A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PCON-PLANO DE CONTROLO OFICIAL NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PCON-PLANO DE CONTROLO OFICIAL NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA"— Transcrição da apresentação:

1 PCON-PLANO DE CONTROLO OFICIAL NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA
Levantamento das condições higio-sanitárias das embarcações de pesca Boas práticas de higiene e manipulação dos produtos da pesca

2 Enquadramento Legal Regulamento 854\2004 – Controlos oficiais de produtos de origem animal destinados ao consumo humano os controlos oficiais dos produtos da pesca devem ser efetuados de acordo com o disposto no anexo III’ (capitulo II artº 7º) Alínea b) do nº 1 do capitulo I ‘ …inspeções periódicas dos navios…’

3 Enquadramento Legal Produtos da pesca estão a ser manuseados corretamente Conformidade dos requisitos em matéria de higiene, temperatura, estruturas , equipamento, armazenagem e higiene do pessoal Regulamento 852/ Anexo I Produçã0 (higiene dos géneros alimentícios) Primária Regulamento 853/ Secção VIII, anexo II (higiene dos GA de origem animal) Produtos da pesca

4 Cadeia de Produção/Comercialização
Produção Primária ◊ Navios de pesca ◊ Aquiculturas Operações associadas Abate, Sangria, Descabeçamento, Evisceração, remoção de Barbatanas, Acondicionamento, Refrigeração, Armazenagem, Transporte ( até 1º estabelecimento) Registo Navios Congeladores Navios Fábrica PT NCV CE Lotas Mercados grossistas Entrepostos Estabelecimentos preparação/transformação PT NCV CE Registo Retalho Consumidor

5 Navios de Pesca Navio congelador ( aprovação - NCV):
Embarcações de produção primária(registo): navios de pesca que conservam os produtos da pesca mais ou menos de 24 h, se for caso disso após uma preparação como sangria, evisceração, remoção das barbatanas e descabeçamento, sendo essas operações seguidas de acondicionamento sempre que necessário Navio congelador ( aprovação - NCV): navio a bordo do qual é efectuada a congelação dos produtos da pesca, se for caso disso após uma preparação como sangria, evisceração, remoção das barbatanas e descabeçamento, sendo essas operações seguidas de acondicionamento ou de embalagem sempre que necessário Navio Fábrica (aprovação – NCV) : navio a bordo do qual os produtos da pesca são submetidos a uma ou mais das seguintes operações, seguidas de acondicionamento ou de embalagem e, se necessário, refrigeração ou congelação: filetagem, corte, esfola, descasque, picagem ou transformação

6 Operações Realizadas a Bordo
evisceração NPP sangria N CONG descabeçamento N FÁBRICA remoção barbatanas Preparação corte filetagem N FÁBRICA esfola picagem descasque Refrigeração NPP N CONG NF Congelação N CONG NF Acondicionamento Produtos da pesca preparados: produtos da pesca não transformados que foram submetidos a uma operação que alterou a sua integridade anatómica, tal como a evisceração, o descabeçamento, o corte, a filetagem ou a picagem. NPP N CONG NF Transformação NF Embalagem N CONG NF Armazenagem NPP N CONG NF

7 PCON 2010/2011 Objetivo de execução - realização de vistorias a 100% das embarcações afetas a cada Serviço de Desenvolvimento Agrário Prioridades de execução Navios com comprimento ≥ 12 metros Maiores riscos sanitários: Operações conexas Artes de pesca Período de tempo de permanência do pescado a bordo

8 Procedimentos de Execução
Notificação da visita por escrito Realização da visita Elaboração do Auto de Vistoria Notificação do operador com conclusões do Auto

9 Serviço de Desenvolvimento Agrário
Nº de Embarcações Elegíveis Vistorias a realizar % de execução 2010 2011 2010/2011 Santa Maria 36 - 0% São Miguel 223 220 194 88% Terceira 145 138 8 84 67% Graciosa 41 34 4 30 100% São Jorge 44 33 Pico 114 Faial 83 70 7 48 76% Flores e Corvo 38 31 25 94%

10 Visitas de Controlo Estruturas Manipulação de pescado
Higiene do pessoal/formação

11 Principal arte de pesca Operações conexas a bordo Gelo
Tipo de embarcações Principal arte de pesca Operações conexas a bordo Gelo Tempo de permanência do pescado Na embarcação Algumas conclusões Não tendo propriamente dados estatísticos de todas as ilhas, mas tendo em conta o trabalho realizado pela nossa colega Drª ana Vaz em São Miguel que me parece que retrata grandemente a realidade global e das outras ilhas não fugindo muito cerca de 84% das embarcações tem menos de 12 metros de comprimento fora a fora, 80 % são embarcações de boca aberta , aqui e neste caso há grande variação entre ilhas sendo por exemplo no faial a maioria é cabinada sem porão 60%, 10% boca aberta Linhas e mão e palangre 90% não realiza operações conexas a bordo os que realizam é pontual e esporádico e é a evisceração de alguns exemplares maiores, cação etc A maioria 24 a 48 horas

12 Principais Problemas Detetados nas Embarcações
Formação Estruturas Higiene/Manipulação O principal problema detetado e que os pescadores sentem falta e nos falam é da formação digamos que em cerca de 90% das embarcações onde foram realizadas visitas de controlo este é um dos principais problemas sentidos e necessidades apresentadas, a nível estruturas estamos a falar de cerca de 12% e 20% higiene e manipulação

13 INFORME-SE JUNTO DO SEU SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DE ILHA
Panfleto Informativo Higiene e boas práticas – embarcações de pesca PCON LEVANTAMENTO DAS CONDIÇÕES HIGIO SANITÁRIAS DAS EMBARCAÇÕES DE PESCA SEGURANÇA E QUALIDADE INFORME-SE JUNTO DO SEU SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DE ILHA SDA de Sta. Maria Tel SDA de S. Miguel Tel SDA da Terceira Tel SDA da Graciosa Tel SDA de S. Jorge Tel SDA do Pico Tel SDA do Faial Tel SDA das Flores e Corvo Tel “DO MAR À MESA” Cada vez mais o consumidor final se preocupa com a qualidade dos alimentos que consome. Cabe á produção primária, neste caso aos pescadores, apresentarem produtos seguros e de grande qualidade, através da aplicação de boas práticas nos processos de captura, preparação e conservação do pescado Governo dos Açores Higiene e Boas Práticas Regulamento (CE) n.º 852/2004 do Parlamento europeu e do Conselho de 29 de Abril de 2004 Regulamento (CE) n.º 853/2004 do Parlamento europeu e do Conselho de 29 de Abril de 2004 Código de práticas para peixe e produtos da pesca (CAC/RCP , Rev ) EMBARCAÇÕES DE PESCA Vinha Brava Angra do Heroísmo Telef E mail: Tel.:

14 INFORME-SE JUNTO DO SEU SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DE ILHA
Panfleto Informativo PCON LEVANTAMENTO DAS CONDIÇÕES HIGIO SANITÁRIAS DAS EMBARCAÇÕES DE PESCA SEGURANÇA E QUALIDADE INFORME-SE JUNTO DO SEU SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DE ILHA SDA de Sta. Maria Tel SDA de S. Miguel Tel SDA da Terceira Tel SDA da Graciosa Tel SDA de S. Jorge Tel SDA do Pico Tel SDA do Faial Tel SDA das Flores e Corvo Tel “DO MAR À MESA” Cada vez mais o consumidor final se preocupa com a qualidade dos alimentos que consome. Cabe á produção primária, neste caso aos pescadores, apresentarem produtos seguros e de grande qualidade, através da aplicação de boas práticas nos processos de captura, preparação e conservação do pescado Governo dos Açores Higiene e Boas Práticas Regulamento (CE) n.º 852/2004 do Parlamento europeu e do Conselho de 29 de Abril de 2004 Regulamento (CE) n.º 853/2004 do Parlamento europeu e do Conselho de 29 de Abril de 2004 Código de práticas para peixe e produtos da pesca (CAC/RCP , Rev ) EMBARCAÇÕES DE PESCA Vinha Brava Angra do Heroísmo Telef E mail: Tel.:

15 Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos Produtos da Pesca
Embarcações e Pessoal Embarcações e equipamentos mantidos Limpos Superfícies resistentes à corrosão, lisas, fáceis de limpar, não toxicas e duradouras

16 Embarcações e Pessoal Elevado grau de higiene, vestuário limpo, mãos lavadas e sem feridas infetadas Afastar da laboração o pessoal infetado e/ou portador de doença. Formação em matéria de higiene dos géneros alimentícios, instruções e ou formação adequada

17 Captura dos produtos da pesca
Artes de pesca e bicheiros mantidas em bom estado de conservação e higiene Bicheiros não devem provocar traumatismos na carne do pescado

18 Preparação dos produtos da pesca
Espaço suficiente e higiene do local Equipamento e utensílios de material resistente à corrosão, fáceis de limpar e desinfetar Realizar o mais rapidamente possível após captura Separar vísceras dos produtos destinados ao consumo humano

19 Lavagem dos produtos da pesca
Água potável ou água do mar limpa Água corrente Entradas de água situadas em locais que evitem a contaminação da mesma ( óleos, combustíveis, águas de esgoto etc)

20 Acondicionamento e Armazenagem dos produtos da pesca
Operações de manipulação e adição de Gelo devem ser cuidadosas Armazenagem deve ser feita a uma tºc próxima do gelo fundente (reduz desenvolvimento bacteriano) Qualidade do gelo Relação gelo/peixe 1:2

21 Acondicionamento e Armazenagem dos produtos da pesca
Água de fusão do gelo não deve ficar em contacto com os produtos Porões, cisternas, caixas ou contentores separados do compartimento dos motores e locais reservado à tripulação Mantidos limpos e em bom estado de conservação

22 Descarga dos produtos da pesca
Realizada o mais rápido possível Higiene das superfícies que entram em contacto com produtos da pesca Avaliação organolética dos produtos da pesca

23 Balanço PCON ASPECTOS POSITIVOS
Disponibilidade dos técnicos executores Colaboração dos pescadores Apoio das associações de Armadores, Subsecretaria Regional das Pescas e Lotaçor

24 Balanço PCON Aspectos Negativos
Não existência de uma base de dados actualizada com informações relativas às embarcações de pesca Falta de meios técnicos e humanos de apoio ás vistorias

25 Serviço de desenvolvimento Agrário do Faial
Obrigada! Célia Mesquita Serviço de desenvolvimento Agrário do Faial /


Carregar ppt "PCON-PLANO DE CONTROLO OFICIAL NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google