A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução a Microeletrônica: Problemas com Testes

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução a Microeletrônica: Problemas com Testes"— Transcrição da apresentação:

1 Introdução a Microeletrônica: Problemas com Testes
Laboratório de Engenharia de Sistemas de Computação DETI - UFC

2 PCB x IC (Desafios em comum)
PCB and IC Common Challenges Timing matching Controlled Impedance Crosstalk Reflection Power Distribution High Density Routing Reliability Complex Design Rules Design for Manufacturing Design for Testability

3 Desafios em Teste Dezenas a centenas de milhares de gates operando na faixa de GHz Desafios no teste de manufatura Testes em tecnologias low-power não podem gerar muito calor (maior vida de baterias ou necessidade de baixo consumo) Técnicas BIST tem sido usadas em grandes memórias embedded (80% de um SOC na era nanometro!): BISD, BISR

4 DESAFIOS de TESTE Teste de AMS (Analog and mixed-signal) em um SOC: 10% do projeto de um SOC contendo circuitos analógicos podem contribuir para 90% do custo de teste na manufatura! Novos modelos de falhas e mecanismos de defeitos que lidem com problemas de manufatura abaixo (e igual) a 65nm Tolerância a falhas: físicas e erros soft Testes em high speed I/O interfaces, NOC, SIP, FPGA e MEMS Custo com teste de analógicos apagaram o ganho com a redução do custo de testes em digitais Arquiteturas de novas tecnologias para testar analógicos de um AMS, principalmente RF.

5 Importância de On-Chip Testing
Gordon MOORE (1965): Lei de Moore Transistores menores -> menor retardo no circuito, mas uma menor unidade (feature) de die para interconexão não reduz o retardo de propagação do sinal! Interconexões mais largas (< R) -> crosstalk (Signal Integrity) Frequências GHz e alimentação (V) < (L di/dt) Número de transistores por polegada quadrada em um die dobraria a cada ano. Na verdade isso aconteceu a cada 18 meses Isso deve continuar por pelo menos 2 décadas Tamanho do die continuará a ficar maior, mas o tamanho mínimo da feature contiuará a encolher

6 Custo Fabrication X Teste
O que fazer para contribuir com a solução Relação de custo entre fabricação e testes

7 SAI e ITRS 2004: Semiconductor Industry Association publicou o International Technology Roadmap for Semiconductors Médio prazo (2010) para projetos >= 45nm: interfaces de dispositivos de alta velocidade; projetos de alta integração; confiabilidade; custo com teste de manufatura; modelagem e simulação Atualização para teste e equipamentos de teste para projetos nanometro de 2010 em diante

8 Desafios em 2010 para 45nm (ou menos)
Interface entre Device Under Test (DUT) e Equipamento Automático de Teste (ATE) Metodologias de teste Análise de defeitos Análise de falha Para isso...

9 Desafios em 2010 para 45nm (ou menos)
Desenvolvimento de novas técnicas de DFT e DFM para circuitos digitais e analógicos (incluindo RF, circuitos de aúdio e interfaces seriais de alta velocidade), MEMS e sensores Redução do custo com testes e aumentar a confiabilidade e Entrega (yield) dos dispositivos Técnicas para facilitar a análise de defeitos e falhas

10 Desafios para teste segundo ITRS
Teste rápidos e eficientes com crescente frequencia dos cores e proliferação de protocolos de entrada/saída serial multi-GHz; Lacuna de capacidade entre a complexidade de projeto e DFT, geração de teste e ferramentas de classificação de falhas; Impacto da qualide e entrega (yield) resultando das limitações do diagnóstico do processo de teste; Testabilidade em nível de integridade de sinais e novos modelos de falhas; Testes em SOC e SIP incluindo auto-teste integrado para SOCs e SIPs heterogêneos; Aperfeiçoamento em Diagnóstico, Confiabilidade e Entrega; Tolerância a Falhas e Testes on-line;

11 Taxa de Entrega Y (Yield) = NPA – Número de partes aceitáveis
NTP – Número total de partes

12 Perda na Taxa de Entrega
Catastrófica: devido a defeitos aleatórios. Pode ser reduzida com automação de, e melhoramentos no processo de fabricação na linha (DFM). Paramétrica: devido a variações no processo. Pode ser reduzido com técnicas de DFY. Fornecimento (yield) de manufatura relaciona-se com a taxa de falhas.

13 Consequências de teste deficiente ou ausência de DFM
Um dispositivo falho parece está bom, passando no teste; Um dispositivo bom falha no teste e parece está falho.

14 Taxa de Rejeição DL = (Taxa de Rejeição ou nível de defeito)
NPF – Número de partes falhas que passam no teste final (falhas no campo) NTPP – Número total de partes que passam no teste final

15 Defect Level - DL DL = 1 – Y(1-FC)
Wang et al demonstraram em [McCLuskey 1988 – E.J.McCluskey and F. Buelow, IC quality and test transparency, in Proc. IEEE Int. Test Conf., pp , Sept 1988) DL = 1 – Y(1-FC) DL fornece uma indicação da qualidade total do processo de teste. Um nível de 500 partes por milhão (PPM) pode ser considerado aceitável. 100 PPM, ou menos, representa uma alta qualidade. O nível six sigma de manufatura (zero defects) é de 3,4 PPM, ou menos.

16 Básico de testes em SOC Boundary Scan (IEEE 1149.1)
Extensão do Boundary Scan (IEEE ) Boundary-Scan Accessible Embedded Instruments (IEEE P1687) Core-Based Testing (IEEE 1500) Analog Boundary Scan (IEEE )

17 Bibliografia em Básico de teste em SOC
M. Abramovici, P. Bradley, D. Dwarakanath, P. Levin, G. Memmi, and D. Miller, A Recofigurable Design-for-debug Infrastructure for SoCs, in Proc. ACM/IEEE Design for Automation Conf., pp 7-12, July 2006 IEEE Std , IEEE Standard for Mixed-Signal Test Bus, IEEE Press, New York,1999. IEEE Std , IEEE Standard Test Access Port and Boundary Scan Architecture, IEEE Press, New York, 2001 IEEE Std , IEEE Standard for Boundary Scan Testing of Advanced Digital Networks, IEEE Press, New York, 2003

18 Bibliografia em Básico de teste em SOC
IEEE Std , IEEE Standard for Embedded Core Test, IEEE Press, New York, 2005 IEEE P Proposal, IEEE Internal Boundary-Scan Proposal for Embedded Test and Debug, IEEE Press, New York, (http:/group.ieee.org/groups/1687) E. Marinissen, R. Kapur, M. Lousberg, T. McLaurin, M. Ricchetti, and Y. Zorian, On IEEE P1500’s Standard for Embedded Core Test, J. Electronic Testing: Theory and Applications, 18, pp , 2002

19 Bibliografia em Básico de teste em SOC
A. Seghal, S. Goel, E. Marinissen, and K. Chakrabarty, IEEE P155-Compliant Test Wrapper Design for Hierarchical Cores, in Proc. IEEE Int. Test Conf., pp , October 2004 Y. Zorian and A. Yessayan, IEEE 1500 Utilization in SOC Test and Design, in Proc. IEEE Int. Test Conf., pp , October 2004


Carregar ppt "Introdução a Microeletrônica: Problemas com Testes"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google