A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BRASILEIRO DA QUALIDADE

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BRASILEIRO DA QUALIDADE"— Transcrição da apresentação:

1 BRASILEIRO DA QUALIDADE
ABNT/CB-25 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS COMITÊ BRASILEIRO DA QUALIDADE Pretendemos fazer uma apresentação sucinta sobre o Comitê Brasileiro da Qualidade da ABNT. Para muitos que conhecem bem o Comitê, como ele funciona e o que tem realizado, esta apresentação perde o sentido. No entanto, muitos que aqui se encontram não conhecem o Comitê. É para ele, pois, que falo. Antes de começar, desejo, em nome do ABNT/CB-25, agradecer a Petrobras-Distribuidora pois ter realizado este encontro para o Comitê. Desejo agradecer, muito especialmente, a presença de todos que dão um cunho todo especial a este evento. O Comitê Brasileiro da Qualidade foi criado pela ABNT em outubro 1991, e começou a operar em março de 1992, na cauda do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade, para produzir uma ferramenta, aceita mundialmente como eficaz, para o aumento da produtividade das empresas brasileiras. Ao ser criado, definiu-se para o Comitê dois objetivos principais: Uso exclusivo do ABNT/CB -25

2 Origem ABNT/CB 25 PBQP – Programa Brasileiro da Qualidade 1992
ABNT/CB25 – Comitê Brasileiro da Qualidade FNQ – Fundação Nacional da Qualidade Uso exclusivo do ABNT/CB -25

3 Escopo ABNT/CB 25 Normalização no campo da gestão da qualidade compreendendo: conceitos e terminologia sistemas da qualidade tecnologias de suporte; avaliação da conformidade setores específicos Excluindo-se a normalização de produtos e serviços Uso exclusivo do ABNT/CB -25

4 Processos do ABNT/CB-25 ABNT/CB 25 PROCESSO 2 GERAÇÃO E DISSEMINACÃO
DE INFORMAÇÕES PROCESSO 1 ELABORAÇÃO DE NORMAS Produto genérico: Informação e Conhecimento Produto genérico: Normas nacionais Normas regionais e Normas internacionais Normas setoriais O PROCESSO 1, voltado para a elaboração de NORMAS, tendo como produtos genéricos, normas internacionais, regionais e nacionais O PROCESSO 2, voltado para a GERAÇÃO E DISSEMONAÇÃO DE INFORMAÇÕES, tendo como produtos genéricos a informação e o conhecimento. Este dois processos formam um conjunto único pela ação coordenadora da gestão do Comitê. Uso exclusivo do ABNT/CB-25

5 ORGANOGRAMA ABNT/CB 25 CE-1 CE-2 CE-3 CE-4 CE-5 Grupos Regionais
ABNT/CB-25 SUPERINTENDENTE ORGANOGRAMA ABNT/CB 25 CONSELHO CONSULTIVO CONSELHO GESTOR COMISSÃO TÉCNICA DE COORDENAÇÃO NORMATIVA Grupo de Disseminação de Informações Grupo de Interpretação ISO 9001 SECRETARIA EXECUTIVA CE-1 CE-2 CE-3 CE-4 CE-5 Produção de Normas de SGQ Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupos Regionais Grupos Regionais Grupos Regionais Produção de Guias/ Normas de A .C. Grupos de Trabalho Grupos Regionais Produção de Doc. Auxiliares Grupos de Trabalho Grupos Regionais

6 ORGANOGRAMA ABNT/CB 25 CE-1 CE-2 CE-3 CE-4 CE-5 PETROBRAS PETROBRAS
ABNT/CB-25 SUPERINTENDENTE ORGANOGRAMA PETROBRAS ABNT/CB 25 CONSELHO CONSULTIVO CONSELHO GESTOR PETROBRAS ABNT/CB25 COMISSÃO TÉCNICA DE COORDENAÇÃO NORMATIVA Grupo de Disseminação de Informações ABNT/CB25 Grupo de Interpretação ISO 9001 SECRETARIA EXECUTIVA ABNT/CB25 ELETROBRAS SUZANO IFRJ INMETRO FURNAS CE-1 CE-2 CE-3 CE-4 CE-5 Produção de Normas de SGQ Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupos Regionais Grupos Regionais Grupos Regionais Produção de Guias/ Normas de A .C. Grupos de Trabalho Grupos Regionais Produção de Doc. Auxiliares Grupos de Trabalho Grupos Regionais

7 Equivalência organizacinal ISO/TC 176 – ABNT/CB-25
ISO  ABNT ISO/TC  ABNT/CB-25 ISO/TC176/SC1 e WGs  ABNT/CB-25/CE1 e GTs Todo este trabalho representou um notável esforço. Aplicou-se, na participação internacional, nos últimos três anos, homens-hora, despendendo um quantia em bolsas do CNPq no valor R$ ,00. No Brasil, na elaboração de pareceres, voto, e transformação dos documentos internacionais em Normas Brasileiras foram empregados, nestes três anos, Nos próximos três anos, 2001 a 2003, está programado o emprego de hommens-hora na participação internacional, com custo de bolsas já aprovado pelo MCT no valor global de R$ ,80. No Brasil, está serem aplicados homens-hora. Tal fato mostra a magnitude da participação brasileira, viabilizada pelo enorme apoio governamental efetivado através do MCT/CNPq. ISO/TC176/SC2 e WGs  ABNT/CB-25/CE2 e GTs ISO/TC176/SC3 e WGs  ABNT/CB-25/CE3 e GTs Uso exclusivo do ABNT/CB-25

8 Normas Publicadas ABNT/CB 25 9000:2005 Conceitos e Terminologia
9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade - Requisitos 9004:2010 Sistema de Gestão da Qualidade - Sustentabilidade Uso exclusivo do ABNT/CB -25

9 Normas Publicadas ABNT/CB 25 10001:2007* 10002:2005 10003: 2007*
Satisfação de clientes – Código de Conduta Satisfação de clientes – Tratamento de reclamações Satisfação de clientes – Resolução de Disputas 10005:2007 SGQ – Planos da qualidade 10006:2006 SGQ – Empreendimentos 10007:2005 SGQ – Gestão da Configuração Uso exclusivo do ABNT/CB -25

10 Normas Publicadas ABNT/CB 25 10012:2004 Sistema de gestão da medição
TR 10013:2002 Documentação de SGQ 10014:2008 SGQ – Benefícios Econômicos e Financeiros 10015:2008 Educação e Treinamento TR 10017:2005 Técnicas Estatísticas 10019:2007 Seleção de Consultores para SGQ 19011:2002 Auditoria de SGQ Uso exclusivo do ABNT/CB -25

11 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE1 - TERMINOLOGIA SC1/GT1 ELETROBRAS ISO 9000 rev. – Fundamentos e Vocabulário Uso exclusivo do ABNT/CB -25

12 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE2 – SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SC2/TG QMP PETROBRAS Revisão dos Princípios da Gestão da Qualidade SUZANO Revisão da norma ISO 9001 SC2/TGUS Task Group User´s Survey SC2/SPOTG Strategic Planning Operation TG Uso exclusivo do ABNT/CB -25

13 Documentos Internacionais em elaboração
ISO/TC 176/STTG STTG ODEBRECHET SPANISH TRANSLATION TASK GROUP

14 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE3 – TECNOLOGIAS DE SUPORTE SC3/GT14 FURNAS ISO DIS – Guidelines for monitoring and measuring of customer satisfaction SC3/GT 15 PETROBRAS ISO DIS – Guidelines on people involvement and competences SC3/GT 16 ISO FDIS rev. – Guia para auditorias de SGQ SC3/GT17 UFRJ CD – Customer satisfaction – Guidelines for business to cunsumer e-commerce transactions Uso exclusivo do ABNT/CB -25

15 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE4 – AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE CASCO/WG21 INMETRO ISO/IEC – Conformity assessment - requirements for third party auditing of management systems CASCO/WG23 ISO/PAS – Conformity assessment – Use of management systems in conformity assessment – Principles and requirements CASCO/WG27 ISO/IEC – Guidelines for corrective action to be taken by a certification body in the event of misuse of its mark of conformity CASCO/WG28 ISO/IEC – Proficiency testing by inter-laboratory comparisons Uso exclusivo do ABNT/CB -25

16 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE4 – AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE CASCO/WG29 INMETRO ISO/IEC – Conformity Assessment – Requirements for bodies providing certification of products, processes and services CASCO/WG30 ISO/IEC – Conformity assessment – General requirements for bodies operating certification of persons CASCO/WG31 ISO/IEC – Conformity assessment – General criteria for the operation of various types of bodies performing inspection Uso exclusivo do ABNT/CB -25

17 Documentos Internacionais em elaboração
ABNT/CB 25 CE4 – AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE CASCO/WG32 INMETRO ISO/IEC – Conformity assessment – Fundamentals of product certification CASCO/WG33 ISO/IEC – Conformity assessment – Requeriments and recommendations for the content of a third-party audit report on management systems Uso exclusivo do ABNT/CB -25

18 Documentos Normativos brasileiros elaborados
ABNT/CB 25 CE5 – DOCUMENTOS AUXILIARES Norma Descrição 14919:2002 CONSULTOR Sistemas de gestão da qualidade – Setor farmacêutico – Requisitos específicos para aplicação da ABNT NBR ISO 9001:2000 em conjunto com as práticas de fabricação para a indústria farmacêutica (BPF) 15075:2004 ELETROBRAS Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos particulares para aplicação da ABNT NBR ISO 9001:2000 para empresas de serviços de conservação de energia (ESCO) 15419:2006 FURNAS Sistema de gestão da qualidade – Diretrizes para a aplicação da ABNT NBR ISO 9001:2000 nas organizações educacionais 16949:2010 IQA Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos particulares para aplicação da ABNT NBR ISO 9001:2008 para organizações de produção automotiva e peças de reposição pertinentes Uso exclusivo do ABNT/CB -25

19 Documentos Normativos brasileiros em elaboração
ABNT/CB 25 CE5 – DOCUMENTOS AUXILIARES Norma Descrição IWA 4 FURNAS Sistemas de gestão da qualidade – Diretrizes para a aplicação da ABNT NBR ISO 9001:2008 na gestão municipal Uso exclusivo do ABNT/CB -25

20 Projeto IV - Disseminação
ABNT/CB 25 Produtos e Serviços INMETRO Catalogo de empresas certificadas Encontro de Credibilidade da Certificação INMETRO e ABNT/CB25 Cursos e workshops sobre as normas de Sistemas de Gestão da Qualidade e Tecnologias de suporte Seminário Internacional de SGQ Interpretação das normas ISO 9000 Uso exclusivo do ABNT/CB -25

21 Processo de normalização Equivalência ISO/TC 176 – ABNT/CB-25
NWIP  ABNT/CB-25 Vota WG Drafts 1,2,3  ABNT/CB-25-GT minutas de projeto 1,2,3 CD –Committee Draft (votação)  GT comenta - ABNT/CB-25 vota Todo este trabalho representou um notável esforço. Aplicou-se, na participação internacional, nos últimos três anos, homens-hora, despendendo um quantia em bolsas do CNPq no valor R$ ,00. No Brasil, na elaboração de pareceres, voto, e transformação dos documentos internacionais em Normas Brasileiras foram empregados, nestes três anos, Nos próximos três anos, 2001 a 2003, está programado o emprego de hommens-hora na participação internacional, com custo de bolsas já aprovado pelo MCT no valor global de R$ ,80. No Brasil, está serem aplicados homens-hora. Tal fato mostra a magnitude da participação brasileira, viabilizada pelo enorme apoio governamental efetivado através do MCT/CNPq. DIS – SC ISO - Draft Int. Std  CB-25/CE comenta – ABNT vota FDIS – SC ISO - Final Draft Int. Std  ABNT vota Uso exclusivo do ABNT/CB-25

22 PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE NORMA BRASILEIRA
ABNT/CB 25 Três etapas principais 1. Elaboração 2. Consenso – Consulta nacional 3. Aprovação e publicação Todo este trabalho representou um notável esforço. Aplicou-se, na participação internacional, nos últimos três anos, homens-hora, despendendo um quantia em bolsas do CNPq no valor R$ ,00. No Brasil, na elaboração de pareceres, voto, e transformação dos documentos internacionais em Normas Brasileiras foram empregados, nestes três anos, Nos próximos três anos, 2001 a 2003, está programado o emprego de hommens-hora na participação internacional, com custo de bolsas já aprovado pelo MCT no valor global de R$ ,80. No Brasil, está serem aplicados homens-hora. Tal fato mostra a magnitude da participação brasileira, viabilizada pelo enorme apoio governamental efetivado através do MCT/CNPq. Uso exclusivo do ABNT/CB-25

23 MANTENEDORAS ABNT/CB 25 Micro & Pequenas Plenas ACELORMITTAL
C. N. ODEBRECHT ELETROBRAS FURNAS PETROBRAS SIEMENS SOUZA CRUZ SUZANO Micro & Pequenas ABS DO BRASIL ATSG TECPAR TÜV RHEINLAND HGB

24 ABNT/CB-25 REGIONAL O Comitê Brasileiro da Qualidade da Associação Brasileiro de Normas Técnicas – ABNT/CB-25 deu início ao processo de Regionalização, dentro de sua estratégia de aumentar a participação de forma capilar, para a produção e disseminação das Normas relacionadas à Gestão da Qualidade e Avaliação da Conformidade em todo o território brasileiro

25 ABNT/CB-25 REGIONAL Objetivos: A Regional tem como objetivo:
Contribuir na elaboração das normas internacionais; nacionais e normas Auxiliares. Promoção de eventos regionais de disseminação dos conceitos da qualidade e avaliação da conformidade, devidamente homologados pelo ABNT/CB-25.

26 ABNT/CB-25 REGIONAL Grupos regionais que sejam um espelho do CB25:
Desenvolvam as normas técnicas Realizem os projetos de disseminação de conceitos de gestão da qualidade Apoio necessário: Entidade coordenadora para suportar administrativamente o CB25 Regional Organização âncora para coordenar os trabalhos técnicos dos diversos Grupos de Trabalho Pessoas para coordenar os diversos GTR´s Instalações para desenvolver as atividades dos GTR´s

27 ABNT/CB-25 REGIONAL COMPETE À REGIONAL
Coordenar os trabalhos das Empresas/Entidades e especialistas nas atividades dos Grupos de Trabalho Regionais; Constituir Grupos de Trabalho Regional (GTR) para auxiliar aos Grupos de Trabalho já existentes no CB25, na elaboração de documentos normativos; Propor normas específicas voltadas para sua vocação regional e sugerir a formação de Grupos de Trabalho;

28 ABNT/CB-25 REGIONAL COMPETE À REGIONAL
Realizar eventos em sua região para a disseminação das informações adquiridas; Garantir os recursos necessários para suportar as atividades da Regional; Coordenar a elaboração dos documentos normativos desenvolvidos pelos GTs Regionais Manter a Secretaria do ABNT/CB-25 informada de suas atividades.

29 ABNT/CB 25 RENATO PEDROSO LEE ABNT/CB25 Av. 13 de maio, 13/ 1213
Telefone: Uma última mensagem. O ABNT/CB-25 é o único canal que as empresas têm para fazer defender as suas teses e seus interesses. Participem do Comitê. Ele tem que ser fortalecido. Ele é`seu, ele é nosso, Ele é do Brasil! Existem muitas formas de participar. Nos no ABNT/CB-25 estaremos ao seu inteiro dispor para prestar quaisquer esclarecimentos. Uso exclusivo do ABNT/CB -25


Carregar ppt "BRASILEIRO DA QUALIDADE"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google