A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema Endócrino UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO ZOOTECNIA Prof. Guilherme Garcez Cunha Fisiologia I.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema Endócrino UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO ZOOTECNIA Prof. Guilherme Garcez Cunha Fisiologia I."— Transcrição da apresentação:

1 Sistema Endócrino UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO ZOOTECNIA Prof. Guilherme Garcez Cunha Fisiologia I

2 Endocrinologia Estudo das secreções internas do organismo Claude Bernard São sintetizados por tecidos ou glândulas específicos e são secretados na corrente sanguínea, mudando a atividade dos tecidos ou órgão Secretina – William Bayliss e Ernest Starling Hormônios

3 SISTEMA ENDÓCRINO Considera-se um sistema de comunicação corpórea do animal e seu produtos ajudam a enviar informações a outras células. Controle neural controle humoral Principal função: controlar ou regular as várias funções corpóreas.

4 HORMÔNIOS Subst. químicas produzidas por glândulas especializadas e sem ductos, liberadas no sangue e carregadas para outras partes do corpo para produzir efeitos reguladores específicos. * Podem ser consideradas hormônios reguladores químicos e reconhecer que eles podem ser produzidos por células com localização específica numa glândula particular ou por células difusamente localizadas em várias partes do corpo.

5 Visão Geral das Glândulas Endócrinas importantes e seus hormônios

6 NEUROTRANSMISSORES X HORMÔNIOS

7 CATEGORIZAÇÃO Aminos : Derivados do aminoácido tirosina; Ex: Tireioide, adrenais, epinefrina, norepinefrina. Esteroides : O colesterol é o precursor. Ex: glândulas adrenocorticais e reprodutivas e os metabólitos ativos da vitamina D.

8 Peptídicos : Compreendem a maioria dos hormônios; todos os importantes hormônios endócrinos remanescentes são proteínas, peptídeos ou derivados imediatos destes. Ex: Insulina, glucagon, hormônios do hipotálamo. Estrutura molecular da insulina CATEGORIZAÇÃO

9

10 MODOS DE TRANSMISSÃO Trans. Epícrina Hormônios atravessam junção de células adjacentes sem entrar no líquido extracelular. Trans. Neurócrina Hormônios fundem-se através das fendas sinápticas entre os neurônios, como fazem os neurotransmissores. Trans. Parácrina Hormônios difundem-se através do líquido intersticial. Trans. Endócrina Hormônios transportados pela circulação sanguínea. Trans. Exócrina Hormônios secretados para fora do corpo.

11 REGULAÇÃO DA SECREÇÃO HORMONAL A secreção de hormônios ocorre em nível basal que modulado para cima ou para baixo através de sinais que agem no tecido endócrino. Neuro-hormônios: são liberados dos neurônios especializados e agem diretamente no tecido endócrino. Sinal externos: o tecido endócrino responde diretamente a condições do meio extracelular.

12 FEEDBACK A secreção é modulada por uma ou mais consequências de um hormônio secretado. Feedback negativo: o aumento da concentração do próprio hormônio ou uma resposta pelo tecido alvo, tem efeito inibidor na síntese ou na liberação do mesmo hormônio. Feedback positivo: a secreção de um hormônio resulta direta ou indiretamente em aumento de sua secreção.

13 O controle por feedback - ocorre em 3 níveis: Alça longa = órgão-alvo exercendo controle em ambos hipotálamo e adenohipófise Alça curta = adenohipófise exercendo controle sobre o hipotálamo Alça ultra-curta = hormônios hipotalâmicos inibindo sua própria síntese e secreção Regulação da secreção hormonal- Controle Endócrino Hipotálamo Adeno-Hipófise Glândula Periférica Alça l onga: Órgão -alvo exercendo controle em ambos: hipotálamo e adenohipófise. Alça Curta: Adenohipófise exercendo controle sobre o hipotálamo. Alça Ultra Curta: hormônios hipotalâmicos inibindo sua própria síntese e secreção.

14 QUANTO AOS RECEPTORES os hormônios lipossolúveis, que podem atravessar a membrana plasmática livremente e por isso seus receptores são intracelulares. Necessitam de proteínas que façam seu transporte no sangue.

15 O hormônio é transportado no sangue acoplado a uma proteína; 2.O hormônio entra na célula- alvo e no interior do citoplasma se liga ao seu receptor (sistema chave- fechadura); 3.O complexo hormônio receptor entra no núcleo e se liga a parte do DNA e forma o RNA mensageiro; 4.O RNAm deixa o núcleo e realiza a síntese protéica no citoplasma, finalizando a resposta da célula alvo ao hormônio;

16 Engloba os hormônios hidrossolúveis que, por não poderem atravessar a membrana plasmática, ligam-se os receptores de superfície celular e utiliza- se de segundos mensageiros intracelulares. Constituem a maioria absoluta dos hormônios, tem meia vida curta e não requerem transportadores sanguíneos. QUANTO AOS RECEPTORES

17 124 1.O hormônio atinge a célula alvo através do sangue e se liga ao seu receptor (sistema chave-fechadura) na membrana plasmática; 2.O complexo hormônio- receptor ativa a proteína G que ativa a enzima adenilato ciclase; 3.A enzima adenilato ciclase forma o AMP cíclico a partir do ATP; 3 4.O aumento da concentração de AMP cíclico intracelular ativa a proteína quinase que provoca a resposta celular; 5.O AMP cíclico é inativado pela fosfodiesterase que forma 5 AMP. Os fatores que interferem na fosfodiesterase como a cafeína podem permitir que o AMP cíclico atue por mais tempo; 5

18 124 1.O hormônio atinge a célula alvo através do sangue e se liga ao seu receptor (sistema chave-fechadura) na membrana plasmática; 2.O complexo hormônio-receptor ativa a proteína G que abre os canais iônicos da célula permitindo a entrada do cálcio; 3.O aumento das concentrações de cálcio intracelular ativam uma proteína chamada calmodulina que influencia na resposta celular; 3 4.A proteína G também pode ativar a fosfolipase C que é responsável pela obtenção do inositol trifosfato e do diacilglicerol; 5.O inositol trifosfato faz com que ocorra liberação de Ca ++ no interior da célula, o que ativa a calmodulina e provoca a resposta celular; 56 6.O diacilglicerol ativa a proteína quinase C que ativa outras proteínas intracelulares que induzem a resposta celular;

19 GLÂNDULA PITUITÁRIA Localizada num recesso ósseo na base do cérebro; Sua Localização permite a transferência dos hormônios estimulantes e inibidores do hipotálamo para o lobo anterior e também a entrada direta dos neurônios secretores do hipotálamos para o lobo posterior.

20 Receptores Superficiais Complexo hipotálamo-hipófise Glândula endócrina Estímulo

21 Visão Geral das Glândulas Endócrinas importantes e seus hormônios Hormônios da Hipófise Anterior – adeno-hipófise Hormônios do crescimento (hGH) - Síntese de proteínas; Crescimento global da maioria das células e tecidos do organismo. Adrenocorticotropina (ACTH) - Síntese e secreção de Cortisol, androgênios, aldosterona. Hormônio tíreoestimulante (TSH) - Síntese e secreção dos hormônios tireóideos (Tiroxina e Triiodotironina)

22 Visão Geral das Glândulas Endócrinas importantes e seus hormônios Hormônios da Hipófise Anterior – adeno-hipófise Hormônio folículoestimulante (FSH) - Crescimento dos folículos (ovário) e maturação dos espermatozoides (Testículos). Hormônio luteinizante (LH) - Síntese de testosterona (Testículos) e ovulação, formação do corpo lúteo e a síntese de estrogênio e progesterona nos ovários. Prolactina (PRL) - Desenvolvimento de mamas e secreção de leite.

23 Visão Geral das Glândulas Endócrinas importantes e seus hormônios Hormônios da Hipófise Posterior – neuro-hipófise Hormônio antidiurético (ADH) /vasopressina - Aumenta reabsorção de água pelos rins – vasoconstrição e aumento da pressão arterial. Ocitocina - Ejeção do leite (mamas) e contrações uterinas.

24 Hormônios Hipofisários

25 GLÂNDULA TIREOIDE Localizada na traqueia.

26 Secreta hormônios do tipo amina (aa tirosina). Contém iodo ; Funções: Capacidade de aumentar o calor interno - consumo de O2; Estimular as atividades metabólicas dos tecidos do corpo; Exceto cérebro, pulmões, retina, testículos e baço. GLÂNDULA TIREOIDE

27 TIROXINA (T4) – altera a intensidade do metabolismo basal; produz vasodilatação e aumento da frequência cardíaca; aumenta a atividade do sistema nervoso e a motilidade do tubo digestivo. TRIIODOTIRONINA (T3) – é formada em menor quantidade e exerce quase os mesmos efeitos que a tiroxina, porém sua ação é várias vezes mais rápida. CALCITONINA – inibe a reabsorção óssea osteoclástica e, assim, tenta diminuir o concentração plasmática de Ca², também inibe a reabsorção do fósforo e aumenta a perda de cálcio pelos rins. HORMÔNIOS DA TIREOIDE

28 GLÂNDULAS PARATIREOIDES Hormônio paratireóideo (PTH) - intervêm na regulação do metabolismo do cálcio, controlando o equilíbrio cálcio-fósforo nos ossos, sangue e rins. Age na retirada de cálcio dos ossos, restabelecendo sua taxa normal no sangue. Osteólise. Também aumenta a absorção do Ca² pelos rins.

29 GLÂNDULAS ADRENAIS

30 HORMÔNIOS ADRENAIS Os hormônios produzidos pelo córtex adrenal são esteroides, isto é, derivados do colesterol. Glicocorticóides - A tuam na produção de glicose a partir de proteínas e gorduras. Esse processo aumenta a quantidade de glicose disponível para ser usada como combustível em casos de resposta a uma situação estressante. Mineralocorticóides - Regulam o balanço de água e de sais no organismo.

31 Os hormônios produzidos pela medula adrenal são amina, isto é, derivados de aa. Produção contínua. Epinefrina (adrenalina) também produz taquicardia (aumento do ritmo cardíaco), aumento da pressão arterial e maior excitabilidade do sistema nervoso. Essas alterações metabólicas permitem que o organismo de uma resposta rápida à situação de emergência. Norepinefrina (noradrenalina) é liberada em doses mais ou menos constantes pela medula adrenal, independentemente da liberação de adrenalina. Sua principal função é manter a pressão sanguínea em níveis normais. HORMÔNIOS ADRENAIS

32 GLÂNDULA PANCREÁTICA Órgão com função exócrina e endócrina. Possuem hormônios polipeptídeos.

33 Insulina (BETA) Glucagon ( ALFA) Somatostatina ( DELTA) Polipeptídeo pancreático (F) HORMÔNIOS PANCREÁTICOS

34 O hipotálamo libera FATORES LIBERADORES DOS HORMÔNIOS GONADOTRÓFICOS. FSH (hormônio folículo estimulante) à estimula a espermatogênese pelas células dos túbulos seminíferos. LH (hormônio luteinizante) à estimula a produção de testosterona pelas células intersticiais dos testículos à características sexuais secundárias, elevação do desejo sexual. HORMÔNIOS DA REPRODUÇÃO

35 HORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS LIBERADORES/ INIBIDORES GnRH (Hormônio Liberador de Gonadotrofinas) Hormônio Protéico (Hipotálamo) Meia- Vida curta : 5 minutos : Hipófise Tecido Alvo: Hipófise Ação: Liberação de FSH e LH ACTH (Hormônio Adreno-Corticotrofico) PIF (Fator Inibidor da Prolactina)

36 Prolactina Tecido Alvo : Macho: Testículos e cérebro Fêmea: Glândula Mamaria Ações : Macho: Pode induzir Comportamento Materno Fêmea: Lactação, Comportamento Materno. FSH Tecido Alvo : Macho- Célula de Sertoli (testículos) Fêmea- Célula da Granulosa (ovários) LH Tecido Alvo : Macho- Célula de Leydig (testículos) Fêmea- Célula da Teca Interna e Luteais (ovários) HORMÔNIOS ADENO-HIPOFISÁRIOS (HIPÓFISE ANTERIOR)

37 Melatonina Produzida na Pineal Estímulo da Luminosidade: Alta Secreção de Melatonina: liberação de Gonadotrofina (GnRH) HORMÔNIOS NEURO-HIPOFISÁRIOS Ocitocina Tecido Alvo : Macho: Síntese de PGF2α e Movimentos pré- ejaculatórios Fêmea: Estímulo à movimento uterino, Estímulo à síntese de PGF2α pelo útero e ejeção do Leite (lactação)

38 Relaxina É secretada pelo corpo lúteo durante a gestação Em algumas espécies a placenta e o útero também secretam Função : dilatar a cérvix e a vagina no momento do parto Causa contrações uterinas e crescimento da glândula mamária em conjunto com o estradiol. LER EFEITOS FISIOLÓGICOS DOS HORMÔNIOS PÁG. 303 – 316 FISIOLOGIA ANIMAL – MECANISMOS E ADAPTAÇÕES _ ECKERT


Carregar ppt "Sistema Endócrino UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO ZOOTECNIA Prof. Guilherme Garcez Cunha Fisiologia I."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google