A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OS IDOSOS E A INTERNET Junho / 2007. Metodologia Pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados, mediante aplicação de questionário.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OS IDOSOS E A INTERNET Junho / 2007. Metodologia Pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados, mediante aplicação de questionário."— Transcrição da apresentação:

1 OS IDOSOS E A INTERNET Junho / 2007

2 Metodologia Pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados, mediante aplicação de questionário estruturado com cerca de 15 minutos de aplicação. O sorteio dos entrevistados foi aleatório com base em lista telefônica. Universo Pessoas com 60 anos ou mais que possuem telefone no domicílio. Amostra 309 entrevistas. Abrangência Cidade de São Paulo Margem de erro Para o total da amostra é de 6 pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro de um nível de confiança de 95%. Data de campo 7 a 13 de junho de 2007.

3 Relatório PARA PAULISTANOS COM MAIS DE 60 ANOS, INTERNET POSSIBILITA INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E COMUNICAÇÃO O Datafolha ouviu 309 moradores da cidade de São Paulo, a partir dos 60 anos de idade, para conhecer seus hábitos e saber suas opiniões em relação ao uso de computadores e da internet. A pesquisa mostra que cerca de metade desse universo tem um computador em casa, mas que boa parte dele não o utiliza. Apesar disso, a maioria acha positivo aprender a usar computador na terceira idade, e associa a maior parte dos benefícios desse aprendizado à internet, vista e utilizada principalmente como fonte de informações e conhecimento e meio de comunicação com amigos e familiares. O estudo também mostra que, entre os que utilizam a internet, o percentual dos que fazem algum curso ou estudam atualmente fica acima da média, e que cursos de computação e informática são os mais citados pelos que têm vontade de aprender algo novo. A pesquisa foi realizada, por telefone, entre os dias 7 e 13 de junho de A margem de erro máxima, para o total da amostra, é de seis pontos percentuais, para mais ou para menos.

4 Relatório LER NOTÍCIAS, TROCAR S E MENSAGENS INSTANTÂNEAS, PESQUISAR CURSOS E ATIVIDADES CULTURAIS E ACESSAR SERVIÇOS PÚBLICOS SÃO ATIVIDADES ONLINE MAIS FREQUENTES Quase metade (45%) dos entrevistados declara ter computador em casa. Porém, 27% deles não o utilizam, ante 19% que fazem uso do computador que existe em sua residência. Entre os que moram com os filhos, 59% contam com um computador em casa, mas 41% não o utilizam. Já entre os que moram com um companheiro ou companheira, 50% dispõem de um computador, e 30% deles o utilizam. Entre os que moram sozinhos, a taxa dos que não têm computador chega a 83%. Dos que utilizam computador em casa, 24% afirmam que tiveram seu primeiro contato com um computador depois dos 60 anos. Dizem ter começado a usar computador até os 50 anos de idade 36% e que começaram a usar entre 51 e 60 anos 39%. A média de idade com que os entrevistados começaram a utilizar computador é de aproximadamente 54 anos. Para 85%, aprender a utilizar computador na terceira idade traz benefícios para quem aprende. Essa taxa chega a 98% entre os que utilizam internet.

5 Relatório A propósito, a maior parte dos benefícios citados, de forma espontânea, estão relacionados à internet. São eles, entre outros, manter-se informado sobre o que acontece no Brasil e no mundo (24%), estabelecer comunicação com amigos, familiares e outras pessoas (19%), obter conhecimento, de modo geral (17%), poder pesquisar sobre assuntos diversos (11%), pagar contas e realizar transações bancárias sem sair de casa (8%), estudar (3%) e fazer compras online (2%). Alguns dos outros benefícios citados são exercitar a mente e o raciocínio (10%), utilização do computador para trabalhar, mas também para se divertir (9%, cada) e a sensação de se estar por dentro do que é moderno, atual, novo (5%). Cerca de um quinto (19%) diz utilizar internet, sendo que 17% têm acesso em casa. Outros locais citados são o trabalho (7%), casas de parentes e amigos (4%) e locais de acesso pago, como lan houses (2%).

6 Relatório Têm acesso à internet principalmente os entrevistados com escolaridade superior (66%), os que têm renda familiar mensal acima de 10 salários mínimos (58%) e os que trabalham (36%). Entre os homens, 32% têm acesso à internet, taxa que é três vezes menor (10%) entre as mulheres. Entre os que vivem com um companheiro ou companheira, 31% têm acesso à internet. Essa taxa cai para 17% entre os que moram com os filhos e para 13% entre os que moram sozinhos. Dos que não utilizam internet, 36% apontam, espontaneamente, como um dos motivos para isso, não saber utilizar computador. Um quarto (25%) não têm acesso ou tem dificuldade de acessar a internet (23% porque não possuem computador, 2% porque dizem que os filhos se apropriam da máquina) e percentual semelhante não gosta ou não tem interesse (24%). Dizem ter outras atividades, que lhes tiram o tempo para acessar a internet, 11%, e se sentem em idade avançada para lidar com ela 8%. Falta de condições financeiras, de paciência e de estudo são motivos citados por 5%, cada, para a não utilização da internet. Começaram a acessar a internet com 61 anos ou mais 33%. Tiveram seu primeiro contato com ela entre os 51 e os 60 anos 45% e acessaram pela primeira vez até os 50 anos 16%. A média de idade com que os entrevistados fizeram sua primeira conexão à internet é de aproximadamente 58 anos.

7 Relatório A maioria dos que utilizam considera a internet muito importante (51%) ou importante (25%) em sua vida. Para 13% deles, a internet é mais ou menos importante, para 7% pouco importante e para 2% nada importante em suas vidas. As atividades realizadas com mais freqüência pelos que acessam a internet são ler notícias, trocar s (77% têm o hábito, em cada caso), pesquisar atividades culturais ou cursos (71%), acessar o site do INSS e de outros serviços públicos (65%) e trocar mensagens instantâneas com parentes e amigos (58%). A maioria não costuma fazer consultas nem transações bancárias na internet (59%), não ouve música online (72%) nem faz compras (74%).

8 Relatório 12% FAZEM ALGUM CURSO ATUALMENTE; 41% TÊM VONTADE DE APRENDER ALGO NOVO A pesquisa mostra que a maioria (88%) dos entrevistados está afastada de atividades educacionais atualmente. Declaram fazer algum curso no momento ou participar de algum tipo de atividade educacional 12%. Entre os que dizem utilizar internet, 22% fazem algum curso – 5% estudam computação, 3% fazem cursos de idiomas. As mulheres são mais ativas do que os homens: 16% delas fazem algum curso ou participam de alguma atividade. Entre os homens essa taxa é de apenas 5%. Idade, escolaridade e renda influenciam: entre os que têm de 60 a 68 anos, 15% estudam no momento, mesma taxa verificada entre os que têm renda familiar mensal superior a dez salários mínimos. Entre os que têm curso superior, 16% estão engajados em algum curso no momento. Algumas das atividades citadas são ginástica (3%), pintura (2%), computação ou informática, dança, artesanato, bordado, canto ou coral, idiomas, tricô, crochê, violão, literatura ou cursos de redação e hidroginástica (cada uma delas mencionada por 1%). Quando indagados se já fizeram algum curso ou se participaram de alguma atividade educacional depois de terem completado 60 anos de idade, 13% respondem afirmativamente e 87% dizem que não.

9 Relatório Entre os que fazem ou já fizeram algum curso, 37% se referem ao aprendizado conquistado como um dos benefícios que sentiram. Desses, 13% mencionam o fato de terem aprendido coisas novas, de terem se atualizado, de modo geral, 7% citam especificamente a atualização profissional, 4% destacam o que aprenderam na área de informática e 3% dizem que se beneficiaram aprendendo outros idiomas, mesmo percentual dos que sentiram desenvolvimento de sua capacidade intelectual. Referências a contatos pessoais somam 26%, sendo que 15% se referem à possibilidade de conversar com pessoas e amigos, 7% se sentiram satisfeitos por estar em uma atividade em grupo e 3% se sentiram beneficiados por fazer novas amizades. Também foram citados como benefícios sentidos pelas pessoas que participam ou participaram de alguma atividade educacional, entre outros: aumento na disposição e na vontade de viver (15%), benefícios para a saúde (13%), a possibilidade de sair de casa e passear (9%), um maior controle da mente e das emoções (7%), o fato dessa atividade funcionar como distração ou passatempo (6%), ou ser uma forma de fazer caridade (4%), e o sentimento de utilidade para a sociedade (3%). A maioria (57%) diz não ter vontade de participar de algum curso nem de aprender algo novo. Demonstram vontade de voltar a estudar 41%. A vontade de aprender algo novo chega a 64% entre os que têm renda familiar mensal superior a 10 salários mínimos. E quanto maior a escolaridade do entrevistado, maior a vontade de voltar a estudar: ela é de 36% entre os que têm nível fundamental, de 46% entre os que fizeram o ensino médio e de 54% entre os que têm escolaridade superior.

10 Relatório Entre os que trabalham atualmente, 52% têm vontade de participar de algum curso ou de aprender algo novo e 45% não têm essa disposição. Entre os que não trabalham, ocorre o inverso: a maioria (61%) não quer investir em um novo aprendizado, enquanto 37% têm essa vontade. As mulheres (46% delas), mais do que os homens (34%), demonstram vontade de estudar. Entre os que utilizam internet, 56% têm vontade de participar de algum curso ou de aprender algo novo, ante 37% que declaram essa disposição entre os que não costumam se conectar. Dos que têm vontade de aprender algo novo, 28% citam computação ou informática. Pintura (13%), cursos de idiomas (10%), tricô, crochê (8%, cada), culinária, bordado (5%), natação, literatura ou redação, hidroginástica e dança (3%, cada) são algumas das demais atividades citadas. A falta de vontade de voltar a estudar é justificada principalmente, de maneira espontânea, por problemas de saúde e falta de tempo. Dos que se referem à saúde (43% do total dos que não têm vontade de aprender algo novo), 24% afirmam estar doentes e, por isso, não podem ou não querem sair de casa, 13% se dizem muito cansados, 5% alegam esquecimento ou dificuldade para aprender, percentual idêntico menciona problemas de visão e 2% declaram ter depressão ou outros problemas psicológicos. Entre os que se referem a falta de tempo por causa de outras atividades (36% do total) estão os que trabalham (12%), os que cuidam do cônjuge ou de um parente (11%) ou da casa (5%). Dizem já fazer outros cursos 2%.

11 SEXOIDADE ESCOLARIDADERENDA FAMILIAR Perfil da amostra (em %) 70 anos 66 anos Média

12 COM QUEM MORA ESTADO CONJUGAL Perfil da amostra (em %)

13 TRABALHA ATUALMENTE CONVIVÊNCIA COM PESSOAS MAIS JOVENS Perfil da amostra (em %)

14 Curso ou atividade educacional que participa (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.1 – Você faz algum curso ou participa de alguma atividade educacional atualmente? (SE SIM) Que curso você faz ou de que atividade educacional você participa atualmente? Base: Total da amostra = 309 entrevistas

15 Cursos ou atividades educacionais que participou após completar 60 anos de idade (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.2 – Você já fez algum outro curso ou participou de alguma outra atividade educacional depois de ter completado 60 anos de idade? Qual outro curso ou de qual atividade educacional você participou? Base: Total da amostra = 309 entrevistas

16 Benefícios de cursos ou atividades educacionais (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.3 – Que benefícios você sente ou sentiu ao participar desses cursos ou atividades? Base: Entrevistados que participam ou já participaram de cursos ou atividades educacioanais = 68 entrevistas

17 Benefícios de cursos ou atividades educacionais (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.3 – Que benefícios você sente ou sentiu ao participar desses cursos ou atividades? Base: Entrevistados que participam ou já participaram de cursos ou atividades educacioanais = 68 entrevistas (...continuação)

18 Tem vontade de participar de algum curso ou aprender algo novo? (estimulada e única, em %) Fonte: P.4 – Você tem vontade de participar de algum curso ou de aprender algo novo? Base: Total da amostra = 309 entrevistas Têm vontade de fazer algum curso principalmente: Mulheres : 46% Nível superior : 54% Trabalha : 52%

19 Cursos ou atividades que gostaria de fazer (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.5 – Que cursos você gostaria de fazer ou o que você gostaria de aprender? Base: Entrevistados que têm vontade de fazer cursos ou aprender algo novo = 130 entrevistas Homens : 35%

20 Cursos ou atividades que gostaria de fazer (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.5 – Que cursos você gostaria de fazer ou o que você gostaria de aprender? Base: Entrevistados que têm vontade de fazer cursos ou aprender algo novo = 130 entrevistas (...continuação)

21 Motivos pelos quais não tem vontade de fazer cursos ou aprender algo novo (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.6 – Por quais motivos você não tem vontade de fazer um curso ou aprender algo novo? Base: Entrevistados que não têm vontade de fazer cursos ou aprender algo novo = 176 entrevistas *Base insuficiente para analise estatística

22 Motivos pelos quais não tem vontade de fazer cursos ou aprender algo novo (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.6 – Por quais motivos você não tem vontade de fazer um curso ou aprender algo novo? Base: Entrevistados que não têm vontade de fazer cursos ou aprender algo novo = 176 entrevistas (...continuação) *Base insuficiente para analise estatística

23 Posse e uso de computador (estimulada e única, em %) Fonte: P.7 – Você ou alguém que mora com você tem computador em casa? (SE SIM) Você costuma utilizar esse computador? Base: Total da amostra = 309 entrevistas Homens : 31% Superior : 62% Renda acima de 10 S.M. : 60%

24 Idade com que começou a usar o computador (estimulada e única, em %) Fonte: P.8 – Com que idade você começou a utilizar computador? Base: Entrevistados que utilizam computador em casa = 57 entrevistas Média de idade que começou a utilizar computador 54 anos

25 Opinião sobre o uso do computador na terceira idade (estimulada e única, em %) Fonte: P.9 – Na sua opinião, aprender a usar computador na terceira idade traz ou não benefícios para quem aprende? Base: Total da amostra = 309 entrevistas

26 Motivos pelos quais aprender a usar computador na terceira idade traz benefícios (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.10 – Por quais motivos você acha que aprender a usar computador na terceira idade ________ para quem aprende? Base: Entrevistados que acham que aprender a usar computador na terceira idade traz benefícios para quem aprende= 262 entrevistas

27 Motivos pelos quais aprender a usar computador na terceira idade traz benefícios (espontânea e múltipla, em %) (...continuação) Fonte: P.10 – Por quais motivos você acha que aprender a usar computador na terceira idade ________ para quem aprende? Base: Entrevistados que acham que aprender a usar computador na terceira idade traz benefícios para quem aprende= 262 entrevistas

28 Uso da internet (estimulada e múltipla, em %) Fonte: P.11 – Você utiliza a internet: Base: Total da amostra = 309 entrevistas Utilizam a internet Principalmente: Homens : 32% 60 a 68 anos (26%) Nível superior (66%) Os que trabalham (36%)

29 Motivos pelos quais não utiliza a internet (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.12 – Por quais razões você não costuma utilizar a internet? Base: Entrevistados que não utilizam a internet = 250 entrevistas

30 Motivos pelos quais não utiliza a internet (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.12 – Por quais razões você não costuma utilizar a internet? Base: Entrevistados que não utilizam a internet = 250 entrevistas (...continuação)

31 Idade com que começou a usar a internet (estimulada e única, em %) Fonte: P.13 – Com que idade você começou a acessar a internet? Base: Entrevistados que utilizam a internet = 59 entrevistas Média em anos que começou a utilizar a internet 58 anos

32 Grau de importância da internet (estimulada e única, em %) Fonte: P.14 – Você considera a internet muito importante, importante, mais ou menos importante, pouco importante ou nada importante na sua vida? Base: Entrevistados que costumam utilizar a internet = 59 entrevistas 76%9%

33 Fonte: P.15 – Eu vou citar algumas atividades que as pessoas fazem quando acessam a internet, e gostaria que você me dissesse, de cada uma, se você tem esse hábito ou não. Quando você acessa a internet, você costuma: Base: Entrevistados que costumam acessar a internet = 59 entrevistas Hábitos na internet (estimulada e única, em %)

34 Benefícios da internet (espontânea e múltipla, em %) Fonte: P.16 – Que benefícios a internet trouxe para a sua vida? Base: Entrevistados que costumam utilizam a internet = 59 entrevistas


Carregar ppt "OS IDOSOS E A INTERNET Junho / 2007. Metodologia Pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados, mediante aplicação de questionário."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google