A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão Contemporânea Francisco Neto www.francisconetoadm.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão Contemporânea Francisco Neto www.francisconetoadm.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 Gestão Contemporânea Francisco Neto

2 Gestão Contemporânea Administração Científica Teoria Clássica Teoria da Burocracia Behaviorismo Estruturalismo Teoria de Sistemas Cibernética Abordagem Contingencial Administração Estratégica Administração Participativa A Visão Holística Administração Empreendedora Administração Virtual Reengenharia Holográfica

3 Gestão Contemporânea Escola Comportamental BehaviorismoBehaviorismo É uma consequência de estudos iniciados com a teoria das relações humanas. Na verdade uma dissidência interna, já que a teoria das relações humanas vê o trabalhador sempre feliz e satisfeito. Novos estudos, com profissionais das ciências humanas, psicólogos, sociólogos, antropólogos comprovam que a satisfação do trabalhador gerava, de forma intrínseca, a eficiência do trabalho. A percepção de que nem sempre os funcionários seguem comportamentos racionais fez com que pesquisassem o que motivava as pessoas para que agissem ou se comportassem do modo que o faziam. A escola comportamental defende a valorização do trabalhador baseada na cooperação e numa filosofia positiva sobre a pessoa.

4 Gestão Contemporânea Hierarquia das Necessidades Humanas e Meios de Satisfação Maslow Maslow Auto- realização Estima Sociais Segurança Necessidades Fisiológicas Trabalho criativo e desafiante Trabalho criativo e desafiante Diversidade e autonomia Diversidade e autonomia Participação nas decisões Participação nas decisões Responsabilidade por resultados Responsabilidade por resultados Orgulho e reconhecimento Orgulho e reconhecimento Promoções Promoções Amizade dos colegas Amizade dos colegas Interação com clientes Interação com clientes Gerente amigável Gerente amigável Condições seguras de trabalho Condições seguras de trabalho Remuneração e benefícios Remuneração e benefícios Estabilidade no emprego Estabilidade no emprego Intervalos de descanso Intervalos de descanso Conforto físico Conforto físico Horário de trabalho razoável Horário de trabalho razoável

5 Gestão Contemporânea Teoria dos dois fatores : higiênico e motivacional, de Herzberg Trabalho em si ResponsabilidadeProgressoCrescimento ResponsabilidadeProgressoCrescimento RealizaçãoReconhecimentoStatusRealizaçãoReconhecimentoStatus Relações interpessoais Supervisão colegas e subordinados Supervisão técnica Relações interpessoais Supervisão colegas e subordinados Supervisão técnica Políticas administrativas e empresariais Segurança no cargo Condições físicas de trabalho Salário, vida pessoal Políticas administrativas e empresariais Segurança no cargo Condições físicas de trabalho Salário, vida pessoal Itens técnicos Itens sobrepostos MotivacionaisMotivacionais HigiênicosHigiênicos

6 Gestão Contemporânea Teorias X e Y de Mc Gregor Teoria X Teoria Y 1. O ser humano tem aversão ao trabalho; 2. A maioria das pessoas precisa ser controlada, dirigida, coagida e punida, para que finalmente trabalhe; 3. O homem é um ser carente que se esforça para satisfazer uma hierarquia de necessidades; 4. O ser humano não consegue assumir responsabilidades; 5. A participação dos funcionários é um instrumento de manipulação dos mesmos. 1. O ser humano tem aversão ao trabalho; 2. A maioria das pessoas precisa ser controlada, dirigida, coagida e punida, para que finalmente trabalhe; 3. O homem é um ser carente que se esforça para satisfazer uma hierarquia de necessidades; 4. O ser humano não consegue assumir responsabilidades; 5. A participação dos funcionários é um instrumento de manipulação dos mesmos. 1. O ser humano vê o esforço físico e mental no trabalho de forma tão natural quanto querer descansar; 2. A maioria das pessoas busca naturalmente se autocorrigir, para atingir os objetivos que se propuseram alcançar; 3. O compromisso com um objetivo depende das recompensas que se espera receber com sua consecução; 4. A participação dos funcionários é uma forma de valorizar suas potencialidades intelectuais, como: imaginação, criatividade e engenhosidade. 1. O ser humano vê o esforço físico e mental no trabalho de forma tão natural quanto querer descansar; 2. A maioria das pessoas busca naturalmente se autocorrigir, para atingir os objetivos que se propuseram alcançar; 3. O compromisso com um objetivo depende das recompensas que se espera receber com sua consecução; 4. A participação dos funcionários é uma forma de valorizar suas potencialidades intelectuais, como: imaginação, criatividade e engenhosidade.

7 Gestão Contemporânea Mc Gregor Teoria X Concepção tradicional de direção e controle. Concepção tradicional de direção e controle. O líder adota um estilo autocrático Teoria Y Integração entre objetivos individuais e organizacionais Integração entre objetivos individuais e organizacionais O líder adota um estilo participativo

8 Gestão Contemporânea Sistema Administrativos – Likert (Administrar uma organização) Processo decisorial Sistema de comunicação Relacionamento interpessoal Sistema de recompensas e punições Centralizador, monopolizado fechado AutoritáriocoercitivoAutoritáriocoercitivo Imposição, ordens, limitação Nenhuma liberdade, muitas regras Punições e ações disciplinares, obediência rígida Alguma centralização Autoritário benevolente Alguma imposição, pouca informação Alguma liberdade e desconfiança Punições menos arbitrárias, recompensas salariais Descentralização e delegação das decisões ConsultivoConsultivo Consulta aos níveis inferiores Confiança nas pessoas. Algum trabalho em equipe Ênfase nas recompensas salariais Total descentralização das decisões ParticipativoParticipativo Participação, consenso e debate Total liberdade e autonomia das pessoas Ênfase nas recompensas salariais, sociais e simbólicas Características Sistemas

9 Gestão Contemporânea Etapas do Ciclo Motivacional Equilíbrio interno Estímulo ou incentivo NecessidadeTensãoComportamentoSatisfação

10 Gestão Contemporânea Origens do Estruturalismo - Da oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Relações Humanas surge o Estruturalismo, para dar respostas às omissões das teorias anteriores; - Da oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Relações Humanas surge o Estruturalismo, para dar respostas às omissões das teorias anteriores; - A necessidade de visualizar a organização como uma unidade social grande e complexa, em que integra grupos sociais; - A influência do estruturalismo nas ciências sociais e sua repercussão no estudo das organizações; - Novo conceito de estrutura. - Da oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Relações Humanas surge o Estruturalismo, para dar respostas às omissões das teorias anteriores; - Da oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Relações Humanas surge o Estruturalismo, para dar respostas às omissões das teorias anteriores; - A necessidade de visualizar a organização como uma unidade social grande e complexa, em que integra grupos sociais; - A influência do estruturalismo nas ciências sociais e sua repercussão no estudo das organizações; - Novo conceito de estrutura.

11 Gestão Contemporânea Características do Estruturalismo Submissão do indivíduo à socialização Recompensas materiais e sociais levam o indivíduo a desempenhar vários papéis, graças à existência de diversos grupos dentro da organização. Conflitos inevitáveis Entre os funcionários e a empresa. Podem ser reduzidos, mas não eliminados se considerarmos os aspectos racionais e irracionais das necessidades empresariais e individuais, tornando o trabalho mais suportável. Por outro lado, se forem disfarçados, serão expressados de outras formas expressarão de outras formas, como abandono do emprego e aumento de acidentes.

12 Gestão Contemporânea Características do Estruturalismo Hierarquia e comunicações É um pré-requisito funcional para a coordenação numa organização formal, custo que pode ser reduzido, mas não eliminado. Incentivos mistos Para os estruturalistas, tanto os incentivos: clássicos (monetários), quanto os humanistas (sociais) tinham uma visão parcial. Os indivíduos precisam se realizar em diversos aspectos. Vistos de forma global, os diversos tipos de incentivos não existem de maneira independente.

13 Gestão Contemporânea A Sociedade de Organizações As organizações sofreram um longo e penoso desenvolvimento, através de quatro etapas: 1. Etapa da Natureza: 1. Etapa da Natureza: Foi a época em que os elementos naturais serviam de subsistência para a humanidade; 2. Etapa do Trabalho: Quando os elementos da natureza passam a ser transformados através do trabalho e ele passa a condicionar as formas de organização da sociedade; 3. Etapa do Capital: O capital prepondera sobre as etapas anteriores tornando-se um dos fatores básicos da vida social; 4. Etapa da Organização: A Organização utilizou-se das etapas anteriores para alcançar os seus objetivos.

14 Gestão Contemporânea A Sociedade de Organizações Para atingir um alto grau de industrialização, a sociedade passou por várias fases dentro da etapa da organização: 1. O universalismo da Idade Média, caracterizado pela predominância do espírito religioso; 2. O liberalismo econômico e social, séculos XVII e XIX, desenvolvendo o capitalismo; 3. O socialismo, com o advento do século XX, obrigando o capitalismo ao máximo desenvolvimento possível; 4. A atualidade, que se caracteriza por uma sociedade de organizações.

15 Gestão Contemporânea Análise das Organizações 1. Abordagem Múltipla: 1. Abordagem Múltipla: Organização formal e informal; 2. Abordagem Múltipla: 2. Abordagem Múltipla: Recompensas materiais e sociais; 3. Abordagem Múltipla: 3. Abordagem Múltipla: Os diferentes enfoques da Organização; 4. Abordagem Múltipla: 4. Abordagem Múltipla: Os níveis da Organização; 5. Abordagem Múltipla: 5. Abordagem Múltipla: A diversidade de Organizações; 6. Abordagem Múltipla: 6. Abordagem Múltipla: Análise interorganizacional;

16 Gestão Contemporânea Tipologia de Etzioni Ingresso e permanência dos participantes através de Envolvimento Pessoal dos Participantes Motivação Tipos de Organizações Tipos de Poder Controle utilizado Coação, imposição, força, ameaça, medo Convicção, fé, crença, ideologia Interesse, vantagem percebida Alienativo Moral e motivacional Calculativo Alienativo Moral e motivacional Calculativo Coercitiva Normativa Utilitária Coercitivo Normativo Remunerativo Prêmio e punições Moral e ético Incentivos econômicos

17 Gestão Contemporânea Tipologia de Blau e Scott Beneficiário Principal Os próprios membros da organização Os proprietários ou acionistas da organização Os clientes Tipo de Organização Associações de beneficiários mútuo Associações de beneficiários mútuo Organizações de interesses comerciais Organizações de serviços Exemplos Associações profissionais, cooperativas, sindicatos, fundos mútuos, consórcios etc. Sociedade anônimas ou empresas familiares Sociedade anônimas ou empresas familiares Hospitais, universidades, organizações religiosas, agências sociais e organizações filantrópicas Hospitais, universidades, organizações religiosas, agências sociais e organizações filantrópicas O público em geral Organizações de Estado Organização militar, segurança pública, correios e telégrafos, saneamento básico e organização jurídica e penal Organização militar, segurança pública, correios e telégrafos, saneamento básico e organização jurídica e penal

18 Gestão Contemporânea Confronto entre as Teorias da Burocracia e Estruturalista AspectosAspectos Ênfase Teoria da Burocracia Na estrutura organizacional somente Teoria Estruturalista Na estrutura organizacional, nas pessoas e no ambiente Abordagem da Organização Organização formal Organização formal e informal Enfoque Sistema mecânico (sistema fechado). Teoria da máquina Sistema mecânico (sistema fechado). Teoria da máquina Sistema natural ou orgânico (sistema aberto) Conceito de Organização Sistema social como um conjunto de funções oficiais Sistema social intencionalmente construído e reconstruído para atingir objetivos Concepção do Homem Homem organizacional

19 Gestão Contemporânea Confronto entre as Teorias da Burocracia e Estruturalista AspectosAspectos Caráter da Organização Teoria da Burocracia Sociologia da Burocracia. Abordagem simplista. Teoria Estruturalista Sociologia organizacional. Sociedade das Organizações e abordagem múltipla. Comportamento humano Ser isolado que reage como ocupante de cargo de posição hierárquica. Ser social que desempenha papéis dentro de várias organizações. Relação entre objetivos Prevalência dos objetivos organizacionais. Não há conflito perceptível entre objetivos organizacionais e individuais. Balanço entre objetivos organizacionais e individuais. Conflitos inevitáveis e até desejáveis, pois conduzem à mudança e à inovação. Preocupação Eficiência máxima. Eficiência e eficácia.

20 Gestão Contemporânea Moldura Sistêmica Processo Controle Entrada Feedback Restrição Saída Fronteira GAP Energias exógenas Energias endógenas Objetivos Ambiente externo Necessidades

21 Gestão Contemporânea Contingencial - Características O Papel do Ambiente O contingencial foi além a teoria dos sistemas, desenvolveu estudos sobre empresas e ambiente, com um novo enfoque. A teoria dos sistemas relacionou a organização ao ambiente, enquanto o modelo contingencial privilegiou a natureza dessas relações. Supremacia do Transitório Num ambiente em constante mutação, a empresa não pode ser estanque no tempo. Ela tem de reagir não só aos novos desafios, quanto a outras situações

22 Gestão Contemporânea Contingencial - Características O fim do modelo ideal A organização não deve apenas prender-se a um único conjunto de princípios para ser uma boa organização, a um tipo ideal de sistema gerencial, que pode servir como modelo do qual a empresa poderia ou deveria aproximar-se. TecnologiaTecnologia A tecnologia apresenta uma relação íntima com sua estrutura social e com tendência ao sucesso. Diferentes ambientes técnicos impõem diversos graus de tensão aos funcionários. Há uma influência natural na forma de administrar. A tecnologia, é condicionada aos objetivos da organização, em termos de produção – o que é, para quem produzir.

23 Gestão Contemporânea Modelo Contingencial de Motivação A motivação para produzir é função de: Capacidade percebida de influenciar o próprio nível de produtividade Relação percebida entre produtividade e alcance dos objetivos individuais Força do desejo de alcançar objetivos individuais Relação entre expectativas e recompensas RecompensasRecompensas ExpectativasExpectativas

24 Gestão Contemporânea Modelo Contingencial de Motivação A motivação para produzir é função de: Relação entre expectativas e recompensas RecompensasRecompensas ExpectativasExpectativas São os objetivos individuais, que podem incluir dinheiro, segurança no cargo, aceitação social, reconhecimento e uma infinidade de combinações de objetivos. É relação percebida entre produtividade e alcance dos objetivos individuais. É a capacidade percebida de aumentar a produtividade para satisfazer suas expectativas com as recompensas.

25 Gestão Contemporânea Recursos Humanos versus Modelos de Administração Homo economicus ( t. científica) Homo economicus ( t. científica) O incentivo monetário é o que motiva os trabalhadores. Homo socius (rel. humanas) Homo socius (rel. humanas) O comportamento do homem está relacionado a normas e padrões sociais. Homem organizacional (t. estruturalista) Homem organizacional (t. estruturalista) O homem flexível desempenha vários papéis simultâneos dentro da organização. Homem administrativo (comportamentalismo) O homem é racional perante uma situação com vários dados e, na tomada de decisão, ele é apenas satisfatório e não otimizante.

26 Gestão Contemporânea Recursos Humanos versus Modelos de Administração Homem funcional (t. de sistemas) Homem funcional (t. de sistemas) Os papéis são mais enfatizados do que as pessoas em si. Nas organizações, as pessoas se relacionam através de um conjunto de papéis. Homem complexo (t. contingencial) Homem complexo (t. contingencial) É a reunião dos demais homens. Ele opera como um sistema capaz de manter seu equilíbrio interno diante das demandas feitas pelas forças externas do ambiente.

27 Gestão Contemporânea Professor: Francisco Neto Contato: Revisão da língua portuguesa: Professora Andrea Amanda Bibliografia: CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, Web design:


Carregar ppt "Gestão Contemporânea Francisco Neto www.francisconetoadm.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google