A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O papel da Sociedade Civil Guineense na Resposta Nacional ao VIH/SIDA e outras IST.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O papel da Sociedade Civil Guineense na Resposta Nacional ao VIH/SIDA e outras IST."— Transcrição da apresentação:

1 O papel da Sociedade Civil Guineense na Resposta Nacional ao VIH/SIDA e outras IST

2 Introdução 1986 – Primeiros casos do VIH atribuidos a GB; Comissão Nacional de Vigilância Epidemiologica e luta contra SIDA; 1987 – PNLS; 1988 – 1° Plano a Medio Termo (1989 – 1993) 1996 – 2° Plano a Medio Termo ( ) 2002 – PEN 1(2003 – 2005) 2005 – Introdução de TARV (Julho) 2006/07 – PEN2 (2007 – 2011)

3 Gestão das IST antes da era do VIH AGUIBEF-associaçao guineense de bem- estar familiar. SSF-Serviço de saúde de família.

4 HISTÓRICO DA SOC. CIVIL GUINEENSE FACE AO VIH/SIDA Foi criada a ONG ALTERNAG. Já existia a AGUIBEF (associação Guineense de bem-estar familiar) consulta de planeamento familiar e incluía tratamento das IST. Clínica madre Teresa que posteriormente veio a albergar a ONG ceu e terras.

5 1991

6 Fevereiro 2001

7 Áreas de intervenção das ONGs Sensibilização; Aconselhamento; Despistagem; Seguimento de pacientes seropositivos dependendo das capacidades de cada; e PTMF.

8 Lideranças especiais cabe a: C&T

9 Sensibilização Aconselhamento Despistagem Seguimento e apoio das pessoas seropositivas e seus familiares.

10

11 Filosofia O projecto pretende concretamente pôr em prática a experiência-piloto de conselho e despiste sistematizados, contribuindo para que as pessoas seropositivas e todas as pessoas interessadas possam estar bem informadas sobre a base dos problemas e necessidades específicos e ainda para que estas mesmas pessoas sirvam de multiplicadoras da informação aos seus familiares e à comunidade

12 Objectivo Geral. Contribuir para o reforço e vulgarização de estratégias e acções de luta e prevenção contra o SIDA. Participar no esforço mundial a fim de assegurar a dignidade e o bem-estar psicológico, moral e social das pessoas seropositivas.

13 Objectivo Específico. Contribuir para a promoção e acessibilidade ao conselho e despiste anónimo e gratuito. Reforçar as acções de prevenção.. Contribuir para o reforço do comportamento responsável em matéria de sexualidade.

14 Cont.. O serviço tem um carácter aberto afim de contribuir para a diminuição da marginalização das pessoas seropositivas e favorecer uma percepção mais responsável e positiva do SIDA e dos seropositivos; a confidencialidade é no entanto garantida com rigor;

15 Cont. Os cuidados com as pessoas seropositivas são assegurados por uma equipa pluridisciplinar; I.E.C. (Informação, Educação e Comunicação), sobretudo para com os jovens e as mulheres;

16 Cont.. Formação para o pessoal do serviço e outras pessoas ou instituições interessadas;. Pesquisa operacional, sobretudo no que respeita às atitudes e comportamentos e à abordagem multisectorial e multidimensional;

17 Cont.. Parceria estratégica (instituições sociais, associações de base, práticas tradicionais, entre outras);. Difusão da experiência adquirida pelas associações de doentes e do pessoal médico.

18 Comparação dos resultados de 2001 a 2009 Actividades Acumulado 2001 a Acumulado Aconselhamento Masculino Feminino ª visitas Visitas repetidas Testes realizados Positivos VIH VIH VIH Consulta geral Corrimento vaginal Corrimento uretral Planeamento Familiar Contraceptivos injectav.(frs) Contraceptivos orais (ciclos) Preservativos Preservativos masculino Preservativo feminino Óbitos Tratamento ARV-6/436/3428/ PVVS em segui/º I.O Apoio alimentar do PAM às PVVS, beneficiários/Toneladas por ano 94,003 toneladas 128,743 toneladas 69,937 toneladas 104,464 toneladas 63,004 tonelad 65,843 toneladas 525,994 toneladas

19 C&T »PTMF

20 Constrangimentos Falta de Informação Educação e Comunicação à população face à problemática das IST e VIH/SIDA; Existência de factores socioculturais que dificultam a apresentação prática dos ensinamentos educativos face aos problemas de sexualidade; Inexistência de política pública face gestão e tratamento das IST; Elevado índice de analfabetismo da população sexualmente activa.

21 Repetidas rupturas de Stock de medicamentos, incluindo ARV e alguns consumíveis; Desmotivação de vários prestadores de cuidados por diferentes razões a nível nacional; Indisponibilidade de alguns exames laboratoriais para o diagnóstico das IO e Carga Viral.

22 MUITO OBRIGADO A TODOS


Carregar ppt "O papel da Sociedade Civil Guineense na Resposta Nacional ao VIH/SIDA e outras IST."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google