A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Usou sua arte para expor a maior das feridas de sua época: os seres rechaçados à luz do dia, mas, cultuados e custeados, à noite, pelas mais expressivas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Usou sua arte para expor a maior das feridas de sua época: os seres rechaçados à luz do dia, mas, cultuados e custeados, à noite, pelas mais expressivas."— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4

5 Usou sua arte para expor a maior das feridas de sua época: os seres rechaçados à luz do dia, mas, cultuados e custeados, à noite, pelas mais expressivas e importantes figuras daquela Paris tão hipócrita para Lautrec. HENRI MARIE RAYMOND DE TOULOUSE - LAUTREC: Nascido na França, em Albi, a 24 de novembro de 1864 e falecido a 9 de setembro de 1901, conhecido por quase todos somente como o pintor da vida mundana da noite parisiense em fins do século XIX. Ao contrário do que se possa imaginar, Lautrec nasceu no berço da aristocracia francesa tornando-se herdeiro de doença provocada pela prática exacerbada dos casamentos consangüíneos entre os nobres. Os pais eram primos e as conseqüências logo apareceram, resultando em ossos quebradiços e falta de crescimento das pernas, causando-lhe grande deformidade, inclusive nos ossos do rosto. Nada disso impediu que Lautrec estudasse com os melhores mestres de pintura da época. Bastou que aprendesse as técnicas e voltaria seu talento e sua alma para o social, para as desigualdades sociais e intelectuais. Promovia encontros ou almoços entre ricos e pobres e intelectuais e pessoas sem instrução. Queria igualdade... Clique

6 N ão se poderia imaginar que seria aleijado e viciado em álcool, vindo de tão nobre família. Muito menos que passaria a freqüentar o bairro de Montparnasse, zona boêmia, onde, com mente e mãos iluminadas, viria a se tornar desenhista, pintor, cartazista e chargista. Com observação cruel e sutil, transporia ao papel ou à tela, tão belamente, as cenas presenciadas. TOULOUSE - LAUTREC, aos doze anos, pouco antes de adoecer. Tudo isso permeado de uma magia realista, espiritual, galhofeira e ferozmente exata e mordaz da sociedade parisiense em fins do século XIX XIX.

7 NO SALÃO DA RUE DES MOULINS (À espera dos clientes) Óleo sobre tela - 111,5 x 132,5 cm Óleo sobre tela - 111,5 x 132,5 cm

8 Os três logos usados por Lautrec em suas obras. AMBASSADEURS (1895, o dono, seu amigo) Litografia em 6 cores Litografia em 6 cores 141,5 x 98 cm

9 O Can-Can, gênero em moda nos cabarés, com Jane Avril, grande amiga de Lautrec. O pintor trazia em seu trabalho a aurora de novas concepções na pintura.

10 MULHER LEVANTANDO SUA MEIA (1894) Óleo sobre papel-cartão 58 x 48 cm Auto-retrato feito ao espelho, em Óleo sobre papelão 40,3 x 32,4 cm

11 Muito amigo de Sescau - o fotógrafo - Lautrec deu-lhe, em 1894, esta litografia em 4 cores. Podemos constatar sua grande irreverência.

12 A dançarina La Goulue tornou-se sua modelo favorita. Lautrec colocou em tudo o que pintou a genialidade e humanidade de seus modelos. Toulouse - Lautrec revolucionou o design gráfico de cartazes, fazendo-os coloridos e incrementando um novo estilo, mais tarde conhecido como Art Nouveau. Já em vida, Lautrec contou com a maioria das críticas a seu favor, como neste trecho do Les Temps, em 1893:... Também, Lautrec, você canta a epopéia canalha, mostrando cruamente suas úlceras.

13 SOZINHA, SOZINHA, de óleo sobre cartão x 90 cm

14 JANE AVRIL DANÇANDO (com seu inseparável boá) Óleo sobre tela x 75 cm

15 Este é um dos mais significativos cartazes de Lautrec: o anúncio de uma peça que nunca foi encenada e cujo roteiro se perdeu, sendo encontrado somente em revistas da época. A história trata de tema semelhante ao de Carmen, de Bizet. Os tons escuros sugerem tragédia. Litografia em 4 cores Litografia em 4 cores LA GITANE (A CIGANA) É também dos que mais demonstram a influência das gravuras japonesas pelas formas abstratas de sombras e figuras em segundo plano.

16 Lautrec descansa ao lado da mãe - que sempre o apoiou - no chateau de Malrone, em Já se encontrava extremamente debilitado pelo álcool e por sua doença. Em 1884, conversa com uma de suas modelos.

17 CAVALHEIRO INGLÊS NO MOULIN (1893) Os freqüentadores faziam questão de saber a respeito da saúde das meninas...

18 A INSPEÇÃO MÉDICA (1894) Óleo sobre tela - 101,5 x 132 cm CAVALHEIRO INGLÊS NO MOULIN (litografia de 1893) Os freqüentadores faziam questão de saber a respeito da saúde das meninas...

19 DUAS MULHERES VALSANDO (1892) Óleo sobre papelão Óleo sobre papelão 93 x 80 cm Lautrec procurou destacar o diferente, grupo do qual fazia parte. Com isso, transforma seus modelos - prostitutas, cantoras de cabaré, lésbicas, dançarinas - em mitos. Valorizando o diferente, o pintor não é mais repudiado e se reintegra socialmente.

20 Desenho de sua mãe, a condessa Adele Tapié de Celeyram carvão sobre papelão SARAH BERNHARDT, BERNHARDT, em Phoedra. Desenho de x 23 cm

21 LAUTREC dorme, corroído pela bebida, pela própria doença e estilo de vida, aos 36 anos, poucos meses antes de sua morte. Sempre com a mãe a seu lado, no chateau de Malrone.

22 Amigo de todos os artistas e intelectuais de seu tempo como, por exemplo: Gauguin, o escritor irlandês Oscar Wilde, o pintor Van Gogh e outros. Lautrec desenhou a cores sobre papelão, seu amigo Van Gogh, em x 45 cm

23 Das caricaturas, talvez esta seja a mais famosa porque expõe a própria família Celeyram ao ridículo (a bico de pena). Tratava-se do monopólio dos vinhedos e da fabricação dos vinhos.

24 Das caricaturas, talvez esta seja a mais famosa porque expõe a própria família Celeyram ao ridículo (a bico de pena). Tratava-se do monopólio dos vinhedos e da fabricação dos vinhos. No detalhe, a lucidez de Lautrec: coloca-se como o autor, mas, também, como pertencente à família. Em 1882, foram mais de 70 bicos de pena sobre esse tema... Em 1882, foram mais de 70 bicos de pena sobre esse tema...

25 NO CIRCO Desenho de 1899 sobre papelão Desenho de 1899 sobre papelão Selo francês estampado com uma das obras de Toulouse - Lautrec. Entusiasta da arte circense, Lautrec foi presença quase constante em seus últimos anos de vida. Recostava-se e ensaiava uns rascunhos aperfeiçoados mais tarde, em seu ateliê. E sempre acompanhado da bebida...

26 O AUTOMOBILISTA (1898) Desenho - 37,5 x 36,8 cm Primo de Lautrec: Gabriel de Celeyram MONTANDO EM PELO Desenho de 1899 Desenho de 1899

27 (Tradução e Adaptação: Sirimarco) Música: Can-Can, Jacques Offenbach (da opereta: Orphée aux Enfers - Orfeu no Inferno) Imagens: Google, Getty Images, de livros de arte e editadas. Formatação: Sirimarco

28 A CONDESSA NEGRA óleo sobre tela x 150 cm


Carregar ppt "Usou sua arte para expor a maior das feridas de sua época: os seres rechaçados à luz do dia, mas, cultuados e custeados, à noite, pelas mais expressivas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google