A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Pixel e os Processos de Mudança na Paisagem Amazônica Mateus Batistella Embrapa Monitoramento por Satélite / Indiana University-ACT

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Pixel e os Processos de Mudança na Paisagem Amazônica Mateus Batistella Embrapa Monitoramento por Satélite / Indiana University-ACT"— Transcrição da apresentação:

1 O Pixel e os Processos de Mudança na Paisagem Amazônica Mateus Batistella Embrapa Monitoramento por Satélite / Indiana University-ACT

2 HOMEM ÁGUA ARFOGO TERRA

3 LAND PAÍS LANDSCAPE PAISAGEM TERRITÓRIOTERRA

4 Experimento de Larga Escala de Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA) LC-09: Dimensões físicas e humanas do uso e cobertura das terras na Amazônia: uma síntese multi-escalar

5 Desafios do Componente LULC do LBA Que características definem os diferentes usos das terras existentes na Amazônia? Como são as mudanças de uso das terras em escalas locais e regionais? Como a terra pode ser usada para promover uma renda domiciliar sustentável e a conservação da rica biodiversidade regional?

6 Para responder essas questões, os grupos de pesquisa em LULC do LBA estudam: Taxas, localização e padrões espaciais de conversão de florestas para uso agropecuário; Taxas de sucessão secundária; Parâmetros que controlam o uso das terras, atráves de estudos de caso, dados censitários, dados de sensoriamento remoto e sistemas de informações geográficas; Freqüência e susceptibilidade ao fogo utilizando sensores orbitais e sub-orbitais com bandas no infra-vermelho termal; Extensão de inundações utilizando sensores orbitais e sub-orbitais com bandas nas faixas do visível, infra-vermelho e microondas; Vetores de mudanças de uso e futuras coberturas das terras utilizando modelos em várias escalas.

7 Alguns Resultados (Batistella & Moran, Acta Amazonica, in press) A topografia, a fertilidade dos solos e a história de uso das terras condicionam as taxas de ocupação e sucessão secundária ( Moran et al., 2000 ; Moran & Brondizio, 1998; Tucker et al., 1998); Técnicas robustas de processamento de imagens, tais como análises de mistura espectral e classificadores espaciais- espectrais são mais eficazes para a classificação de uso e cobertura das terras ( Lu et al., 2003; Lu et al., 2002; Moran et al., 1994) ; Existem evidências de uma trajetória consistente para os ciclos de desmatamento por colonos na fronteira agropecuária amazônica (efeito de coorte) ( Brondizio et al., 2002 ; Evans et al., 2001; McCracken et al., 1999); A conservação de grandes áreas florestais é dependente de arranjos institucionais e fundiários relativos às necessidades da população de colonos e à demarcação de reservas com direito de uso restrito aos atores locais ( Batistella et al., 2003; Batistella, 2001).

8 Áreas de Estudo Santarém Rondônia Altamira Marajó Tomé-Açu Igarapé-Açu Yapu Acre Manaus

9 Estratégia Metodológica Planos de informação Machadinho (contexto local) Anari (contexto local) Contexto regional Espaço Tempo Múltiplas áreas Múltiplas datas

10 Machadinho dOeste e Vale do Anari no Estado de Rondônia Feições biofísicas similares Idades similares: início dos anos 80 Características similares dos colonos Arquiteturas diferentes Instituições diferentes Área Total: km 2 Machadinho Anari

11 Hipóteses A fragmentação da paisagem é maior no assentamento em espinha de peixe Arranjos institutionais que levam em conta diferentes atores e permitem seu governo sobre os recursos naturais produzem melhores resultados ambientais e sociais Assentamento em espinha de peixe tem desmatamento mais rápido que uma arquitetura baseada na topografia e incluindo reservas florestais comuns

12 Trabalho de campo em 1999 e 2000 Análise da estrutura da vegetação: SS1, SS2, SS3, floresta Classificação multitemporal : 1988, 1994, 1998 Integração em GIS Cálculo de métricas de paisagem Análise institutional Machadinho dOeste e Vale do Anari, RO Propriedades, Estradas, Rios e Reservas Projeção UTM

13 Estrutura da VegetaçãoRespostas Espectrais

14 Dinâmica de Uso e Cobertura da Terra: Assentamentos Menos cobertura florestal em Anari (espinha de peixe) após 15 anos de colonização Cobertura florestal similar nos dois assentamentos quando consideradas apenas as propriedades privadas (51%) Conversão para pastagem aumentou 3x em Anari e menos que 2x em Machadinho

15 Dinâmica de Uso e Cobertura: Fluxos

16 Estrutura da Paisagem e Transformações Objetivos: Produzir uma base de dados para estudos futuros Comparar a estrutura das paisagens dos assentamentos Análise multi-temporal de métricas de paisagens

17 Estrutura e Mudanças na Paisagem O tamanho médio dos fragmentos de floresta decresce a uma taxa maior no padrão espinha de peixe. Em 1994, MPS é similar em ambos assentamentos Machadinho Anari Em 1998, o índice de maior mancha de floresta era maior em Machadinho, porém menor quando excluídas as reservas

18 Estrutura e Mudanças na Paisagem MCAI de floresta aumenta em Machadinho (incluindo ou excluindo reservas) e diminui em Anari, indicando maior perda de habitat interior no modelo espinha de peixe LSI é maior em Machadinho, indicando uma maior complexidade do modelo IJI resultados indicam que o desenho de Machadinho produz uma maior intercalação dos elementos da paisagem. IJI de SS decresce com o tempo, sugerindo isolamento ED aumenta a taxas maiores em Anari MSIEI sugere que a distribuição proporcional de áreas entre as classes em Machadinho é menos equitativa que em Anari ou em Machadinho excluindo reservas (dominância de floresta)

19 Além das Métricas: Instituições Fazem a Diferença Machadinho ilustra como a implementação de assentamentos pode incorporar atributos ecológicos (topografia), econômicos (infra- estrutura), e sociais (levando em conta populações locais ), que são geralmente negligenciados em outros projetos de desenvolvimento A maior conversão para pastagem em Anari está relacionada ao baixo acesso a recursos e infra-estrutura. A melhor eficiência de sistemas agrícolas em Machadinho está relacionada ao acesso à água, melhores estradas e extensão rural As reservas comunais em Machadinho corroboram a importância da governança sobre os recursos pela população local. Não as reservas em si, mas os seringueiros organizados em associações e com estratégias claras referentes a seus direitos sobre estas terras são o fator chave na manutenção de grandes fragmentos de floresta preservada

20 Contribuir para o LBA através de estudos sobre a dimensão humana das mudanças ambientais (People – Pixels – Environment); Contribuir para o LBA através de estudos sobre a dimensão humana das mudanças ambientais (People – Pixels – Environment); Próximos Passos Aumento da resolução espaço-temporal das análises de LULC. Novos sensores, novas técnicas, integração com dados biofísicos; Investimento em treinamento e educação Outras iniciativas do projeto: modelagem (LUCITA), dinâmica de nutrientes, sistemas de informação (AIS) Trabalhar em conjunto com outras equipes visando sínteses

21 Condições da Paisagem Decisões individuais Características da comunidade Decisões da comunidade Governos regionais, empresas, ONGs e seus processos de tomada de decisão Governos nacionais, empresas, ONGs e seus processos de tomada de decisão Organizações internacionais, ONGs e seus processos de tomada de decisão Características biofísicas da paisagem Características familiares O Pixel e os Processos de Mudança na Paisagem Amazônica

22


Carregar ppt "O Pixel e os Processos de Mudança na Paisagem Amazônica Mateus Batistella Embrapa Monitoramento por Satélite / Indiana University-ACT"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google