A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parque Estadual dos Três Picos. O começo Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho de 2002. Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parque Estadual dos Três Picos. O começo Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho de 2002. Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho."— Transcrição da apresentação:

1 Parque Estadual dos Três Picos

2 O começo

3 Criado pelo Decreto Estadual de 05 de junho de Criado pelo Decreto Estadual de 05 de junho de Garantir a manutenção de nascentes e dos corpos hídricos. -Assegurar a preservação dos remanescentes de Mata Atlântica da porção fluminense da Serra do Mar -Integrar o Corredor Central da Mata Atlântica do Estado do RJ. Hoje o Mosaico Central Fluminense -Estimular as atividades de recreação, turismo, pesquisas e educação ambiental dentro e na zona de amortecimento.

4 Mapa atual

5 LOCALIZAÇÃO no RJ:

6 Sede e núcleos avançados Sede e núcleos avançados Sede Jequitibá em Cachoeiras de Macacu

7 Núcleo Macaé de CimaNúcleo Três Picos Núcleo Vale da RevoltaNúcleo Paraíso

8 Núcleo de Montanhismo Núcleo de Montanhismo Vale dos Deuses

9 Uso Público Processo educacional através da visitação e do lazer

10 DECRETO Nº DE 27 DE MAIO DE 2010 DECRETO Nº DE 27 DE MAIO DE 2010 ESTABELECE DIRETRIZES PARA O USO PÚBLICO NOS PARQUES ESTADUAIS ADMINISTRADOS PELO INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. DECRETA: Art. 1° - Ficam instituídas diretrizes para o uso público dos parques estaduais administrados pelo Instituto Estadual do Ambiente - INEA. CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I - DAS DEFINIÇÕES Art. 2° - Para os fins deste Decreto, entende-se por: I - uso público: visitação com finalidade recreativa, esportiva, turística, histórico-cultural, pedagógica, artística, científica e de interpretação e conscientização ambiental, que se utiliza dos atrativos dos parques estaduais e da infraestrutura e equipamentos eventualmente disponibilizados para tal; II - esportes de aventura III - esportes radicais IV - turismo de aventura V - turismo ecológico ou ecoturismo VI - visitação especializada VII - limites aceitáveis de mudança

11 Estatística de visitação

12

13 Educação Ambiental Trilhas interpretativas Visitas escolares Projetos pedagógicos Grupos de caminhadas

14 Recreativo Passeios familiares Área de acampamento autorizada Piqueniques Caminhadas básicas

15 Esportivo Escaladas Travessias a pé Corridas rústicas Decolagens Ciclismo cross- country Boiacross

16 CAPÍTULO VII - DAS COMPETIÇÕES ESPORTIVAS Art A realização de eventos esportivos de natureza competitiva poderá ser realizada mediante autorização prévia do INEA. Parágrafo Único - A entidade promotora do evento deverá apresentar documento comprovando o mapeamento dos riscos da integridade do parque e as medidas mitigatórias, devidamente assinado por profissional competente na área ambiental. Art Para a realização do evento esportivo competitivo, o representante legal deverá assinar um Termo de Compromisso Ambiental, no qual serão estabelecidas as condições para a realização do mesmo, incluindo eventuais medidas de caráter mitigatório e compensatório. Parágrafo Único - Na realização de eventos competitivos será proibida a abertura de novas trilhas ou a utilização de áreas para acampamento que não estejam previstas pelo zoneamento estabelecido no plano de manejo do parque estadual.

17 Escaladas

18

19 Decolagens

20

21 Caminhadas

22 Ciclismo

23 Boiacross

24 Prevenção de acidentes através de informação ao usuário.

25 Cartazes

26 Placas de reconhecimento de risco e orientação de trilhas

27 Reconhecimento de risco Reconhecimento de risco ATENÇÃO -Atividades como escalada, caminhada, acampamento, mergulho, decolagem de qualquer modalidade de vôo livre e outras que ocorram ao ar livre estão sujeitas aos perigos e riscos de ambientes naturais. -Alguns perigos e riscos de atividades ao ar livre incluem: animais peçonhentos, quedas e rolamentos de pedras, raios, cabeças dágua, terrenos acidentados e escorregadios, quedas de árvores e galhos e outras forças da natureza, incluindo variações climáticas bruscas. -A área onde você se encontra é considerada remota, por isso a comunicação e o transporte são difíceis. Sendo assim, buscas, evacuações ou cuidados médicos imediatos podem ter atrasos significativos. Esteja preparado para lidar com situações imprevistas. -As lesões mais comuns em ambientes naturais são: escoriações, entorses, fraturas, hipotermia, hipertermia, hemorragias, desidratação, afogamentos, reações alérgicas e lesões causadas por raio. Dependendo do tipo e da gravidade estas lesões podem levar a traumas permanentes ou morte. -Procure estar com os equipamentos adequados à sua atividade e deixe avisado o seu destino. -Lembre-se que, ao praticar qualquer uma das atividades descritas acima, ou outras correlatas, você é inteiramente responsável pelos seus atos, mesmo dentro dos limites deste parque.

28 Manutenção das trilhas

29 Seminários de Mínimo Impacto

30 Metodologia Identificar atividades na unidade de conservação Reconhecer problemas e filosofia local. Criação de canal de comunicação via internet. Determinação de grupo de trabalho formado pela comunidade local. Realização de seminários para apresentação e votação das propostas. Veiculação das propostas em sites de federações ou clubes para consulta da comunidade por tempo determinado. Anexação do documento ao plano de manejo da UC.

31 Diretrizes para novas conquistas e uso de furadeira de impacto no Parque Estadual dos Três Picos. Diretrizes para novas conquistas e uso de furadeira de impacto no Parque Estadual dos Três Picos. - Qualquer conquista fora das áreas com restrições depois de terminada deverá, sem exceção, ser comunicada e nestes casos um relatório detalhado acompanhado do croqui esquemático da escalada deverá ser enviado para a administração do PETP. - O uso da furadeira de impacto para colocação de grampos em novas conquistas, seja de escaladas ou rapel, esta autorizada fora das áreas com restrições impostas pela administração do PETP. - Novas conquistas dentro das áreas com restrições deverão ser aprovadas após apresentação de projeto de conquista enviado para a administração do PETP. Este projeto deverá ser detalhado em se tratando da localização, do tipo de proteção a ser utilizado e do traçado da via. O projeto poderá ser vetado pela administração do PETP. - No conjunto de montanhas dos Três Picos, Capacete e Caixa de Fósforos o uso de furadeira de impacto será autorizado apenas nas áreas sem restrições a novas conquistas e ainda assim após análise de relatório enviado previamente a administração do PETP.

32 Futuro... Implementação de estrutura para lazer no Vale da Revolta Implementação do Museu do Montanhismo e núcleo próprio nos Três Picos (Salinas) visitantes ano Regulação e controle fundiário

33


Carregar ppt "Parque Estadual dos Três Picos. O começo Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho de 2002. Criado pelo Decreto Estadual 31.343 de 05 de junho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google