A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mestrando HEROS RIBEIRO FERREIRA PhD JOSE FERNANDES FILHO

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mestrando HEROS RIBEIRO FERREIRA PhD JOSE FERNANDES FILHO"— Transcrição da apresentação:

1 DIAGNÓSTICO DO POTENCIAL GENÉTICO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE CANOAGEM SLALOM ATRAVÉS DA DERMATOGLIFIA.
Mestrando HEROS RIBEIRO FERREIRA PhD JOSE FERNANDES FILHO Dra PAULA ROQUETTI FERNANDES Universidade Castelo Branco - RJ

2 Canoagem Slalom O Slalom é praticado em rios com corredeiras, num percurso que varia entre 250 e 400 metros. Através de cabos suspensos são penduradas até 25 portas que devem ser ultrapassadas na seqüência numérica e no sentido - a favor e contra a correnteza - indicados. Os tipos de Embarcação são: K-1   Caiaque para uma pessoa. Sentado, remo de pá dupla. C-1   Canoa para uma pessoa. Ajoelhado, remo de uma pá. C-2   Canoa para duas pessoas. Ajoelhados, remos de uma pá.

3 Canoa individual (C-1) Categorias C-1:
C1MJR Canoa Individual Masculino Junior; C1MSR Canoa Individual Masculino Sênior. Melhores Atletas Internacionais: C1MSR - Tony Stanguett – França C1MSR - Michael Martikan – Eslováquia Melhores Atletas Brasileiros: C1MSR – Cássio Ramon Petry C1MSR – Filipi Santin de Souza C1MJR – Robson Antunes Gomes

4 Canoa Dupla (C2) Categorias C-2: C2M Canoa Dupla Masculino.
Melhores Atletas Internacionais: Christian Bahmann & Michael Senft - Alemanha Marcus Becker & Marian Olejnik - Alemanha Melhores Atletas Brasileiros: Álvaro Vieira & José Alexson Guilherme Silveira & Gustavo Silveira

5 Caiaque Individual (K-1)
Categorias K-1: K1MJR Caiaque Individual Masculino Junior; K1MSR Caiaque Individual Masculino Sênior; K1FUN Caiaque Individual Feminino Único. Melhores Atletas Internacionais: K1MSR Fabian Doerfler - Alemanha K1MSR Fabien Lefevre - França K1FUN Elena Kaliska - Eslováquia Melhores Atletas Brasileiros: K1MSR Gustavo Selbach K1MSR João Vitor Machado K1MJR Ricardo Martins Taques

6 Características da Canoagem Slalom
Duração entre 150 a 220 segundos; Comprimento da pista de 250 a 300 metros; Portas entre 18 a 22 portas. Via metabólica Anaeróbia Láctica; Variáveis motoras envolvidas: Equilíbrio, Lateralidade, Força Explosiva, Resistência de Força, Velocidade, Velocidade de Reação, entre outros não menos importantes; Tipo de Fibra = Slalom: IIB.

7 Dermatoglifia Dermatoglifia - do latim dermo, significando “pele”; e do grego glypha, “gravar” Dermatóglifos são desenhos formados pelas glândulas sudoríparas na pele das palmas e dedos das mãos com a finalidade de aumentar o atrito para apreender objetos, segundo Gladkova (1996) A utilização das marcas genéticas na seleção prognostica esportiva, Fernandes Filho (2003). permite com um alto grau de probabilidade na etapa precoce da orientação e seleção esportiva inicial; é um excelente modo do qual equipes dispõem, a fim de especificar-se: a posição dos desportistas durante o jogo, conhecendo-se, de antemão, a sua performance.

8 Tipos de Desenhos A= Arco (sem presença de deltas);
L= Presilha (presença de um delta); W= Verticilo (presença de dois deltas); S-Desenho= (presença de dois deltas); Verticilo Ganchoso= (presença de três deltas).

9 Tipos de Desenhos Arco (A) Presilha (L) Verticilo (W)
Verticilo (S-Desenho) Verticilo (Ganchoso)

10 Tabulação Para tabulação dos dados: Arco= 0 Presilha= 1 Verticilo= 2
QL= Quantidade de linhas de cada impressão digital; SQTL= Soma total da quantidade de linhas; D10=Quantidade de deltas máximo=20 mínimo=0

11 Tipos de Desenhos Laboratório de Antropologia, Morfologia e Genética Esportiva do VINIIFK – Moscou, 1966 a 1996; Permite aperfeiçoar os ativos e fortes componentes da preparação atlética e destacar os fracos componentes do potencial genético Abramova (1995); Associações com as manifestações funcionais: as atividades de resistência, velocidade, coordenação, força e atividades cíclicas, entre outras, Fernandes Filho (2003);

12 Objetivos Diagnosticar os potenciais genéticos dos atletas da seleção brasileira de canoagem slalom através da dermatoglifia; Através destes parâmetros genéticos procurar a otimização do treinamento individualizado; Auxílio na Detecção e Seleção de talentos esportivos da modalidade.

13 Caracterização População
Foram avaliados todos os atletas da Seleção Brasileira de Canoagem Slalom, total de 10 com idade X=18,2 anos. N Idade Peso Est. VO2 X 10 18,2 65,4 170,3 55,6 S 3,71 6,47 6,16 3,61 Min. 15,00 60,00 161,00 49,35 Max. 26,00 81,00 179,00 61,35

14 Materiais e Métodos Materiais:
Utilizou-se uma almofada, modelo 250 (IMPRESS-BRASIL); Balança Mecânica Filizola com estadiômetro metálico, Teste de 12 min. Correr Caminhar, Cooper (caracterização da população). Métodos: Determinação do potencial genético - método Dermatoglífico de Cummins & Midlo 1942, apud Fernandes Filho, 1997; Seguindo rigorosamente os métodos para a verificação das impressões digitais.

15 Protocolos A verificação das impressões digitais foi realizada através da pintura da falange distal de cada dedo e, em seguida, com um movimento suave em único sentido (de um lado para o outro do dedo), colocou-se cada dedo em folha de papel para a anotação das impressões digitais. ‘

16 Tratamento Estatístico
Estatística descritiva; Valores médios; Tabelas de distribuição de freqüência..

17 Resultados

18 Resultados – Fórmulas Digitais
Atletas de C1 AL=66,7%, L>W=33,3%, SQTL=86 e D10=10; Atletas de C2 L>W=100%, SQTL=177 e D10=12 Atletas de K1 L>W=60%, ALW=20%, L=W=20%, SQTL=162 e D10=14.’

19 Análise dos Resultados
Atletas de C1: apresentam SQTL e D10 baixos= força, potência e índice coordenativo baixo (SQTL/D10), confirmado pelo SQTL=86 e D10=10. Atletas de C2: resistência intermediária, propriocepção complexa e índice coordenativo moderado (SQTL/D10), confirmado pelo D10=12 e SQTL=177 Atletas de K1: resistência de velocidade, propriocepção complexa, atividades de combinação motoras complexas pelo SQTL=162, D10=14 e L>W=60%.

20 Análise dos Resultados
Escala crescente do SQTL: C1, K1 e C2; C1 e C2 possuem um nível maior de D10; Espelho de Deltas: C1 MET1/MDT1, MET4/MDT4 e MET5/MDT5; K1 MET1/MDT1; C2 MET2/MDT2, MET3/MDT3, MET4/MDT4 e MET5/MDT5; *Maior coordenação motora em proporção crescente ao maior número de dedos em espelho.

21 Análise Fisiológica A maior quantidade de L caracteriza tipo de fibra glicolíticas. C1=8,6; K1=6,0 e C2=8,5; Todos apresentam a predominância de fibras rápidas; C1 -velocidade predominante (SQTL baixo); K1 -velocidade com resistência moderada ; C2 -velocidade com resistência, (resistência - SQTL alto).

22 Gráfico Radar Fernandes Filho, 1997

23 Conclusões Todos possuem características muito interessantes para a canoagem slalom de alto nível; Com os resultados podemos aplicar diretamente no treinamento, de modo mais específico e individualizado; Seleção e detecção de talentos esportivos; Aplicabilidade direta como marcador genético, dado já comprovado; Considera-se a interferência do meio (fenótipo); Recomendamos que mais pesquisas sejam realizadas.

24 Referências Bibliográficas
ABRAMOVA, T.F.; NIKITINA, T.M.; OZOLIN, N.N. Possibilidades das impressões dermatoglíficas no prognóstico dos potenciais energéticos nos atletas que praticam remo. Atualidades na preparação de atletas nos esportes cíclicos. Coletâneas de artigos científicos. Volvogrado, P ANJOS M.; FERNANDES FILHO J.; NOVAES, J. Características somatotípicas, dermatoglíficas e fisiológicas do atleta de triatlo. Fitness & Performance. Vol. 2 (1): p CARVALHO, E..; FERNANDES FILHO J.; NOVAES, J. Características somatotípicas, dermatoglíficas e fisiológicas dos atletas de alto rendimento, participantes de corrida de resistência do Rio de Janeiro. 2003 CASTANHEDE, A.; DANTAS, P.; FERNANDES FILHO, J. Perfil dermatoglífico, e somatotípico de atletas de futebol de campo masculino, de alto rendimento, no Rio de Janeiro. Fitness & Performance. Vol. 2 (4): p CUNHA, R.S.P.; FERNANDES FILHO, J. Identificação do perfil dermatoglífico de esgrimistas estrangeiros de alto rendimento das três armas, participantes do Campeonato Mundial de Esgrima – Havana - Cuba, Fitness & Performance Journal, v.3, pg 247 – 253, 2004.

25 Referências Bibliográficas
CUMMINS, H. & MIDLO, C. Palmar and plantar dermatoglyphics in primates. Philadelphia, 1942. DANTAS, E. A Prática da Preparação Física. 5 ed. Rio de Janeiro. Shape DANTAS, P.; FERNANDES FILHO, J. Identificação do perfil genético, de aptidão física e somatotípico que caracterizam atletas masculinos, de alto rendimento, participantes do futsal adulto no Brasil. Fitness & Performance. Vol. 1 (1): p FERNANDES FILHO, J. A Prática da Avaliação Física. 2 ed. Rio de Janeiro. Shape ______.Descoberta de Talentos. Treinamento Desportivo, RJ: Ed. Shape, 2003, v.1, n.2. CD-ROM. _____.Impressões Dermatoglíficas: Marcas Genéticas na Seleção dos Tipos de Esportes e Lutas (a exemplo de desportistas do Brasil). Tese (Doutorado). Moscou, URSS FERREIRA, H.R., FERNANDES FILHO, J. Comparação dos potenciais genéticos entre equipes de rendimento de diferentes modalidades através da dermatoglifia. II Jornada Brasileira Científica da FIEP/ Cabo Frio, Revista Cientifica Meta Science.

26 Referências Bibliográficas
FERRÃO, M. L. D. Efeito do Aumento do Consumo Máximo de Oxigênio, Observado em Grupos com Distintas Predominâncias de Tipo de Fibra Muscular Sobre o Emagrecimento dos Cadetes da AMAN Submetidos a Treinamento Aeróbico com Intensidade na Zona de Fatmax (55 a 72% VO2max ). Tese de Mestrado. Brasil. RJ, 2004. GLADKOVA, T. Desenhos nas mãos e nos pés dos homens e macacos. Moscou, 1996. JOÃO, A.; FERNANDES FILHO, J. Identificação do perfil genético, somatotípico e psicológico das atletas brasileiras de ginástica olímpica feminina de alta qualificação esportiva. Fitness & Performance. Vol. 1 (2): p MEDINA M. & FERNANDES FILHO, J. Identificação do perfil genético, e somatotípico que caracterizam atletas de voleibol masculino adulto de alto rendimento no Brasil. Fitness & Performance. Vol. 1 (4): p SILVA, E.; FREITAS, W. Z. de; FERRÃO, M. L. D.; FERNANDES FILHO, J.; DANTAS, E. H. M. Tipo de Fibra Muscular e Flexibilidade. Fitness & Performance Journal. Rio de Janeiro, v.2., n3., 2003, p

27 Referências Bibliográficas
SILVA, J.C.F.; PINHEIRO DA CUNHA, R.S.; MARTINS, M.E.A.; SILVA, R.F.; FERREIRA, A.A.M.; LINCOLN, A.T.; PINHEIRO, R.M. & FERNANDES FILHO, J. Perfil dermatoglífico e somatotipico da equipe brasileira de pentatlo militar participante do 51º Campeonato Mundial de Pentatlo Militar do CISM. In: XXVI Simpósio Internacional de Ciências do Esporte; São Paulo; Atividade Física Construindo Saúde; São Paulo: CITTA Gráfica, 2003, p

28 MUITO OBRIGADO!!


Carregar ppt "Mestrando HEROS RIBEIRO FERREIRA PhD JOSE FERNANDES FILHO"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google