A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

POTENCIAL DE ÁGUA NO SOLO: Potencial de água no solo define o estado de energia em que a água se encontra no solo em relação a um potencial padrão Padrão:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "POTENCIAL DE ÁGUA NO SOLO: Potencial de água no solo define o estado de energia em que a água se encontra no solo em relação a um potencial padrão Padrão:"— Transcrição da apresentação:

1 POTENCIAL DE ÁGUA NO SOLO: Potencial de água no solo define o estado de energia em que a água se encontra no solo em relação a um potencial padrão Padrão: água pura isenta de sais, submetida a condições normais de pressão (pressão relativa = 0) e sobre a superfície do solo. Unidades: metros, Pa, atm 7 – INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO

2 Componentes do potencial T = g + os + P + m T potencial total da água no solo g potencial gravitacional os potencial osmótico P potencial de pressão P potencial matricial (tensões)

3

4 CONTROLE DA IRRIGAÇÃO POR MEDIDAS DO POTENCIAL MÁTRICO DO SOLO USO DE TENSIÔMETROS Tensiômetros digitais ou tensímetros

5 CONTROLE DA IRRIGAÇÃO POR MEDIDAS DO POTENCIAL MÁTRICO DO SOLO USO DE TENSIÔMETROS Tensiômetro analógico

6 CONTROLE DA IRRIGAÇÃO POR MEDIDAS DO POTENCIAL MÁTRICO DO SOLO INTERPRETAÇÃO DAS LEITURAS DOS TENSIÔMETROS Interpretação geral Leituras próximas de 0,8 bar indicam baixo teor de água no solo e leituras menores que 0,1 bar indicam solo saturado. Leituras entre 0,1 e 0,3 bar indicam umidades próximas da capacidade de campo. Leituras entre 0,3 e 0,8 bar indicam o momento de iniciar a irrigação para a maioria das culturas Quando irrigar – Com base no potencial mátrico crítico na profundidade de controle. Quanto irrigar – Com base na umidade do solo correspondente ao potencial mátrico em cada camada e na umidade à capacidade de campo.

7 INTERPRETAÇÃO DAS LEITURAS DOS TENSIÔMETROS Interpretação específica Potencial mátrico crítico para produtividade máxima 1 bar = 0,987 atm

8 7 – INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO MOVIMENTO DA ÁGUA NO SOLO A água se move sempre que existirem diferenças de potencial total da água nos diferentes pontos dentro do sistema de solo e quando houver presença de meio poroso condutivo. A água move-se do maior para o menor potencial hidráulico. hid = g + m

9 7 – INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO CONCEITO – É o processo de entrada da água no solo através de sua superfície. IMPORTÂNCIA PARA IRRIGAÇÃO - Intensidade máxima de aplicação de água por aspersão - Vazão derivada e tempo de irrigação em sistemas por superfície.

10 TERMOS USUAIS Infiltração acumulada (I) – É a quantidade total de água infiltrada durante um determinado tempo (cm, mm) Velocidade de infiltração (VI) – Taxa de variação da infiltração acumulada com o tempo (cm/min; mm/min; cm/h; mm/h). Velocidade de infiltração básica (VIB) – É a VI quando sua variação com o tempo é muito pequena (após longo tempo de infiltração). 30 mm/h VIB muito alta15 a 30 mm/h VIB alta 5 a 15 mm/h VIB média< 5 mm/h VIB baixa

11 FUNÇÕES DE INFILTRAÇÃO Infiltração acumulada (Kostiakov, 1932):

12 FUNÇÕES DE INFILTRAÇÃO Velocidade de infiltração:

13 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO MÉTODO DE DETERMINAÇÃO Infiltrômetro de anel – quando a infiltração se processa apenas na vertical: Utilizado para irrigação por aspersão e por inundação.

14

15 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO MÉTODO DE DETERMINAÇÃO Infiltrômetro de sulco – quando a infiltração se processa tanto na direção vertical quanto na horizontal, sem escoamento superficial: Utilizado para irrigação por sulcos em nível e curtos. Represar água em pequeno comprimento de sulco (normalmente 1 m) e ir acrescentando água a medida q for infiltrando aceitando-se uam variação máxima de 2 cm. Medidas em intervalos de 5, 10,15, 20, 30,45, 60, 90, 120 minutos.

16 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO MÉTODO DE DETERMINAÇÃO Entrada e saída da água no sulco – quando a infiltração se processa tanto na direção vertical quanto na horizontal, com escoamento superficial: Utilizado para irrigação por sulcos com gradiente de declive e longos. Balanço volumétrico – quando a infiltração se processa tanto na direção vertical quanto na horizontal, com escoamento superficial: Utilizado para irrigação por sulcos.

17 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO PELO MÉTODO DO INFILTRÔMETRO DE ANEL TempoLeitura Infiltração HoraTempoAcumuladoda RéguaReposiçãoInfiltraçãoAcumulada (min) (cm) 08:000010, : : : : : : : : : : : :

18

19

20

21 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO PELO MÉTODO DO INFILTRÔMETRO DE ANEL TempoLeitura Infiltração HoraTempoAcumuladoda RéguaReposiçãoInfiltraçãoAcumulada (min) (cm) 08:000010, :011110,3-0,5 08: : : : : : : : : : :

22 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO PELO MÉTODO DO INFILTRÔMETRO DE ANEL TempoLeitura Infiltração HoraTempoAcumuladoda RéguaReposiçãoInfiltraçãoAcumulada (min) (cm) 08:000010, :011110,3-0,5 08:02129,8-0,51,0 08:04249,30,51,5 08:06268,7-0,62,1 08:115118,00,72,8 08:165167,112,40,93,7 08: : : : : :

23 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO PELO MÉTODO DO INFILTRÔMETRO DE ANEL TempoLeitura Infiltração HoraTempoAcumuladoda RéguaReposiçãoInfiltraçãoAcumulada (min) (cm) 08:000010, :011110,3-0,5 08:02129,8-0,51,0 08:04249,30,51,5 08:06268,7-0,62,1 08:115118,00,72,8 08:165167,112,40,93,7 08: ,50,94,6 08: ,4-1,15,7 08: ,41,06,7 09: ,111,71,38,0 09: ,41,39,3 10: ,11,310,6

24 INFILTRAÇÃO DA ÁGUA NO SOLO PELO MÉTODO DO INFILTRÔMETRO DE ANEL TempoLeitura Infiltração HoraTempoAcumuladoda RéguaReposiçãoInfiltraçãoAcumulada (min) (cm) 08:000010, :011110,3-0,5 08:02129,8-0,51,0 08:04249,30,51,5 08:06268,7-0,62,1 08:115118,00,72,8 08:165167,112,40,93,7 08: ,50,94,6 08: ,4-1,15,7 08: ,41,06,7 09: ,111,71,38,0 09: ,41,39,3 10: ,11,310,6

25 Método do Papel Log-log

26 Método Regressão Linear

27

28 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (cm.min -1 ) ,5 21,0 41,5 62,1 112,8 163,7 264,6 365,7 516,7 668,0 969, ,6 Soma Média

29 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (cm.min -1 ) ,50,000 21,00,301 41,50,602 62,10, ,81, ,71, ,61, ,71, ,71, ,01, ,31, ,62,100 Soma14,508 Média1,209

30 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (cm.min -1 ) ,50,000-0,301 21,00,3010,000 41,50,6020,176 62,10,7780, ,81,0410, ,71,2040, ,61,4150, ,71,5560, ,71,7080, ,01,8200, ,31,9820, ,62,1001,025 Soma14,5086,354 Média1,2090,530

31 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (cm.min -1 ) ,50,000-0, ,00,3010,000 41,50,6020,1760,106 62,10,7780,3220, ,81,0410,4470, ,71,2040,5680, ,61,4150,6630, ,71,5560,7561, ,71,7080,8261, ,01,8200,9031, ,31,9820,9681, ,62,1001,0252,154 Soma14,5086,35410,748 Média1,2090,530

32 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (cm.min -1 ) ,50,000-0,30100,000 21,00,3010,000 0,091 41,50,6020,1760,1060,362 62,10,7780,3220,2510, ,81,0410,4470,4661, ,71,2040,5680,6841, ,61,4150,6630,9382, ,71,5560,7561,1762, ,71,7080,8261,4112, ,01,8200,9031,6433, ,31,9820,9681,9203, ,62,1001,0252,1544,412 Soma14,5086,35410,74822,585 Média1,2090,530

33 Método Regressão Linear

34 Velocidade de Infiltração

35

36 TempoInfiltração AcumuladoAcumuladaXYXYX2X2 VI (min)(cm)(logT)(logI) (mm.h -1 ) ,50,000-0,30100, ,34 21,00,3010,000 0, ,21 41,50,6020,1760,1060, ,97 62,10,7780,3220,2510, ,56 112,81,0410,4470,4661,084 88,74 163,71,2040,5680,6841,450 76,61 264,61,4150,6630,9382,002 63,32 365,71,5560,7561,1762,422 55,73 516,71,7080,8261,4112,916 48,61 668,01,8200,9031,6433,311 43,93 969,31,9820,9681,9203,929 37, ,62,1001,0252,1544,412 34,09 Soma14,5086,35410,74822,585 Média1,2090,530

37

38 Para entregar: TempoLeitura HoraTempoAcumuladoda RéguaReposição (min) (cm) 08:000010,5- 08:01117,9- 08:02126,4- 08:04245,310,7 08:06269,9- 08:115117,310,5 08:165168,0- 08: ,310,6 08: ,7- 08: ,210,4 09: ,410,5 09: ,110,4 10: ,110,6


Carregar ppt "POTENCIAL DE ÁGUA NO SOLO: Potencial de água no solo define o estado de energia em que a água se encontra no solo em relação a um potencial padrão Padrão:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google