A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Cristiano José Cecanho Gerência de Tecnologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Cristiano José Cecanho Gerência de Tecnologia."— Transcrição da apresentação:

1 TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Cristiano José Cecanho Gerência de Tecnologia

2 Tecnologia de processamento de informação São dispositivos capazes de: Coletar; Manipular; Armazenar; e Distribuir a informação.

3 Tecnologias baseadas em computador Computadores de grande porte, mini e pessoais; Periféricos, mídia magnética, mídia de cartões, impressoras, leitoras, entre outras; Dispositivos transmissores/receptores, antenas parabólicas, modens, redes de fibra óptica, fax, telefones; e Programas, sistemas e aplicativos.

4 Comparação entre projetos de sistemas centrados em tecnologias e centrados em pessoas Ponto de escolha do projeto Sistemas centrados em tecnologia Sistemas centrados em pessoas Alocação de função Operador executa somente aquelas funções que não podem ser automatizadas Operador aloca funções dependendo das circunstâncias e julgamentos particulares durante a produção Arquitetura de sistemas Sistema de controle centralizado, com máquinas de produção controladas no mais alto nível possível Sistema de controle descentralizado, com máquinas controladas no mais baixo nível possível Características de controle da interface homem-máquina Ações do usuário ritmadas e reguladas pelas diretivas armazenadas em máquina Escolha e controle do usuário maximizados, a tecnologia não dita métodos de trabalho Características de informação Dados de status do sistema apresentados somente para gerenciamento; acesso aos usuários operários limitado Dados de status de sistema disponíveis em todas as máquinas; facilitação da comunicação de inter-funções Alocação de responsabilidadesTrabalho controlado por especialistas funcionais Trabalho controlado por mão de obra direta multi-habilitada

5 Arquitetura tecnológica de informação

6 Principal característica na arquitetura da informação Um conjunto de objetivos, princípios, diretrizes, padrões e procedimentos que são orientados para a aquisição, desenvolvimento, implementação, gerenciamento e organização dos recursos da informação. Democratização!

7 Exemplo Imagine um setor de estoque de uma empresa que era gerenciado por um empregado que ocupava este posto por muitos anos. Tudo dependia daquele empregado, que possuía muitos dados relativos aos estoques guardados em sua memória. Isso o fazia um importante banco de dados vivo. Alguns dados complementares eram armazenados em cartões, que também eram controlados pelo mesmo empregado. Desta forma o empregado possuía um grande poder sobre aquelas informações. Dado momento aconteceu a troca de gerente e este empregado saiu de férias, tornando a situação do estoque um caos. A ação do novo gerente: Democratizar as informações do estoque. Desta forma ele conseguiu diluir o poder de modo que todos podem ter acesso as informações na hora em que precisarem.

8 Base da arquitetura de informações Características: Tecnologia cliente-servidor. Processamento distribuído. Workstation. Acesso universal às informações. Transparência nas comunicações. Interoperabilidade. Conectividade de muitos para muitos. Poder de processamento de dados junto ao usuário. Maximização da produtividade. Tecnologia alinhada aos negócios da empresa. Crescimento contínuo dos recursos da informação.

9 Componentes da arquitetura da informação CONTEÚDOEXEMPLOS OBJETIVOS (não mais que 1 pg) Processo de consolidação e downsizing.... PADRÕES (não mais que 3 pgs) Implementação do protocolo TCP/IP em toda a rede. Implementação da tecnologia FDDI e ATM na comunicação de dados entre LANs. DIRETRIZES (não mais que 3 pgs) Não adquirir terminais síncronos. Somente desenvolver aplicações distribuídas.... PROCEDIMENTOS (não mais que 5 pgs por procedimento) Definir as contingências para a rede... Definir os processos de segurança ORGANIZAÇÃODistribuir os recursos da informação pela organização. GERÊNCIADefinir os recursos de gerenciamento a partir da organização dos recursos da informação.

10 Rede de comunicação de dados Elas se propõem a: Integração global dos serviços. Conectividade total. Rede digital de serviços integrados.

11 Tipos de configurações de rede LAN (Local Area Network): rede local de comunicação de dados (internet). WAN (Wide Area Network): rede mundial de dados (Internet). Hoje as empresas precisam das duas configurações. Vídeo: Guerreiros da net.

12 Hardware de rede Meio físico: cabo de dados, crossover, ondas de radio, microondas e fibra óptica. Repetidores (amplificadores de sinais). Ponte (Bridges): interconexão entre redes locais ou remotas. Roteadores: assim como bridges, só que com uma tecnologia superior, conectam várias redes de comunicação.

13 Objetivos da infraestrutura de hardware e software Redução de custos. Melhor uso dos recursos computacionais. Maior poder de processamento para os usuários. Melhores recursos gráficos. Permanente e fácil atualização tecnológica. Garantia de segurança e confiabilidade operacional.

14 Software básico Requisitos mínimos para se manter o funcionamento dos negócios da empresa: Sistemas ERP, MRP, BI, entre outros. Sistemas operacionais. Compiladores (linguagens de programação para a automação de sistemas e de produção). Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados.

15 Exemplo de sistema ERP: E-Gestor Vídeo comercial egestor.

16 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo A rede supermercados do Reino Unido, a Tesco, usa a rede Tradenet para ligar seus sistemas de pedidos com os sistemas de processamento de pedidos de seus fornecedores. A Tesco vê o EDI (Intercâmbio Eletrônico de dados) como parte vital de sua moderna cadeia de distribuição, que reduziu a necessidade de manter grandes estoques, acelerou as entregas de seus fornecedores e ajudou a melhorar os lucros.

17 Site da Tesco:

18 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo O potencial do EDI para previsão de vendas também representa uma vantagem significativa. Tendências de vendas podem ser rapidamente interpretadas e as previsões ajustadas, e, com curto tempo de resposta de entregas (ajudado pelo EDI), oscilações de curto prazo na demanda para um produto em particular podem ser atendidas no dia seguinte.

19 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo A Tesco tem cerca de fornecedores ligados via EDI, inclusive a Unilever, fabricante de alimentos anglo- holandesa, a Pedigree, divisão de alimentos de animais domésticos da Mars Corporation, e a Colgate-Palmolive. A experiência da Colgate é típica a muitos fornecedores. Em 1988, a Tesco a abordou para sugerir que ela parasse a receber pedidos da Tesco via correio e, em vez disso, recebessem pedidos diretamente dos computadores da Tesco via uma linha telefônica.

20 Site da Colgate:

21 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo As vantagens para a Colgate foram apresentadas como sendo relacionadas com a velocidade do processamento dos pedidos, a velocidade com que a Colgate poderia faturar a Tesco pelos bens despachados e a eliminação de erros de digitação, porque a Colgate não teria que digitar os dados recebidos desta forma. Todavia, a Colgate estava ansiosa para adotar o EDI, porque acreditava que ele seria atraente para seus outros clientes.

22 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo Foi por causa de sua fé no futuro do EDI que ela investiu em tecnologia que integraria os pedidos eletrônicos que recebesse diretamente em seu sistema de processamento de pedidos. Um exercício caro, mas, uma vez feito, permitira a Colgate conectar-se com qualquer outro de seus consumidores que quisessem negociar da mesma forma. Depois de a companhia comprometer-se com o EDI, quanto mais negócios ela faz, mais rápido é o retorno sobre o investimento.

23 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo As redes eletrônicas de negócios que ligam clientes e fornecedores em EDI também podem ser usadas dentro de uma companhia. Em outra manifestação do conceito de consumidores internos, algumas companhias estão usando os VANs (Value Added Network) não apenas para se comunicar com outras organizações, mas também para comunicações interna na companhia.

24 Estudo de Caso: EDI em operações de varejo Por exemplo, a Sears, o grupo de varejo, usa uma rede comercial (Edinet) para manusear mensagens e dados entre suas instalações. Mesmo assim, os problemas de compatibilidade entre empresas e redes locais, nacionais e internacionais são consideráveis.

25 Site da Sears:


Carregar ppt "TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Cristiano José Cecanho Gerência de Tecnologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google