A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Johnny Ferreira dos Santos Diretor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Johnny Ferreira dos Santos Diretor."— Transcrição da apresentação:

1 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Johnny Ferreira dos Santos Diretor de Água e Esgotos SNSA/MCIDADES Rio de Janeiro, 16 de Abril de 2012 SEMINÁRIO INTERNACIONAL PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO - PPPs e CONCESSÕES

2 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO TÓPICOS PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS MARCOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS RETOMADA DE INVESTIMENTOS NO SETOR – PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO - PAC PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTO DE LONGO PRAZO NO SETOR DESAFIOS E OPORTUNIDADES

3 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS

4 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS ABASTECIMENTO DE ÁGUA

5 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental POPULAÇÃO TOTAL DE DOMICÍLIOS (x 1.000) % COBERTURA (Rede com canalização) DÉFICIT (QTE DE DOMICÍLIOS) (x 1.000) % DE DÉFICIT EM RELAÇÃO AO TOTAL Urbana , ,5 Rural , ,5 BRASIL , ,0 Fonte: CENSO IBGE/2010 COBERTURA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA – IBGE/2010 OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS

6 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental EVOLUÇÃO DA COBERTURA - ABASTECIMENTO DE ÁGUA Ampliado o acesso para cerca de 130 milhões de pessoas em 04 décadas Somente 33 municípios não contam com sistema por rede de distribuição (PNSB/2008) Evolução da cobertura de rede geral de abastecimento de água, % de domicílios atendidos. Brasil Fonte: Censos Demogr á ficos 1970, 1980, 1991, 2000 e IBGE Abastecimento de Água Rede Geral Domicílios Urbanos60,579,286,389,891,9 Domicílios Rurais2,65,09,318,127,8 Domicílios Totais34,754,970,777,882,9 OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS

7 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS O SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL Abastecimento de Água ¼ dos municípios tem intermitência e racionamento nos sistema de abastecimento (PNSB/2008) 9,8 milhões de domicílios não contam com rede de distribuição, 4 milhões na área urbana (Censo IBGE/2010) Elevado nível de perdas na distribuição - 41,9 % (SNIS/2009) Oferta desigual dentro do território nacional 7,1 % do volume de água distribuído não é tratado (PNSB IBGE/2008)

8 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ABASTECIMENTO DE ÁGUA (Organização na Prestação do Serviço) % de municípios com rede de distribuição de água por prestador do serviço Universo: municípios Fonte: PNSB (2008) OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

9 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS ESGOTAMENTO SANITÁRIO

10 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental POPULAÇÃO TOTAL DE DOMICÍLIOS (x 1.000) % COBERTURA (Rede Coletora) % COBERTURA (Rede Coletora + Fossa Séptica) DÉFICIT (QTE DE DOMICÍLIOS) (x 1.000) Urbana ,175, Rural8.0973,117, BRASIL ,567, Fonte: CENSO IBGE/2010 COBERTURA DE COLETA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – IBGE/2010 OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS

11 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

12 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

13 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS O SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL ESGOTAMENTO SANITÁRIO 45 % dos domicílios não contam com rede coleta. Na área urbana o déficit é de 35,9 % (Censo IBGE/2010) 31,5 % do volume coletado de esgoto na recebe tratamento (SNIS/2009) 56,5 % do volume estimado de esgoto gerado não recebe tratamento (SNIS/2009) 45 % dos municípios não contam com sistema de esgotamento sanitário (PNSB/2008) 71,5 dos municípios não contam com unidades de tratamento de esgoto (PNSB/2008)

14 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Universo: municípios Fonte: PNSB (2008) ESGOTAMENTO SANITÁRIO (Organização na Prestação do Serviço)

15 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

16 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental POPULAÇÃO TOTAL DE DOMICÍLIOS (x 1.000) % COBERTURA (Coleta direta) % COBERTURA (Coleta direta e indireta) DÉFICIT* (QTE DE DOMICÍLIOS) (x 1.000) Urbana ,197, Rural ,426, BRASIL ,287, Fonte: CENSO/IBGE/2010 COBERTURA DE COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS – CENSO IBGE/2010 *No cálculo do déficit considerado a cobertura por coleta indireta OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO PANORAMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS

17 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental DISPOSIÇÃO FINAL - SITUAÇÃO ATUAL ,2 Destino Final dos Resíduos Sólidos no Brasil, por unidades de destino 1989/2008 Fonte: PNSB/IBGE 72,3 50,8 9,6 22,3 22,5 1,1 17,3 27,7 VAZADOURO A CÉU ABERTO DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS, POR UNIDADES E DE DESTINO (%) ATERRO CONTROLADO ATERRO SANITÁRIO ANO LIMPEZA URBANA E RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

18 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental LIMPEZA URBANA E RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Fonte: IBGE 2008 DISPOSIÇÃO FINAL - SITUAÇÃO ATUAL

19 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PANORMA DA OFERTA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO PAÍS MANEJO DE ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS

20 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Abordagem equivocada ao longo de décadas Aumento da carga de poluentes e redução da qualidade da água de jusante Quem produz o impacto não sofre impacto 41 % dos municípios apresentam problemas de inundações e/ou alagamentos de maneira recorrente nos últimos 05 anos (PNSB/2008) MANEJO DE ÁGUAS PLUVIAIS OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

21 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental MARCOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS

22 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental 2003: Criação do Ministério das Cidades Retomada das Operações de Crédito com o Setor Público 2004: Criação do Conselho Nacional das Cidades – CONCIDADES Lei de Parcerias Público-Privadas – Lei nº , de 30/04/ Lei de Consórcios Públicos – Lei nº , de 06/04/ Lei das Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico – Lei nº , de 05/01/2007 Consolidação da Retomada de Investimentos no Setor - Programa de Aceleração do Crescimento – PAC R$ 40,0 bilhões – Período: SANEAMENTO – MARCOS LEGAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

23 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental SANEAMENTO – MARCOS LEGAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS 2008 PLANSAB – 1ª etapa – Pacto pelo Saneamento Básico: Mais Saúde, Qualidade de vida e Cidadania 2010 Lançamento da 2ª Etapa do PAC – Previsão de investimento: R$ 45 bilhões – Período Decreto 7.217, de 21/06/10 – Regulamenta a Lei de Saneamento Lei , de 02/08/ Política Nacional de Resíduos Sólidos Decreto nº 7.404, de 23/12/2010 – Regulamenta a Lei de Resíduos Sólidos 2011 Plano Nacional de Saneamento Ambiental – Plansab (Versão Preliminar) Plano Nacional de Resíduos Sóldios – PNRS (Versão Preliminar) OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

24 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental RETOMADA DE INVESTIMENTOS NO SETOR (PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO – PAC)

25 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental R$ bilhões ** Considera Valores de Investimento *** Considera Valores da União Investimentos Selecionados RETOMADA DE INVESTIMENTOS NO SETOR – PAC/SANEAMENTO ** PAC 1 – Valor do Investimento *** PAC 2 – Valor da União OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

26 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PAC/SANEAMENTO - OPERAÇÕES DE CRÉDITO % de Participação por Tipo de Tomador no valor contratado até 08/04/12 Valor Contratado (Empréstimo): R$ 21,1 bi OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

27 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Linha de recalque em PRFV para reversão dos esgotos para a Esta ç ão de Condicionamento Pr é vio do Jaguaribe com extensão de 1.445,00m. 1 unidade ECP com vazão de 2,95 m ³ /s. Emiss á rio com metros de extensão, sendo m terrestre e m submarino, com vazão de 5,9 m ³ /s. ESGOTAMENTO SANITÁRIO EM SALVADOR/BA Sistema de Disposição Oceânica do Jaguaribe Executor: FOZ DE JAGUARIBE CONSTRUÇÃO E LOCAÇÃO S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,93 Situação da obra Objeto Concluída

28 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Amplia ç ão da Esta ç ão de Tratamento de Á gua de Taia ç upeba da capacidade atual de 10m ³ /s para 15m ³ /s e constru ç ão de adutoras. ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM SÃO PAULO E REGIÃO METROPOLITANA/SP Ampliação do Sistema Produtor Alto Tietê Executor: CAB AMBIENTAL S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Iniciada - 99%

29 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Amplia ç ão do SES e drenagem do Munic í pio de Rio das Ostras, por meio da constru ç ão de rede coletora, drenagens pluviais, pavimenta ç ão, coletores tronco, esta ç ões elevat ó rias, al é m da amplia ç ão da ETE e a opera ç ão integral do SES do munic í pio em questão. Elevando o í ndice de tratamento de esgoto coletado dos atuais 66,7% para pr ó ximo de 100%. ESGOTAMENTO SANITÁRIO EM RIO DAS OSTRAS/RJ Ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário na sede municipal Executor: SANEAMENTO DE RIO DAS OSTRAS S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Concluída

30 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ETE Capivari I, com capacidade de tratamento de 86 l/s. Implanta ç ão de 19 km de emiss á rios, coletores tronco, interceptores, linhas de recalque e 6 esta ç ões elevat ó rias de esgoto ESGOTAMENTO SANITÁRIO EM CAMPINAS/SP Sistema de coleta, afastamento e tratamento de esgoto da bacia do rio Capivari Executor: CAPIVARI AMBIENTAL S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,94 Situação da obra Objeto Concluída

31 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Constru ç ão de Esta ç ão de Tratamento de Esgoto com capacidade final de tratamento de 0,56 m ³ /s, 5 esta ç ões elevat ó rias de esgoto, 22,6 km de coletores tronco, 9,8 km de interceptores e 4,8 km de linhas de recalque. ESGOTAMENTO SANITÁRIO EM CAMPO LIMPO PAULISTA E VÁRZEA PAULISTA Sistema Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista Executor: ÁGUA LIMPA PAULISTA S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Iniciada - 51%

32 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Adequa ç ão operacional da ETA Presidente João Goulart, implanta ç ão de novas liga ç ões domiciliares de á gua e esgoto, implanta ç ão de nove novas ETE s, al é m da implanta ç ão de uma Pequena Central Hidrel é trica. SANEAMENTO INTEGRADO EM CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM/ES Ampliação dos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário e implantação de Pequena Central Hidrelétrica Executor: FOZ DO BRASIL S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Iniciada - 89,5%

33 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ampliação do SES nas bacias Garcia-Centro, Velha, Fortaleza, Leste e parte da Itoupava, 517 km de rede coletora, 40 mil ligações, 51 estações elevatórias, ampliação 1 módulo da ETE Garcia, ampliação 2 módulos da ETE Fortaleza e implantação 2 módulos da ETE Itoupava, capacidade total de tratamento de 443 l/s. ESGOTAMENTO SANITÁRIO EM BLUMENAU/SC Ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Blumenau Executor: FOZ DE BLUMENAU S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Iniciada - 20,5%

34 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental SES - construção 5 Estações de Tratamento de Esgoto, ampliação de 1 Estação Elevatória de Esgoto (EEE) e construção de outra e suas respectivas linhas de recalque, ampliação das redes coletoras e novas ligações. SAA - Estação elevatória de água tratada (EEAT), reservatório (CR 3) e impermeabilização interna do reservatório já existente (CR1), instalação e substituição de rede, instalação de novas ligações, automação e telemetria de estações elevatórias, implantação de um Centro de Controle Operacional (CCO), renovação parcial do parque de hidrômetros, aquisição de equipamentos de escritório, veículos e máquinas. SANEAMENTO INTEGRADO EM PARANAGUÁ/PR Ampliação do Sistema de Abastecimento e do Sistema de Esgotamento Sanitário Executor: CAB Águas de Paranaguá Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,00 Situação da obra Objeto Iniciada - 53%

35 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Implanta ç ão do Aterro Sanit á rio Central de Tratamento Leste – CTL. RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM SÃO PAULO/SP Central de Tratamento Leste - CTL Executor: ECOURBIS S/A Valor de Investimento (R$) Valor de Contrapartida (R$) Valor de Empréstimo (R$) , , ,09 Situação da obra Objeto Iniciada - 85%

36 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTO DE LONGO PRAZO NO SETOR - PLANSAB

37 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental * Geral: parte dos investimentos em medidas estruturantes comum aos 4 componentes (planos e projetos; capacitação e assistência técnica; desenvolvimento científico e tecnológico; adaptações às mudanças climáticas; contingências e emergências; etc.). Necessidades de investimentos totais para atendimento das metas estabelecidas (valores acumulados em milhões de reais ) - Por Modalidade Modalidade At é 2015 At é 2020At é 2030 Agentes Federais Outros Agentes Total Agentes Federais Outros Agentes Total Agentes Federais Outros Agentes Total Abastecimento de Á gua17.316, , , , , , , , ,0 Esgotamento Sanit á rio34.217, , , , , , , , ,0 Res í duos S ó lidos7.919,03.002, ,08.517,04.240, ,09.640,06.832, ,0 Drenagem Urbana8.392,08.781, , , , , , , ,0 Subtotal67.844, , , , , , , ,0 Geral*12.024, , , , , ,0 Total79.868, , , , , , , , ,0 Medidas Estruturais: R$ 247,7 bilhões Medidas Estruturantes: R$ 173,1 bilhões PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTO EM LONGO PRAZO - PLANSAB

38 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PLANSAB – – PRINCIPAIS METAS ABASTECIMENTO DE ÁGUA Universalizar o abastecimento nos domicílios urbanos Reduzir de 41 % para 32 % o índice de perdas na distribuição Cobrança de tarifa em 100 % dos serviços ESGOTAMENTO SANITÁRIO 90 % dos domicílios urbanos com sistema de coleta e tratamento adequado Cobrança de tarifa em 85 % dos serviços MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Universalizar a coleta direta nos domicílios urbanos Erradicar os lixões em todos os municípios MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Reduzir de 41% para 11 % os número de municípios com inundações recorrentes nas áreas urbanas OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

39 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Valores em R$ - Bilhões PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTO DE LONGO PRAZO – PLANSAB PERÍODO OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

40 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental PPPs e CONCESSÕES NO SANEAMENTO DESAFIOS E OPORTUNIDADES

41 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental DESAFIOS E OPORTUNIDADES Necessidade, de no mínimo, dobrar o atual patamar de investimentos no setor nos próximos 20 anos Diversificar as fontes de financiamento para o setor Reduzir a dependência de descontingenciamento de crédito ao setor público Pressões ambientais Grandes eventos Empreendimentos estratégicos Política habitacional e desenvolvimento urbano Condições jurídicas e institucionais favoráveis Nova legislação para o setor de saneamento – Lei nº /2007 Legislação de Parcerias Público-Privada – Le nº /2004 Lei de Consórcios Públicos – Lei nº /2005 OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

42 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Perspectivas de quadro político e macroeconômico favorável Redução das taxas de juros Retomada de investimentos em infraestrutura Fontes de recursos específicas para o setor (Setor Público e Privado) FGTS FAT/BNDES Limitações do setor público OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO DESAFIOS E OPORTUNIDADES

43 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Melhoria da qualidade e eficiência na prestação dos serviços Redução das perdas em sistema de abastecimento de água Política eficiente de recuperação de custos na prestação dos serviços Aumento de produtividade e redução de custos Melhoria da capacidade financeira dos prestadores dos serviços Qualificar o gasto público no setor Reduzir o ciclo de execução dos empreendimentos Adoção de soluções técnicas e de tecnologias adaptadas e apropriadas a realidade local Economia de escala para a gestão dos serviços Planejamento no curto, médio e longo prazo Melhoria da qualidade dos projetos de engenharia DESAFIOS E OPORTUNIDADES OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

44 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Desenvolvimento da cadeia produtiva do setor saneamento Projetos e Consultoria Execução de Obras Prestação dos serviços Implementar e consolidar os dispositivos da Lei nº /2007 Instituir os mecanismos de regulação e controle social Ampliar a capacidade técnica e institucional das entidades reguladoras Regularizar a prestação dos serviços Elaboração dos planos de saneamento DESAFIOS E OPORTUNIDADES OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

45 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Concessões Privadas em 05 capitais em água e esgoto Palmas - TO, Manaus - AM, Campo Grande - MS, Cuiabá - MT, Rio de Janeiro - RJ (AP -5) Concessões Privadas em Municípios de médio e grande porte Limeira – SP, Cachoeiro do Itapemirim – ES, Paranaguá – PR, Niterói – RJ, Região dos Lagos - RJ Parcerias Público-Privada Embasa – BA, Sabesp – SP, Sanasa – SP, DAERP – Ribeirão Preto, DAE – Rio Claro, Prefeitura Rio das Ostras – RJ, SAEE – Mogi-Mirim EXPERIÊNCIAS DE PPPs e CONCESSÕES NO SANEAMENTO OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

46 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Obrigado! (61)


Carregar ppt "Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Johnny Ferreira dos Santos Diretor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google