A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estrutura da População II

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estrutura da População II"— Transcrição da apresentação:

1 Estrutura da População II

2 Distribuição de renda A distribuição de renda pode ser avaliada por intermédio do Produto Interno Bruto (PIB) e do PIB per capita. O PIB é um valor agregado dos bens e serviços gerados durante um ano pela economia. Atualmente, o PIB brasileiro é de aproximadamente R$ 4,143 trilhões (ano de 2011) ou US$ 2,367 trilhões - taxa de câmbio usada US$ 1,00 = R$ 1,75 (em 06/03/2012)

3 O Brasil possui atualmente uma economia forte e sólida
O Brasil possui atualmente uma economia forte e sólida. O país é um grande produtor e exportador de mercadorias de diversos tipos, principalmente commodities minerais, agrícolas e manufaturados. As áreas de agricultura, indústria e serviços são bem desenvolvidas e encontram-se, atualmente, em bom momento de expansão. Considerado um país emergente, o Brasil ocupa o 7º lugar no ranking das maiores economias do mundo (dados de 2011). O Brasil possui uma economia aberta e inserida no processo de globalização.

4 A participação por setor da economia se distribui desta maneira:
Agropecuária – 7,9% Indústria – 26,6% Serviços – 65,5%

5 O PIB per capita é a renda que cada habitante de um país teria se o PIB fosse igualmente distribuído. É obtido por meio do PIB dividido pela população absoluta. O PIB per capita brasileiro é de aproximadamente R$ ou UU$ Ao se avaliar a distribuição de renda de um país deve-se levar em consideração que PIB per capita é um indicador teórico, muitas vezes afastado da realidade. O maior problema dos países subdesenvolvidos é a má distribuição de renda e não o PIB per capita em si mesmo.

6 Coeficiente de GINI: é utilizado para medir a desigualdade de renda
Coeficiente de GINI: é utilizado para medir a desigualdade de renda. Geralmente, este coeficiente é indicado por meio da Curva de Lorenz, daí ser conhecido como curva de Gini. Quanto menor o valor, menor será a desigualdade de renda.

7

8

9 PAÍS INDICE GINI ANO Noruega 0,25 2008 Alemanha 0,27 2006 França 0,33 Portugal 0,39 Estados Unidos 0,45 2007 China 0,47 México 0,48 Argentina 0,49 Brasil 0,54 Paraguai 0,57

10 Escolaridade É o número de anos que uma pessoa frequentou a escola com um mínimo de aproveitamento. Taxa de analfabetismo: é o número em porcentagem de indivíduos com mais de 7 anos que não sabem ler, escrever ou efetuar as quatro operações aritméticas. O grau de escolaridade nos países desenvolvidos é elevado, e na maioria destes países a taxa de analfabetismo é zero.

11 Nos países subdesenvolvidos o grau de escolaridade é muito baixo
Nos países subdesenvolvidos o grau de escolaridade é muito baixo. Esses países geralmente tem taxas de analfabetismo elevadas. Segundo o IBGE o Brasil apresenta cerca de 9,7% de analfabetos absolutos e 20,3% de analfabetos funcionais.

12

13 O IDH, baseado na qualidade de vida das pessoas, é uma das formas mais corretas para avaliar o grau de desenvolvimento na atualidade. Considera 3 aspectos da sociedade: a educação, a longevidade e a renda. Os 3 índices têm o mesmo peso no cálculo do IDH e, após a apuração dos números de cada país, é feita uma média geral dos três indicadores: IDH Saúde, IDH Educação e IDH Renda, cujo resultado varia de 0 a 1.

14 Países de IDH alto: 0,800 a 1; Países de IDH médio: 0,500 a 0,799; Países de IDH baixo: inferior a 0,4999. A classificação de países em níveis de desenvolvimento não é fácil, pois esbarra nos bolsões de pobrezas ou de riquezas, desenvolvimento ou subdesenvolvimento, grau de escolaridade e no trato com as minorias étnicas e religiosas.

15 Posição País IDH 2011 Noruega 0,943 Austrália  0,929 Países Baixos 0,910 Estados Unidos  Nova Zelândia 0,908 Liechtenstein 0,905 Alemanha  12º Japão 0,901 66º Rússia 0,755 84º Brasil 0,718 101º China 0,687 123º Àfrica do Sul 0,619 134º Índia 0,547 187º República Democrática do Congo 0,286

16 Movimentos da População

17 Movimentos verticais Os movimentos verticais, também denominados de demográficos ou vegetativos são os que determinam aumento ou diminuição da população através de nascimento ou óbito. Taxa de natalidade: é o número de nascimento para um grupo de mil habitantes durante um ano. No Brasil a taxa de natalidade é de,em média, 1,8 filho por mulher.

18 Entre os fatores da redução da taxa de natalidade se destacam: urbanização, inclusão da mulher no mercado de trabalho, maior acessibilidade aos métodos anticoncepcionais e até mesmo a prevenção a AIDS. Taxa de mortalidade: é o número de óbitos para um grupo de mil habitantes durante um ano. A taxa de mortalidade, no Brasil, tem sofrido um considerável declínio a partir de Esta redução pode ser explicada pelas melhorias socioeconômicas ocorridas no país.

19 Crescimento vegetativo: ou crescimento natural, é a diferença entre a taxa de natalidade e a mortalidade. O Brasil apresenta alto crescimento vegetativo, a despeito das altas taxas de mortalidade, sobretudo infantil. A estimativa da Fundação IBGE para 2010 é de uma taxa bruta de natalidade de 18,67‰ — ou seja, 18,67 nascidos para cada grupo de mil pessoas ao ano — e uma taxa bruta de mortalidade de 6,25‰ — ou seja 6,25 mortes por mil nascidos ao ano. Esses revelam um crescimento vegetativo anual de 12,68.

20 Taxa de mortalidade infantil: é o número de óbitos de crianças na faixa de 0 a 1 ano de idade para grupo de mil habitantes. É um dos principais indicadores de qualidade de vida. No Brasil a taxa de mortalidade infantil é de 19,88/mil mortes, dados de 2010.

21

22

23

24

25 Movimentos Horizontais
O movimento horizontal pode ser denominado de transladativo ou simplesmente mobilidade espacial e se resume em migrações. Migração: é o deslocamento da população em número representativo. É um movimento tão antigo quanto a humanidade e quase sempre tem como causa aspectos econômicos além de aspectos religiosos, políticos ou sanitários.

26 A migração sempre obedece a duas etapas:
Emigração: que é a saída de qualquer lugar e corresponde a área repulsiva. Imigração: que é a chegada de qualquer lugar e corresponde a área atrativa. AS migrações podem ser classificadas de acordo com o tempo e espaço.

27 Classificação de acordo com o Tempo
O nomadismo é um movimento feito principalmente por comunidades que vivem da coleta de frutos, de caça, de pesca e de pequenos rebanhos, além de comerciantes que, com suas caravanas, cruzam desertos africanos e asiáticos vendendo seus artigos em feiras e mercados.

28 A migração sazonal é aquela realizada em função das estações do ano
A migração sazonal é aquela realizada em função das estações do ano. Ou seja, de acordo com a estação se verifica o plantio ou a colheita de um produto, o que representa emprego de mão de obra. Os movimentos pendulares também conhecidos como migrações diárias, ou commuting e correspondem ao deslocamento diário de trabalhadores e estudantes entre duas cidades ou, entre cidades e área rural.

29 Migrações permanentes: são aquelas em que o migrante se desloca em caráter definitivo.

30 Classificação de acordo com o Espaço
Migrações externas: são aquelas em que uma fronteira é ultrapassada, podendo ser intercontinental ou continental. A cada ano muitos brasileiros saem do país em direção às áreas de atração na esperança de encontrar novas oportunidades e perspectivas para alcançar uma melhor qualidade de vida. Geralmente, essas pessoas buscam isso em países desenvolvidos especialmente nos Estados Unidos, Japão, Canadá e muitos outros países europeus, e recentemente em países vizinhos, tais como Paraguai, Uruguai, Venezuela e outros. Apesar da grande expectativa gerada, muitos se frustram e não conseguem alcançar seus objetivos.

31 Xenofobia: Xenofobia corresponde à fobia ou medo, um indivíduo que tem aversão a tudo aquilo que é novo (objeto ou pessoa). No sentido social, a xenofobia tem seu uso difundido para designar formas de preconceitos (racial, grupal, minorias nacionais ou culturais). Barreias... Medo... A força do imigrante...

32 Atualmente, a xenofobia ocorre principalmente em países desenvolvidos, uma vez que os nativos não querem disputar uma vaga de trabalho com um imigrante. É comum a xenofobia ser relacionada com o preconceito de pessoas oriundas de outros países (especialmente os subdesenvolvidos), raças, culturas, costumes e etc. A xenofobia pode se manifestar também de outra maneira, quando um indivíduo evita o contato com pessoas de características diferentes, como as apresentadas.

33 Migrações internas: são aquelas realizadas dentro de um país e podem ser:
Rural Rural Urbana Urbana Rural Urbana Urbana Rural

34 No Brasil um dos fatores que exercem maior influência nos fluxos migratórios é o de ordem econômica, onde o modelo de produção capitalista cria espaços privilegiados para instalação de indústrias, forçando indivíduos a se deslocarem de um lugar para outro em busca de melhores condições de vida e à procura de emprego para suprir suas necessidades básicas de sobrevivência.

35 OBRIGADO!!!!


Carregar ppt "Estrutura da População II"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google