A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS AULA 1. PANGEIA - existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica, porém, há relatos também de 540 milhões de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS AULA 1. PANGEIA - existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica, porém, há relatos também de 540 milhões de."— Transcrição da apresentação:

1 HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS AULA 1

2 PANGEIA - existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica, porém, há relatos também de 540 milhões de anos. ence/terc/content/vis ualizations/es0806/es 0806page01.cfm?cha pter_no=visualization ence/terc/content/vis ualizations/es0806/es 0806page01.cfm?cha pter_no=visualization

3 No auge da era glacial, entre e a.C., boa parte da água do mundo estava contida em vastos glaciares continentais. Por isso, o Mar de Bering estava centenas de metros abaixo do seu nível atual e uma ponte terrestre, conhecida como Beringia, surgiu entre a Ásia e a América do Norte. No seu apogeu, imagina-se que tenha tido cerca de 1500 quilômetros de largura.

4 Beringia – Asian-American land bridge Tundra húmida e rica em vida vegetal que atraía os grandes animais caçados pelos primeiros humanos.

5 Uma vez no Alasca, esses primeiros norte- americanos levariam ainda milhares de anos para atravessar as brechas nas grandes geleiras, e vir para o Sul, chegando ao que é hoje os Estados Unidos. Indícios de vida primitiva na América do Norte (período anterior a a.C.) Os primeiros americanos

6

7 Os índios foram os pioneiros onde é hoje o México central, cultivando milho, abóbora e feijão, talvez já em a.C. Aos poucos esse conhecimento foi espalhando-se para o norte. Por volta de a.C., já estava sendo cultivada nos vales dos rios no Novo México e no Arizona uma espécie primitiva de milho. Depois surgiram os primeiros sinais de irrigação e, por volta de 300 a.C., indícios de vida em aldeia.

8 A CULTURA DOS AMERICANOS NATIVOS Período de colonização europeia – Estimativa demográfica: hemisfério ocidental equivalente ao número de habitantes na Europa ocidental – cerca de 40 milhões. Americanos nativos – 2 a 18 milhões. População indígena (nativos) – devastada a partir do contato com os europeus – causas: doenças, como a varíola, guerras e confrontos com os colonos. Cultua e costumes indígenas da época – diversificados (imensidão do território) A sociedade indígena na América do Norte estava fortemente ligada à terra. A identificação com a natureza e com os elementos fazia parte das crenças religiosas. A cultura indígena - primordialmente oral, em que uma importância muito grande era atribuída à narração de contos e sonhos.

9 AS PRIMEIRAS COLÔNIAS NORTE-AMERICANAS

10

11

12 PRIMEIRAS COLÔNIAS Início séc. XVII – emigração da Europa para a América do Norte. Causas da emigração: – Opressão política no país natal, – Liberdade para praticar sua religião – Liberdade para praticar sua religião, – Busca de novas oportunidades.

13 1620 – 1635 – a Inglaterra passa por grandes dificuldades econômicas. Causas: – Desemprego – Desvalorização do trabalho artesanal – Colheitas decepcionantes – Revolução industrial

14

15 Modern Times (Tempos Modernos) – 1936, Charles Chaplin.

16 JAMESTOWN

17 Primeira colônia britânica Inverno de 1609 – 10 – a maioria dos colonos morreu de doença – John Rolfe – plantio de tabaco – exportado para a Europa. Em uma década – principal fonte de receita Taxa de mortalidade alta – causas: doenças e ataques indígenas.

18 MASSACHUSETTS

19 PANORAMA HISTÓRICO INGLATERRA – SEC. XIV - XV

20 REFORMA PROTESTANTE Séc. XIV e XV – Adequação superestrutural religiosa aos novos tempos, à nova estrutura socioeconômica. – Quebra do monopólio político exercido pela igreja Católica no mundo europeu. – Reforma Luterana na Alemanha

21 A Reforma na Inglaterra – O ANGLICANISMO 1534 – A igreja da Inglaterra se separa em definitivo da Igreja Católica Romana, por iniciativa do Rei Henrique VIII, valendo-se da questão com o Papa Clemente VII, relacionada com o pedido de anulação de seu casamento com Catarina de Aragão.

22 Henrique VIII Catarina de AragãoAna Bolena

23

24 Eduardo VI Maria Elizabeth I (Isabel), filha de Ana Bolena. Durante seu reinado, o calvinismo foi introduzido na Igreja Anglicana.

25 Separação – interesses pessoais e políticos velho sonho da igreja da Inglaterra que nunca tinha aceitado plenamente a dominação romana. Este processo em meio a Reforma Protestante, não marcava o surgimento de uma nova igreja, mas sim a alforria definitiva de uma igreja Cristã que se desenvolvia desde o séc. III de nossa era.

26 João Calvino nasceu em Noyon (França) e estudou Direito em Orleans. Em 1534, ligou-se ao luteranismo. Em 1536, publicou a obra Instituição Cristã, na qual expôs os fundamentos de sua doutrina. Em Genebra, rapidamente obteve êxito em suas pregações, adquirindo o total controle da cidade. Instalou uma censura rígida (Ordenações Eclesiásticas) e criou o Consistório, por meio do qual controlava a vida religiosa, política e moral dos cidadãos de Genebra.

27 Calvino é considerado o ideólogo do capitalismo. Vivendo em Genebra, uma cidade de mercadores, criou uma doutrina que alicerçava o capitalismo, estimulando o lucro e o trabalho. O Calvinismo admitia o mundo dependente da vontade absoluta de Deus. Os homens eram pecadores por natureza, e somente alguns estavam predestinados à salvação; revivia o sábado judeu; apoiava os negócios, condenando a miséria, fonte de todos os pecados. As bases da crença eram as Escrituras Sagradas. Admitia somente dois sacramentos: o batismo e a eucaristia. O culto da Igreja calvinista era simples, resumindo-se apenas no comentário da Bíblia. Não admitia imagens.

28 A EXPANSÃO DO CALVINISMO Escócia: Introduzido por John Knox. Os calvinistas escoceses foram denominados presbiterianos. Isto porque a Igreja escocesa foi organizada por conselhos – os presbitérios. Inglaterra: Os calvinistas foram denominados puritanos. França: Os calvinistas foram chamados de huguenotes. Outros países, como a Holanda e os Países Baixos, também adotaram o calvinismo como religião predominante.

29 Os puritanos e o seu desenvolvimento na Inglaterra O movimento puritano, em seus primórdios, foi claramente apoiado e influenciado por João Calvino ( ), que a partir de 1548 passou a se corresponder com os principais líderes da reforma inglesa. Em 1534 foi promulgado o Ato de Supremacia, tornando o rei cabeça supremo da Igreja da Inglaterra. Com a anulação do seu casamento com Catarina de Aragão, sobrinha de Carlos V, o rei Henrique VIII e o Parlamento inglês separam a Igreja da Inglaterra de Roma, em 1536, adotando a doutrina calvinista apenas por comodismo. A Reforma, então, teve início na Inglaterra pela autoridade do rei e do Parlamento. No ano de 1547, Eduardo VI, um menino muito enfermo, tornou-se rei. A Reforma protestante avançou rapidamente na Inglaterra, pois o Duque de Somerset, o regente do trono, simpatizava-se com a fé reformada. Thomas Cranmer, o grande líder da Reforma na Inglaterra, publicou o Livro de Oração Comum, dando ao povo a sua primeira liturgia em inglês.

30 Maria Tudor, católica romana, tornou-se rainha em Assessorada pelo Cardeal Reginald Pole, em 1554 ela restaurou a sua religião. Em 1555, intensificou a perseguição aos protestantes. Trezentos deles foram martirizados, entre eles, o arcebispo de Cantuária, Thomas Cranmer (canonizado pela Igreja Anglicana), e os bispos Latimer e Ridley. Elizabeth I ascendeu ao trono aos 25 anos em 1558, estabeleceu o Acordo Elizabetano, que era insuficientemente reformado para satisfazer àqueles que logo seriam conhecidos como puritanos. Em 1570 Elizabete foi excomungada pelo Papa Pio V. A morte de Elizabete ocorreu em 1603, ela não deixou herdeiro. Apenas indicou como seu sucessor James I, filho de Maria Stuart, que já governava a Escócia. Quando o rei foi coroado, os puritanos, por causa da suposta formação presbiteriana do rei, inicialmente tiveram esperança de que sua situação melhorasse. Para enfatizar sua esperança eles lhe apresentaram, quando de sua chegada em 1603, a Petição Milenar, assinada por cerca de mil ministros puritanos, em que pediam que a igreja anglicana fosse completamente puritana na liturgia e administração. Em 1604, encontram-se com o novo rei para apresentar seus pedidos. O rei ameaçou expulsá-los da terra, ou fazer pior, tendo dito que o presbiterianismo se harmonizava tanto com a monarquia como Deus com o diabo. Carlos I, opositor dos puritanos, foi coroado rei, em Já em 1628, William Laud tornou- se bispo de Londres e empreendeu medidas severas para eliminar a dissidência da Igreja Anglicana. Ele buscou instituir práticas cerimoniais consideradas papistas, além de ignorar a justificação pela fé, oprimindo violentamente os puritanos e forçando-os a emigrarem para a América.

31 Mayflower foi o famoso navio que, em 1620, transportou os chamados Peregrinos, do porto de Southampton, Inglaterra, para o Novo Mundo (11 de novembro, o MayFlower chegou ao Cabo Cod, no atual estado de Massachusetts).

32 O navio transportava 102 passageiros, em sua maioria puritanos separatistas, que buscavam liberdade religiosa, longe do poder hegemônico da Igreja Anglicana. O navio atracou em Plymouth Rock, que mais tarde se chamaria Nova Inglaterra, depois de 65 dias árduos no mar. Os passageiros adultos do sexo masculino assinaram uma aliança para estabelecer um modo de vida religioso no Pacto de Mayflower, antes de desembarcar em 11 de novembro de O Mayflower se tornou um símbolo da luta para construir uma vida nova em terra estranha. Grande parte dos primeiros colonos ingleses viveu de acordo com uma rígida conduta religiosa e moral, diante das muitas provações e dificuldades que tiveram que enfrentar.


Carregar ppt "HISTÓRIA DOS ESTADOS UNIDOS AULA 1. PANGEIA - existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica, porém, há relatos também de 540 milhões de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google