A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Instruções para uso dos rádios PRECISAREMOS UTILIZAR O RÁDIO TRADUTOR DISTRIBUÍDO A CADA PARTICIPANTE. SIGA AS INSTRUÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DO APARELHO:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Instruções para uso dos rádios PRECISAREMOS UTILIZAR O RÁDIO TRADUTOR DISTRIBUÍDO A CADA PARTICIPANTE. SIGA AS INSTRUÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DO APARELHO:"— Transcrição da apresentação:

1 Instruções para uso dos rádios PRECISAREMOS UTILIZAR O RÁDIO TRADUTOR DISTRIBUÍDO A CADA PARTICIPANTE. SIGA AS INSTRUÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DO APARELHO: INTRODUZA O CONECTOR DO FONE DE OUVIDO NA ENTRADA P2 LOCALIZADA NA PARTE SUPERIOR DO RECEPTOR. UTILIZE O BOTÃO LOCALIZADO À DIREITA DO CONECTOR DO FONE PARA LIGAR O APARELHO E TAMBÉM PARA AUMENTAR OU ABAIXAR O VOLUME. O PRÓXIMO BOTÃO DEVERÁ SER USADO PARA ACESSAR A FREQUÊNCIA DE TRANSMISSÃO. FAREMOS UM TESTE NESTE MOMENTO.

2

3 A IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SUCESSO DAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO BELO HORIZONTE, 30 DE OUTUBRO DE. 2012

4 Dr. Stefan Daferner Engenheiro econômico; Desde 1999 na ADG; Gerente de produtos responsável por: - Coordenação Nacional de Educação; - Projetos Internacionais.

5 Agenda I.Aspectos fundamentais do desenvolvimento de RH a.Definição b.Metas + relevância c.O processo do desenvolvimento de RH II.Implementação do desenvolvimento de pessoal nas cooperativas de crédito alemãs a.Funções e competências b.GenoPE III.Exemplo: a qualificação de gerentes

6 ADG – alguns fatos 6 Clientes:Nível nacional: Gerentes e especialistas de cooperativas alemãs (foco: cooperativismo de crédito) Nível internacional: Associações internacionais de cooperativas e bancos cooperativos, organizações doadoras da cooperação para o desenvolvimento, instituições de micro crédito / financiamento, agências de rating etc. Setor: Instituto de capacitação e treinamento com destaque para temas relacionados à gestão e finanças Produtos & serviços: Programas de capacitação e treinamento para bancos Seminários e workshops Gestão de projetos Gestão de conhecimento Desenvolvimento de pessoal Desenvolvimento de RH Avaliação de RH Treinamento para instrutores E-learning

7

8 ADG Internacional Assistência técnica na área financeira Programas, seminários e workshops Conferências Outros serviços

9 Nível Nacional: Organização Central cooperativas 18 Milhões de associados

10 Cooperativas Alemãs 10 Número Associados

11 Agenda I.Aspectos fundamentais do desenvolvimento de RH a.Definição b.Metas + relevância c.O processo do desenvolvimento de RH II.Implementação do desenvolvimento de pessoal nas cooperativas de crédito alemãs a.Funções e competências b.GenoPE III.Exemplo: a qualificação de gerentes 11

12 Desenvolvimento de pessoal Abrange todas as atividades que conduzem a conservação e aperfeiçoamento das qualificações Abrange os Interesses da Cooperativa e de toda a Equipe. Visa atender perfeitamente demandas atuais e futuras.

13 Foco do desenvolvimento de pessoal

14 Evoluções de Mercado Novas tecnologias levam a uma mudança na estrutura e qualificação profissional Mudanças nas leis e regulamentos exigem atualização constante de conhecimentos técnicos Mudança na linha de produtos demanda personalidades empreendedoras Condições Sociais Atividades desafiadoras ganham importância Mudanças demográficas geram problemas no Recrutamento O que influencia o desenvolvimento de pessoal

15 Objetivos + Relevância do Desenvolvimento de Pessoal Possibilitam uma equipe flexível Assegurar pessoal (mão-de-obra) e gestão qualificada Independência do mercado de trabalho externo Gestão de retenção de talentos Empresa(Cooperativa ) Conservação/ aperfeiçoamento de qualificação Melhoria das chances no mercado de trabalho Possibilidade de auto-realização através de tarefas desafiadoras Preservação/ Melhoria na renda, da posição no trabalho assim como do prestígio na sociedade Empregado Elevada satisfação com a Empresa (Cooperativa) Associados/Clientes

16 Atratividade de ofertas de emprego Empresas pouco conhecidas/ Desenvolvimento Salarial médio/ Boas perspectivas de desenvolvimento, Por meio de oportunidades de formação continuada Empresas grandes e conhecidas/ Salário inicial alto/ Nenhuma perspectiva concreta de carreira

17 Fluxo do desenvolvimento de pessoal Desafios atuais e futuros Obvervar alinhamento estratégico Análise das necessidades Definição dos objetivos de aprendizagem Definição da forma de aprendizagem Planejamento das ações Preparação Aplicação i.e.S. Acompanhamento Execução Promover a transferência Integração no processo de trabalho Transferência de conhecimento avaliação do desempenho Avaliação da formação Avaliação

18 Agenda I.Aspectos fundamentais do desenvolvimento de RH a.Definição b.Metas + relevância c.O processo do desenvolvimento de RH II.Implementação do desenvolvimento de pessoal nas cooperativas de crédito alemãs a.Funções e competências b.GenoPE III.Exemplo: a qualificação de gerentes

19 Desenvolvimento de pessoal em cooperativas de crédito alemãs F+C Acordo sobre funções centrais/ Definição do núcleo de tarefas das funções centrais bem como da sua descrição sistemática e uniforme Estruturação das competências// Definição e descrição sistemática D. P em cooperativas Sistema para comparar o perfil alvo Identificação de lacunas de competências Oferta de seminários específicos Prova de Competência Controles de aprendizagem com elementos descritivos, orais e práticos Certificação Documentação da qualificação e.x. exigível no âmbito das disposições de defesa do consumidor e de regulação legal 19 COOPERATIVAS DE CRÉDITO ABRANGEM DIFERENTES BLOCOS

20 Uma função …. … é um conjunto de tarefas, que são exercidas/ realizadas na cooperativa. Isso significa que uma função não é associada a uma pessoa específica. …. Pode ser realizada na cooperativa por várias ou também por uma pessoa …. não é um cargo 20

21 Funções centrais são diferenciadas em: FUNÇÕES DE GERENCIAMENTO Inclui a garantia da execução de tarefas específicas em cada área de responsabilidade. Foco está nas tarefas dispositivas. A Função modelo, que exemplifica uma tarefa específica selecionadada, está no centro. Representação nos relevantes segmentos de mercado das cooperativas. As funções de gestão estão ligadas ao processo de planejamento e controle da cooperativa. FUNÇÕES BÁSICAS Representa, por sua vez, a execução de tarefas específicas ou atividades operacionais nas respectivas áreas de responsabilidade. Funções básicas se concentram em tarefas operacionais.

22 Estrutura Básica de uma descrição de função Nome da função: x.x.x. ….. Características principais: ….. Tarefas de gerenciamento: ….. Tarefas específicas: ….. Quais são os objetivos da função? Quais são as principais tarefas da função? Que condições devem ser observadas? Quadro jurídico Padrões de qualidade Regulamento interno … Tarefas no âmbito da gestão Tarefas estratégicas e estruturais Tarefas em geral Tarefas de processos transversais

23 O resultado: tabela geral de funções 23 I Área de mercado (inclusive comércio) II Área próxima do mercado / sequência do mercado III Área operacionalIV Planejamento e gestão da empresa V EncarregadosVI Função de chefia Função de direção serviço Função básica serviço Função de direção apoio de vendas Função básica apoio de vendas Função básica serviços bancários eletrônicos Função básica capacitação/ treinamento de vendas Função de direção serviço para empresas Função básica organização Função básica organização: informática Função básica pessoal Função básica gestão de facilidades Função de direção planejamento e gestão da empresa Função básica planejamento e gestão de pessoal Função básica planejamento e gestão de controlling / gestão de risco Função básica planejamento e gestão da organização / gestão de TI Função básica planejamento e gestão de marketing / vendas Função básica compliance Função básica lavagem de dinheiro Função básica segurança Função básica proteção de dados Função de direção revisão Função básica revisão interna Função básica revisão de crédito Função básica revisão: informática Função de direção clientes privados Função básica atendimento de clientes privados Função básica consultoria de clientes privados Função de direção apoio ativo do mercado Função básica apoio ativo do mercado Função básica serviço de crédito Serviço básico processamento ativo: clientes privados Serviço básico processamento ativo: clientes corporativos Função básica supervisão de crédito Função básica controle de dados Função básica saneamento/ recuperação Função básica liquidação Função de direção finanças Função básica contabilidade/balanças/impostos Função básica pagamentos Função básica controlling Função de direção clientes corporativos Função básica atendimento de clientes corporativos Função básica consultoria de clientes corporativos Função básica comércio* Relacionado com a função de tesouraria As atividades de tesouraria envolvem a análise e gestão de risco de liquidez, mercado e endereço Função de direção apoio passivo do mercado Função básica apoio passivo do mercado Função básica apoio do mercado: comércio Função básica apoio do mercado: operações com exterior (pagamentos) Função básica apoio do mercado: títulos

24 Exemplo: perfil funcional de um DIRETOR 24 Nome da função : Chefe do setor Direção & Planejamento, RH, Secretaria da seguradora Características chave da função: A função de gestão tem por objetivo assegurar um planejamento e uma direção focada e coerente da cooperativa por meio de um sistema de gerenciamento e controle de toda a cooperativa considerando a legislação em vigor para supervisão de instituições financeiras. Trata-se não apenas de definir e formular os conteúdos do objetivo da empresa mas também de aumentar a competitividade, a capacidade de geração de lucro e de evolução da cooperativa. Esta função serve para dar impulsos à direção, no sentido, de um planejamento e gerenciamento ótimos de toda a cooperativa, assegurando as funções de concepção, estratégia e planejamento. Além de tarefas analíticas e funções de controle, esta função ainda envolve o desenvolvimento em todo o segmento, apresentando solicitações correspondentes para um desenvolvimento adequado da empresa. Além disso, monitora e harmoniza as metas da cooperativa, as medidas e o uso de recursos para assegurar o desenvolvimento pretendido. A função de gerenciamento engloba o planejamento por resultados considerando sempre as metas globais da cooperativa, incluindo ainda a responsabilidade pela realização de tarefas de gestão e técnicas na sua área de atuação. A função de gerenciamento abrange a gestão por resultados dos colaboradores, considerando e respeitando sempre o marco legal, os padrões de qualidade definidos e as regras internas.

25 Exemplo: perfil funcional de um DIRETOR Tarefas : Tarefas no âmbito da gestão de empregados: - Determinar a necessidade de formação e treinamento dos seus colaboradores diretos - Definir os perfis de tarefas e exigências para uma seleção sistematizada de pessoal / seleção de colaboradores - Planejar o desenvolvimento do pessoal em cooperação com o departamento de desenvolvimento de pessoal e iniciar o processo de seleção de pessoal para sua área segundo o perfil de tarefas e exigências desejado - Planejar a gestão / uso do pessoal - Iniciar e participar do planejamento da demanda de pessoal para a sua área de atribuição - Realizar reuniões periódicas sobre gestão por objetivos e avaliação de empregados - Realizar reuniões para dar feedback - Treinamento inicial e coaching de lideranças - Motivar os empregados a ter iniciativa própria e assumir responsabilidade - Servir de exemplo - Criar um time de empregados engajados, motivados e voltados para o cliente inclusive através da criação de condições gerais atraentes

26 Exemplo: perfil funcional de um DIRETOR Tarefas estratégias e estruturais: - Planejamento por resultados e coordenação das tarefas da área de atribuição - Participar na definição das metas da sua área com base nas metas globais da cooperativa aprovadas - Coordenar as metas da sua área bem como controlar o grau de cumprimento das metas no decorrer do ano e, sendo necessário, adotar medidas corretivas - Observar o desenvolvimento contínuo do sistema de gestão da cooperativa VR-Controll e derivar medidas para cooperativas individuais em sintonia com a gerência - Deduzir / determinar a situação real estratégica para sua área e observar os desenvolvimentos atuais visando alinhar sua área à situação da cooperativa singular - Gerir e coordenar projetos setoriais - Participar da otimização dos processos de negócio (em cooperação com a instância responsável pela gestão de processos) e da estrutura organizacional - Iniciar e participar de processos de melhoria contínua - Participar no desenvolvimento de padrões de qualidade visando uma otimização contínua da satisfação do cliente - Executar as tarefas atribuídas no âmbito do gerenciamento de reclamações - Assegurar o cumprimento do padrão de qualidade definido na sua área de atribuição - Definir os requisitos em matéria de informática para atendar a demanda da cooperativa - Coordenar a cooperação com outras áreas e/ou terceiros - Promover um uso otimizado da tecnologia existente em cooperação com as áreas especializadas correspondentes - Participar do desenvolvimento da estratégia da empresa e da sua execução - Participar do planejamento e da gestão do sucesso da cooperativa - Promover e coordenar a comunicação entre os empregados diretamente atribuídos e os departamentos conexos - Informar os colaboradores quando há mudanças significativas na legislação e /ou no mercado

27 Exemplo: perfil de DIRETOR 27 Tarefas técnicas: - Desenvolvimento responsável dos conceitos da estratégia corporativa e sua implementação na sua área de atuação - Responsável pela realização do planejamento por resultados e do controle de riscos da cooperativa - Integração responsável de decisões dos órgãos no planejamento da cooperativa e sua execução - Responsável pela introdução e atualização do sistema de planejamento e controle da cooperativa - Apoiar a coordenação interdisciplinar global do planejamento estratégico - Assegurar a implementação do ciclo de controle (gestão operacional) - Assegurar a integração de uma medição de resultados e riscos do ponto de vista econômico e dos sobras e prejuízo - Assegurar a contabilização de todos os riscos da cooperativa comparando-a à capacidade de suportar riscos - Responsável pelo desenvolvimento de um sistema de gestão da informação baseado em impulsos de controle - Assegurar a execução de normas de supervisão na sua área de atribuição - Administração/organização de rodadas de controle definidas - Responsável pelo sistema de controle de custos e receitas da cooperativa Tarefas no âmbito da gestão de qualidade : - Consultoria no desenvolvimento de padrões de qualidade visando uma otimização contínua da satisfação dos clientes - Monitorar o cumprimento dos padrões de qualidade definidos Tarefas de processos que transcendem funções: - Cultivar intensivamente o contato com todas as instituições, multiplicadores, formadores de opinião política e social - Comunicação e informação interna e por metas sobre inovações e assuntos temáticos para todas as pessoas investidas de funções - Representar a cooperativa junto do público

28 Para o exercício das Funções são necessárias Competências Para domínio de atividades profissionais; conhecimento técnico, competências e habilidades necessárias I. Competências profissionais Para lidar com situações de trabalho; atitudes internas e características pessoais necessárias III. Competências pessoais Capacidade de lidar com clientes, superiores, colegas, empregados adequada e construtivamente, bem com de maneira orientada. Capacidade de lidar com clientes, superiores, colegas, empregados adequada e construtivamente, bem com de maneira orientada. IV. Competências Sociais Capacidade de raciocínio metódico e ação lógica para poder atender as demandas atuais e futuras Capacidade de raciocínio metódico e ação lógica para poder atender as demandas atuais e futuras II. Competências metodológicas Competências individuais relacionadas a profissão Conhecimento Profissional básico Conhecimentos específicos Conhecimento específico do produto Habilidades analíticas Orientação dos objetivos Habilidades de apresentação Habilidades de comunicação Trabalho em equipe Lidar/solucio- nar conflitos Autogestão Capacidade motivacional Capacidade de aprender

29 Estrutura Básica de um perfil de competências Competênciais profissionais Denominação123 …..X ….x Descrição detalhada das competências exigidas: Diferentes áreas de competência são necessárias a fim de atingir os objetivos associados com uma função. Declaração do nível de competência exigida 1 =Básico 2 = Aprofundado 3 = Amplo Competências metodógicas Denominação123 …..x ….x Competências sociais Denominação123 …..x ….x Competências Pessoais Denominação123 …..x ….x

30 Exemplo: perfil de competências de um DIRETOR Competências técnicas: Sigla: 1 = básico, 2 = aprofundado, 3 = amplo 3 - Conhecimento do setor de serviços financeiros 3 - Conhecimento de estruturas e processos da sua empresa 3 - Conhecimento da importância do seu relatório funcional para o negócio 2 - Conhecimento da opinião da empresa sobre serviços financeiros relevantes 1 - Conhecimento da gestão de reclamações 2 - Conhecimento da oferta de produtos e serviços da cooperativa 2 - Conhecimento dos processos financeiros da empresa 2 - Conhecimento da contabilidade da empresa 2 - Conhecimento das teorias de tomada de decisão 1 - Conhecimento da crise da empresa 1 - Conhecimento das estratégias de recuperação / reorganização 3 - Conhecimento do controle gerencial para cooperativas (desde que relevante para a área funcional) 2 - Know-how da área jurídica relacionado à sua função 2 - Know-how da área da economia relacionado à sua função 2 - Conhecimento de sistemas e programas relevantes para a sua função 3 – Conhecimento geral do setor de cooperativas

31 Exemplo: perfil de competências de um DIRETOR Competência metodológica: Sigla 1 = básico, 2 = aprofundado, 3 = amplo 2 – Técnicas da gestão de mudanças 3 – Técnicas de gestão de projetos 3 – Raciocínio interligado (joined-up thinking) e holístico 3 – Pensamento estratégico e empreendedor 3 – Pensamento concepcional e voltado para soluções 3 – Handling de informações de acordo com a situação e de forma direcionada 2 – Técnicas de conversação 2 – Técnicas de apresentação 2 – Técnicas de moderação (p. ex., de debates) Competências pessoais: Sigla 1 = básico, 2 = aprofundado, 3 = amplo 3 – Motivação de desempenho 3 – Integridade e lealdade 3 – Orientado pelo mercado / pelo cliente 3 – Orientado por metas / capacidade de decisão 3 - Flexibilidade 3 – Capacidade de suportar pressão e stress 3 – Apresentação segura Competências sociais: Sigla 1 = básico, 2 = aprofundado, 3 = amplo 2 – Capacidade de comunicação 3 – Capacidade de convencimento e assertividade 3 – Capacidade de cooperação e trabalho em equipe 3 – Capacidade de lidar com conflitos 2 – Capacidade de gerir relações 3 – Liderança de colaboradores por resultados

32 GenoPE = Desenvolvimento de pessoal em cooperativas F+C Acordo sobre funções centrais/ Definição do núcleo de tarefas das funções centrais bem como da sua descrição sistemática e uniforme Estruturação das competências// Definição e descrição sistemática D. P em cooperativas Sistema para comparar o perfil alvo Identificação de lacunas de competência Oferta de seminários específicos Prova de Competência Controles de aprendizagem com elementos descritivos, orais e práticos Certificação Documentação da qualificação e.x. Exigível no âmbito das disposições de defesa do consumidor e de regulação legal 32

33 Estrutura básica de Desenvolvimento de Pessoal em Cooperativas Cooperativa Associados privados Mercado Seguimento Cooperativa Associadas corporativos Mercado Seguimento Área de operação Marketing e vendas Gestão de Pessoal Contabilidade Auditoria Interna Organização Controle Gestão média Gestão de estratégias/produtividade/ Vendas Auto-gestão e de empregados 33

34 Exemplo: formação profissional de diretores Pré-condições básicas Idade:30 anos Experiência profissional:5 anos com qualificação para negócios com empresas e clientes privados Experiência como gerente:2 anos Formação profissional / formação continuada DesejávelNecessárioObs.: Atendimento de clientes corporativosX Seminário TOPX A cargo de cada instituição. Seminário para lideranças bancárias (GBF)X Administração de empresas com especialização em bancos e finanças X Consultoria patrimonialX Curso de administração de empresas concluídoX Agente bancário formadoX

35 Conclusão sobre as provas de competência e certificação F+C Acordo sobre funções centrais / Definição do núcleo de tarefas das funções centrais bem como da sua descrição sistemática e uniforme Estruturação das competências/ Definição e descrição sistemática Desenv. de Pessoal em cooperativas Sistema para comparar o perfil alvo Identificação de lacunas de competências Oferta de seminários específicos Prova de competência Controles de aprendizagem com elementos descritivos, orais e práticos Certificação Documentação da qualificação e.x. exigível no âmbito das disposições de defesa do consumidor e de regulação legal 35

36 Provas de Competências Certificados de Competências Prova escrita / oral Entrevistas Apresentação Role Play Certificação 36

37 Agenda I.Aspectos fundamentais do desenvolvimento de RH a.Definição b.Metas + relevância c.O processo do desenvolvimento de RH II.Implementação do desenvolvimento de pessoal nas cooperativas de crédito alemãs a.Funções e competências b.GenoPE III.Exemplo: a qualificação de gerentes

38 Seminário para Lideranças-GBF: HISTÓRIA GBF - Seminário para Lideranças Bancárias, na ADG desde 1980; no total, diplomados, aproximadamente Diplomados mantêm forte ligação emocional à ADG Continua sendo o curso mais renomado para administradores em cooperativas; Muito conhecido e boa imagem a nível do grupo Passado: Curso de capacitação para futuros diretores Único programa Presente: Capacitação básica para dirigentes da Rede Financeira cooperativista Somente GBF já não é suficiente como prova de competência para o cargo de diretor Possibilidade de conseguir capacitação técnico-profissional (Prova de competência nos termos do § 33 da Lei bancária – KWG): Outras instituições / desenvolvimento alternativo da carreira profissional (-> carreiras não bancárias!)

39 Informações Adicionais Número de cursos realizados anualmente: 5 GBF = 120 participantes, aproximadamente Conclusão - Diploma: dipl. Bankbetriebswirt Management (licenciado em gestão de bancos – administração) E Bachelor of Arts Vantagens: Aquisição da aptidão técnico-profissional nos termos da alínea 2 do § 33° da KWG* Qualificação holística para gestão e controle dos processos complexos numa cooperativa Aprofundamento da competência administrativa Colação de grau acadêmico do nível 1: Bachelor of Arts Interligação com outros agentes responsáveis do grupo cooperativista * KWG - Lei bancária

40 Sinpose – Desenvolvimento de especialistas e de administradores de cooperativas Módulos GenoPE MGB GBF

41 Estrutura e conteúdos do programa Conhecimentos básicos em administração – 3 semanas Aulas de atualização em administração de empresas Requisitos mínimos da grade curricular do Bachelor of Arts Exames: 6 exames escritos de 1 hora, cada: Gestão de riscos, matemática financeira, administração de carteiras, derivativos, normas regulatórias e balanços da cooperativa Parte Principal do GBF – com 4 módulos – 11 semanas Abordagem modular das áreas temáticas: Estratégia, mercado / vendas, gestão de riscos, produção, recursos humanos e liderança Métodos didáticos para os módulos: Input teórico (continuação dos conteúdos do MGB), impulsos da prática, workshops, exames

42 Estrutura e conteúdos do programa GBF - Módulo 1: Estratégia Duração 3 semanas Conteúdos principais: Gestão do futuro, gerenciamento estratégico, desenvolvimento de estratégias no contexto cooperativista, Web 2.0, (macro)economia Exame: Certificado em Gestão Estratégica Elaboração de projeto voltado para a prática: 20 a 35 páginas sobre tema de atualidade da cooperativa onde o participante trabalha GBF - Módulo 2: Mercado e vendas Duração 2 semanas Conteúdos principais: Áreas de negócio estratégicas e modelos de negócio para vendas, pilares principais de um modelo de vendas global, decisão de qualidade na concessão de crédito Exame: Certificado Mercado e vendas, exame escrito em (macro)economia

43 Estrutura e conteúdos do programa GBF Módulo 3: Gestão de Riscos e Produção Duração de 3 semanas Conteúdos principais: Aplicação prática da metodologia básica da gestão de riscos, Cockpit: Ferramenta/Software utilizado para Representação integrada da instituição como um todo, estratégias da unidade de produção da cooperativa, aprimoramento de processos, gestão de custos e estruturas/capacidades, estratégias de terceirização Exames: Certificado Gestão de Riscos e Produção GBF Módulo 4: Recursos Humanos e Liderança Duração 3 semanas Conteúdos principais: Administração estratégica de recursos humanos, processo de comunicação e liderança, legislação trabalhista para executivos, Gestão de Mudanças Exames: Certificado Administração de Recursos Humanos

44


Carregar ppt "Instruções para uso dos rádios PRECISAREMOS UTILIZAR O RÁDIO TRADUTOR DISTRIBUÍDO A CADA PARTICIPANTE. SIGA AS INSTRUÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DO APARELHO:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google