A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Claudio Benossi 1. Competências do Curso Conhecer a informação como um bem econômico e os processos de agregação de valor; Identificar Sistemas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Claudio Benossi 1. Competências do Curso Conhecer a informação como um bem econômico e os processos de agregação de valor; Identificar Sistemas."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Claudio Benossi 1

2 Competências do Curso Conhecer a informação como um bem econômico e os processos de agregação de valor; Identificar Sistemas de Gestão Informatizados e Integrados para registro e acompanhamento dos processos corporativos na Internet; Conhecer tendências do mercado. 2

3 Habilidades Visualizar as diferentes formas de organização dos diferentes tipos de empresa; Utilizar programas e sistemas corporativos para registro e acompanhamento das metas e controles estabelecidos; Coletar informações para acompanhar as atividades de todos os setores da empresa. 3

4 Bases Cientificas e Tecnológicas Noções de Redes/Telecomunicações e Internet; E-business, e-commerce, e m-business; Sistemas ERP (Enterpresi Resoirce Planning), CRM (Customes Relationship Management) e SCM (Supplay Chain Management); Utilitários e aplicativos básicos de editoração; Segurança da Informação; 4

5

6 Redes e Internet Para que você possa entender o que é e como funciona a Internet é necessário primeiro compreender o que é uma rede de computadores. Uma rede de computadores consiste, na forma mais simples de sua definição, na conexão de diversos computadores por meio de cabos e outros tipos de hardware. Podendo trocar dados entre si. 6

7 Redes e Internet A interação entre computadores envolve a movimentação de muitos dados, mas é difícil de se mover muitas coisas, incluindo-se dados, através de uma longa distância. Então a interação de computadores normalmente começa com computadores no mesmo escritório ou no mesmo prédio conectados a uma rede local. 7

8 Redes e Internet O termo rede de área local ou LAN, descreve um grupo de computadores geralmente conectados por mais de 300 metros de cabo, a qual interage e permite o compartilhamento de recursos. 8

9 Redes e Internet As redes locais são: Ethernet, Token-ring e a rede remota (WAN). As redes Ethernet e Token-ring são dois tipos diferentes de redes que podem ser conectadas á Internet. Nas redes Token-ring os dados são transmitidos em "Tokens" de computador para computador, em uma configuração em anel ou estrela. 9

10 Redes e Internet Na topologia em anel os aparelhos são conectados em série, formando uma rede fechada (anel), onde os dados são transmitidos unidirecionalmente de nó em nó até atingir o seu destino. O anel não interliga as estações diretamente, mas consiste de uma série de repetidores ligados por um meio físico, sendo que cada estação ligada (Computador) a estes repetidores. Uma mensagem é enviada por uma estação, que passa por outras estações, através das retransmissões, até ser retirada pela estação destino ou pela estação fonte. Como acontece em qualquer topologia, cada estação, ou nó, atende por um endereço que ao ser reconhecido por uma estação, aceita a mensagem e a trata. 10

11 Redes e Internet Há um atraso de um ou mais bits em cada estação para processamento de dados. Os maiores problemas desta topologia são relativos a sua pouca tolerância a falhas. Qualquer que seja o controle de acesso empregado, ele pode ser perdido por problemas de falha e pode ser difícil determinar com certeza se este controle foi perdido, ou decidir qual nó deve recriá-lo. Vantagens: Todos os computadores acessam a rede igualmente. Desempenho não é impactado com o aumento de usuários. Desvantagens: Falha de um computador pode afetar o restante da rede. Problemas são difíceis de isolar. 11

12 Redes e Internet A topologia estrela está entre as mais comuns atualmente onde grande parte das empresas utilizam esta topologia, ela inclui o uso de cabos par trançado e um concentrador como referência de ponto central da rede. O concentrador é encarregado por fazer a transferência de dados para todas as estações, assim torna mais fácil a localização de problemas ou erros, como por exemplo caso uma das placas de rede esteja com problemas não interromperá o funcionamento da rede. A transferência de informação é enviada de uma estação para outra. Toda informação antes de chegar na outra estação deve primeiro ser enviada ao dispositivo que fica no centro da topologia estrela (obs.: os dados não irão passar por todas as estações). O concentrador se responsabiliza em rotear o sinal para as estações solicitadas economizando tempo, determina a velocidade da transição de dados assim variando a velocidade conforme a do centralizador e converte sinais transmitidos por protocolos diferentes. 12

13 Redes e Internet Vantagens Gerenciamento Centralizado Caso uma estação esteja danificada não afetará as demais estações Fácil rastreamento de usuários em caso de vazamento de informações sigilosas Desvantagens Queda do centralizador resultará na paralização de toda a rede Dependência de apenas um centralizador Para invasão da rede basta atingir o centralizador Neste tipo de topologia é comum acontecer overhead (excesso de arquivos) 13

14 Redes e Internet Em redes Ethernet, os dados passam de um servidor para um computador na rede. Alguns sistemas de rede não usam qualquer cabo. A aparelhagem de redes remotas (ou sem fio) estendem as redes além do alcance dos cabos de cobre ou dos cabos de fibra ótica. 14

15 Redes e Internet As redes locais são agrupadas em redes regionais. Que podem através dos Backbones ter acesso á outras redes regionais. Um Backbone é uma estrutura básica para transmissão de dados na Internet extremamente veloz. (Backbone traduzindo para português, espinha dorsal, embora no contexto de redes, backbone signifique rede de transporte). 15

16 Redes e Internet A Internet é uma interconexão de diversas redes através de linhas de alta capacidade chamadas Backbones, construídos para comportar o grande tráfego de informações que circulam na Internet. É um local público e não pertence nem é operada por nenhuma empresa. Agências governamentais ou companhias privadas são as responsáveis pela construção destas estruturas. As companhias de alcance de longa distância constróem backbones e vendem o acesso a eles a outras companhias, os ISPs (provedores de serviço da internet), é o que permite o acesso de seu computador a Internet, cobram de ambos pelo tráfego de informações. 16

17 Redes e Internet Vamos entender como funciona todo o processo desde ligar o computador até receber ou enviar uma mensagem para um computador do outro lado do mundo ou em outro estado do nosso país. Além do computador diversos outros tipos de hardware serão envolvidos ao se navegar na Internet. Esse hardware é projetado para transmitir dados entre redes e forma grande parte do "elemento de coesão" que une a Internet. 17

18 Redes e Internet As cinco partes mais importantes são: Hubs, pontes, portas de comunicação (gateways), repetidores e roteadores. Os Hubs são importantes porque ligam grupos de computadores entre si e permitem que os computadores se comuniquem uns com os outros. As pontes ligam as redes locais (LANs) umas ás outras. Permitem que os dados destinados á outra LAN sejam enviados a partis delas, enquanto mantêm simultaneamente dados locais dentro de sua própria rede. As portas de comunicação (gateways) são semelhantes ás pontes, mas também traduzem dados de um tipo de rede para outro. 18

19 Redes e Internet Os dados sempre atravessam grandes distâncias quando viajam através da Internet, o que pode criar um problema, pois o sinal que os envia pode enfraquecer com a distância. Para evitar que isto ocorra, os repetidores amplificam os dados, em determinados intervalos, para que o sinal não enfraqueça. Os dados para serem enviados de um local para outro são divididos em pacotes pelo TCP (Protocolo de Controle de Transmissão). 19

20 Redes e Internet Os roteadores garantem que estes pacotes cheguem ao seu destino. E, posteriormente, estes pacotes são montados formando a informação como foi enviada. 20

21 Redes e Internet Agora que vimos o hardware envolvido, iremos entender todo o processo. Os dados são divididos em pacotes pelo TCP. Pois a Internet é uma rede comutada, onde não existe uma conexão permanente entre o emissor e o receptor. Esses pacotes são enviados de seu computador para a sua rede local, provedor de serviços Internet ou para um serviço comercial on-line, via modem. 21

22 Redes e Internet Caso o destino seja uma outra rede local dentro da rede regional a qual as duas fazem parte, a transmissão terá um roteador captando estes dados do provedor, serviço comercial ou rede local e transmitindo para o roteador da outra rede local. No caso da transmissão entre várias redes regionais, os pacotes serão enviados a um ponto de acesso á rede (NAP) e depois através de um backbone enviado a outro ponto de acesso próximo ao destino, a um roteador e em seguida ao computador de destino. 22

23 Redes e Internet Esta divisão em pacotes é que faz a Internet ser conhecida como uma rede comutada em pacotes. É isto que os dois Protocolos (conjunto de regras) de comunicação mais importantes fazem: o TCP e o IP. TCP é o Protocolo de Controle de Transmissão e o IP é o Protocolo Internet. 23

24 Intranet e Extranet Uma intranet é uma internet interna. O acesso a ela normalmente se restringe a funcionários da empresa. Como uma intranet pode abranger o globo, muitas organizações consideram mais barato compartilhar informações corporativas dessa maneira. Os protocolos e as regras são os mesmos da Internet, com a diferença que se trata de uma rede fechada da empresa, disponível somente aos funcionários conectados a ela. As informações disponíveis na intranet são informações corporativas, geralmente de natureza proprietária. 24

25 Intranet e Extranet Uma empresa estabelece uma intranet instalando o protocolo TCP/IP, um servidor Web e navegadores Web, browsers. Os documentos da empresa são convertidos para formato HTML e colocados no(s) servidor(es) Web da intranet. Assim, os funcionários da empresa usam seus navegadores Web para visualizar esses documentos, basta digitar o endereço local do documento que desejam ver, de forma semelhante á inserção de um endereço Internet. 25

26 Como nasceu a Internet Em 1969, a ARPA, do departamento de defesa dos EUA, construiu uma rede experimental de computadores chamada ARPAnet. A ARPAnet uniu pesquisadores, militares e universitários, permitindo que os recursos de seus computadores fossem compartilhados. A rede também permitiu que se fizesse pesquisas militares nas universidades e que os militares se comunicassem, tanto entre si como com outros, via . 26

27 Como nasceu a Internet Com o tempo, a ARPAnet cresceu e se adaptou aos desenvolvimentos tecnológicos. Como resultado grandes companhias construíram redes baseadas na ARPAnet e se conectaram a ARPAnet, em especial a NSF (Fundação Nacional para a Ciência). 27

28 Como nasceu a Internet O tráfego cresceu tanto que a rede foi dividida em militar e civil. Com a descentralização ela se tornou uma vasta rede de companhias, universidades, indivíduos, pesquisadores e governo, ou seja, qualquer pessoa que dispusesse de um computador poderia se conectar. Antes era chamada de NSFnet e em 1987 passou a se chamar Internet. 28

29 Como nasceu a Internet Hoje diversos grupos orientam o crescimento da Internet, como o W3C, World Wide Web Consurtium, que orienta os padrões de evolução; o InterNIC, fundado pela Fundação Nacional de Ciência, que controla o Sistema de Nomes de Domínio; etc. Mas isto não quer dizer que estas empresas controlam a Internet, elas orientam seu crescimento e ajudam, como outras, a coordenar. 29

30 Como nasceu a Internet No início, foi o governo federal, as agências de pesquisas, os laboratórios e as universidades que deram forma a Internet. Mais recentemente, são os interesses comerciais que têm determinado a forma de sua infra-estrutura. Para solucionar problemas como nomes de domínio, velocidade, etc., e já está funcionando a "Internet 2". Uma rede altamente veloz que está sendo utilizada somente por alguns orgãos governamentais e Instituições de nível Superior Federal. 30

31 Como nasceu a Internet Normalmente, para nós pobres mortais, a velocidade de conexão chega a 56 Kbps. Na Internet 2 a velocidade de conexão pode chegar a 2,4 Gigabytes por segundo. Velocidades de conexão deste tipo também são utilizadas por usuários, felizardos, que possuem cable modem. Onde provedores como o Ajato já operam em São Paulo e Rio de Janeiro. 31

32 32 História da Internet - Países Conectados

33 Histórico da Internet O grande boom desta rede foi em 1990 quando deixou de ser acadêmica para ser comercial e o grande marco foi a criação do primeiro browser em 1993 por Marc Andressen. 33

34 Histórico da Internet No Brasil, o acesso à Internet foi iniciado em 1989 com a conexão de instituições acadêmicas como a Fapesp, USP, Unicamp, PUC-Rio, UFRJ e outras. Foram formados dois backbones regionais, a RedeRio e a ANSP (An Academic Network at São Paulo) interligando as principais instituições destes estados. 34

35 Histórico da Internet Posteriormente foi criada a RNP (Rede Nacional de Pesquisa) com o objetivo de formar um backbone nacional de acesso à Internet e de estimular a formação de redes regionais como a Rede Minas, Rede Tchê e outras. Em 1995, foi liberado o tráfego comercial, com a Embratel montando e operando o backbone comercial no Brasil. 35

36 Histórico da Internet Atualmente o backbone da Internet no Brasil é formado por diversos backbones nacionais interligados entre si, como a RNP, a Embratel e outras empresas como IBM, Unisys, GlobalOne e outros provedores. O Comitê Gestor da Internet Brasil é o responsável pela determinação de regras e políticas para a porção brasileira da Internet e a Fapesp é responsável pelo registro de nomes de domínio br. 36

37 Aspectos Legais Não há regulamentação clara: Propriedade intelectual e direito autoral Direito e técnicas de segurança Assinatura eletrônica Privacidade online Crimes digitais 37

38 38 Uso da Internet nos Negócios Presença/Informação Marketing Brochuras / Informações institucionais Interação Aplicações intranet Interatividade Personalização Busca básica Sites linkados

39 39 Uso da Internet nos Negócios Transação E-commerce Suporte a EDI Comunidades Aplicação SCM Front-end de ERP Customer self-service

40 40 Uso da Internet nos Negócios Transformação Atendimento em tempo real Personalização avançada Convergência de plataformas

41 41 Impactos da Internet nos negócios Marketing Abordagem centrado no consumidor Customização em massa / CRM Redefinição das organizações Novos modelos de negócio Mudança da natureza do trabalho Menor ciclo de mudanças

42 Histórico da Internet Atividade: Pesquisar características do usuário da Internet no Brasil Idade Ocupação Etc. 42


Carregar ppt "Prof. Claudio Benossi 1. Competências do Curso Conhecer a informação como um bem econômico e os processos de agregação de valor; Identificar Sistemas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google