A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Antroposofia e ecologia – 8/10/08

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Antroposofia e ecologia – 8/10/08"— Transcrição da apresentação:

1 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
UM ENFOQUE ANTROPOSÓFICO SOBRE A ORIGEM E A SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS ECOLÓGICOS Valdemar W. Setzer Membro e webmaster da Sociedade Antroposófica no Brasil Fundador da 1a. loja de produtos naturais do Brasil, a Natura – Com. de Produtos Naturais Ltda. (1976) Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

2 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
Das Brot ernährt uns nicht Was uns im Brote speist Ist Gottes ew’ges Wort Ist Leben und ist Geist O pão não nos alimenta O que no pão nos nutre É a eterna palavra divina É vida e é espírito Angelus Silesius ( ) Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

3 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS 1. Causas dos problemas ecológicos 2. A evolução – natureza e ser humano 3. A evolução humana – épocas culturais 4. Origem dos problemas ecológicos 5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

4 1. Causas dos problemas ecológicos
Causas comuns: Excesso populacional Excesso de consumo Consumo errado Miséria cultural e econômica Falta de tratamento de resíduos Desmatamento Adubos, inseticidas, herbicidas ... Minhas causas, mais fundamentais: Materialismo Egoísmo, ambição e medo Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

5 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos 2. A evolução - natureza e ser humano 3. A evolução humana – épocas culturais 4. Origem dos problemas ecológicos 5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

6 2. A evolução - natureza e ser humano
moluscos peixes anfíbios répteis, aves mamíferos antropóides ser humano Ser humano espiritual Terra (matéria) Tempo Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

7 2. A evolução - natureza e ser humano (cont.)
O aparecimento consecutivo de fósseis é compatível com a existência anterior de arquétipos espirituais Portanto, a origem dos animais é o ser humano! Foram seres humanos que se “apressaram” em encarnar-se na Terra A partir do ser humano pode-se derivar a forma física dos animais mas o contrário não é verdade O ser humano foi “eliminando” unilateralidades De certa maneira, os animais “sacrificaram-se” Levando em sua encarnação precoce aquelas unilateralidades Como “agradecemos” esse sacrifício? Comendo-os! Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

8 2. A evolução - natureza e ser humano (cont.)
A evolução é um fato Necessidade de condições prévias (organismos mais simples) para um organismo aparecer Como conciliar com a evolução darwinista? Ampliando a teoria neo-darwinista: Algumas mutações e seleções naturais (encontros) não foram devidas ao acaso Paraíso bíblico: época em que o ser humano Não tinha auto-consciência Não tinha individualidade Não tinha liberdade Para conquistar isso, ele teve que “cair” na matéria Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

9 2. A evolução - natureza e ser humano (cont.)
Essa “queda” foi feita pela ação de seres espirituais Portanto, a noção de “pecado original” não é adequada Sem auto-consciência e liberdade, não se pode pecar Animais não “pecam”! Essa ação dos seres espirituais não poderia ser compensada pelos seres humanos sozinhos Foi necessária uma ajuda do mundo espiritual Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

10 2. A evolução - natureza e ser humano (cont.)
A queda na matéria fez com que o ser humano se afastasse cada vez mais dos mundos espirituais Isso foi uma necessidade pois uma ligação inconsciente com o mundo espiritual não permitiria o desenvolvimento de liberdade individualidade auto-consciência Além disso, é no mundo físico que podemos errar! Sem a possibilidade do erro, não poderia haver liberdade Por isso, jamais haverá felicidade e paz gerais! Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

11 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano 3. A evolução humana – épocas culturais 4. Origem dos problemas ecológicos 5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

12 3. A evolução humana – épocas culturais
1. Época proto-índica (7227 – 5067 A.C.) Ser humano ainda estava em contato com os mundos espirituais Considerava o mundo espiritual uma realidade muito maior do que o mundo físico Mundo físico era “maia”, ilusão Nenhum interesse pelo mundo físico 2. Época proto-persa (5067 – 2907 A.C.) Afastamento dos mundos espirituais Interesse pelo mundo físico Agricultura, pecuária Orientações diretas do mundo espiritual Ex: como se pode imaginar a “descoberta” do pão? Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

13 3. A evolução humana – épocas culturais (c.)
3. Época egipto-caldaica (2907 – 747 A.C.) Afastamento ainda maior dos mundos espirituais Escrita (definhamento da memória), cidades, templos, religiões Contato com os mundos espirituais por meio dos Mistérios Após rigoroso preparo da alma, iniciação de discípulos (3 dias de sono letárgico) Imagem: Jonas na baleia Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

14 3. A evolução humana – épocas culturais (c.)
3. Época egipto-caldaica (2907 – 747 A.C.) (c.) Não se tinha a sensação de produzir os próprios pensamentos Ex: Homero agradece às Musas a inspiração Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

15 3. A evolução humana – épocas culturais (c.)
4. Época greco-romana (747 A.C. – 1413 D.C.) Lembrança da existência de um mundo espiritual Fim dos Mistérios Queima de Éfeso (356 A.C.) No mesmo dia do nascimento de Alexandre! Notar a transição entre Platão (um iniciado) e Aristóteles (não-iniciado) Aristóteles usa um pensamento derivado das percepções sensoriais, e a lógica Filosofia (ocidente) Profetas, Buda (médio-oriente e oriente) Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

16 3. A evolução humana – épocas culturais (c.)
5. Época moderna (1413 – 3573) Afastamento total do mundo espiritual Vazio interior de conteúdos espirituais Leva a um interesse objetivo pelo mundo físico Ciência moderna Materialismo La Méttrie: L’homme-machine (1748!) Foi necessário! Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

17 3. A evolução humana – épocas culturais (c.)
5. Época moderna (1413 A.C. - ) (cont.) Fim do Kali-Iuga (1899) Os mundos espirituais abrem-se novamente para uma observação consciente Agora, por meio dos pensamentos Objetividade Transmissão por meio de conceitos Para a compreensão, e não para os sentimentos! Permite o aparecimento de um novo tipo de grande iniciado, como R. Steiner (formação científica e filosófica) Ciência espiritualista Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

18 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais 4. Origem dos problemas ecológicos 5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

19 4. Origem dos problemas ecológicos
Na nossa época cultural, o ser humano está totalmente abandonado pelos mundos espirituais Recordando: caso contrário, não poderia ser livre! Devido ao afastamento gradativo dos mundos espirituais, aparece o MATERIALISMO perderam-se a intuição e as tradições de como lidar com a natureza perdeu-se a noção da Terra como um organismo perdeu-se a noção de seres vivos como mani-festação de membros não-físicos em cada um Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

20 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos 5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

21 5. A constituição não-física do seres vivos
Minerais Exclusivamente o corpo físico Forma amorfa ou cristalina-geométrica Mudanças somente por ação externa Ex: crescimento por deposição salina Plantas Corpo físico + “corpo etérico” (ou “corpo de forças plasmadoras”), não físico Vida e morte Forma orgânica, simetrias orgânicas Crescimento a partir do interior Reprodução Regeneração dos tecidos Doença só externa Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

22 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Modelos seguidos por plantas Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

23 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Amimais Corpo físico + corpo etérico “corpo astral” (não-físico) Tudo das plantas mais Respiração rítmica (observar os animais superiores, não as formas de transição) Órgãos ocos Movimentação Instintos Sentimentos Consciência (ex: sentir dor) Sono e vigília Doença interna Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

24 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Modelos seguidos por animais Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

25 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Seres humanos Corpo físico + corpo etérico corpo astral EU (espiritual, “divino”) Tudo dos animais mais Postura ereta (coluna vertebral em duplo S) Em vigília; liberação em relação às forças da gravidade Corpo quase mantém a forma embrionária Forma física não indica a funcionalidade, ao contrário dos animais Auto-consciência Pensamento Fala Fantasia, criatividade Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

26 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Seres humanos (cont.) Tudo dos animais mais (cont.) Individualidade Cada espécie animal é como se fosse um indivíduo, com um EU grupal que não chega a impregnar o físico O desaparecimento de uma espécie animal é como o desaparecimento de um indivíduo humano Com a diferença que o ser humano se reencarna (em um outro ser humano, normalmente depois de centenas de anos), mas física e animicamente não será o mesmo; o espírito (Eu) é o mesmo, mas evoluído ou involuído, dependendo da vida anterior Compaixão Amor altruísta Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

27 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Seres humanos (cont.) O EU é o que o ser humano tem de realmente divino dentro de si – plantas e animais não têm! É por causa dele que conseguimos atingir o mundo espiritual Mundo platônico das idéias Ter compreensão das coisas Ter intuições Ex.: como joga um grande mestre em xadrez (ele não calcula os lances como faz um computador – usa a intuição) Observar o mundo espiritual Hoje: com o pensamento consciente Será que a expressão “Meu Deus!” refere-se intuitivamente a “Meu EU!”, isto é, o Deus, o divino, dentro de si? Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

28 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Note-se como nesse modelo há 3 níveis de “substância” não-física: O nível etérico mundo etérico O nível astral mundo astral O nível espiritual mundo espiritual Com esse modelo, pode-se compreender por que existem diferenças entre os vários reinos da natureza, e o que eles são A presença de um membro “superior” muda a configuração dos “inferiores”, inclusive a física A ciência materialista JAMAIS chegará a essa compreensão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

29 5. A constituição não-física do seres vivos (c.)
Ver em na seção “Antroposofia”, meu texto “Uma introdução antroposófica à constituição humana” e o livro em forma eletrônica de R. Lanz Noções Básicas de Antroposofia Ver os livros de R. Steiner, da Ed. Antroposófica, Teosofia e A Ciência Oculta Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

30 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos  5. A constituição não-física do seres vivos 6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

31 6. Materialismo e ecologia
Do ponto de vista materialista, não fazem sentido: Veneração, respeito pela Terra, pelos seres vivos e pelo ser humano Liberdade A matéria está sujeita às “leis” físicas Que são inexoráveis Por isso as máquinas funcionam e as construções não caem Como algo não-físico pode atuar sobre o mundo físico? Minha teoria da escolha de uma dentre várias possíveis transições não-deterministas Ex: de um gene do DNA podem se formar várias proteínas diferentes Na escolha de uma, o corpo etérico pode atuar sobre o corpo físico Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

32 6. Materialismo e ecologia (cont.)
Do ponto de vista materialista, não fazem sentido (cont): Individualidade que transcende o genoma e a influência do meio-ambiente Responsabilidade Não faz sentido sem liberdade Amor altruísta O que faz sentido do ponto de vista materialista é o egoísmo A natureza é egoísta Luta brutal pela sobrevivência do indivíduo e da espécie Só o ser humano é capaz de exercer o contrário, o AMOR ALTRUÍSTA Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

33 6. Materialismo e ecologia (cont.)
Há materialistas que são altruístas Mas isso é uma incoerência da parte deles pois da matéria não pode advir liberdade e altruísmo respeitam a natureza Por motivos egoístas Pois dependem dela Por intuição ou sentimento Ex: podem ser contra o desaparecimento de uma espécie Mas não têm conhecimento sobre o que isso significa (Uma complexa interação não-física) pois da matéria não pode advir respeito Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

34 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos  5. A constituição não-física do seres vivos  6. Materialismo e ecologia 7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

35 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
7. O movimento ecológico Surgiu com o livro Silent Spring, de Rachel Carlson nos anos 60 Provou o desaparecimento de pássaros devido ao inseticida DDT (ovos quebravam) A abordagem ecológica materialista é positiva Mas não vai ao fundo das questões Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

36 7. O movimento ecológico (cont.)
Somente uma abordagem espiritualista pode ir à essência do problema ecológico Ex: curso de Agricultura Biodinâmica de Rudolf Steiner em 1924 (ver o livro Fundamentos da Agricultura Biodinâmica, Ed. Antroposófica) Levou em conta os aspectos espirituais da agricultura e da pecuária Fazenda como organismo vivo Inclusive com tratamento terapêutico (os “preparados”) Integração da agricultura com a pecuária Enfoque holístico Como atrair insetos, larvas e aves úteis Como combater pragas ecologicamente Obviamente, sem inseticidas, herbicidas e adubos químicos Acima de tudo, um profundo respeito e veneração pelas plantas, pelos animais e pelo consumidor Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

37 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos  5. A constituição não-física do seres vivos  6. Materialismo e ecologia  7. O movimento ecológico 8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

38 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
8. Egoísmo, medo e ambição São causas diretas de problemas ecológicos Exs. de egoísmo e ambição: Capitalismo selvagem aplicado na agricultura Monoculturas Desmatamento, queimadas Inseticidas, herbicidas e adubos químicos Transgênicos Jeffrey Smith (The Genetic Roulette): “Os desastres ecológicos provocados pelos transgênicos serão piores do que os do aquecimento global e do lixo atômico” Clara manifestação de egoísmo, ambição e desrespeito para com a natureza O caso do Diesel no Brasil Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

39 8. Egoísmo, medo e ambição (cont.)
Como superar o egoísmo: Desenvolvimento de amor altruísta; exs.: Educação social, por meio de cooperação e não de competição Qualquer competição é anti-social Educar para a sensibilidade para com a natureza, a partir de um sentimento de veneração No Brasil, isso é premente Queimadas Muitas feitas por diversão Sujeira jogada por toda parte Meio efetivo: educação artística Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

40 8. Egoísmo, medo e ambição (cont.)
Fora casos de perigo físico, é causado pelo desconhecimento do mundo espiritual Ex.: conceituação de reencarnação e de carma Uma das grandes missões de R. Steiner Falta de confiança no mundo espiritual Leva a Diminuição da consciência Egoísmo Visão de curto prazo Ajuntar bens com medo do futuro Prejuízo ecológico Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

41 8. Egoísmo, medo e ambição (cont.)
O medo (cont.): Como superá-lo: Conhecimento do mundo espiritual Confiança no mundo espiritual Baseada em conhecimento, e não em crença pois o ser humano moderno quer compreender e não seguir mandamentos ou preceitos cegamente (correto na antigüidade), o que hoje iria contra a liberdade Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

42 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos  5. A constituição não-física do seres vivos  6. Materialismo e ecologia  7. O movimento ecológico  8. Egoísmo, medo e ambição 9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

43 9. Ciência espiritualista
É preciso expandir a ciência materialista levando em conta a constituição não-física da natureza Pesquisar e conhecer do mundo não-físico e sua manifestação no mundo físico Consciência de vigília permanente Objetividade Não podemos nos basear em sentimentos tais como bem-estar e felicidade pois em geral são frutos do egoísmo! Total ausência de preconceitos Transmissão por conceitos e não por sentimentos (entusiasmo, sensação de bem-estar, conforto em caso de dor, etc.) Ver meu artigo “Ciência, religião e espiritualidade” Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

44 9. Ciência espiritualista
Somente uma ciência espiritualista poderá produzir uma relação moral do ser humano para com a natureza E não baseada no egoísmo Com respeito e veneração Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

45 9. Ciência espiritualista (cont.)
Ex. de resultado Quanto mais industrializado um alimento, menos substância não-física ele contém Isto é, menos qualidade! Exs.: farinha branca, arroz polido, leite homogeneizado, mel aquecido Ciência materialista só lida com quantidades, resultados de medidas físicas, modelos matemáticos É a ciência da morte, e não da vida! Das Brot ernährt uns nicht Was uns im Brote speist Ist Gottes ew’ges Wort Ist Leben und ist Geist O pão não nos alimenta O que no pão nos nutre É a eterna palavra divina É vida e é espírito Angelus Silesius ( ) Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

46 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
TÓPICOS  1. Causas dos problemas ecológicos  2. A evolução - natureza e ser humano  3. A evolução humana – épocas culturais  4. Origem dos problemas ecológicos  5. A constituição não-física do seres vivos  6. Materialismo e ecologia  7. O movimento ecológico  8. Egoísmo, medo e ambição  9. Ciência espiritualista 10. Conclusão Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

47 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
10. Conclusão A ciência e sua dileta filha, a tecnologia, usadas egoisticamente, são as maiores responsáveis pelos problemas ecológicos de hoje Para se resolverem os problemas ecológicos, é preciso desenvolver individualmente uma grande mudança de mentalidade e de atitude, a partir de um conhecimento físico e espiritual Meios principais: educação (ex.: Pedagogia Waldorf) auto-educação, no caso de adultos Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer

48 Antroposofia e ecologia – 8/10/08
10. Conclusão (cont.) As Sras. e Srs. já são todos adultos Espero ter dado impulsos para que desenvolvam conhecimento e atitude ecológicos profundos, a partir de sua auto-educação Antroposofia e ecologia – 8/10/08 Valdemar W. Setzer


Carregar ppt "Antroposofia e ecologia – 8/10/08"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google