A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Infeções transmitidas pelo dador Avaliação de risco da Infeção e aceitação do dador Lídia Santos Assistente de Nefrologia – Unidade de Transplantação Renal.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Infeções transmitidas pelo dador Avaliação de risco da Infeção e aceitação do dador Lídia Santos Assistente de Nefrologia – Unidade de Transplantação Renal."— Transcrição da apresentação:

1 Infeções transmitidas pelo dador Avaliação de risco da Infeção e aceitação do dador Lídia Santos Assistente de Nefrologia – Unidade de Transplantação Renal Hospitais da Universidade de Coimbra - CHUC Portugal

2 Infeção transmitida pelo dador 1. Infeção transmitida pelo dador – um problema 2. Epidemiologia 3. Avaliação do risco de infeção

3 Infeção transmitida pelo dador 1. Infeção transmitida pelo dador – um problema 2. Epidemiologia 3. Avaliação do risco de infeção

4 Transplantação Renal

5

6

7 Infeção transmitida pelo dador – um problema O Dificuldade no diagnóstico diferencial : O Transmitida pelo dador O Fonte externa O Reativação de infeção latente no recetor O Rastreio microbiológico não é uniforme: depende do tipo de enxerto, do país e da acessibilidade aos teste O Faltam estudos prospectivos

8 Infeção transmitida pelo dador – um problema O Doença expectável Infeção do dador (seropositividade) Suscetibilidade do recetor (seronegatividade ) CMV, Epstein-Barr, HBV, toxoplasmose, infeções bacterianas O Doença não expectável Não é esperada Não foi identificada no dador Profilaxia Monitorização Potencialmente fatal !

9 Infeção transmitida pelo dador 1. Infeção transmitida pelo dador – um problema 2. Epidemiologia 3. Avaliação do risco de infeção

10

11 n engl j med 348;22 may 29, 2003 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia O EUA – 2003 O Infeção no dador e 4 recetores (2 rins/coração/fígado) O Encefalite – 3 / S. febril – 1 O IgM+ - 3 / Pesquisa DNA tecido cerebral – 1 O Dador negativo para WNV antes e após transfusões de sangue / Dador positivo na data da colheita O Revisão dos dadores de sangue – 1 apresentava virémia quando doou / seroconversão 2 meses depois

12 n engl j med 354;21 may 25, 2006 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia EUA 2003 e semanas pós TX Dor abdominal, alteração do estado de consciência, coagulopatia de consumo

13 n engl j med 354;21 may 25, 2006 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia

14 n engl j med 358;10 march 6, 2008 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia Australiano Dador regressado de Europa de Leste 10 dias antes

15 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia Suiça

16 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia We report the case of a patient with a parenchymal central nervous system lesion. This presentation is considered very rare. In the reported case, the infection was probably donor-derived, as our patient had no history of traveling to endemic areas. Mortality is high among transplanted recipients with coccidioidomycosis, particularly those with disseminated infection.

17 Chagas disease after organ transplantation–United States, JAMA 2002; 287: 1795–1796. Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia

18 BACKGROUND: We present cases of two renal allograft recipients who developed Strongyloides hyperinfection syndrome after receipt of organs from a common deceased donor who received high- dose steroids as part of a preconditioning regimen. One patient was treated successfully with oral ivermectin. The other patient also had complete resolution of strongyloidiasis, but required a course of parenteral ivermectin because of malabsorption from severe gastrointestinal strongyloidiasis. Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia

19 In 2007, the Oklahoma State Department of Health identified Mycobacterium tuberculosis in an organ donor 3 weeks after the donor's death. This report summarizes results of the subsequent investigation, which determined that disseminated TB occurred in two of three transplant recipients from this donor, and one recipient died. Genotypes of the donor and recipient TB isolates were identical, consistent with transmission of TB by organ transplantation Transplantation-Transmitted Tuberculosis --- Oklahoma and Texas, 2007; MMWR Morb Mortal Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia

20 Donor-transmitted infection occurred in five recipients (1.7%), and two (40%) died from the transmitted disease.

21 Infeção transmitida pelo dador – Epidemiologia 27,4%

22 Infeção transmitida pelo dador 1. Infeção transmitida pelo dador – um problema 2. Epidemiologia 3. Avaliação do risco de infeção

23 Avaliação do risco de infeção- História clínica e social O História clinica O Infeções prévias O Vacinas O Exposição ocupacional O Viagens O Transfusão sanguínea O Contacto com infetados VIH, VHB, VHC O Tatuagens, piercings O Drogas ilícitas O Comportamento sexual O Prisão O Contato com animais Grossi P. Am J Transplant 2009; 9 (S4): s19-s26

24 Avaliação do risco de infeção A correta avaliação do dador permite: O Exclusão do dador – probabilidade elevada de transmissão de infeção com elevado risco para o dador O Intervenção a nível do recetor: O Profilaxia universal O Monitorização O Terapêutica dirigida

25 Avaliação do risco de infeção A seleção de um dador infetado depende: O Gravidade da infeção O Resultados microbiológicos O Opções terapêuticas O Urgência da transplantação para o recetor

26 Avaliação do risco de infeção– Testes clínicos O VIH O Serologias da Hepatite B: AgHBs, AcHBs, AcHBc O AC HCV O Ac Treponema pallidum O Ac HTLV I/II O Ac CMV O Ac toxoplasma ( TX cardíaco) O Urocultura/hemoculturas: manifestações/SMI/internamento>48h O Serologia Epstein-Barr

27 Avaliação do risco de infeção Testes clínicos SerologiasEstratégia VIHExclusão VHC Exclusão Risco de vida/HCV +? AgHBs + AgHBs -/IgG HBc+/AcHBs+ Exclusão Aceite (exceto Tx hepático)

28 Avaliação do risco de infeção Testes clínicos O Dador AgHBs -/IgG HBc+/AcHBs > 10 UI/ml Ano (3 trimestres) Nº dadores10 %9,25%9,5%13,9% Centro de Histocompatibilidade do Centro, Coimbra, Portugal

29 Avaliação do risco de infeção Testes clínicos SerologiasEstratégia RPR+AceitePenicilina Benzatínica IgG CMV +Aceite R+ Valganciclovir 3M R- Valganciclovir 6M HTLV1/2Exclusão

30 Avaliação do risco de infeção Testes clínicos especiais Estratégia Plasmodium (Emigrantes de África) Esfregaço sangue periférico e antigénio Como causa morte - Excluído Malária– Duvidoso (tratamento do dador e recetor) Trypanosoma cruzi (Emigrantes da América Central e Sul) Esfregaço sangue periférico e serologia Excluído

31 Avaliação do risco de infeção Testes clínicos especiais Estratégia Strongyloides spp (Emigrantes África e América) Fezes e Serologia Excluído Histoplasma (Emigrantes África, América, Ásia) Excluído (Profilaxia no recetor?) Coccidioides Cryptoccocus Excluído

32 Avaliação do risco de infeção infeção identificada PatologiaEstratégia Tuberculose em atividade Infeção antiga/ contato prévio Excluído Profilaxia com isoniazida

33 Avaliação do risco de infeção Infeções não identificadas no dador O Provável infeção transmitida pelo dador O Tuberculose disseminada em 2 recetores renais, com morte de 1 dos recetores

34 Diagnosis and Management of Tuberculosis in Transplant Donors: A DonorDerived Infections Consensus Conference Report American Journal of Transplantation volume 12 pages , 6 AUG 2012

35 Avaliação do risco de infeção infeção identificada PatologiaEstratégia Infeção bacteriana com instabilidade hemodinâmica/falência multiorgânica Excluído Infeção bacteriana controladaManter antibiótico nos recetores

36 Avaliação do risco de infeção Infeção bacteriana O O 763 dadores dos Hospitais da Universidade de Coimbra O Avaliados 415 dadores, cuja colheita foi realizada no próprio Hospital O Identificadas culturas em 80% dos casos

37 Avaliação do risco de infeção Infeção bacteriana O Urocultura positivaHemocultura positiva 16 dadores9 dadores

38 Avaliação do risco de infeção Infeção bacteriana O O 9 hemoculturas positivas

39 Avaliação do risco de infeção Infeção bacteriana O O 16 uroculturas positivas

40 Avaliação do risco de infeção Infeção bacteriana O O 38 recetores renais O 1 caso de infeção urinária por E colli multissensível no período pós operatório -dador com urocultura positiva para E colli

41 Avaliação do risco de infeção Infeções não identificadas no dador O Provável infeção transmitida pelo dador O Pielonefrite aguda do enxerto por Acinectobacter baumanni nos 2 recetores, na primeira semana pós transplantação O Recorrência da PNA, resolvida após remoção de duplo J

42 Avaliação do risco de infeção Infeções não identificadas no dador Infeções inesperadas no recetor – CAUSAS O Doença do dador não identificada antes da doação O Erro na causa de morte O Resultados dos testes após a doação O Testes de screening específicos não realizados O Erro na obtenção de dados O Ausência de indícios de doença/contacto O Testes de screening com falsos negativos

43 Avaliação do risco de infeção Período janela? Hemodiluição ? Relação sexual recente com homem

44 Deverá o teste de amplificação de ácidos nucleicos ser utilizado em todos os dadores? Avaliação do risco de infeção

45 Teste de amplificação de ácidos nucleicos no screening do dador American Journal of Transplantation Volume 10, Issue 4 pages 889–899, April 2010 Avaliação do risco de infeção Increased risk donors

46 Fishman J. Notity Project. 2011: 63 Avaliação do risco de infeção Increased risk donors

47 Teste de amplificação de ácidos nucleicos no screening do dador O Vantagens O Reduz risco transmissão de HIV, HCV, HBV - deteção da infeção no período janela O Aumento da utilização de orgãos em dadores de risco aumentado O Desvantagens O Desnecessária perda de orgãos por resultados falso- positivos – em dadores de médio-risco O Dispendioso/ Dificuldades de logística/ aumento do tempo isquémia fria American Journal of Transplantation Volume 10, Issue 4 pages 889–899, April 2010 Avaliação do risco de infeção

48 O Não há dados suficientes para recomendar o NAT para HIV, HBV e HCV por rotina a todos os dadores O As vantagens da utilização da NAT em dadores de médio-risco não são superiores às desvantagens O Nos doentes de alto risco parece haver benefício na utilização de NAT American Journal of Transplantation Volume 10, Issue 4 pages 889–899, April 2010 Teste de amplificação de ácidos nucleicos no screening do dador Avaliação do risco de infeção

49 O Só aceites para Transplantação se: O Testes mais sensíveis negativos O Consentimento informado O Seguimento apertado do recetor Increased risk donors Screening do dador – Testes clínicos

50 Infeção transmitida pelo dador 1. Infeção transmitida pelo dador – um problema 2. Epidemiologia 3. Avaliação do risco de infeção

51 AST-2009 Guidelines

52

53

54 Conclusões O A taxa de transmissão de infeção do dador para o recetor é baixa mas associada a elevada morbilidade e mortalidade O É fundamental a obtenção rigorosa de dados do dador – proveniência de outros países, viagens, contatos de risco de forma a selecionar os testes de screening mais adequados

55 Conclusões O A aceitação do dador infetado tratável, deverá ser equacionado, sendo fundamental o diagnóstico e administração de antibióticos precocemente O Os clínicos deverão ter elevado grau de suspeição perante manifestações de infeção no recetor O Notificação imediata ao Centro de Coordenação de transplantes

56 Obrigada pela atenção.

57 Infeção transmitida pelo dador O Muitas infeções não são reconhecidas/ Febre indeterminada O Infeções precoces do recetor: revisão das culturas do dador/identificar dador como potencial fonte infeção O MRSA/VRE/Gram- multirresistentes estão frequentemente envolvidos Infeção bacteriana/ colonização

58 Screening do dador – Testes clínicos O Human immunodeficiency virus (HIV) antibody O Hepatitis B (HBV) serologies including HBV surface antigen, core antibody, surface antibody and Hepatitis delta antigen and or antibody in HBsAg positive donors O Hepatitis C antibody O Treponemal and non treponemal testing (TPHA or TPPA or FTA-Abs + Rapid plasma reagin [RPR]) O Human T cell lymphotrophic virus (HTLV-I/II) antibody O Cytomegalovirus antibody O Toxoplasma antibody O Epstein-Barr virus (EBV) antibody panel (EBV viral capsid antigen, ± early antigen and nuclear antigen antibody levels) O Herpes simplex virus antibody O Varicella-zoster virus antibody O Blood and urine cultures Grossi P. Am J Transplant 2009; 9 (S4): s19-s26 Resultados falsos

59 Infeção transmitida pelo dador O Muitas infeções não são reconhecidas/ Febre indeterminada O Infeções precoces do recetor: revisão das culturas do dador/identificar dador como potencial fonte infeção O MRSA/VRE/Gram- multirresistentes estão frequentemente envolvidos Infeção bacteriana/ colonização


Carregar ppt "Infeções transmitidas pelo dador Avaliação de risco da Infeção e aceitação do dador Lídia Santos Assistente de Nefrologia – Unidade de Transplantação Renal."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google