A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geografia Sistemas sócio-econômicos 3ª fase – 2010/01 Prof. Paulo Henrique.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geografia Sistemas sócio-econômicos 3ª fase – 2010/01 Prof. Paulo Henrique."— Transcrição da apresentação:

1 Geografia Sistemas sócio-econômicos 3ª fase – 2010/01 Prof. Paulo Henrique

2 Capitalismo é... ? Como é possível? D

3 Capitalismo é... ? - Uma mercadoria especial: Especial por sua capacidade única de gerar valor ao ser consumida: a força de trabalho. No capitalismo, a força de trabalho aparece na forma de trabalho assalariado ou trabalho livre.

4 A existência do trabalhador-mercadoria na sociedade capitalista possui duas condições gerais: - Trabalho livre, incluindo a possibilidade de troca do trabalho por dinheiro com o objetivo de gerar mais dinheiro. Como toda mercadoria, a força de trabalho possui valor de uso. Mas nesse caso, seu consumo não se dá para o puro desfrute do comprador, mas sim como meio de obter mais dinheiro. - A separação entre o trabalhador e os elementos necessários à realização do seu trabalho. Ex: Cercamento dos campos na Inglaterra

5 - O valor de troca da força de trabalho, ou seja, o custo que o comprador- capitalista terá que pagar para utilizar o trabalhador, tem a mesma substância das demais mercadorias: a quantidade de trabalho socialmente necessária para fazê-la existir. - Igualmente, o que for gasto na aquisição da força de trabalho reaparecerá no valor de troca do produto final, assim como o valor da laranja reaparece no valor final da laranjada.

6 Exemplo Supondo que um capitalista queira fazer seu dinheiro aumentar através da venda de suco de laranja. O capitalista sabe também que, com auxílio de uma máquina, cada hora de trabalho transforma 10kg de laranja em 10L de suco de laranja. Então adquire no mercado: 50kg de laranjas, pelos quais paga $10, equivalentes a 10h de trabalho - Máquina com capacidade para espremer 5000kg de laranjas, ao custo de $ O direito de uso de uma jornada de um trabalhador (10h), a quem paga $5 equivalentes às 5h necessárias a sua produção. - Total: $25

7 - Matéria-prima: material que tem a função de absorver trabalho. Seu valor é plenamente transferido ao produto final. - Meio de produção: elementos através dos quais o trabalho se realiza (desde terreno, prédio, ferramentas, etc). O valor do meio de produção é transferido à mercadoria na proporção em que é consumido pela produção. Uma máquina feita para espremer 5000kg de laranjas ao custo de $1000 transferirá $0,2 para cada quilo de laranja espremido. 50kg Laranja 50L suco de laranja Máquina $10 $0,2x50= $10 A princípio... Passadas 5h $20+5h de trabalho, ou $25 50kg Laranja Máquina 50L suco de laranja 50kg Laranja Máquina $10 50L suco de laranja 50kg Laranja Máquina $0,2x50= $10 $10 50L suco de laranja 50kg Laranja Máquina $20+5h de trabalho, ou $25 $0,2x50= $10 $10 50L suco de laranja 50kg Laranja Máquina

8 - Nenhum valor foi gerado até o momento. Trocou-se $25 em matéria- prima, meio de produção e força de trabalho por $25 em suco de laranja. Mas a jornada de trabalho dura 10h... Então temos: $20+5h de trabalho, ou $25 $0,2x50= $10 $10 50L suco de laranja 50kg Laranja Máquina Em termos de custos: + $10 (50kg de laranja) +$10 (uso da máquina) Em 10h de trabalho: $45 de custo -> $50 em mercadorias. O valor cresceu. O dinheiro finalmente virou capital.

9 Capitalismo é... ? - O trabalho é a substância do valor. Portanto, o acréscimo de valor não pode ocorrer na esfera da circulação das mercadorias. Ocorre na esfera da produção para depois se realizar no mercado. - O dinheiro aplicado à produção com o objetivo de gerar valor excedente passa a ser denominado capital. Capitalismo é, portanto, a denominação do modo de produção onde o objetivo principal da produção social é a reprodução ampliada do capital, um constante acréscimo de valor. - A diferença entre o valor adiantado na compra dos elementos da produção e o valor final em mercadoria é denominado mais-valia.

10 Mais valia... ? Sendo a mais-valia a expressão do trabalho excedente e não-pago (o que se paga é apenas o custo da força de trabalho), afirmamos que ela indica, de certo modo, o grau de exploração do próprio trabalhador. No nosso exemplo: -Paga-se $5 ao trabalhador de acordo com seu valor de troca (baseado no tempo que se leva para produzir um trabalhador). -Recebe-se $10 em acréscimo de trabalho à mercadoria. A taxa de mais-valia expressa proporcionalmente essa exploração: Taxa M = trabalho excedente = 5 = 1. Em termos percentuais, 100%. trabalho necessário 5 Isso indica, em outros termos, que o trabalhador em questão dedica metade do seu tempo a produzir valor excedente, pelo qual não recebe um tostão!

11 Mais valia... ? Mais-valia absoluta: massa de mais-valia gerada através da exploração no processo de produção. Pode-se aumentá-la a partir da majoração do tempo de trabalho, mantido constante o salário, ou através da redução do salário, mantendo constante a jornada de trabalho. Ex: Paga-se $5 para, em 10h, gerar $10. Pode-se então: Pagar $5 para, em 20h, gerar $20. Ou pagar $2,5 para, em 10h, gerar $10. Mais-valia relativa: utilização de aprimoramentos técnicos ou tecnológicos para aumentar o valor produzido. Ex: Paga-se $5 para, em 10h, gerar $10. Pode-se então: Adquirir novo maquinário e produzir $50 em 10h, permanecendo igual o salário.


Carregar ppt "Geografia Sistemas sócio-econômicos 3ª fase – 2010/01 Prof. Paulo Henrique."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google