A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminario sobre os desafios éticos nas unidades de terapia intensiva Terminalidade da vida Relato de Caso Relator: Marcelo Moock.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminario sobre os desafios éticos nas unidades de terapia intensiva Terminalidade da vida Relato de Caso Relator: Marcelo Moock."— Transcrição da apresentação:

1 Seminario sobre os desafios éticos nas unidades de terapia intensiva Terminalidade da vida Relato de Caso Relator: Marcelo Moock

2 ANAMNESE A.K.P, masc., 65 anos, natural de São Paulo. Procurou o PS do Hospital Geral do Grajaú em 20/05/2011 às 19h. Dor no peito que iniciara às 13h.Alívio após a ingestão de isosorbida sub lingual. Há cerca de duas horas recorrência da dor com forte intensidade. AP: Portador de HAS e DM II

3 Exame Físico Consciente e Orientado. Palidez cutânea PA 130/80 mmHg – FC 110 bpm. FR 16 ipm. Semiologia pumonar com EC 1/2 do tórax Semiologia cardíaca BRNF - quarta bulha Abdome e membros sem alterações

4 Exames Complementares ECG: Ritmo Sinusal, BCRD, sem corrente de lesão CK MB 55 Creatinina 4,5 mg/dL Uréia 176 mg/dL ECOCARD. Acinesia paredes septal e anterior; hipocinesia dos demais segmentos. Disfunção sistólica grave, disfunção diastólica moderada; FE (Simpson) 32%

5

6 HD e CONDUTA HD: IAM SEM SUPRA ST - Killip III CONDUTA: – Internação – Morfina, Oxigênio, Aspirina, Enoxiparina, Nitroglicerina, Furosemida e VNI

7 ANAMNESE SOCIAL Natural de MG. Mora em SP há 20 anos com a atual esposa 2° Grau Completo. Aposentado Casado (segunda mulher) com duas filhas residentes em Uberlândia - MG Filha solicita restrição de visita para a mãe(primeira mulher).

8 ANAMNESE SOCIAL "Comparece Sra. LPT, que se denomina assessora, e informa que as filhas moram em MG e pede que na ocasião da alta ela seja avisada, uma vez que a esposa não saberia resolver eventuais problemas". Renata Bezerra – Assistente Social.

9 EVOLUÇÃO 21/05 – Piora. EOT + VMI. Transferido UTI 24/05 - Choque cardiogênico. Nor – adrenalina+ Dobutamina. Uréia 293 ; Creat. 8,9. Diurese(24h) 150 mL. 25/05 – Melhora hemodinâmica. Descontinuada nor-adrenalina. Indicada Hemodiálise(HD)

10 EVOLUÇÃO 28/05 - PCR em AESP (7). Oferecida RCP 29/05 - PAV. Iniciada atb empírica 31/05 – CT de Crâneo: Normal para idade. 01/06 - Convulsões tônico – clônico generalizadas. Logrado controle com fenitoína. 02/06 – TQT. com suspensão da sedação

11 EVOLUÇÃO 04/06 – Coma profundo: não abre os olhos, não emite sons, flexão inespecífica. Glasgow 6T. 13/06 – Indicada RNM de Encéfalo. T2/FLAIR focos de hiperintensidade em substância branca periventricular e sub-cortical, compatível com focos de isquemia 20/06 – Nova PCR por seis minutos

12 EVOLUÇÃO 21/06 – Interrupção das sessões de HD com comunicação à família 22/06 – Família pede que continue a oferta de HD. Reiniciada HD. 26/06 – Piora hemodinâmica.Novo choque séptico. Iniciada Nor- adrenalina e atb empírica. Conforme registro da Dra Simone (R1) a família não se mostrou favorável à suspensão da HD.

13 EVOLUÇÃO 05/07 -Melhora do choque séptico 05/07 - ICS por Proteus mirabilis ESBL. 05/07 -Retirado cateter de Shiley da veia femoral 05/07 -Colocado novo cateter em veia jugular direita Diurese de 800mL/24h Espassadas HD.

14 EVOLUÇÃO 10/07 – Melhora hemodinâmica. Segue em coma profundo (Glasgow 6T) Diurese em torno de 800 mL/dia Escórias: U 122; Cr 4,1; K 3,9 HD espassadas ( 1X por semana) 27/07 – Retirado cateter de Shiley – Transferido para SEMI INTENSIVA

15 EVOLUÇÃO 29/07 – sexta feira -Filha comparece à visita. Foi informada pelo médico diarista que não havia mais necessidade de realizar HD. 30/07 – sábado – Filha comparece à visita e entrega uma notificação extrajudicial à médica plantonista. 30/07 – médica plantonista faz uma chamada telefônica ao Médico Chefe – Responsável Técnico e destinatário da notificação.

16 Notificação Extrajudicial Destinatários: Chefe da UTI e SEMI do HGG, Serviço Social e Administração Geral do Hospital. Ref.: Notificação extrajudicial de não autorização para interrupção de tratamento de hemodiálise com pedido de providências imediatas.

17 Notificação Extrajudicial - Finalidades 1.Informar que a família não autoriza a interrupção de tratamento necessário à promoção da saúde do paciente AKP e, em especial da hemodiálise; 1.Requerer, por escrito e em até 48 horas a partir do recebimento desta notificação, em caso de manutenção da decisão de não fazer a hemodiálise, a justificativa médica acompanhada de todos os exames que demosntrem a suposta desnecessidade do tratamento

18 Notificação Extrajudicial - Finalidades 3- Requerer a IMEDIATA realização da hemodiálise visto que, salvo melhor juízo, nesta semana ainda não foi realizada com o consequente retorno do paciente à UTI 4- Requerer que toda e qualquer mudança no tratamento do paciente seja previamente informada `a família, como de direito

19 Notificação Extrajudicial - Finalidades Sabemos que a SEMI INTENSIVA recebeu o paciente e tem dado tratamento adequado e igualmente eficiente. Por isto não há motivos para reclamação de nossa parte, a não ser pela falta de hemodiálise anunciada pelo Dr. Sérgio.

20 EVOLUÇÃO 01/08 – Reunião com duas filhas, mulher, serviço social, médico diarista e RT da UTI e SEMI. 02/08 – Alta do paciente para Enfermaria de Clínica Médica 22/08 – Morte do paciente na Enfermaria de Clínica Médica 22/08 -Emissão da Declaração de Óbito. Família reconhece e agradece a assistência dispensada


Carregar ppt "Seminario sobre os desafios éticos nas unidades de terapia intensiva Terminalidade da vida Relato de Caso Relator: Marcelo Moock."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google