A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho : Tendências e Desempenho Recente Carlos Henrique Corseuil e Lauro Ramos (IPEA) Relação entre Trabalho e Previdência Tendências no médio prazo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho : Tendências e Desempenho Recente Carlos Henrique Corseuil e Lauro Ramos (IPEA) Relação entre Trabalho e Previdência Tendências no médio prazo."— Transcrição da apresentação:

1 Trabalho : Tendências e Desempenho Recente Carlos Henrique Corseuil e Lauro Ramos (IPEA) Relação entre Trabalho e Previdência Tendências no médio prazo Desempenho Recente

2 Desempenho do Mercado de Trabalho Qualidade e Quantidade da Força de Trabalho Estrutura Produtiva Estrutura de Empregos e Rendimentos Instituições, Regulamentações, Intervenções

3 Aspectos positivos na esfera da educação pública: Enorme expansão no acesso à educação em todos os níveis ; Avanço mais concentrado na educação básica, que teve seu acesso universalizado; Problemas para manter o ritmo : Elevado grau de desistência na educação básica e no ensino médio, Gargalo no ensino médio em termos de infra- estrutura. Qualidade da Força de Trabalho: Avanços da Educação no Brasil

4 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 19921993199419951996199719981999200020012002200320042005 Taxa de participaçãoFreqüência escolar Taxa de participação e freqüência escolar dos jovens de 15 a 24 anos (Em %)

5 Pessoas ocupadas com 10 a 14 anos de idade

6

7 Tendências no médio prazo: sumário Jovens mais qualificados entrarão no mercado de trabalho Maior probabilidade de trajetórias bem sucedidas no mercado de trabalho Implicação: contribuição média deve aumentar no médio prazo Essa tendência tende a se esgotar

8

9 Metropolitano Brasil Não Metropolitano

10 Brasil Metropolitano

11 Desempenho Recente: sumário 1 2 regimes distintos: pré e pós 2000 No pré 2000, o desempenho piora em todos os indicadores e a piora é sensivelmente mais pronunciada para as áreas metropolitanas. No pós 2000 há uma maior estabilidade e equidade entre regiões metropolitanas e não metropolitanas. O grau de informalidade não metropolitano destoa positivamente

12 VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL 1995-2005 Brasil 23.745.786 24.993.052 33.238.617 5,3-33,0-40,0- Setor Extração mineral 109.092 100.506 147.560-7,9-0,0646,80,0435,3-0,02 Indústria de Transformação 4.897.402 4.603.882 6.133.461-6,0-2,4233,20,0325,2-2,39 Serviços industriais de Utilidade pública 378.197 309.968 341.991-18,0-0,3710,3-0,21-9,6-0,58 Construção Civil 1.077.516 1.047.876 1.245.395-2,8-0,3918,8-0,4515,6-0,84 Comércio 3.339.975 3.937.904 6.005.18917,91,5452,52,3179,83,85 Serviços 7.229.060 7.985.995 10.510.76210,51,1831,6-0,3345,40,85 Administração Pública 5.457.846 5.969.659 7.543.9399,40,6626,4-1,1938,2-0,53 Agropecuária, pesca e etc. 1.005.524 1.035.334 1.310.3203,0-0,1426,6-0,2030,3-0,34 Fonte: RAIS/MTE. Crescimento 1999-2005 Var. part 1999-2005 Var. part 1995-1999 Crescimento(%) 1995 - 1999 2005 Crescimento(%) 1995 -1999 Var. part - 1995-1999 19951999

13 VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL NA INDÚSTRIA 1995-2005 199519992005 Crescimento (%) 1995-1999 Var.part.(%) 1995-1999 Crescimento (% ) 1999-2005 Var.part.(%) 1999-2005 Crescimento (%) 1995-2005 Var. part.(%) 1995-2005 Brasil4.897.4024.603.8826.133.461-6,0_33,2_25,2- Metropolitano2.205.6531.814.2422.156.741-17,7-5,6318,9-4,24-2,2-9,87 Não metropolitano2.691.7492.789.6403.976.7203,65,6342,64,2447,79,87 Grandes Regiões Norte122.933127.832231.2194,00,2780,90,9988,11,26 Nordeste530.917537.174777.1411,20,8344,71,0046,41,83 Sudeste2.994.1772.601.5723.246.335-13,1-4,6324,8-3,588,4-8,21 Sul1.109.8321.157.9591.594.5074,32,4937,70,8543,73,34 Centro-Oeste139.543179.345284.25928,51,0558,50,74103,71,79 Fonte: MTE/ Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 1995,1999 e 2005. Nota: 1- Exclusive observações sem declaração.

14 VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1995-2005 199519992005 Crescimento (%) 1995-1999 Var part.(% 1995- 1999 Crescimento (% ) 1999-2005 Varpart.(%) 1999-2005 Crescimento (%) 1995-2005 Varpart.(%) 1995-2005 Brasil 5.457.8465.969.659 7.543.939 9,4-26,4-38,2- Metropolitano 2.824.9623.106.0312.970.706 9,90,27-4,4-12,655,2-12,38 Não metropolitano 2.632.7992.863.6284.573.233 8,8-0,2759,7 12,6573,712,38 Grandes Regiões Norte 347.044421.374645.946 21,40,7053,31,5086,12,20 Nordeste 1.297.6011.524.8952.027.148 17,51,7732,91,3356,23,10 Sudeste 2.404.0052.528.6213.015.191 5,2-1,6919,2-2,3925,4-4,08 Sul 799.752840.426972.054 5,1-0,5715,7-1,1921,5-1,77 Centro-Oeste 609.444654.343883.600 7,4-0,2135,00,7545,00,55 Fonte: MTE/ Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 1995,1999 e 2005. Nota: 1- Exclusive observações sem declaração.

15 Período99-9505-9905-95 Total-579535-2198908-2990355 Extração mineral-3441 -6249 -11302 Indústria de transformação-259244 -285753 -631127 Serviços industriais185 -16818 -16614 Construção civil-49958 -83109 -142483 Comércio-148085 -298405 -524230 Serviços-106768 -533779 -674302 Administração Pública16108 -954427 -934071 Agropecuária-28333 -20367 -56225 Fonte:Elaboração própria a partir da RAIS Efeito Realocação Espacial por Setor: Regiões Metropolitanas

16 Desempenho Recente: sumário 2 Duas mudanças na estrutura produtiva afetam o desempenho no período mais recente. Despolarização da indústria de transformação; Desconcentração da administração pública. Qual a duração desse movimento?


Carregar ppt "Trabalho : Tendências e Desempenho Recente Carlos Henrique Corseuil e Lauro Ramos (IPEA) Relação entre Trabalho e Previdência Tendências no médio prazo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google