A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA"— Transcrição da apresentação:

1 TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA
PauloTelles de Freitas Forum de Segurança Rodoviaria ASSEMBLEIA DA REPUBLICA LISBOA 15 Dezembro de 2004

2 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Objectivos Resumo Histórico dos problemas no tratamento do Politraumatizado Identificação de Problemas em Portugal Proposta de Mudança

3 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Portugal e o País da União Europeia com maior índice de sinistralidade rodoviária. Observatório da DGV ,, 2002 Portugal gasta por ano uma percentagem (5% PIB em 1995) elevada do seu orçamento da saude no tratamento dos doentes traumatizados, na sua grande maioria vítimas de ac. de viação J.Bento, Associação Portuguesa de Seguradores, 1997

4 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA TRAUMA ESTATÍSTICAS PORTUGUESAS
A cada morte somam-se duas a quatro pessoas com incapacidade permanente

5 Taxa de correcção da mortalidade por acidente de viação 30%
TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA “MORTO A 30 DIAS” Taxa de correcção da mortalidade por acidente de viação 30%

6 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA CUSTOS DA SINISTRALIDADE
DESPESAS HOSPITALARES TOTAL $50 Fonte: DEPS

7 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Custos da Sinistralidade Rodoviária na Europa 1,2 milhões de € /Vítima em 1994 COST 313 (1994)

8 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
E.U.A. Mortes evitáveis por assistência deficitária aos dts politraumatizados 4,9%- 63,9% nos anos 60s / 70s Regionalização do trauma em serviços de urgência especializados nasceu como experiência piloto no Orange County – California West e Trunkey, Arch Surg 114, 1979

9 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
E.U.A. Quatro anos após a implementação da regionalização do trauma em 5 centros no Orange County, as mortes evitáveis (lesões fora SNC) baixavam de 73,3% para 20,6% Comparavam a incidência das mortes evitáveis nos SU dos hospitais especializados / não especializados % versus 72% West e Cales, Arch Surg 118, 1983

10 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
E.U.A. Revisão da literatura mortes por trauma 19,3% eram mortes evitáveis por assistência deficitária a estes doentes atribuiveis em 82,7% à não realização ou ao atraso no procedimento cirúrgico Kreis e Plasencia, J Trauma 26, 1986

11 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Distribuição trimodal das mortes por trauma Mortes imediatas – 1/3 a ½ das mortes por lesão dos Segundos / minutos grandes vasos ou do SNC Mortes precoces – lesões potencialmente salvaveis Minutos / horas ex. Rotura de baco, figado, # bacia Mortes tardias – falência múltipla de orgãos Dias / semanas Trunkey, Sci Am 249, 1983

12 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
1988 Retrospective study of 1000 deaths from injury in England and Wales – 30% de mortes evitaveis Anderson, Woodford e Irving, J Trauma 26, 1988

13 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Reino Unido Major Trauma Outcome Study assistência inicial ser deficitária – falta de clinicos experientes e atraso nas cirurgias de urgência no contexto do politrauma Yates, Woodford e Hollis, BMJ 305, 1992

14 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Trauma Audit Research Network – Manchester Programa que monitoriza o resultados do tratamento do politrauma em cerca de 70 hospitais do RU – taxa de mortalidade mantem-se inalterada nos ultimos 5 anos Fiona, Woodford, Yates et al, Injury 316, 2002

15 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
ESTUDO - H.S.M Foram observados 445 doentes / dia Sala de reanimação: 1570 politraumatizados Destes: 7% eram crianças 9% morreram na sala de emergência 25% tiveram morte hospitalar 40% foram submetidos a intervenções cirúrgicas Paulo Freitas, Rosário Rosa

16 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Evolucao nas ultimas decadas Portugal Não existem estudos prospectivos nem retrospectivos 1997 IMLL – Mortes por Trauma 370 / 487 processos do ano de 1995 J. Mineiro,Congr Internacional de Trauma, 1997

17 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Portugal – Mortes por Trauma Evolucao nas ultimas decadas Sexo - 74% Homens 26% Mulheres Média de idade 43A Causa – Ac Moto 43% Ac Carro 48% colisão 43% despiste 22% atropelam 34% Local – Ct.Urbano 41% E.Secundária 22% VR/AE 16% J. Mineiro,Congr Internacional de Trauma, 1997

18 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Evolucao nas ultimas decadas Portugal 1997 IMLL – Local da Morte Local do acidente – 4% SU hospitalar % Desconhecido % J. Mineiro,Congr Internacional de Trauma, 1997 40% transferidos de outros hospitais

19 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Evolucao nas ultimas decadas Portugal - conclusão - 45% dts morrem nas 1ª 6 horas - 44% morrem com ISS < 20 não existem auditorias clinicas nesta área - critérios de transferência interhospitalar J. Mineiro,Congr Internacional de Trauma, 1998

20 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
- Trauma Audit Research Network (TARN) – HSM / CEurop. • mecanismo do trauma ac. de viação – alta energia 58,9% HSM ,9% TARN ,4% outro centro queda – baixa energia 23,2% HSM ,5% TARN ,3% outro centro • Abbreviated Injury Scale (AIS) ≥ 3 lesão craneo-encefálica foi a mais frequente ,1% HSM 8,4% TARN 9,9% outro centro

21 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
- TARN / HSM / CEuropeu • terapêutica cirúrgica 97,2% HSM ,5% TARN ,3% Outro Centro • transferências inter-hospitalares AIS≥ 3 53,2% HSM ,5% TARN % Outro Centro

22 TRAUMA : NECESSIDADE DE
MUDANÇA - North Staffordshire Hospital (NSH) – Stoke on Trent • internamento UCI ,4 dias NSH – 6,9 dias HSM Geral ,9 dias NSH – 7,9 dias HSM • ISS médio ,5(±0,19) NSH – 8,8(±0,17) HSM • mortalidade (análise conjunta dos dois centros) não ajustada 5,2% NSH – 5,8% HSM (p=0,413) sem ajustamentos de case mix – odds-ratio 1,11 com ajustamento de ISS – odds-ratio 2,02 HSM (p<0,001) Mortalidade por trauma no HSM seria 2x observada no NSH

23 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA

24 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
“The Zero Vision” “Qualquer deterioração no estado de saúde de um cidadão não é aceitável “ Swedish National Road Administration Claes Tingvall (1990)

25 Trauma : Necessidade de Mudança
Prevenção Reabilitação Sistemas de Emergência Pré-hospitalar / hospitalar

26 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA CAUSAS DA SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA
FACTOR HUMANO 3% F. Rodoviários 27% Condutor 57% 3% 1% 6% 2% Veículo

27 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
“Law Enforcement “

28

29 TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA
1 2 3

30 TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA
XA 1 1 3 2 XA – Local do Acidente 1 – Centro de Saúde 2 – Hospital 3 – Hospital 1 – Hospital Central 2 3

31 TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA
XA 1 2 XA – Local do Acidente 1 – Hospital Central 2 – Hospital 2 3

32 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Programa Integrado de Segurança e Assistência Rodoviária Programa de Prevenção Plano Integrado de Segurança e Assistência ao Acidentado Centralizar em 3 centros a gestão da assistência às vitimas

33 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
2. Plano Integrado de Segurança e Assistência ao Acidentado Implementação de uma folha de registo única e que “segue o acidentado” até ao seu destino final(Registo Nacional) Implementação de impresso hospitalar de registo de trauma Criação de 3 centros de Referenciação

34 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
Plano Integrado de Segurança e Assistência ao Acidentado (Distrital) Infra estruturas viárias e pontos quentes Distribuição e grau de preparação das instituições de resposta à emergência Inventariação das infra estruturas hospitalares e treino dos profissionais (necessidades de formação) Estudos dos fluxos de referenciação (triagem e encaminhamento)

35 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
2. Plano Integrado de Segurança e Assistência ao Acidentado (Distrital) Auditoria sistemática aos acidentes de viação (causas principais e acessórias) A estrutura Distrital integra todos os intervenientes profissionais de saúde, forças policiais, bombeiros, etc. Sistemas de trauma

36 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA MONITORIZAÇÃO DA EFICÁCIA I
T0 hora do acidente T1 112 T2 forças da autoridade T3 contacto com Centro de Triagem e encaminhamento T4 tempo de chegada de socorro adequado T5 chegada ao hospital mais adequado, mais próximo

37 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA MONITORIZAÇÃO DA EFICÁCIA II
T5 – T4 = Tempo de transporte Nº de transferências inter hospitalares Nº de intervenções cirúrgicas/doente Nº de dias em cuidados intensivos Nº de dias em internamento hospitalar Incapacidade permanente Nº de dias até ao regresso à actividade laboral

38 TRAUMA : NECESSIDADE DE MUDANÇA
CONCLUSÕES • Integração e racionalização de recursos • Registo Nacional de trauma • Sistemas de trauma • Articulação Estruturas Distritais/Centrais • Auditoria sistemática (acidente/vitima)


Carregar ppt "TRAUMA:NECESSIDADE DE MUDANÇA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google