A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM"— Transcrição da apresentação:

1 PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS ESCOLA DE DESIGN PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM

2 Apresentação Tema Programa de Identidade Visual
Tema Transversal Multiculturalismo Desafio Propor um programa de identidade visual cambiante para uma editora de livros jurídicos, abordando multiculturalismo como tema transversal. Ponto de partida A que medida uma editora de livro jurídico deve ou necessita se relacionar com multiculturalismo e design cambiante, levando em conta as questões visuais e formais que a marca deverá assumir?

3 MÉTODO PROJETUAL Diagnóstico Cenário Design Implantação Apresentação
Fundamentação teórica Inventário da Marca Briefing Conceito Valores Atributos Estilo de Vida e Perfil Psicográfico Geração de Alternativas Definição do logotipo Assinatura Paleta de Cores Texturas Demais Elementos Visuais Planejamento de Mutação Manual de Aplicação Papelaria Básica Brindes Correções e Finalização Out/2010 Set e Out/2010 Out e Nov/2010 Nov/2010 Dez/2010

4 Fundamentação Teórica

5 Fundamentação Teórica
Cultura Dentre as várias definições de cultura, duas se adéquam ao contexto deste trabalho é: 1 – Segundo Tyler é o “conjunto complexo que inclui conhecimento, crença, arte, moral, costume e quaisquer outras habilidades ou hábitos adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade”. (Tyler apud. RODRIGUES, 2008) 2 - Contudo, o conceito de cultura que pode ser adotado é o que o limita ao “conjunto de símbolos e significados”, sendo assim, “essencialmente semiótico”, posição que se tornou dominante após a retomada da discussão sobre o assunto a partir de 1970. (RODRIGUES, 2008)

6 Fundamentação Teórica
Multiculturalismo - Concepções e Teóricos Liberais individualistas: direitos e deveres dos cidadãos prevalecem sobre a origem etno- cultural. Pensadores desta concepção: John Rawls e Robert Nozick. Comunitaristas: em oposição aos liberais individualistas, favorecem a origem multicultural. Destaque para Van Dyke. Will Kymlicha: defende o meio termo, sendo que a origem etno-cultural pode ser influenciada pela cultura da classe dominante. Charles Taylor: “política da igual dignidade” e a “política da diferença”. Iris Marion Young: amplia a concepção multicultural inserindo as minorias sexuais, mulheres, deficientes e os idosos.

7 Fundamentação Teórica
Design Cambiante: a instabilidade como regra. Surgiu como uma característica do Pós-Modernismo. MTV: a idéia surgiu durante a geração de alternativas SEXTAFEIRA: publicação científica periódica cujo projeto gráfico segue o tema do número em questão

8 Fundamentação Teórica
Revista Ray Gun Foi uma revista norte-americana de Rock alternativo. Fundada por David Carson, contém experiências revolucionárias no design tipográfico das revistas.

9 Fundamentação Teórica
Design Cambiante - Revista VOGUE: Essa prática não é tão inovadora quanto pode parecer. A revista Vogue, por exemplo, na década de 20, não mantinha padrão visual dentre suas capas e utilizava diferentes padrões tipográficos em seus logotipos. Porém, o que torna os casos contemporâneos curiosamente distintos do da revista Vogue é o fato de que, àquela década, ao contrário de hoje, a padronização não era regra. "Cada edição é uma nova combinação de imagens, tipos e cores. Esse modo de trabalho é 'normal' até os anos de A partir de então, a padronização e a repetição de elementos começa a se tornar a nova prática 'normal'". (Kopp, 2002) Capas da Revista Vogue da década de 20

10 Inventário da Marca

11 Inventário da Marca Assinatura Visual

12 Inventário da Marca MATERIAL IMPRESSO – Convites para Lançamentos

13 Inventário da Marca WEB SITE

14 Diagnóstico da Editora Fórum
BLOG

15 Briefing

16 Briefing Posicionamento de Mercado:
Trabalhar os nichos de mercados do Direito Público, explorando as frentes de negócios da empresa: livros, periódicos, eventos, projetos customizados e, no futuro, livraria. A idéia é “atacar em bloco”, ou seja, essas frentes de negócios ativas e rodando de forma integrada, uma gerando negócio para outra.

17 Briefing Estratégica de Design:
Elaborar o DNA da marca para proporcionar o ataque em bloco, transmitindo a integração das frentes de negócios para os colaboradores, fornecedores e consumidores.

18 Briefing Objetivo principal:
Desenvolver uma nova identidade visual da marca da Editora Fórum seguindo as diretrizes de uma identidade visual cambiante, norteada pelos ramos do Direito Público e multiculturalismo.

19 Briefing Objetivos secundários: Desenvolvimento de um logotipo
Definição de paleta de cores institucionais Definição do DNA da marca Elaboração do manual de aplicação da marca Desenvolvimento da papelaria básica Planejamento de mutação da marca

20 Briefing Justificativa:
Apoiar-se em parâmetros para nortear e direcionar o desenvolvimento de projetos gráficos que sigam a uma identidade visual coerente e cambiante; Utilizar-se de signos que os consumidores, fornecedores e colaboradores entendam o conceito; Consumidor identificar-se com a marca; Estratégia e planejamento para manter a imagem contemporânea e, o desenvolvimento e divulgação de novos empreendimentos.

21 Cenário

22 Cenário Conceitos, valores e atributos: coletados do manual do colaborador da empresa Lucratividade Compartilhada Amar e Servir Hoje Melhor que Ontem Otimismo sem alienação Multiculturalismo Responsabilidade Social

23 Perfil psicográfico e os painéis conceituais Cenário
Intercalar referências visuais de pessoas com os conceitos, valores e atributos apontados anteriormente.

24 AMAR E SERVIR

25 Lucratividade Compartilhada

26 Responsabilidade Social

27 Hoje melhor do ontem

28 Design

29 Design – Definição do Logotipo
Conceito Praça de discussão, fazendo uma analogia formal ao anfiteatro grego. Teatro de Epidauro, construído no século IV a.c. Disponível em <http://giscreatio.blogspot.com/2010/07/arte-na-grecia.html>. Acesso em 17.nov.2010.

30 Geração de Alternativas
Adotando, então, a metáfora de “Praça de Discussão”, iniciou-se os estudos: Ao girar, estabelece-se humanização ao símbolo...

31 Geração de Alternativas
Humanizando a forma: Com a tentativa de simplificação, obtém-se um símbolo gráfico mais emocional...

32 Design – Definição do Logotipo
A partir dos roughs, trabalha-se no computador: Praça de Discussão

33 Design – Definição do Logotipo
... mais estudos:

34 Design – Definição do Logotipo
Critérios para estabelecer as cores: Transmite seriedade e confiabilidade, fluidez, tranqüilidade. É a cor da purificação do bem estar e raciocínio lógico, é a única que tem como grande poder de desintegrar energias negativas, favorece paciência, amabilidade e serenidade. Foi escolhida, além de suas características simbólicas e subjetivas, pelo fato de haver um elo entre a identidade visual corrente e a nova que está sendo proposta por este projeto. É a cor da comunicação, do calor efetivo, equilíbrio, da segurança, da confiança, cor das pessoas que crêem que tudo é possível (lembrando que hoje é melhor que ontem e do otimismo sem alienação). Estimula otimismo, generosidade, entusiasmo e aumenta o apetite. Somada ao azul gera força. Foi escolhida, além de suas características simbólicas e subjetivas, pelo fato de ser complementar à cor azul estabelecida anteriormente com o objetivo de criar harmonia e diminuir o efeito da persistência retiniana.

35 Design – Definição do Logotipo
... e chega-se a solução: Fecha-se a gestalt.

36 Design – Definição do Logotipo
Estudo do lettering VERDANA BOLD Uma fonte grotesca para aproximar-se da idéia de dinamismo no jovem adulto de 30 a 40 anos Arredondamento dos vértices e algumas ajuste da largura da aresta do “F”, estabelece-se um aspecto contemporâneo

37 Design – Definição do Logotipo
Assinatura Visual – Versão 1

38 Design – Definição do Logotipo
Assinatura Visual – Versão 2

39 Design – Definição do Logotipo
Somente o símbolo gráfico

40 Design – Definição do Logotipo
Somente o lettering

41 Aplicação da marca

42 Aplicação da marca Bloco de Notas Marcador de Livros Cartão de Visitas
Papel Timbrado

43 Aplicação da marca Mala direta Envelope para ofícios

44 Aplicação da marca Em livros publicados pela editora

45 Proposta para mutações

46 Proposta para mutações
É relevante chamar a atenção para dois fatores ao utilizar-se de design gráfico cambiante em um programa de identidade visual corporativa: Público-alvo: considera-se que a Editora Fórum irá se reposicionar para um diálogo direto com o jovem adulto de 30 a 40 anos. Este pessoal vem de uma geração que acompanhou os movimentos psicodélicos, punk e new wave das décadas de 60, 70 e 80, respectivamente. Nestes movimentos, percebe-se uma constante profusão de imagens. Além do mais, pode-se dizer que a empresa já está se preparando para adotar a imagem para a geração que nasceu nas décadas de 90 e 2000. Reconhecimento da marca: tomar cuidado o uso da marca em vários locais em que não há uma interlocutor: capas de livros por exemplo. É necessário criar um planejamento de mutação para estes casos. Ex.: Google – a marca varia, mas, só no site.

47 Proposta para mutações
Ramos do Direito Público X Diversidade Cultural Brasileira

48 Proposta para mutações
Ramos do Direito Público O sinal gráfico que ocupa o centro da arena tem uma significação fundamental como linha editorial de produtos da empresa.

49 Proposta para mutações
Direito Constitucional Abrangem as “normas que fornecem um modelo para as demais leis surgirem”. A Constituição de um país é também chamada de Carta Magna.

50 Proposta para mutações
Direito Administrativo Estabelece reconciliação e limites no relacionamento entre entes públicos e privados.

51 Proposta para mutações
Direito Financeiro Pode-se falar que o Direito Financeiro impõe regras para a entrada e saída de dinheiro nos cofres públicos para garantir eficiência no gasto destes recursos.

52 Proposta para mutações
Direito Penal O Estado tem o direito de punir, desestimulando a transgressão às normas e readaptando o indivíduo ao convívio social.

53 Proposta para mutações
Direito Internacional Público Estabelece parâmetros e disciplina a relação entre os países.

54 Proposta para mutações
Direito Internacional privado Pergunta a ser respondida durante um processo que envolve um estrangeiro no Brasil: como o estrangeiro está em local diverso de seu país, qual lei aplicar? A estrangeira ou do local onde o indivíduo se encontra?

55 Proposta para mutações
Direito Processual Estabelece regras e tramites para o embate judicial.

56 Proposta para mutações
DNA da marca Representação estilizada da arquibancada do anfiteatro grego

57 Proposta para mutações
Diversidade Cultural Brasileira Seguindo a idéia dos comunitarias, que defendem um posicionamento do Estado como cuidador das minorias etno-raciais, cada comunidade etno-cultural entra em pauta de discussão como motivo central do Direito Público. O Estado tem o dever/direito de tomar medidas para proteger as comunidades culturais brasileiras uma vez que elas fazem parte de nosso patrimônio cultural, sendo que algumas passaram a ser patrimônio cultural da humanidade. O pictograma representa, portanto, a comunidade etno-cultural e passa a ocupar o centro da praça de discussão.

58 Proposta para mutações
Cultura Marajora Pantaneiro Frevo Pernambucano Gaúcho da Fronteira Áreas Urbanas

59 Conclusão Respondendo então a pergunta:
A que medida uma editora de livro jurídico deve ou necessita se relacionar com multiculturalismo e design cambiante, levando em conta as questões visuais e formais que a marca deverá assumir? A variação do pictograma no centro alerta sobre a pauta de discussão: ramos do Direito Público ou uma Comunidade Etno-Cultural. A alteridade proporciona fresco a marca, criando um relacionamento mais humano com o público. Uma vez que foi proposto uma analogia a praça de discussão sobre o Direito Público, colocamos um assunto em pauta no centro das atenções. Assim consegue-se com este planejamento de mutação, manter uma coerência na estética narrativa e visual, uma vez que o arco somado ao lettering é muito forte e de fácil associação ao logotipo convencional.

60 Obrigado... UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - ESCOLA DE DESIGN
PROJETO: PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM ALUNO: Marcelo Procopio ORIENTADOR: Ricardo Portilho Obrigado...


Carregar ppt "PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL DA EDITORA FÓRUM"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google