A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CICLO CONTÁBIL. O CICLO CONTÁBIL CICLO CONTÁBIL EVIDENCIAÇÃO SUMARIZAÇÃO CAPTAÇÃO RECONHECIMENTO PROCESSO DE ACUMULAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CICLO CONTÁBIL. O CICLO CONTÁBIL CICLO CONTÁBIL EVIDENCIAÇÃO SUMARIZAÇÃO CAPTAÇÃO RECONHECIMENTO PROCESSO DE ACUMULAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 CICLO CONTÁBIL

2 O CICLO CONTÁBIL CICLO CONTÁBIL EVIDENCIAÇÃO SUMARIZAÇÃO CAPTAÇÃO RECONHECIMENTO PROCESSO DE ACUMULAÇÃO

3 CICLO CONTÁBIL O Ciclo Contábil representa o processo executado nas empresas para elaborar as demonstrações contábeis, a partir das transações econômicas realizadas.

4 CAPTAÇÃO Identificação das transações realizadas pela entidade Identificação dos demais eventos que afetaram o patrimônio da entidade. Exemplo: Compra a vista de Estoque de Mercadorias para Revenda.

5 RECONHECIMENTO Vou contabilizar esse evento? Se reconhecer quando ? – data Onde contabilizar? – ATIVO – PASSIVO – PATRIMONIO LÍQUIDO – RECEITA – DESPESA Em que conta? – Caixa – Estoque – Fornecedores Por quanto?

6 PROCESSOS DE ACUMULAÇÃO SISTEMAS CONTÁBEIS INFORMATIZADOS SISTEMAS CONTÁBEIS MECANICOS

7 SUMARIZAÇÃO Identificar a necessidade informacional do usuário. DEMOSNTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS E PREJUIZOS ACUMULADOS DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PL DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

8 EVIDENCIAÇÃO Transmitir as Demonstrações aos órgãos reguladores (exemplo CVM, BACEN) Publicar as Demonstrações em jornais Disponibilizar as Demonstrações em Sites da entidade Enviar por correio Entregar relatórios em mãos.

9 CONCEITOS FUNDAMENTAIS PATRIMONIO ATIVO PASSIVO PATRIMONIO LIQUIDO RESULTADO RECEITA DESPESA

10 PATRIMÔNIO Conjunto de bens, direitos e obrigações de uma pessoa ou entidade.

11 BENS Do ponto de vista contábil, são todos os objetos que uma empresa possui para uso, troca ou consumo.

12 BENS TANGÍVEIS São bens palpáveis pertencentes a empresa. Ex: Estoques de Mercadorias, Estoques de Material de Escritório, Maquinas e Equipamentos, Veículos.

13 BENS INTANGÍVEIS Embora considerado bens e pertencentes a empresa, não representam bens físicos. Ex: Marcas e Patentes, Direitos Autorais, Licença de Software, Fundo de Comercio.

14 DIREITOS São valores que a empresa tem a receber de terceiros. Originam-se normalmente das vendas a prazo de bens ou serviços (Duplicatas a Receber) ou de outras transações como aluguel a receber, empréstimos a receber, aplicação financeira.

15 OBRIGAÇÕES Representam os valores que a empresa tem para pagar a terceiros. (Fornecedores, bancos, empregados, governo). Originam-se normalmente das compras a prazo de bens ou serviços ou ainda de outras transações como empréstimos bancários e alugueis a pagar.

16 ASPECTOS QUALITATIVO DO PATRIMONIO Tratam dos componentes do patrimônio segundo a espécie de cada um: BENS – dinheiro, estoques de mercadorias, imóveis DIREITOS – Duplicatas a receber – Alugueis a receber, Aplicações Financeiras OBRIGAÇÕES – Fornecedores a pagar – Empréstimos a pagar, Impostos a Pagar

17 ASPECTO QUANTITATIVO DO PATRIMONIO Referem-se ao valor com que cada elemento possa ser expresso. Caixa - $200,00 Duplicatas a Receber - $100,00 Fornecedores a Pagar - $50,00

18 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PATRIMONIO LADO ESQUERDO (ATIVO) LADO DIREITO (PASSIVO) BENS Dinheiro (caixa) Estoques Veículos DIREITOS Duplicatas a Receber Aplicação Financeira OBRIGAÇÕES Fornecedores Contas a Pagar Empréstimos Impostos a Pagar

19 SITUAÇÃO LIQUIDA PATRIMONIAL É a diferença entre o Ativo (bens e direitos) e o Passivo (obrigações).

20 EQUAÇÃO PATRIMONIAL PATRIMONIO LIQUIDO = ATIVO - PASSIVO OU ATIVO = PASSIVO + PATRIMONIO LIQUIDO

21 EQUAÇÃO PATRIMONIAL / CONTÁBIL A Equação Contábil ou Patrimonial é baseada na dupla entrada, ou seja, cada transação possui efeito duplo. Uma transação afeta ambos os lados da equação, no mesmo valor. Ou um lado da equação aumentando e diminuindo na mesma quantia, anulando a mudança neste lado da equação.

22 PATRIMONIO LIQUIDO Subtraindo o total dos bens e direitos do total das obrigações encontramos a situação liquida ou riqueza liquida da empresa, que significa a parte que sobra do patrimônio para a organização. Portanto, Patrimônio Líquido são os recursos pertencentes aos proprietários da entidade. (Recursos Próprios)

23 PATRIMONIO LIQUIDO Ativo Maior que Passivo – Patrimônio Liquido Positivo Ativo Menor que Passivo – Patrimônio Liquido Negativo ou Passivo a Descoberto. Ativo igual ao Passivo – Patrimônio Liquido Nulo.

24 PATRIMONIO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO Aplicação de Recursos (onde está o dinheiros?) PASSIVO Origem de Recursos (de onde o dinheiro veio?) PATRIMONIO LIQUIDO

25 ATIVO O Ativo representa o conjunto de bens e os direitos da entidade, ou seja, tudo que a empresa possui e tudo que lhe é devido.

26 ATIVO É a aplicação de recursos da qual se espera a geração de benefícios econômicos futuros.

27 PASSIVO É a origem de recursos financiados por terceiros. O Passivo representa as obrigações assumidas pela entidade que exigirão desembolso de recursos futuros, ou seja, contas a pagar, salários a pagar, impostos a pagar etc.

28 PATRIMONIO LIQUIDO Assim como o passivo, ele também representa a origem de recursos, sendo que o Patrimônio Liquido corresponde aos recursos financiados pelos sócios ou acionistas da entidade, na forma de capital social e também pelos lucros retidos.

29 RESULTADO O resultado deriva do confronto entre as receitas custos e despesas. Se as receitas forem maiores que os custos e as despesas, o resultado é positivo (Lucro), se as receitas forem menores que os custos e as despesas, o resultado é negativo (Prejuízo).

30 RECEITA Corresponde à geração de recursos de correntes de atividades como: Venda de Estoque – Receita de Vendas com Mercadorias Prestação de Serviço – Receita de Vendas com Serviços Aplicação Financeira – Receita Financeira Venda de Itens do Imobilizado – Receita não Operacional.

31 RECEITA A Receita resulta em um aumento em caixa ou contas a receber. Acarreta ainda, o aumento do Patrimônio Líquido.

32 CUSTOS E DESPESAS

33 CUSTOS / INDÚSTRIA Gastos efetuados no processo de fabricação de outros bens; são todos os gastos relativos à atividade de produção. Salário do pessoal da produção Matéria prima utilizada no processo produtivo Aluguel da fábrica Depreciação dos equipamentos da fábrica Custo dos Produtos Vendidos (CPV)

34 CUSTOS / COMÉRCIO É o valor de aquisição das mercadorias para revenda. O Estoque de Mercadorias quando vendido é custo. Custo da Mercadoria Vendida – (CMV)

35 CUSTO / SERVIÇOS São todos os gastos relativos para a prestação do serviço: exemplo, mão de obra, material de consumo, peças de reposição. CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (CSP)

36 DESPESAS Gastos com bens e serviços não utilizados nas atividades produtivas e consumidos com a finalidade de obtenção de receitas. Energia elétrica consumida no escritório Salários do pessoal da administração Consumo de Material de Expediente

37 Demonstrações Contábeis Obrigatórias Lei n° /07 Balanço Patrimonial (BP); Demonstração do Resultado do Exercício (DRE); Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL); Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC); Demonstração do Valor Adicionado (DVA); Notas Explicativas.

38 BALANÇO PATRIMONIAL (BP) Evidencia a situação patrimonial da entidade em um determinado momento. Apresenta a estrutura patrimonial como uma fotografia dos bens, direitos e obrigações de uma entidade em determinada data.

39 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO (DRE) Evidencia as receitas, menos os custos e as despesas, de determinado período. Mensura a riqueza gerada pela entidade em determinado período, que, no fim das contas, pertence aos acionistas.

40 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PL (DMPL) Evidencia as alterações do Patrimônio Líquido de uma entidade ocorridas em determinado período.

41 DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA (DFC) Evidencia as transformações sofridas pelo Caixa e Equivalente de uma entidade, ocorridas em determinado período. CAIXA E EQUIVALENTE – caixa + banco + aplicações de liquidez imediata (sem risco)

42 DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO (DVA) Mensura a riqueza gerada pela entidade em determinado período e como ela é distribuída entre: empregados, governo, financiadores e acionistas. Essa riqueza pertence à toda sociedade.

43 RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO Esse relatório não tem sua estrutura padronizada mas, normalmente, contempla: análise corporativa, análise setorial, análise financeira, análise de risco, práticas de governança corporativa. Apesar de não ser uma demonstração contábil propriamente dita, este é divulgado pelas empresas, juntamente com as demonstrações contábeis.

44 PARECERES DE AUDITORES INDEPENDENTE Tem por escopo a validação das demonstrações contábeis quanto à adoção das práticas contábeis de aceitação geral e apropriadas às circunstâncias. Sinaliza que informações suficientes – sobre assuntos que possam afetar seu uso, entendimento e interpretação do desempenho e da situação econômico-financeira e patrimonial da entidade – estão adequadamente evidenciadas nas demonstrações contábeis e nas notas explicativas.

45 A EQUAÇÃO CONTÁBIL Auferir receitas e incorrer em custos e despesas altera o Resultado (Lucro / Prejuízo) do período. No final do período, é efetuado o confronto entre o total das Receitas e os Custos e as Despesas, sendo apurado o resultado e, conseqüentemente, é verificado o efeito no Patrimônio Líquido. Este será aumentado se houver Lucro, ou será reduzido, se houver Prejuízo.

46 A EQUAÇÃO CONTÁBIL Se um negócio possui Ativos de , obrigações de e Patrimônio Liquido de , a equação contábil é:

47 A EQUAÇÃO CONTÁBIL ATIVO = PASSIVO + PATRIMONIO LIQUIDO = =

48 A EQUAÇÃO CONTÁBIL Se, ao final do período, a empresa gerou uma receita de vendas de e custos e despesas de , apresentou um Lucro de (compreendido por receitas, custos e despesas que transitaram pelo caixa), a equação contábil será:

49 A EQUAÇÃO CONTÁBIL ATIVO = PASSIVO + PATRIMONIO LIQUIDO = =

50 A EQUAÇÃO CONTÁBIL Se forem, então, utilizados para pagar fornecedores, a equação contábil passará a ser:

51 A EQUAÇÃO CONTÁBIL ATIVO = PASSIVO + PATRIMONIO LIQUIDO = =

52 ANALISANDO E REGISTRANDO AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS Se a cada transação tivéssemos de fazer um novo Balanço Patrimonial, o tempo e energia consumido seria grande. Por este motivo deve haver uma conta para cada grupos do Balanço Patrimonial (Ativos, Passivos e PL), bem como da Demonstração do Resultado (Receitas, Custos e Despesas).

53 ANALISANDO E REGISTRANDO AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS Ao final do período, as demonstrações contábeis devem ser elaboradas baseadas no balanço de cada conta, ou seja, através do saldo final de cada conta. E o modo para fazê-los é através de Razonetes ou Contas T.

54 ANALISANDO E REGISTRANDO AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS CONTAS – é o nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado (despesas e receitas).

55 ANALISANDO E REGISTRANDO AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS CONTAS PATRIMONIAIS – são aquelas que representam os bens, direitos, obrigações e patrimônio líquido. Dividem-se em ativas e passivas e são elas que representam o patrimônio da empresa num dado momento, por meio do Balanço Patrimonial:

56 CONTAS PATRIMONIAIS ATIVOPASSIVO BENS Caixa Estoque de Mercadorias DIREITOS Duplicatas a Receber Aplicações Financeiras OBRIGAÇÕES Fornecedores Empréstimos PATRIMONIO LIQUIDO Capital Social

57 ANALISANDO E REGISTRANDO AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS CONTAS DE RESULTADO – dividem-se em contas de despesas e custos e contas de receitas. Aparecem durante o exercício social, encerrando- se ao final dele. Não fazem parte do Balanço Patrimonial, mais é por elas que ficamos sabendo se a empresa apresentou lucro ou prejuízo no desenvolvimento de suas atividades.

58 CONTAS DE RESULTADO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO RECEITA OPERACIONAL BRUTA (-) Deduções (=) RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA (-) CMV (=) LUCRO OPERACIONAL BRUTO (-) DESPESAS OPERACIONAIS (-) Despesas de Aluguel (-) Despesas com Salário (-) Despesa com Energia (=) LUCRO OPERACIONAL LIQUIDO

59 RAZONETE NOME DA CONTA Valor dos Lançamentos a Débito. Somatório dos Débitos Valor dos Lançamentos a Crédito. Somatório dos Créditos

60 RAZONETE Os lançamentos são efetuados na estrutura de um T, em que sobre a barra é apresentado o nome da conta, Do lado esquerdo são apresentados os valores lançados a débito representando as aplicações de recursos. Do lado direito são apresentados os valores lançados a crédito, que representam as origens ou fontes dos recursos.

61 DÉBITO E CRÉDITO Lançamento a Débito no Ativo aumentará o valor desse Ativo e um lançamento a Crédito diminuirá o seu valor. Para cada transação, duas ou mais contas estão sempre envolvidas e os débitos serão sempre iguais aos créditos (dupla entrada ou partidas dobradas). Exemplo: Compra a vista de um Veículo no valor de

62 DÉBITO E CRÉDITO Compra a vista de um Veículo no valor de VEÍCULO Débito CAIXA CréditoDébitoCrédito

63 DÉBITO E CRÉDITO Seguindo o mesmo raciocínio, um lançamento a débito no Passivo e PL diminuirá o valor desse Passivo e PL e um lançamento a crédito aumentará o seu valor. Exemplo: Pagamento de fornecedores no valor de Exemplo: Compra de Mercadorias para Revenda a prazo no valor de

64 DÉBITO E CRÉDITO Pagamento de Fornecedores no valor de DÉBITO E CRÉDITO CAIXA Débito FORNECEDORES Crédito Débito Crédito

65 DÉBITO E CRÉDITO Compra a prazo de Mercadorias para Revenda no valor de ESTOQUE Débito FORNECEDORES CréditoDébitoCrédito

66 DÉBITO E CRÉDITO As contas do Ativo são de natureza devedoras As contas do Passivo e Patrimônio Liquido são de natureza credora.

67 CONTAS DE RESULTADO As contas de Despesas são de natureza devedora As contas de Receitas são de natureza credora

68 CONTAS DE RESULTADO DÉBITO CRÉDITO DESPESAS. Somatório dos Débitos RECEITAS. Somatório dos Créditos


Carregar ppt "CICLO CONTÁBIL. O CICLO CONTÁBIL CICLO CONTÁBIL EVIDENCIAÇÃO SUMARIZAÇÃO CAPTAÇÃO RECONHECIMENTO PROCESSO DE ACUMULAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google