A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Repensando a Logística 09/06905 – Ana Carolina Siqueira 09/40283 – Ana Laíse Meneses 09/49175 – Tatiana Leão Freitas 09/07227 – Andréa Tôgo Mazzei 09/47580.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Repensando a Logística 09/06905 – Ana Carolina Siqueira 09/40283 – Ana Laíse Meneses 09/49175 – Tatiana Leão Freitas 09/07227 – Andréa Tôgo Mazzei 09/47580."— Transcrição da apresentação:

1 Repensando a Logística 09/06905 – Ana Carolina Siqueira 09/40283 – Ana Laíse Meneses 09/49175 – Tatiana Leão Freitas 09/07227 – Andréa Tôgo Mazzei 09/47580 – Cristina Akie Sujii 09/15190 – Rebeca Castilho 09/06905 – Ana Carolina Siqueira 09/40283 – Ana Laíse Meneses 09/49175 – Tatiana Leão Freitas 09/07227 – Andréa Tôgo Mazzei 09/47580 – Cristina Akie Sujii 09/15190 – Rebeca Castilho Sub Grupo x Sub Grupo x Sub Grupo y Sub Grupo y Grupo XX

2 Transformações na Economia Mundial devido à Globalização Formação de blocos econômicos Queda das fronteiras entre os países buscando melhor desenvolvimento e manutenção de suas economias. Reflexos da Globalização no Mercado Aumento da competitividade Acesso a tecnologias Maior qualidade Em busca de uma maior satisfação do cliente Resposta das Empresas Menor Preço

3 Mudança do conceito de logística, como solução para as mudanças do mercado globalizado. Integração das áreas e processos da empresa Integração e coordenação das atividades ao longo da cadeia logística Coordenação com outras funções da empresa e com outros fatores externos

4 Consequências do enfoque fracionado do conceito de logística para as empresas Níveis de serviço abaixo do desejado Custo de logística elevadoCiclos longos e com pouca flexibilidade Capital empregado em estoques Falta de foco no cliente

5 Dilema entre manter ou não o estoque Vantagens de manter Disponibilidade Qualidade de serviço ao cliente Economias de escala Proteção contra incertezas na demanda Tempo de ressuprimento Desvantagens de manter Custos elevados em manutenção Custo de oportunidades, escolha de um melhor investimento em aumento de capacidade instalada, melhorias de processo ou na qualidade dos produtos. Conclusão: a tendência é que se diminuam progressivamente os estoques, e que isso se reflita em um menor gasto com sua manutenção e conseqüente melhorias de preço finais do produto.

6 Fatores de pressão da mudança do papel da logística. Esta cadeia de logística está com os dias contados, devido a diversos fatores de pressão como: Ciclos de vida dos produtos mais curtos Demandas por parcerias Novos canais para os consumidores Papel mais restrito dos distribuidores Competição externa Clientes mais fortes e melhor informados

7 Competição externa Fatores Competitivos Objetivos de desempenho Preço baixoCusto Qualidade AltaQualidade Entrega rápidaRapidez Entrega confiávelConfiabilidade Produtos e serviços inovadores Flexibilidade Ampla gama de produtos Mix de produtos Quantidade ou prazo de entrega Flexibilidade O cliente sente-se motivado a dirigir seus pedidos a empresas que fornecem melhores serviços Transporte eficiente Níveis mínimos de estoques necessários Pouco tempo para processar os pedidos Serviço de entrega sem nenhuma perda

8 Ciclo de Vida do Produto Tornou-se menor devido : Ao Rápido Avanço Tecnológico; Mercado mais competitivo; Clientes mais exigentes. Refletindo em mudanças dentro da empresa: Marketing mais inteligente e agressivo; Políticas comerciais mais flexíveis; Novos canais para escutar o cliente; Alterando sua engenharia Atualizando máquinas e processos Desenvolvimento de novos produtos Tornando-se mais competitiva Clientes mais exigentes e bem informados Devido à grande quantidade de informação disponível, eles passaram a exercer enorme pressão nas empresas, pois pesquisam: Preço; Características; Qualidade; Garantia; Assistência Técnica; Nível de Serviços; O desenvolvimento cada vez maior da logística de produção leva ao desenvolvimento de produtos de maior qualidade e tecnologia, o que ajuda a cativar o cliente. Tudo aquilo que atenda as suas necessidades

9 Racionalização da Base de Fornecedores Há o estreitamento de relações entre as empresas e seus fornecedores. Há relação de parceria, onde atuam de forma harmoniosa. Buscando qualidade, preço, tempo de entrega exato. O contato das empresas com fornecedores visam dinamizar o fluxo dos produtos na cadeia de suprimentos e obter melhor planejamento do processo de produção. Recebendo produtos de melhor qualidade, diminuindo estoques diminuir o lead time e ter produtos disponíveis sempre que necessário. As empresas estão procurando adotar o Sistema Modular de Fornecimento. Onde fornecedores mantêm abaixo de si uma cadeia de subfornecedores. Essa cadeia fornece peças e componentes para o fornecedor acima que se encarrega de montar conjuntos ou módulos e entregá-los para a empresa. Esses diversos níveis de fornecedores são chamados de tier ou layer de fornecedores. Adotando essas medidas as empresas restringem o número de fornecedores criando vínculo de maior confiança e qualidade.

10 Papel mais restrito dos Distribuidores Novos canais de distribuição aos consumidores, levam as empresas a replanejar suas estratégias de distribuição, de modo a depender menos dos distribuidores. O objetivo final é atingir o consumidor de forma rápida e eficiente, com o menor custo possível. E que o produto esteja sempre disponível independentemente de eventuais problemas. Demanda por Parcerias O mundo globalizado levas as empresas a unirem forças para reduzir custos e aumentar sua competitividade no mercado. Empresas líderes de mercado envolvem de perto seus fornecedores. Isso leva a um menor trabalho de compras, redução de estoques, prazos de atendimento de pedidos são encurtados, maior qualidade, melhoria nas falhas de atendimento, desenvolvimento de tecnologias comuns.

11 Supply Chain – Cadeia de Logística Integrada Vantagens competitivas são obtidas por meio do aumento de produtividade, da diferenciação do produto e de altos níveis de serviço ao Cliente. Necessidade de se incluir fornecedores e clientes na lógica de integração da Empresa. Supply Chain – todo esforço envolvido nos diferentes processos e atividades que criam valor na forma de produtos e serviços para o consumidor final O foco sai da redução de perdas para agregar valor ao cliente

12 Mercadorias e produtos vão das fontes supridoras em direção aos consumidores Informações e recursos vêm em direção oposta (dos consumidores para as fontes) Supply Chain Gestão do Supply Chain planejar e controlar o fluxo de mercadorias, informações e recursos Seu desempenho depende da: Capacidade de resposta às demandas dos clientes Qualidade de produtos e serviços Velocidade, qualidade e timing da inovação nos produtos Efetividade dos custos de produção e entrega e utilização de capital

13 ECR – Resposta Eficiente ao Consumidor Iniciativa na qual distribuidores e fornecedores da indústria de supermercados trabalham em conjunto para reduzir custos e proporcionar maior valor ao consumidor final apóia-se em ferramentas e estratégias que visam a responder às necessidades crescentes e variadas dos consumidores Utilização do ECR para ultrapassar barreiras. Estratégias do ECR: Introduzir produtos Sortir a loja Promoção eficiente Reposição eficiente

14 Ferramentas que dão suporte às estratégias: Gerenciamento de categoria Reposição contínua Custeio baseado em atividade Benchmark das melhores práticas Pedido acompanhado por computador ECR – Resposta Eficiente ao Consumidor A cadeia de distribuição tradicional dos produtos de consumo de massa está estruturada pelo sistema push (empurrar estoques) Problemas: a reposição não está integrada e causa grandes desperdícios em suas interfaces Tipo de relação entre fornecedor e cliente : arms length (conflitos de interesse, dificuldades e negociações pontuais)

15 A cadeia de distribuição moderna é ágil na movimentação do fluxo de mercadorias e eficiente no intercâmbio de informações entre os integrantes. Misto entre os sistemas pull e sincrônico. Os desperdícios são eliminados, o custo total e os estoques são reduzidos. Tipo de relação entre fornecedor e cliente: evolui da parceria para a simbiose, marcada por relacionamento de confiança e Unidade. ECR – Resposta Eficiente ao Consumidor

16 Quatro estratégias do ECR Introdução eficiente do produto Sortimento eficiente da loja Promoção eficiente Reposição eficiente Introdução eficiente do produto O ritmo de introdução de novos produtos aumentou devido, principalmente, à: Modificações frequentes de tecnologia Mudança nos hábitos dos consumidores Imitação de produtos líderes Alongar a vida útil do produto

17 Para se adequar a essa nova situação o ECR propõe cinco etapas: 1.Acordo entre fornecedor e distribuidor para o teste do novo produto, feitos a partir de pesquisas de necessidades do consumidor. 2.Preparar esse teste, que pode ser feito em loja-piloto ou horário representativo. 3.Implementar o teste, que deve ser feito pelo fornecedor e supervisionado pelo distribuidor. 4.Avaliação, tabulação dos resultados do teste. 5.Decisão, o fornecedor e o distribuidor vão testar em outras lojas, abandonar ou modificar o produto.

18 Sortimento eficiente da loja Os objetivos dessa etapa são: Determinar o nível de oferta ótimo de um produto, em uma categoria, que beneficie o consumidor. Fazer com que o fornecedor e o canal conheçam os perfis dos clientes. Promoção eficiente Toda promoção deve ser de fácil compreensão, e curta duração Simplificar os acordos promocionais e gerar um desconto contínuo

19 Reposição eficiente Recebimento eletrônico na loja; softwares informam os fornecedores sobre o recebimento de produtos e as falhas de distribuição são reduzidas Sistema de inventário perpétuo; a quantidade exata de produtos na loja pode ser acessada em tempo real Leitura por código de barra; toda a cadeia sabe o tamanho, cor, sabor e outros do produto adquirido pelo comprador final Pedido emitido por computador; a empresa pode gastar mais tempo e dinheiro em atividades que agreguem valor para o cliente o que não é o caso dessa

20 Impedimentos à implantação rápida das práticas de ECR Falta de estímulo por parte da cúpula das empresas por mudanças nas práticas de negócios; Falta de conhecimento a respeito de oportunidades, benefícios e princípios do ECR; Falta de pessoas com especialização técnica; Necessidade de investimento de tempo e recursos para cada novo parceiro à curva de aprendizado; Tempo e custos altos para desenvolver e/ou adaptar versões de sistemas de informação; Sistemas de contabilidade e custos utilizados nas empresas que não medem os benefícios das práticas ECR. Considerações Finais do ERC

21 Vantagem competitiva altamente substancial na indústria de vestuário por exemplo, uma vez que a moda está em constante transformação. Um estudo do Efficient Consumer Response Study mostra que o ciclo de reposição de intens básicos pode ser reduzido com ERC de 62 dias para 15 dias. Considerações Finais do ERC


Carregar ppt "Repensando a Logística 09/06905 – Ana Carolina Siqueira 09/40283 – Ana Laíse Meneses 09/49175 – Tatiana Leão Freitas 09/07227 – Andréa Tôgo Mazzei 09/47580."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google