A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento - DPD Coordenação do Laboratório de Poços de Caldas - LAPOC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento - DPD Coordenação do Laboratório de Poços de Caldas - LAPOC."— Transcrição da apresentação:

1 Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento - DPD Coordenação do Laboratório de Poços de Caldas - LAPOC

2 Prestação de Serviços à Terceiros Prestação de Serviços à Terceiros Trabalhos de cooperação técnica com universidades, centros de pesquisa, órgãos governamentais e outras unidades da CNEN Atividades de Pesquisa Atividades de Pesquisa Pesquisas no Planalto de Poços de Caldas (radioatividade natural e influência da INB/UTM na ecologia e meio ambiente) Pesquisas para apoio às atividades regulatórias, principalmente àquelas relacionadas a rejeitos radioativos Análises Químicas, Radiométricas e Biológicas Atividades Principais

3 Suporte às Atividades Regulatórias Pareceres Técnicos em documentos regulatórios Fiscalizações/Auditorias em Instalações Nucleares Inspeções Residentes na INB/UTM Inspeções em Instalações Mínero-Industriais que processam materiais com urânio e/ou tório associados Controle de Materiais Nucleares, Minérios Radioativos e de Interesse Nuclear – Análises Químicas Ensaios de Processos Químicos Análises Químicas, Radiométricas e Biológicas Atividades Principais

4 Atuação como Representante da CNEN na Comunidade Regional Atuação como Representante da CNEN na Comunidade Regional Palestras, cursos e orientações sobre energia nuclear e radioatividade Esclarecimentos sobre a atuação da CNEN como órgão regulatório e do LAPOC como Unidade de Inspeção Residente da INB/UTM - Caldas Apoio técnico à entidades municipais e regionais quanto a questões ambientais e gestão de recursos hídricos Atividades Principais

5 ATIVIDADES DE PESQUISA ATIVIDADES DE PESQUISA

6 Objetivo: Determinar as espécies químicas que resultam da percolação de água de chuva no Bota Fora 4 da INB/UTM-Caldas e estudar a migração da água com as espécies químicas dentro da própria pilha. Parceria: Unicamp Lixiviação e migração de espécies químicas em resíduos de mineração da INB/UTM - Caldas

7 Objetivo: Estudar a migração de espécies químicas da solução resultante da lixiviação ocasionada pela percolação de água de chuva na pilha do Bota Fora 4 da INB/UTM-Caldas no solo típico da localidade. Parceria: Unicamp Estudo da migração de espécies químicas em solos não-saturados na INB/UTM - Caldas

8 Objetivo: Avaliar o emprego de isotermas de adsorção para obtenção do coeficiente de distribuição (Kd) através de experimentos de batelada para utilização em modelos matemáticos. Fomento: MCT/CNEN Parceria: DRS/COREJ e Unifal Avaliação da capacidade de adsorção e determinação de coeficiente de distribuição (Kd) de radionuclídeos em solos

9 Objetivo: Determinar o potencial de geração de águas ácidas do material de estudo para uma avaliação preliminar do risco de contaminação que ela representa. Fomento: MCT/CNEN Determinação do balanço ácido-base do resíduo de mineração e do solo da INB/UTM-Caldas

10 Objetivo: Avaliação do potencial mutagênico de materiais e rejeitos radioativos visando a determinar efeitos genéticos das radiações em locais com elevadas concentrações de radônio e próximo a depósitos de rejeitos radioativos. Parcerias: UFLA, IPEN, CDTN, INB, CENA, UFRJ, AIEA, USP e EMBRAPA. Efeitos biológicos de elevadas concentrações de radônio em minas subterrâneas e de taxas de dose de radiação ionizante em depósitos de rejeitos radioativos sobre bioindicador vegetal

11 Objetivo: Determinar ação de microrganismos na lixiviação e biosorção de radionuclídeos em efluentes e rejeitos radioativos visando contribuir com informações para o gerenciamento desses. Parcerias: UNESP e CENA Fomento: CNPq proc / Ensaios Biológicos aplicados ao controle e tratamento de efluentes e rejeitos radioativos gerados na etapa de obtenção de concentrado de urânio

12 Objetivo: Determinar os possíveis impactos radiecológicos provocados por instalações nucleares e os efluentes e rejeitos produzidos por essas. Parcerias: UNIFAL, INB, CENA, USP/SP, USP/ESALQ, UNIFAL e UFSCAR Fomento: FAPEMIG proc: CRA APQ /07 Impacto Radioecológico do lançamento de efluentes radioativos tratados sobre Bacias Hidrográficas

13 Objetivo: Monitoramento dos níveis de radiação a que a população do Planalto de Poços de Caldas está submetida buscando correlação com os efeitos na saúde. Parcerias: Secretaria Estadual da Saúde, VIGISUS, MS e INCA Financiamento: VIGISUS Radiação Ambiental em Municípios do Planalto de Poços de Caldas – Minas Gerais

14 Objetivo: Acompanhar a evolução temporal das características químicas e radioquímicas do sistema de lisímetros contendo diversos materiais como fosfogesso e resíduos de mineração. Realizar uma comparação entre os dados meteorológicos da estação e as concentrações encontradas nos efluentes. Acompanhamento e análise de efluentes de lisímetros de área aberta

15 Objetivo: Implantação de laboratório de cintilação líquida e metodologias para determinação de produção primária e produção bacteriana ( 14 C e Timidina- 3 H) em estudos de impactos de instalações nucleares sobre bacias hidrográficas. Parcerias: UFSCAR, USP/SP e CENA Fomento: CNPq proc /2007-8, MCT/CNEN Proj. Inst /03-3 MCT Desenvolvimento de metodologias para aplicação de radionuclídeos como traçadores biológicos de metabolismo microbiano

16 Objetivo: Desenvolver competência técnica na determinação da taxa de exalação de 222 Rn e parâmetros físicos de solos como elemento mitigador visando aplicações em ambientes de disposição de rejeitos e resíduos industriais na mineração convencional e nuclear Financiamento: CNPq Parceria: CENA-USP Desenvolvimento de método para quantificação da taxa de exalação de 222 Rn

17 ATIVIDADES REGULATÓRIAS ATIVIDADES REGULATÓRIAS

18 Licenciamento e Fiscalização - Unidade de Concentrado de Urânio – INB/URA – Caetité - BA

19 Licenciamento e Inspeção Residente - Unidade de Tratamento de Minérios – INB/UTM – Caldas - MG

20 Mineração Taboca Pitinga - AM Mamoré Mineração e Metalurgia Pirapora do Bom Jesus - SP Inspeções em Instalações Mínero-Industriais que processam materiais com urânio e/ou tório associados

21 Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração CBMM - Araxá - MG Mineração Catalão Catalão - GO Inspeções em Instalações Mínero-Industriais que processam materiais com urânio e/ou tório associados

22 INFRA-ESTRUTURA DO LAPOC

23 Equipamento de Lixiviação em Coluna Técnica para Determinação de Kd por Batelada Técnica para Determinação do Balanço Ácido-Base Equipamento para Análise Granulométrica Software para Simulação Computacional HYDRUS-3D Desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao impacto causado pela deposição de resíduos de mineração em solos, através da determinação de parâmetros hidráulicos, químicos e físicos de meios porosos saturados e não-saturados em conjunto com o recurso para simulação computacional. Setor de Geoquímica

24 Estação Interna de Lisímetros Estação Externa de Lisímetros Estação Meteorológica Desenvolvimento de pesquisas para o acompanhamento dos efeitos das condições climáticas na composição dos efluentes resultantes da lixiviação de resíduos de minerações e de indústrias de fertilizantes (fosfogesso). Setor de Geoquímica

25

26 Laboratório de processos Laboratório de preparação de amostras Estação de tratamento de efluentes Bacia de rejeitos estanque (Argila compactada e revestimento com PEAD volume de 1300 m 3 ) Desenvolvimento de estudos de: Processos hidrometalúrgicos em escala de bancada e planta piloto contínua e Tratamento de rejeitos gerados em todos os setores do LAPOC Setor de Processos Químicos

27

28 Setor de Química Analítica Fluorescência por raios-X Absorção Atômica Plasma – ICP Espectrometria Uv/Vis Análises de amostras ambientais, minérios, sais e ligas metálicas Determinações de urânio, tório e metais em geral, à nível de traços até teores próximos a 100 %

29 Setor de Química Analítica

30 Microscópio de epi-fluorescência Espectrofotômetro UV-VIS Casa de vegetação Cintilador líquido Microbiologia: Identificação, densidade e biomassa de zooplâncton, fitoplâncton e bacterioplâncton, bactérias oxidantes do ferro, do enxofre, redutoras de sulfato, potabilidade de água e testes de mutagenicidade Caracterização química: nitrogênio total, nitrato, nitrito, amônio, silicato, fósforo total, fosfato total dissolvido, fosfato inorgânico, urânio e tório Matrizes: água, sedimento, solo e alimento Setor de Radioecologia

31

32 Espectrometria Alfa Espectrometria Gama Espectrofotometria UV/VIS Contagem Alfa e Beta de Ultra Baixo Background Cintilação em Meio Líquido Determinação dos radionuclídeos das séries naturais e artificiais (Emissores gama, 90 Sr, 241 Am e 239 Pu) Setor de Radiometria

33 Câmaras de Ionização Work Level Meter (filhos de radônio) Amostradores de ar (pessoal e de área) Monitores de radiação Sistema Móvel de Medida de Radioatividade (FHT) Verificação das condições de radioproteção ambiental e ocupacional Setor de Radiometria

34

35 Alpha Guard Sistema de microscopia óptica (CR-39) Espectrômetro gama HPGe (laboratório e campo) Espectrômetro gama de NaI (laboratório e campo) Work Level Meter (filhos de radônio) Espectrometro alfa Ortec Padrão NIST de concentração de 222 Rn Concentração de 222 Rn e filhos indoor, água e solo Taxa de exalação de 222 Rn em depósitos de rejeitos Coeficientes de difusão de 222 Rn em solo e rejeitos industrias Caracterização de rejeitos radioativos in situ Concentração de radionuclídeos naturais em solo e rejeitos industrias Setor de Radônio

36 Desagregador de amostras de solo e rejeitos radioativos Balança analítica de duas casas Ciclones para amostragem de aerossol respirável Monitor de radiação gama Determinação de propriedades físicas de solos (granulometria, densidade, densidade específica, capacidade de campo Dose efetiva comprometida por inalação de aerossol Avaliação de coletores passivos de 222 Rn Setor de Radônio

37

38 Obrigado! Nivaldo Carlos da Silva Setor de Radônio


Carregar ppt "Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento - DPD Coordenação do Laboratório de Poços de Caldas - LAPOC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google