A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006

2 Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006 Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia Dr Emir José Suaiden Diretor do Ibict

3 Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

4

5

6 - EXIGÊNCIAS DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - Comunidade capaz de identificar suas necessidades Informacionais; - Encontrar respostas adequadas por meio das novas tecnologias e transformá-las em soluções práticas que possibilitem o avanço do conhecimento. Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

7 – O MODELO EDUCACIONAL -Evasão e Repetência -Cópia de dicionários e enciclopédias -CTRL+C e CTRL+V -Carência de Bibliotecas Escolares -Desvirtuamento da pesquisa Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

8 – A INDÚSTRIA DOS CONTEÚDOS -Dependência cultural -A Indústria Editorial -Falta de público leitor -O Governo como grande comprador de livros -O livro como instrumento de inclusão social Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

9 – O PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO -Modelo conservador -A teoria e a prática do profissional -O paradigma da preservação -A vocação da leitura: somente um leitor forma outro -A mediação da informação Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

10 – ESTRUTURAS INFORMACIONAIS -A inversão de valor no processo informacional na América Latina -A ilusão da fundamentação teórica * Manifesto da UNESCO * Bibliografia - Sociedade da Informação Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

11 – A DIMENSÃO HUMANA DA INFORMAÇÃO -Inclusão ou Exclusão das populações carentes -A Biblioteconomia no processo educacional -Mediação da informação -Alfabetização em informação -Alfabetização digital Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

12 – BIBLIOTECA PÚBLICA E INCLUSÃO SOCIAL -Dificuldade da comunicação entre Bibliotecário e o Programador de Sistemas -A concorrência entre o virtual e o bibliográfico -A formação do leitor crítico -A internet e a inclusão social Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

13 - BREVE HISTÓRICO -Criado em 26 de Fevereiro de 1954 como Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (IBBD) subordinado ao Conselho Nacional para o desenvolvimento científico e tecnológico (CNPq), apoiado pela UNESCO. - Fornecer produtos e serviços de informação em C&T – IBBD é transformado em IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em C&T) -Fornecer produtos e serviços de informação em C&T -Apoiar e executar as políticas nacionais de informação em C&T – IBICT é transferido do CNPq para o MCT Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

14 - LINHAS DE AÇÃO -Desenvolvimento de atividades de pesquisa e ensino em CI -Articulação e integração do setor de informação em C&T -Prospecção, absorção, desenvolvimento e transferência de tecnologias da informação e da comunicação aplicadas ao tratamento e disseminação da informação -Disseminação da informação tecnológica para a inovação e competitividade do setor produtivo nacional -Inclusão Social -Programa Editorial Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

15 - DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PESQUISA E ENSINO EM CI -Programa de Pós-graduação em CI -Mestrado -Doutorado -Especialização -Cursos de curta duração -Pesquisa na área de ciência da informação e de tecnologias da informação para o tratamento e disseminação da informação -Realização de estudos Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

16 - ARTICULAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO SETOR DE INFORMAÇÃO EM C&T -OBJETIVOS: -Registro e disseminação da produção científica e tecnológica brasileira -Facilitar o acesso à ICT por meio da oferta de produtos e serviços de informação -COMO: -Estabelecimento de uma Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica -AÇÕES: -Manifesto Brasileiro de apoio ao Acesso Livre à ICT -Importância das agências de fomento -Os resultados de pesquisas financiadas com recursos públicos devem ser depositados em repositórios de acesso livre -Teses e dissertações deverão ser depositadas na BDTD O sucesso desse manifesto depende do apoio e participação de toda a comunidade científica, em especial das agências de fomento Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

17 - ARTICULAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO SETOR DE INFORMAÇÃO EM C&T AÇÕES -Biblioteca Digital Brasileira (BDB) -Interface integrando as várias fontes de informação -Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) -Diálogo Científico (E-prints – Open Archives Initiative) -Publicação Eletrônica (SEER – OJS) -Bibliotecas Digitais e Virtuais (Prossiga) -Catálogo Coletivo Nacional (CCN) -COMUT -ISSN 22 IES integradas à BDTD, T&D em texto integral 66 revistas científicas 490 técnicos capacitados 500 bibliotecas coleções bibliotecas Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

18 BDTD – NÚMERO DE TESES E DISSERTAÇÕES POR IES Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

19 - ARTICULAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO SETOR DE INFORMAÇÃO EM C&T -Projetos para Portal do Livro Eletrônico -Prioridade : livros didáticos adotados na graduação -Portal de Repositórios e Publicações Eletrônicas de Acesso Livre -Conclusão Rede e-Conhecimento -Parcerias: -RNP (infra-estrutura de rede de alta velocidade) -LNCC (processamento de alto desempenho) -IBICT (Portais integrados via BDB) Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

20 - PROSPECÇÃO, ABSORÇÃO, DESENVOLVIMENTO E TRANSFERÊNCIA DE TICS APLICADAS AO TRATAMENTO E DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO -Laboratório de Tecnologias da Informação -Prospecção tecnológica -Absorção, teste e desenvolvimento de TICs para o tratamento e disseminação de informação científica e tecnológica -Resultados obtidos: -SEER – Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas -SOAC – Sistema Online de Acompanhamento de Conferências -Formação de competência no uso do modelo Open Archives para construção de repositórios -Exemplos: BDTD, DSPACE Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

21 - RANKING DO NÚMERO DE REPOSITÓRIOS DE ACESSO LIVRE POR PAÍS Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

22 - DISSEMINAÇÃO DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DO SETOR PRODUTIVO -SBRT (Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas) -Serviço de Informação sobre tecnologias de baixa complexidade para as pequenas e médias empresas -Base de Dados de Solução -Informação sobre Tecnologias Apropriadas -Portal da Oferta e Demanda por serviços tecnológicos -Prossiga -Vortais -Fomento -Banco de Dados contendo os dados de bolsas, auxilios à pesquisa, projetos etc. -Apoio ao planejamento de C&T -Geração de indicadores para apoio à tomada de decisão -Banco de Inventário para ACV (avaliação do ciclo de vida) Importante: contar com os dados das Faps Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

23 - DISSEMINAÇÃO DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DO SETOR PRODUTIVO -Catálogo Coletivo Nacional de Publicações Seriadas - CCN Reúne informações sobre publicações periódicas técnico-científicas que constam do acervo das mais importantes bibliotecas do país. -Programa de Comutação Bibliográfica - COMUT Permite a obtenção de cópias de artigos de revistas e jornais científicos, teses, anais de congressos e relatórios técnicos disponíveis nas principais bibliotecas brasileiras e serviços de informação internacionais.

24 - INCLUSÃO SOCIAL -Divulgação Científica (Popularização da Ciência) -Canal Ciência -Disseminação das pesquisas que são realizadas no país em uma linguagem apropriada para o cidadão não especializado -Links para outros sites (museus, enciclopédias, universidades etc) -Banco de Soluções (Tecnologias Sociais) -Cartilhas e vídeos contendo tecnologias de baixa complexidade -Aprendizagem Informacional -Software Livre -Formação de competências para uso e desenvolvimento -Certificação de qualidade -Revista Inclusão Social -Centro Referencial da Erradicação do Trabalho Infantil Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

25 - PROGRAMA EDITORIAL -Revista Ciência da Informação -Revista Inclusão Social -Manuais, metodologias e obras contendo ferramentas de apoio ao tratamento e disseminação da informação -CDU -Obras de interesse para a Ciência da Informação -Obras de interesse para a Ciência e Tecnologia Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

26 - O QUE ENTENDEMOS POR POLÍTICA DE ICT? Uma política de informação científico-tecnológica (ICT) designa um conjunto de princípios e escolhas que definem o que seria desejável e realizável para um país como orientação de seus modos de geração, uso e absorção de ICT, através de diferentes procedimentos de promoção, regulação, coordenação e articulação, em interação com aquelas condições resultantes das políticas, práticas e contextos da produção de ciência, tecnologia e inovação (CTI) e das formas socialmente estabelecidas de sua apropriação.

27 Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia - COMO FORMULAR POLÍTICA QUE ATENDA Á NECESSIDADE DE INTEGRAÇÃO E ARTICULAÇÃO DA DIVERSIDADE DE ATORES E RECURSOS E AÇÕES DE ICT? O cenário atual é caracterizado pelos avanços das tecnologias de informação e comunicação, pela globalização dos mercados e pela convergência de diferentes áreas do conhecimento. Tais avanços minimizaram a importância dos limites temporais e espaciais no acesso à informação, criando novos desafios na concepção e no desenvolvimento de metodologias de organização, tratamento e disseminação de conteúdos científicos e tecnológicos em rede. Assim, criar mecanismos eficazes e eficientes de visibilidade desta produção é fundamental para garantir a circulação do conhecimento e maximização do seu potencial de absorção e uso pela sociedade.

28 - QUAIS SERIAM AS DIRETRIZES E POLÍTICAS DE ICT ORIENTADAS A SUA DISTRIBUIÇÃO EQÜITATIVA ENTRE OS DIFERENTES SEGMENTOS E ATIVIDADES SOCIAIS? -Ict para incorporação eqüitativa da CT em todas as atividades e empreendimentos comunitários, nas atividades produtivas da esfera municipal, das pequenas empresas do 3º setor; -ICT como apoio para a participação do cidadão no processo decisório, como fator de negociação e garantia de concretização de demandas sociais; -Participação do cidadão na fase de formação, tematização e avaliação das políticas de CT e ICT; -Acesso universal e inclusão informacional. Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

29 T oda grande inovação, toda grande revolução, traz no seu bojo a questão da exclusão. Quando Gutenberg inventou a imprensa, automaticamente criou os iletrados e os analfabetos. A revolução tecnológica, apesar dos inquestionáveis benefícios, criou os excluídos digitalmente. Emir José Suaiden Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

30 Obrigado!!!Obrigado!!! Emir José Suaiden Diretor do Ibict SAS Quadra 05 Lote 06 Bloco H 5. andar Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia

31 Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006 Política Brasileira de Informação e Documentação em Ciência e Tecnologia Dr Emir José Suaiden Diretor do Ibict


Carregar ppt "Iº CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO ESPORTIVA 28 a 29 de abril de 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google