A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Entendendo o potencial e os desafios para introduzir o Bioquerosene na matriz energética brasileira Ricardo B. Gomide Ministério de Minas e Energia

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Entendendo o potencial e os desafios para introduzir o Bioquerosene na matriz energética brasileira Ricardo B. Gomide Ministério de Minas e Energia"— Transcrição da apresentação:

1 Entendendo o potencial e os desafios para introduzir o Bioquerosene na matriz energética brasileira Ricardo B. Gomide Ministério de Minas e Energia +55(61) Brasília, 13 de setembro de 2012

2 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 1.Demanda 2.Oferta 3.Compromisso da aviação mundial 4.Considerações finais 1.Demanda 2.Oferta 3.Compromisso da aviação mundial 4.Considerações finais 1 Sumário

3 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Brasil: Demanda de QAV (mil m 3 ) 2 Demanda Potencial Fonte: MME (PDE2020) +58%

4 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Mundo: Demanda de QAV (millhões m 3 ) 3 Demanda Potencial

5 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 4 Demanda Potencial Mercado mundial acima de 300 bilhões de litros/ano Poderá atingir 350 bilhões de litros na próxima década 30% substituição por BioQAV = 100 bilhões de litros 30% substituição por BioQAV = 100 bilhões de litros Igual à produção atual de biocombustíveis no mundo Estado da Arte Inexiste alternativa energética viável para propulsão de aeronaves diferente de combustíveis líquidos Brasil + EUA 95%

6 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 1.Demanda 2.Oferta 3.Compromisso da aviação mundial 4.Considerações finais 1 Sumário

7 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Disponibilidade Óleos Vegetais no Brasil 5 Oferta de Matérias-Primas Demanda QAV (mil m3) Fonte: CONAB/MAPA e outros.. Elaboração MME.

8 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Balanço da Soja no Brasil Fonte: Elaboração MME com base me dados oficiais do MAPA, MME/PDE 2020 e MDIC. 6 Oferta de Matérias-Primas Cenário hipotético B5 a B10 Soja Disponível p/ BioQAV 30% substituição

9 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Balanço da Soja no Brasil Fonte: Elaboração MME com base me dados oficiais do MAPA, MME/PDE 2020 e MDIC. 6 Oferta de Matérias-Primas Cenário hipotético B5 a B10 Apenas com biodiesel B10 em 2020, o principal exportador mundial de soja reduzirá suas exportações em mais de 50%

10 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Oferta p/ BioQAV: necessidade de área 7 Oferta de Matérias-Primas Premissas: Camelina = 650 litros/ha; Soja=580 litros/ha; Girassol=750 litros/ha; Jatropha=1.500 litros/ha. 600 mil hectares Soja Camelina Girassol Jatropha 950 mil hectares 2,2 milhões hectares

11 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 8 Oferta de Matérias-Primas Questão Para Reflexão Quanto tempo é necessário para estruturarmos 1 milhão de hectares com: Soja? Girassol? Camelina? Pinhão-Manso? Ou alga equivalente?

12 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Oferta Mundial de Óleos (millhões m 3 ) 9 Oferta de Matérias-Primas Demanda de QAV Consumo Mundial de Querosene de Aviação Toda essa oferta já está comprometida com os mercados tradicionais Oferta 50%

13 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 1.Demanda 2.Oferta 3.Compromisso da aviação mundial 4.Considerações finais 1 Sumário

14 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 10 Compromisso da Aviação Mundial Metas para Mitigação dos Efeitos Climáticos Eficiência no consumo de combustíveis: +1,5% ao ano até 2020 Reduzir em 50% as emissões até 2050

15 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 11 Compromisso da Aviação Mundial Como? Fonte: Air Transport Action Group with the assistance of Aerospace and Defence Industries Association of Europe, Airbus, Airports Council International, ssociation of Asia Pacific Airlines, Boeing, Bombardier, CFM International, Civil Air Navigation Services Organisation, Embraer, GE Aviation,Honeywell Aerospace, International Air Transport Association, Pratt & Whitney, Rolls-Royce, SESAR Joint Undertaking. Tecnologias Já Conhecidas sustainable biofuels serão o principal ator 2025

16 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 12 A visão da Aviação Mundial The aviation industry has made it clear that it is only looking at second-generation biofuels and is determined not to repeat the mistakes made with first-generation sources, expecting any supply to be fully sustainable. Requisitos impostos pela aviação mundial: Somente culturas não-alimentícias Uso de terras áridas ou áreas não agricultáveis Sem destruição da floresta Aproveitar o potencial de países em desenvolvimento Diversidade de matérias-primas Ciclo de vida com baixo carbono 1ª geração é insustentável? Que erros? (http://www.enviro.aero/Not-all-biofuels-are-created-equal.aspx) Qual cultura agrícola? Teremos suficiente oferta sustentável para atender à demanda da aviação?

17 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 1.Demanda potencial de BioQAV 2.Compromisso do setor aéreo mundial 3.Oferta de BioQAV 4.Considerações finais 1 Sumário

18 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 13 Política Energética Nacional (Lei nº 9.478/97) Objetivos da Política (art. 1º): Incrementar, em bases econômicas, sociais e ambientais, a participação dos biocombustíveis na matriz energética nacional Proteger os interesses do consumidor quanto a preço, qualidade e oferta dos produtos...

19 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 14 Competência da ANP Art. 7º, XVI - regular e autorizar as atividades relacionadas à produção, à importação, à exportação, à armazenagem, à estocagem, ao transporte, à transferência, à distribuição, à revenda e à comercialização de biocombustíveis, assim como avaliação de conformidade e certificação de sua qualidade, fiscalizando-as diretamente ou mediante convênios com outros órgãos da União, Estados, Distrito Federal ou Municípios; (alterado pela Lei /2011) Definição BioQAV Art. 6º, XXXI - Bioquerosene de Aviação: substância derivada de biomassa renovável que pode ser usada em turborreatores e turbopropulsores aeronáuticos ou, conforme regulamento, em outro tipo de aplicação que possa substituir parcial ou totalmente combustível de origem fóssil. (incluído pela Lei nº /2011) Política Energética Nacional (Lei nº 9.478/97)

20 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 15 Questões Importantes na Ótica Energética Segurança energética Regularidade de fornecimento Risco agrícola no mercado de energia (In)disponibilidade de matérias-primas Competição com combustível mais barato Impacto de preço do setor de transporte aéreo Redução da dependência de fósseis Qualidade

21 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 16 Considerações Finais O Iceberg do Desafio Agricultura & Aquicultura Oferta de Novas Matérias-Primas Disponibilidade de Terras Agricultáveis Estruturação de Novas Cadeias Produtivas Diversificação Sementes/Mudas Algas Agrominerais Pesquisa e Tecnologia Agrícola Financiamento Onde Plantar Competição com Outras Commodities Agrícolas Tradição e Vocação Legislação Logística Infraestrutura Tecnologia de Produção do BioQAV NOVA AGRICULTURA ADEQUAÇÃO E USO

22 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 17 O grande desafio está na oferta de matérias-primas. Mas é uma oportunidade ímpar para a agricultura no Brasil e em diversos outros países. No Brasil, a soja é atualmente a única matéria-prima disponível para se pensar na produção de BioQAV em escala e por processos convencionais (transesterificação e hidrotratamento de óleos). No médio prazo, processos a partir de açúcares poderão ser uma alternativa interessante, dada a grande escala de produção de etanol de cana no Brasil. No mundo, a disponibilidade de óleos vegetais está na soja (EUA, Brasil e Argentina) ou na palma (Sudeste Asiático). Camelina e pinhão-manso ainda não têm escala produtiva compatível com a dimensão do consumo da aviação. Considerações Finais

23 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 18 O sonho do carro esportivo Precisamos ter cuidado para não ser uma Demanda Insustentável

24 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 19 Publicação Gratuita Boletim Mensal dos Combustíveis Renováveis Publicação mensal destinada a consolidar informações conjunturais sobre os combustíveis renováveis. Destina-se a público em geral e é distribuído gratuitamente em meio eletrônico para lista de s cadastrados e disponibilizado no website mme.gov.br. Para nova inclusão:

25 Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis 20 FIM Muito Obrigado!!!


Carregar ppt "Entendendo o potencial e os desafios para introduzir o Bioquerosene na matriz energética brasileira Ricardo B. Gomide Ministério de Minas e Energia"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google