A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A alimentação do idoso A qualidade de vida dos idosos depende em grandes parte daquilo que bebem e comem. (Berger, L., Mailloux-Poirier, D., 1995)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A alimentação do idoso A qualidade de vida dos idosos depende em grandes parte daquilo que bebem e comem. (Berger, L., Mailloux-Poirier, D., 1995)"— Transcrição da apresentação:

1 A alimentação do idoso A qualidade de vida dos idosos depende em grandes parte daquilo que bebem e comem. (Berger, L., Mailloux-Poirier, D., 1995)

2 Noções básicas de alimentação e nutrição Grupos alimentares Os grupos alimentares são uma organização dos alimentos em categorias, pelas semelhanças das suas propriedades nutricionais. Noções básicas de alimentação e nutrição - 1

3 Pirâmide dos alimentos Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.1

4 Nova roda dos alimentos Cereais, seus derivados e tubérculos Hortícolas Fruta Lacticínios Carne, pescado e ovos Leguminosas Gorduras e óleos Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.2

5 Roda dos alimentos Portugal, década de 70; Eficiência – adopção noutros países; Círculo dividido em 5 fatias = prato com as porções correctas de alimentos. Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.3

6 Porções diárias dos vários grupos alimentares Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.4

7 Hidratos de carbono Principal fonte de energia motora Podem ser: simples complexos Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.5

8 Vitaminas Regulam processos do organismo Mantêm o equilíbrio Indispensáveis para o crescimento Encontram-se em muitos alimentos Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.6

9 Minerais e oligoelementos Intervenientes na/o: renovação e conservação de tecidos bom funcionamento das células nervosas Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.7

10 Proteínas Crescimento, conservação e reparação dos órgãos, tecidos, e células. Compostas por aminoácidos de dois tipos: essenciais não essenciais Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.8

11 Fibras alimentares Regulação do organismo Fornecimento de energia Prevenção da obstipação, obesidade e diabetes Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.9

12 Lípidos Constituídos por ácidos gordos Desenvolvimento da visão e do cérebro Protecção contra agressões externas Manutenção e crescimento de tecido Saturados (Monoinsaturados, Polinsaturados) Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.10

13 Hidratos de carbono Hidratos de carbono de absorção rápida - 20 a 30g/d Hidratos de carbono complexos a 150g/d Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.11

14 Vitaminas Estão frequentemente em falta. Devido a: técnicas de cozedura inadequadas escolha de alimentos pobres neste nutriente Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.12

15 Minerais e oligoelementos Frequentemente em falta: cálcio magnésio zinco Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.13

16 Proteínas Ligeiramente superiores que nos adultos mais jovens DDR > a 1,5 ou 2g /Kg/d Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.14

17 Fibras alimentares Prevenção da obstipação, hemorróidas, diabetes Consumo diário - 25 a 30 g/d Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.15

18 Lípidos Quantidade total não difere muito dos adultos mais jovens Protecção cardiovascular (ómega-3 e ómega-6): Controlo da tensão arterial Redução do colesterol, Actuação favorável sobre a trombogénese. Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.16

19 Necessidade de hidratação do idoso Risco aumentado de desidratação Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.17

20 Causas da desidratação Atenuação da sensação de sede, Situações demenciais ou limitações físicas Diminuição da capacidade de concentração da urina Alimentação insuficiente e pobre Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.18

21 Formas de perda de água Por dia: Sudação, (500ml) Respiração (500ml) Urina (500ml) Aparelho digestivo Noções básicas de alimentação e nutrição – 1.19

22 Factores que afectam o consumo de nutrientes nos idosos Factores socioeconómicos, culturais e psicológicos Factores fisiológicos (digestivos) Factores fisiológicos (não digestivos) Doenças Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.1

23 Factores socioeconómicos, culturais e psicológicos Falta de apoio económico Solidão e desinvestimento Apoio familiar e social escasso Cultura dominante: a mulher é que cozinha Crenças religiosas, ou hábitos culturais Ideia errónea de uma alimentação adequada Estados depressivos Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.2

24 Factores fisiológicos digestivos Alterações do gosto e do olfacto Diminuição da capacidade mastigatória Problemas na deglutição Alterações ao nível do estômago e intestino Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.3

25 Factores fisiológicos não digestivos Decréscimo de massa corporal e hídrica Insuficiente capacidade de concentração de urina Alterações motoras Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.4

26 Outros factores Doenças que afectam o consumo de alimentos : A diabetes Alcoolismo Doenças do foro gástrico Osteoporose, a artrite e a arteriosclerose Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.5

27 Outros factores Dietas Hospitalização e institucionalização Medicação, antes da refeição Perda da sensibilidade, alteração do gosto e da humidade da boca. Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.6

28 Má nutrição Exógena Endógena Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.7

29 Sinais clínicos de risco de má nutrição Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.8

30 Sinais clínicos de risco de má nutrição Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.9

31 Avaliação do estado nutricional Três dimensões fundamentais: história dietética medidas antropométricas parâmetros bioquímicos Má nutrição: causas, sintomas, consequências e avaliação – 2.10

32 Alimentação entérica Forma de nutrição artificial Administração directa de produto nutritivo no estômago ou jejuno Impossibilidade de assegurar a alimentação oralmente Alimentação entérica – 3.1

33 Quando se utiliza a alimentação entérica? Dificuldades de deglutição Obstrução do tubo digestivo Estados de coma ou semi-consciência Pós-operatório Anorexia grave Alimentação entérica – 3.2

34 Tipo de abastecimento de alimentação entérica? Intermitente Contínuo: Força da gravidade Bomba infusora Alimentação entérica – 3.3

35 Alimentação entérica Exclusiva Parcial Alimentação entérica – 3.4

36 Alimentação entérica Sonda nasogástrica Tubo em silicone ou poliuretano Introdução através do nariz até ao estômago Colocação exclusivamente por enfermeiros ou médicos Alimentação entérica – 3.5 Gastrostomia percutânea endoscópica Tubo em silicone ou poliuretano Ligação directa ao estômago Colocação através de uma intervenção cirúrgica simples

37 Sonda nasogástrica Vantagens: Simplicidade da colocação Simplicidade da colocação Menor risco de infecção Menor risco de infecçãoRisco: Intolerância digestiva Intolerância digestiva Bronco aspiração Bronco aspiração Alimentação entérica – 3.6

38 Gastrostomia percutânea endoscópica Vantagens: Não causa incómodo no nariz, na garganta Não causa incómodo no nariz, na gargantaRisco: Infecção local superior Infecção local superior Hemorragia digestiva, choque séptico Hemorragia digestiva, choque séptico Alimentação entérica – 3.7

39 Aspectos psicossociais da alimentação dos idosos Região onde vivem Região onde vivem Crenças religiosas Crenças religiosas Cultura dominante Cultura dominante Fazem variar a representação que os idosos têm da alimentação A nutrição do idoso: Aspectos psicossociais e dietas adequadas - 4.1

40 Aspectos psicossociais da alimentação dos idosos Mudança das condições sociais: Mudança das condições sociais: Maior acesso à alimentação = bem-estar = consumo excessivo de alimentos anteriormente escassos Maior acesso à alimentação = bem-estar = consumo excessivo de alimentos anteriormente escassos A nutrição do idoso: Aspectos psicossociais e dietas adequadas - 4.2

41 Aspectos psicossociais da alimentação dos idosos Componente intergeracional Comer sozinho Na instituição bom ambiente e investimento = acto prazeroso; bom ambiente e investimento = acto prazeroso; actividades lúdicas = centro da vida dos idosos. actividades lúdicas = centro da vida dos idosos. A nutrição do idoso: Aspectos psicossociais e dietas adequadas - 4.3

42 Aspectos psicossociais da alimentação dos idosos Limitações:Instituições: Despersonalização do atendimento Fraca apresentação dos pratos Domicílio: Comer sozinho Refeições incompletas, não equilibradas ou variadas Não querer cozinhar só para si A nutrição do idoso: Aspectos psicossociais e dietas adequadas - 4.4

43 Etapas da elaboração de uma ementa Escutar os utentes:Escutar os utentes: Fazer fichas de gostos Fazer fichas de gostos Pedir opiniões Pedir opiniões Confronto de informaçõesConfronto de informações Apresentação da propostaApresentação da proposta Reunião de equipaReunião de equipa Divulgação: Actividades de animaçãoDivulgação: Actividades de animação A nutrição do idoso: Aspectos psicossociais e dietas adequadas - 4.5

44 Cuidados alimentares a ter pelos idosos diabéticos 6 refeições diárias 6 refeições diárias Intervalos de 2/3 horas (8 horas de noite) Intervalos de 2/3 horas (8 horas de noite) Hidratos de carbono Hidratos de carbono – 180g/dia – Principalmente de absorção lenta – De absorção rápida, esporadicamente e quantidades reduzidas. Frutas e hortícolas indispensáveis Frutas e hortícolas indispensáveis Fibras retardam a absorção Fibras retardam a absorção Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.1

45 Cuidados alimentares a ter pelos idosos diabéticos 3 peças de fruta por dia 3 peças de fruta por dia Evitar gorduras em excesso Evitar gorduras em excesso Proteínas de origem animal e vegetal Proteínas de origem animal e vegetal Sal em quantidades moderadas Sal em quantidades moderadas Água 1,5l Água 1,5l Substitutos do açúcar Substitutos do açúcar Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.2

46 Doenças frequentes nos idosos e cuidados alimentares Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.3

47 Anorexia Falta de apetite, perda de desejo e prazer em comer Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.4

48 Causas Factores psicológicos Factores sociais Patologias Outros factores Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.5

49 Recusa de alimentos Atitude de rejeição da alimentação Não há resposta aos pedidos e solicitações para se alimentar Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.6

50 Recusa de alimentos - Causas conflito interno e externo conflito interno e externo excesso de controlo sobre o seu próprio corpo excesso de controlo sobre o seu próprio corpo desejo de auto-destruição, e/ou uma desistência da vida desejo de auto-destruição, e/ou uma desistência da vida demência demência Aspectos particulares da nutrição do idoso - 5.7

51 Dificuldades ao nível alimentar (1/2) Dificuldade em engolir Ansiedade após insistência para alimentação Lentidão a comer Olhar para a comida sem comer Dificuldade em discernir a os utensílios Boca seca e/ou com Aftas Dificuldade em mastigar Aspectos particulares da nutrição do idoso a

52 Dificuldades ao nível alimentar (2/2) Náuseas e vómitos Recusa da carne Engasgamento Comer demasiado depressa Não segurar os talheres Não abrir a boca Aspectos particulares da nutrição do idoso b

53 Auxílio na aquisição de bens alimentares O cuidador pode: ajudar o idoso a organizar a sua lista de compras ajudar o idoso a organizar a sua lista de compras sugerir a encomenda telefónica em lojas sugerir a encomenda telefónica em lojas solicitar entrega no domicílio solicitar entrega no domicílio sugerir as compras online sugerir as compras online acompanhá-lo acompanhá-lo A preparação de refeições - 6.1

54 Cuidados a ter na aquisição de alimentos Estado da embalagem Estado da embalagem Validade Validade Hortícolas e as frutas da época Hortícolas e as frutas da época Verduras sem sinais de contusões Verduras sem sinais de contusões A preparação de refeições - 6.2

55 Cuidados a ter na aquisição de alimentos Fruta em condições Fruta em condições Leite, iogurte e enlatados com embalagens em perfeitas condições Leite, iogurte e enlatados com embalagens em perfeitas condições Não consumir carne escurecida, esverdeada, mole e com cheiro intenso e desagradável Não consumir carne escurecida, esverdeada, mole e com cheiro intenso e desagradável Ovos bem acondicionados Ovos bem acondicionados A preparação de refeições - 6.3

56 Cuidados a ter na aquisição de alimentos Peixe fresco ou congelado Peixe fresco ou congelado Peixe fresco: Peixe fresco: – consistência firme e rija – olhos salientes e brilhantes – escamas aderentes à pele e brilhantes – guelras húmidas, e vermelhas vivas – cheiro característico e não a amoníaco A preparação de refeições - 6.4

57 Cuidados a ter na aquisição de alimentos Peixe congelado em embalagens fechadas e sem gelo por dentro Peixe congelado em embalagens fechadas e sem gelo por dentro Peixe seco e salgado sem coágulos de sangue e excesso de sal Peixe seco e salgado sem coágulos de sangue e excesso de sal Mariscos frescos de concha fechada Mariscos frescos de concha fechada A preparação de refeições - 6.5

58 A preparação de refeições Métodos de cozedura com elementos húmidos Cozido Partindo de liquido a ferver Partindo de liquido a ferver Partindo de liquido frio Partindo de liquido frio A vapor A vaporEstufado A preparação de refeições - 6.6

59 Técnicas de confecção Cozer com gordura: Assado Assado Salteado Salteado Fritos – Método Fritos – Método Outros métodos de confecção: Gratinados Gratinados A vácuo A vácuo Au sal Au sal Papillote Papillote A preparação de refeições - 6.7

60 Problemas e soluções para a alimentação dos idosos no domicílio Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.1

61 Organização da cozinha do idoso - Retirar tapetes e objectos que permaneçam no chão - Acessível e prática Utensílios, mercearias com fácil acesso Utensílios, mercearias com fácil acesso Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.2

62 Organização da cozinha do idoso Colocar pontos de apoio Ajudas técnicas Ensino e treino para funcionar com os equipamentos Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.3

63 Organização da cozinha do idoso Torneiras de preensão Produtos a cozinhar no micro-ondas Telefone na cozinha Telefone portátil Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.4

64 Obstáculos à alimentação dos idosos 1 - Horários fixos 2 - Desrespeito pelo tempo individual 3 - Imposição dos parceiros de mesa 4 - Obrigatoriedade de se deslocar ao refeitório Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.5

65 Procedimentos em caso de vómitos Preparação Material necessário: Bacia Bacia Esponja Esponja - Calçar as luvas - Proteger com tecido absorvente a roupa do idoso e da cama - Tranquilizar o idoso Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso Toalha Toalha Luvas Luvas Copo Copo Tecido absorvente Tecido absorvente

66 Procedimentos em caso de vómitos Procedimento Posição sentado ou decúbito lateral Bacia à frente do rosto Apoiar a testa do idoso Limpar o suor Limpar o doente e trocar a roupa do corpo e da cama Lavar a boca, sem pasta dentífrica ou escova de dentes Retirar as luvas e lavar as mãos Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.7

67 Procedimentos em caso de vómitos Cuidados específicos Não fornecer líquidos ou alimentos até estabilizar Registar sempre Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.8

68 Procedimentos em caso de engasgamento Preparação Colocar o idoso sentado, ou em pé Libertar o espaço circundante Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso - 7.9

69 Procedimentos em caso de engasgamento Procedimento Estimular a tosse (expelir o objecto) Inclinar para a frente Se não há tosse, passar à Manobra de Heimlich Posicionar-se atrás da vítima Posicionar-se atrás da vítima incliná-la para a frente incliná-la para a frente 5 pancadas secas, com a mão aberta, entre as omoplatas 5 pancadas secas, com a mão aberta, entre as omoplatas Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso

70 Procedimentos em caso de engasgamento Procedimento Se objecto não tiver saído, mão fechada com o polegar esticado, contra o abdómen mão fechada com o polegar esticado, contra o abdómen (entre um umbigo e o apêndice xifoide) (entre um umbigo e o apêndice xifoide) colocar a outra mão sobre a primeira, agarrando-a bem colocar a outra mão sobre a primeira, agarrando-a bem fazer 5 compressões abdominais, compassadamente de forma seca e enérgica fazer 5 compressões abdominais, compassadamente de forma seca e enérgica Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso

71 Procedimentos em caso de engasgamento Procedimento Compressões de dentro para cima Compressões de dentro para cima Alternar as pancadas e compressões até ocorrer a desobstrução Alternar as pancadas e compressões até ocorrer a desobstrução Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso

72 Procedimentos em caso de engasgamento Cuidados específicos Em obesos a manobra não é viável Se o paciente ficar inconsciente: chamar o (112) chamar o (112) fazer a ressuscitação cardio-pulmonar fazer a ressuscitação cardio-pulmonar Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso

73 Principais sinais e sintomas da desidratação Lábios, olhos e mucosas secas Língua seca e com crostas Pele seca, com pouca elasticidade Respiração rápida Olhos afundados Ritmo cardíaco acelerado Diminuição da pressão arterial Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso a

74 Principais sinais e sintomas da desidratação Redução do volume de urina Extremidades frias Hiperventilação Alteração dos estados de consciência Torpor e agitação Rubor facial Ausência de sede Preparar a família e as instituições para prestar apoio na alimentação do idoso b


Carregar ppt "A alimentação do idoso A qualidade de vida dos idosos depende em grandes parte daquilo que bebem e comem. (Berger, L., Mailloux-Poirier, D., 1995)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google