A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Valor Econômico Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação São Paulo 20 MAR 14 Papel do crédito Imobiliário no crescimento econômico social.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Valor Econômico Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação São Paulo 20 MAR 14 Papel do crédito Imobiliário no crescimento econômico social."— Transcrição da apresentação:

1 Valor Econômico Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação São Paulo 20 MAR 14 Papel do crédito Imobiliário no crescimento econômico social O avanço do mercado imobiliário no país e as novas perspectivas deste mercado

2 Melhorar a experiência do Cliente PF Baixa Renda Média Renda Alta Renda PJ MGE MPE Produto Preço Prazo Quota Processo Conveniência Simplicidade Modernidade Agilidade Canal Capilaridade Complementariedade Autossuficiência Conveniência Pós-Contratação - Maior confiança de quem compra - Certificação de Competência de quem vende Percepção do Cliente PF Percepção do Cliente PJ Diferenciais - Melhor Produto - Melhor Processo - Fácil Acesso -Agilidade -Maior Segurança Pós compra - Tem o produto que preciso -É bom vender via CAIXA - Só quem é sério faz negócio via CAIXA POSICIONAMENTO CAIXA – CRÉDITO IMOBILIÁRIO

3 No crédito imobiliário, em um ambiente de amplo acesso à informação, a decisão da instituição financeira onde a operação será realizada será cada vez mais do comprador do imóvel e cada vez menos do vendedor, mesmo sendo ele um incorporador e/ou um construtor. Deter o financiamento à produção é um facilitador para um processo de financiamento ao comprador de forma simples e ágil e por esta razão deve ser priorizado também. Foco numa melhoria radical da qualidade da experiência do nosso cliente em todas as iniciativas. Princípios Estratégicos

4 TENDÊNCIAS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO

5 Habitação cada vez mais como prioridade dos bancos -Consolidação da percepção do crédito imobiliário como plataforma de relacionamento e âncora para alavancar novos negócios -Força de venda especializada: de vendedor de produto para consultor de negócios -Ajuste nos produtos: de produto-padrão para produtos adaptáveis às necessidades dos clientes

6 Habitação cada vez mais como prioridade dos bancos -Novos canais (internet, correspondentes imobiliários, aproximação/integração entre financiador e originador) -Plataformas operacionais com profissionais altamente especializados, sustentados por tecnologia de ponta – tirar o operacional dos pontos de venda, liberando-os para apenas fazer negócios -Fim do `horário comercial – crédito disponível 24 x 7

7 Habitação cada vez mais como prioridade dos bancos -A portabilidade consolidará o movimento ora em curso, em que o preço deixará de ser tão relevante como diferencial competitivo. A estratégia efetiva de captação e retenção do cliente será a qualidade do atendimento -Oferta de preços e condições de financiamento de acordo com o relacionamento e o rating do cliente. O Cadastro Positivo vai gerar muito mais do que meros ajustes em sistemas corporativos -O modelo de Habitação como Porta de Negócios – preços diferenciados de acordo com a cesta de serviços tende a virar regra e não exceção. A Bélgica é uma referência na Europa por ter em torno de 75% do crédito imobiliário com esta regra.

8 Habitação cada vez mais como prioridade dos bancos -Crédito pré-aprovado como regra e não como exceção ou como ação pontual/sazonal -Redução drástica do prazo necessário na resposta quanto à aprovação do crédito e da informação do valor disponibilizado. Nos principais países da Europa, prevalece um prazo entre 1 e 2 horas para a aprovação do crédito. Idem, no que diz respeito ao tempo total do ciclo da originação do crédito que, hoje, em alguns países da Europa já é de 2 dias. -Algumas das vantagens na agilidade da resposta de aprovação do crédito: -Menor incentivo para o cliente pesquisar outras ofertas -Maior oportunidade de vender outros produtos -Redução de custos em decorrência de menor número de vezes em que será necessário fazer contato com o cliente para esta operação

9 Pontos de atenção -A tendência irreversível neste momento é ampliar a terceirização dos canais de captação de novos negócios (Correspondentes Imobiliários, integração com incorporadoras etc. ) -Dada a baixa margem líquida dos financiamentos habitacionais, a excelência da qualidade desses créditos é decisiva para se ter uma carteira rentável -O crédito imobiliário terá que abrir mão de parte de sua margem para se consolidar como Porta de Negócios para atuar efetivamente como instrumento de fidelização/retenção de clientes e como alavanca de novos negócios -Como evitar as externalidades negativas do processo de terceirização – queda da qualidade e maior risco dos créditos e perda do contato direto com o cliente?

10 ASPECTOS GERAIS E PERSPECTIVAS PERSPECTIVAS

11 11 o mercado de crédito brasileiro fonte: Banco Central do Brasil

12 12 estrutura de funding do crédito imobiliário Caderneta de Poupança: cresce, ainda que modestos os indicadores econômicos fonte: Banco Central e ABECIP

13 13 estrutura de funding do crédito imobiliário Caderneta de Poupança: percentual de exigibilidade cumprida no direcionamento fonte: Banco Central e ABECIP

14 déficit habitacional 10% 35,1% 36,9% 10,5% 7,5% déficit habitacional de 5,6 milhões de unidades (% por região) 83% déficit urbano : 4,6 milhões 17% déficit rural: 1 milhão Déficit Habitacional - Regiões

15 15 embora lento o ritmo do crescimento, crédito cresce crédito – % participação das modalidades no PIB fonte: Banco Central AnoPIB R$ 20093,24 trilhões 20103,77 trilhões 20114,14 trilhões 20124,40 trilhões 20134,81 trilhões

16 16 fonte: Banco Central 32% 35% 44% 55% 44% 41% crédito imobiliário e sua relação com o PIB crescimento anual (R$ bilhões)

17 O Crédito Imobiliário vem crescendo de forma continuada e a projeção para o final do Ano 2014 é que atinja R$ 153,62 bi em contratações. 17 Contratação Crédito Imobiliário Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

18 Resultados alcanzados – Market Share Valores R$ mil milhones Posición: Dez/2013 Fuente: CAIXA/BACEN/ABECIP Competencia (mercado sin Caixa)

19 19 Crédito Imobiliário – Individual x Finan. Produção O Financiamento à Produção vem crescendo sua participação na contratação CAIXA ao longo dos últimos anos Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

20 20 Curva de Comprometimento de Renda Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

21 21 Inadimplência 1,4% Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: DEZ/2013

22 Posição: 31/12/2013 Fonte: CAIXA 87,7% dos empréstimos à habitação são concedidos por meio do Sistema de Amortização Constante (SAC), o que proporciona uma maior redução na mensalidade dá valor e dívida, assegurando maior qualidade de crédito. Governança e Riscos - Sistema de Amortização

23 23 perfis do crédito imobiliário financiado no SBPE variação do LTV no tempo – item de segurança na qualidade do crédito mercado fonte: Banco Central e ABECIP

24 24 perfis do crédito imobiliário financiado no SBPE participação de imóveis novos e usados nos financiamentos mercado fonte: Banco Central e ABECIP

25 Governança e Riscos – Existe bolha imobiliária? - Aumento dos preços - Ociosidade de imóveis comerciais - Redução da demanda - Elevada dívida familiar - Aumento dos valores reflete a recomposição dos preços que estiveram comprimidos ao longo de décadas - Imóveis destinados à própria moradia - Elevado déficit habitacional - Baixa relação crédito imobiliário x PIB - Grande participação baixa renda (MCMV) - LTV em torno de 65% - Sólidas regras de governança - Securitização ainda incipiente - Correspondentes imobiliários – meros prestadores de serviço - Transformação de carência em demanda

26

27 CARTEIRA CAIXA

28 28 ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIO HIPOTECA 96,8% 3,2% Garantia NÚMERO TOTAL SALDO CARTEIRA R$ bi ,63 Carteira PRAZO MÉDIO remanescente 222 meses IDADE ATÉ 45 ANOS 72% LOAN TO VALUE – LTV SBPE: 71% FGTS: 74% OUTRAS 0,0% FUNDING SBPE: 54,8% FGTS: 45,2% OUTROS: 0% FAIXA ETÁRIA Idade Atual ATÉ 35: 42% 36 A 45: 30% 46 A 65: 26% ACIMA DE 65: 2% ATÉ $ 50 MIL DE $ 50 A $ 100 MIL 15,2% 39,7% DE $100 A $200 MIL 31% Valor do imóvel ACIMA $ 200 MIL 14,1% ATÉ 3 S.M. DE 3 A 6 S.M. 26,6% 36,2% DE 6 A 10 S.M. 15,4% Renda (na Concessão) ACIMA DE 10 S.M. 21,8% INADIMPLÊNCIA 1,6% FDS, COLETIVAS, PSH,PAR QTDE: SALDO: 21 Bi Perfil da Carteira Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

29 29 Perfil da Carteira – por idade Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

30 30 LTV - FGTS e SBPE estável a partir de 2010 Valor de Garantia Valor de Financiamento LTV Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

31 31 Média de Valor de Financiamento Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

32 32 Média de Valor de Avaliação Fonte: CAIXA/SUHOP Posição: 28/02/2014

33


Carregar ppt "Valor Econômico Teotonio Costa Rezende Diretor Executivo de Habitação São Paulo 20 MAR 14 Papel do crédito Imobiliário no crescimento econômico social."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google