências menores, na região do violeta. Essa fluorescência permite efeitos luminosos interessantes, como aqueles observados em boates.

6 Pela mesma razão alguns sabões em pó "lavam mais branco": Após a lavagem, a roupa reflete a parte visível dos raios solares e também transforma o ultravioleta em visível. Portanto, essa peça de roupa emite mais luz visível do que recebe: "é mais branca". Entretanto, isso não significa, necessariamente, que esse sabão deixe a roupa mais limpa do que os outros.

7 No sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas aos sentidos. É o produto final da visão consistindo na habilidade de detectar a luz e interpretar (ver) as consequências do estímulo luminoso, do ponto de vista estético e lógico. Na estética, entende-se por percepção visual um conhecimento teórico, descritivo, relacionado à forma e suas expressões sensoriais. Um tipo de talento, uma característica desenvolvida como uma habilidade de um escultor ou pintor que diferencia os pontos relevantes e não- relevantes de sua obra. Para que depois de pronta - em uma análise mais detalhada - possa explicar os atributos ali contidos

8 As informações da retina chegam ao cérebro pelo nervo óptico. Quando as informações nervosas chegam às áreas associativas do córtex visual as imagens formadas na retina ganham significados e ocorrendo a percepção visual, tal como a conhecemos.

9 Uma atividade que tem por objetivo obter um maior conhecimento sobre ilusão de ótica através da exposição de imagens fixas. Buscando a interpretação do sistema visual humano, enganando momentaneamente o cérebro deixando o inconsciente confuso e fazendo com que este capte ideias falsas, preenchendo espaços que não ficam claros à primeira vista. Resultando na curiosidade e na polêmica que ela traz. Visando o esclarecimento e novos conceitos.

10 Plástico lona preto (criação do estúdio); Fita Tartan 3M 45 x45 (fixação da lona); Retro Projetor (projeção das imagens); Uma mesa; Duas cadeiras; Aparelho de Som (dramatização do ambiente);

11 A dinâmica se focará em criar um ambiente de apreensão e de expectativa, instigando a pessoa que observa a descobrir o porquê da ilusão ótica, com esse intuito explicaremos esse porquê para uma melhor compreensão do ambiente e do mecanismo da percepção visual humana.

12 A ilusão é uma confusão dos sentidos que provoca uma distorção da percepção. A ilusão pode ser causada por razões naturais (mudança de ambiente, deformação do ambiente, mudança de clima, etc..) ou artificiais (camuflagem, efeitos sonoros, etc..). Uma vez que a percepção é baseada na interpretação dos sentidos, as pessoas podem experimentar ilusões de formas diferentes. E essa diferenciação nos mostra que cada indivíduo responde de uma forma aos estímulos externos.


Carregar ppt "EXPERIMENTO x. Turma:2ESD32A Integrantes: Alessandra Trota Brunna Galvão Manuela Pestana Márcia Armstrong Monica Peres Patrick Siqueira Rachel Costa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google