A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conteúdo utilizado pelo Dr. Humberto Sanchez no Encontro Diocesano de Estudo da CF 2012 em Araçatuba (SP) INTRODUÇÃO A CF NASCEU EM 1961, ATRAVÉS DE 3.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conteúdo utilizado pelo Dr. Humberto Sanchez no Encontro Diocesano de Estudo da CF 2012 em Araçatuba (SP) INTRODUÇÃO A CF NASCEU EM 1961, ATRAVÉS DE 3."— Transcrição da apresentação:

1 Conteúdo utilizado pelo Dr. Humberto Sanchez no Encontro Diocesano de Estudo da CF 2012 em Araçatuba (SP) INTRODUÇÃO A CF NASCEU EM 1961, ATRAVÉS DE 3 PADRES RESPONSÁVEIS PELA CÁRITAS BRASILEIRA; IDEALIZARAM UMA CAMPANHA PARA ARRECADAR FUNDOS PARA A INSTITUIÇÃO; ESTA ATIVIDADE FOI CHAMADA CAMPANHA DA FRATERNIDADE E REALIZADA, PELA PRIMEIRA VEZ, NA QUARESMA DE 1962, EM NATAL (RN); EM SEU INÍCIO TEVE DESTACADA ATUAÇÃO O SECRETARIADO NACIONAL DE AÇÃO SOCIAL DA CNBB, CUJO PRESIDENTE ERA DOM EUGÊNIO SALES

2 ESSE PROJETO FOI LANÇADO, EM NÍVEL NACIONAL, NO DIA 26 DE DEZEMBRO DE 1963 E REALIZADO PELA VEZ NA QUARESMA DE DE 1963 ATÉ HOJE, É DESENVOLVIDA DURANTE A QUARESMA, VISANDO AJUDAR OS CRISTÃOS A VIVEREM A FRATERNIDADE EM COMPROMISSOS CONCRETOS, EM UM PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE, A PARTIR DE UM PROBLEMA ESPECÍFICO (TEMA), TRATADO À LUZ DO PROJETO DE DEUS, QUE EXIGE A PARTICIPAÇÃO DE TODOS, NA BUSCA DE SOLUÇÕES.

3 CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 TEMA: FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA LEMA: QUE A SAÚDE SE DIFUNDA SOBRE A TERRA (cf. Eclo 38,8) DURAÇÃO: DE 22 DE FEVEREIRO (QUARTA-FEIRA DE CINZAS) A 01 DE ABRIL (DOMINGO DE RAMOS) DE A IGREJA DESEJA SENSIBILIZAR A TODOS SOBRE A DURA REALIDADE DE IRMÃOS E IRMÃS QUE NÃO TÊM ACESSO À SAÚDE PÚBLICA CONDIZENTE COM SUAS NECESSIDADES E DIGNIDADE. OBJETIVO GERAL : REFLETIR SOBRE A REALIDADE DA SAÚDE NO BRASIL EM VISTA DE UMA VIDA SAÚDAVEL, SUSCITANDO O ESPÍRITO FRATERNO E COMUNITÁRIO DAS PESSOAS NA ATENÇÃO AOS ENFERMOS E MOBILIZAR A SOCIEDADE POR MELHORIAS NO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE.

4 OBJETIVOS ESPECÍFICOS - DISSEMINAR O CONCEITO DE BEM VIVER E SENSIBILIZAR PARA A PRÁTICA DE HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEL; - SENSIBILIZAR AS PESSOAS PARA O SERVIÇO AOS ENFERMOS E A INTEGRAÇÃO DESTES NA COMUNIDADE; - ALERTAR PARA A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO DA PASTORAL DA SAÚDE NAS COMUNIDADES; - DIFUNDIR DADOS SOBRE A REALIDADE DA SAÚDE NO BRASIL; - DESPERTAR NAS COMUNIDADES A DISCUSSÃO SOBRE A REALIDADE DA SAÚDE PÚBLICA; - QUALIFICAR A COMUNIDADE PARA ACOMPANHAR AS AÇÕES DA GESTÃO PÚBLICA E EXIGIR A APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS COM TRANSPARÊNCIA.

5 SAÚDE X DOENÇA DEFINIÇÃO DE SAÚDE PELA OMS (1946): UM ESTADO DE COMPLETO BEM-ESTAR FÍSICO, MENTAL E SOCIAL, E NÃO APENAS A AUSÊNCIA DE DOENÇAS. PODE HAVER SAÚDE SEM O AMADURECIMENTO ESPIRITUAL? O GUIA PARA A PASTORAL DA SAÚDE (GPS) DE 2010 DEFINE SAÚDE: É UM PROCESSO HARMONIOSO DE BEM-ESTAR FÍSICO, PSÍQUICO, SOCIAL E ESPIRITUAL, E NÃO APENAS A AUSÊNCIA DE DOENÇA, PROCESSO QUE CAPACITA O SER HUMANO A CUMPRIR A MISSÃO QUE DEUS LHE DESTINOU, DE ACORDO COM A ETAPA E A CONDIÇÃO DE VIDA EM QUE SE ENCONTRE. FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA

6 JUSTIÇA E SOLIDARIEDADE NA SAÚDE - NÃO HÁ QUALQUER ORDENAMENTO ESTATAL JUSTO QUE POSSA TORNAR SUPÉRFLUO O SERVIÇO DO AMOR (BENTO XVI, CARTA ENCÍCLICA DE 2006). TEMOS O DIREITO E O DEVER DE CONTRIBUIR PARA A VIDA CULTURAL, ECONÔMICA, POLÍTICA E SOCIAL DA SOCIEDADE CIVIL. É DEVER DO ESTADO PROMOVER E OFERECER ASSISTÊNCIA EM SAÚDE; É RESPONSABILIDADE DE CADA FAMÍLIA E CIDADÃO ASSUMIR UM ESTILO DE VIVER QUE CONTRIBUA PARA EVITAR DOENÇAS (HÁBITOS SAUDÁVEIS E REALIZAÇÃO DE EXAMES PREVENTIVOS). JESUS CRISTO INDICOU O CAMINHO DO CUIDADO AOS DOENTES COMO UM DOS MAIS GENUÍNOS SINAIS DA REALIZAÇÃO DO REINO DE DEUS (FIDELIDADE AO PROJETO DE SALVAÇÃO DE DEUS). DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA E SAÚDE PÚBLICA

7 METAS DO MILÊNIO NO INÍCIO DA DÉCADA DE 90 A ONU ESTABELECEU 8 METAS DE MELHORIAS SOCIAIS, COM OBJETIVOS PARA SEREM ALCANÇADOS ATÉ O ANO DE 2015: - REDUZIR PELA METADE O NÚMERO DE PESSOAS QUE VIVEM NA MISÉRIA E PASSAM FOME. - EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE PARA TODOS. - IGUALDADE ENTRE OS SEXOS E MAIS AUTONOMIA PARA AS MULHERES. - REDUÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL. - MELHORIA DA SAÚDE MATERNA. - COMBATE A EPIDEMIAS E DOENÇAS. - GARANTIA DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL. - ESTABELECER PARCERIAS MUNDIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO.

8 REDUCÃO DA MORTALIDADE INFANTIL O BRASIL É UM DOS PAÍSES ONDE MAIS SE REDUZIU A MORTALIDADE INFANTIL: DE 69,12 ÓBITOS POR MIL NASCIDOS VIVOS EM 1980 PARA 19,88 EM 2010 (DECRÉSCIMO DE 71,23%). DEVE-SE PRINCIPALMENTE AO MAIOR INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO. A PASTORAL DA CRIANÇA ACOMPANHA CRIANÇAS POBRES DA CONCEPÇÃO AOS SEIS ANOS DE IDADE CAMPANHA DE INCENTIVO À UTILIZAÇÃO DE SORO CASEIRO, COM BAIXÍSSIMO CUSTO PARA A SOCIEDADE. ASSIM, O BRASIL DEVERÁ CUMPRIR COM ESTA META. PARA 2015 ESPERA-SE 15 ÓBITOS POR MIL NASCIDOS VIVOS. EM PAÍSES DESENVOLVIDOS ESTE ÍNDICE É DE 2 A 5 EM MÉDIA.

9 MELHORIA DA SAÚDE MATERNA - ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO NUTRICIONAL, - VALORIZAÇÃO DA VIDA A PARTIR DA GESTAÇÃO, - PREPARAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO, - ENCAMINHAMENTO PARA AS CONSULTAS DE PRÉ-NATAL. - GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA – PROBLEMA SÉRIO, EMBORA TENHA HAVIDO REDUÇÃO DE 9% NO NÚMERO DE PARTOS DE ADOLESCENTES DE 2000 A ATUALMENTE, NO BRASIL, 20% DOS PARTOS SÃO DE JOVENS ENTRE 15 E 19 ANOS DE IDADE, E 29% ENTRE 20 E 24 ANOS. - TEMOS A MAIOR TAXA DO MUNDO EM PARTOS CESÁREOS; PASSOU DE 38% EM 2000 PARA 47% EM ESTE É UM PROCEDIMENTO DE MAIOR MORBIDADE PARA A MÃE E PARA O BEBÊ.

10 COMBATE A EPIDEMIAS E DOENÇAS DESDE ABRIL DE 2009 A IGREJA CONTRIBUI COM O PROGRAMA NACIONAL DE DST/AIDS, DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, QUE VISA INCENTIVAR O DIAGNÓSTICO PRECOCE DO HIV E DA SÍFILIS. ATRAVÉS DE CAMPANHAS, ORIENTAM AS PESSOAS A REALIZAREM O TESTE ANTI-HIV A FIM DE EVITAR QUE A DOENÇA SE MANIFESTE. O DIAGNÓSTICO TARDIO É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE DE QUEM TEM HIV. A IGREJA TAMBÉM PROCURA DISSEMINAR A CULTURA DA PRÁTICA DE HÁBITOS E ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEIS – (USO DA CAMISINHA).

11 GARANTIA DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PROBLEMAS DOS NOSSOS DIAS: POLUIÇÃO DOS MANANCIAIS DE ÁGUA POTÁVEL; POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA; CONTAMINAÇÃO DE ALIMENTOS POR AGROTÓXICOS; SEGUNDO A OMS, CERCA DE 2 MILHÕES DE PESSOAS MORREM ANUALMENTE, NO MUNDO, VÍTIMAS DA POLUIÇÃO DO AR; O DESCASO COM OS CAUSA DOENÇAS, COMO DIARRÉIAS E PARASITOSES INTESTINAIS. A IGREJA, ATRAVÉS DA CF, JÁ ABORDOU O TEMA DO MEIO AMBIENTE EM VÁRIAS OPORTUNIDADES: - EM 1979, COM O TEMA POR UM MUNDO MAIS HUMANO E O LEMA PRESERVE O QUE É DE TODOS.

12 PANORAMA ATUAL DA SAÚDE NO BRASIL EXPECTATIVA DE VIDA EM 2008 (IBGE) = 72 ANOS E 10 MESES. DE 1980 A 2000 A POPULAÇÃO DE IDOSOS CRESCEU 107%, ENQUANTO A DOS JOVENS ATÉ 14 ANOS CRESCEU 14%. O NÚMERO DE IDOSOS AUMENTOU E JÁ CHEGA A 21 MILHÕES DE PESSOAS. AS PROJEÇÕES APONTAM PARA A DUPLICAÇÃO DESTE CONTINGENTE NOS PRÓXIMOS 20 ANOS. EM 2050 OS IDOSOS REPRENTARÃO MAIS DE 22% DA POPULAÇÃO. EM 2050, HAVERÁ 100 MILHÕES DE INDIVÍDUOS COM MAIS DE 50 ANOS,

13 TEM-SE QUE IMPLANTAR UMA POLÍTICA AGRESSIVA DE PREVENÇÃO DE DOENÇAS E PROMOÇÃO DA VIDA SAUDÁVEL; TEMOS QUE COMBATER A HIPERTENSÃO ARTERIAL, TABAGISMO, DIABETES, SEDENTARISMO, OBESIDADE, DISLIPIDEMIAS E AS DOENÇAS RELACIONADAS À DEPENDÊNCIA QUÍMICA; NO PASSADO RECENTE AS DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS ERAM AS PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE NA POPULAÇÃO BRASILEIRA, AS DOENÇAS CRÔNICO-DEGENERATIVAS (HAS, DM, DEMÊNCIAS), OS CÂNCERES (NEOPLASIAS) E AS CAUSAS EXTERNAS (MORTES VIOLENTAS) ASSUMIRAM O PAPEL DE PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE

14 GRANDES PREOCUPAÇÕES NA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL - DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS (DOENÇAS CARDIOVASCULARES, HIPERTENSÃO, DIABETES, CÂNCERES, DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS E OUTRAS) - DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS (AIDS, TUBERCULOSE, HANSENÍASE, INFLUENZA OU GRIPE, DENGUE E OUTRAS) - FATORES COMPORTAMENTAIS DE RISCO MODIFICÁVEIS (TABAGISMO, DISLIPIDEMIAS DEVIDO À DIETA, OBESIDADE, SEDENTARISMO) - DEPENDÊNCIA QUÍMICA E USO CRESCENTE E DISSEMINADO DE DROGAS LÍCITAS E ÍLICITAS (ÁLCOOL, CRACK E OUTRAS) - CAUSAS EXTERNAS (ACIDENTES E VIOLÊNCIAS). - DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS (DNT): EM 2005 CERCA DE 35 MILHÕES DE PESSOAS NO MUNDO MORRERAM POR DOENÇAS CRÔNICAS, O DOBRO DAS MORTES RELACIONADAS ÀS DOENÇAS INFECCIOSAS.

15 DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS AIDS NO BRASIL – ATÉ JUNHO DE 2010 SÃO CONTABILIZADOS CASOS REGISTRADOS DESDE 1980 (DOENÇA JÁ MANIFESTA EM 2009 FORAM NOTIFICADOS NOVOS CASOS DA DOENÇA, SENDO QUE EM 87,5% DESTE MONTANTE A TRANSMISSÃO OCORREU POR VIA HETEROSSEXUAL. ATUALMENTE, AINDA HÁ MAIS CASOS DA DOENÇA ENTRE OS HOMENS DO QUE ENTRE AS MULHERES. EM 1989 TÍNHAMOS 6 CASOS EM HOMENS PARA CADA 1 CASO EM MULHERES; EM 2009, CHEGOU A 1,6 CASO EM HOMENS PARA CADA 1 EM MULHERES.

16 A TUBERCULOSE AINDA É A TERCEIRA CAUSA DE ÓBITOS POR DOENÇAS INFECCIOSAS E A PRIMEIRA ENTRE PACIENTES COM AIDS; NO BRASIL, CERCA DE 47 MIL NOVOS CASOS DE HANSENÍASE SÃO DETECTADOS A CADA ANO; NO BRASIL, SOMENTE NOS PRIMEIROS 9 MESES DO ANO DE 2010, 936 MIL CASOS DE DENGUE FORAM NOTIFICADOS AO MS, COM 592 MORTES.

17 FATORES DE RISCO MODIFICÁVEIS TABAGISMO - É A PRINCIPAL CAUSA EVITÁVEL DE MORTE NO MUNDO. O CIGARRO TEM MAIS DE 4 MIL SUBSTÂNCIAS TÓXICAS E ESTÁ RELACIONADO À VÁRIOS TIPOS DE CÂNCER E À VÁRIAS DOENÇAS; SEGUNDO A OPAS, 90% DOS CASOS DE CÂNCER DE PULMÃO ESTÃO ASSOCIADOS AO TABAGISMO. O CIGARRO CAUSA DEPENDÊNCIA FÍSICA E PSICOLÓGICA. OBESIDADE - A OMS PROJETOU QUE, EM 2005, O MUNDO TINHA 1,6 BILHÕES DE PESSOAS ACIMA DOS 15 ANOS COM EXCESSO DE PESO E 400 MILHÕES DE OBESOS. PARA 2015, A PROJEÇÃO É DE 700 MILHÕES DE OBESOS.

18 DEPENDÊNCIA QUÍMICA O BRASIL É O SEGUNDO MAIOR MERCADO CONSUMIDOR DE COCAÍNA DAS AMÉRICAS, COM CERCA DE 870 MIL USUÁRIOS ADULTOS. A ESTIMATIVA É QUE MAIS DE 1,2 MILHÕES DE PESSOAS SEJAM USUÁRIAS DE CRACK NO PAÍS. A MÉDIA DE IDADE DO INÍCIO DO USO É 13 ANOS. ÁLCOOL – GRAVE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL. ATUALMENTE 18% DA POPULAÇÃO ADULTA CONSOME ÁLCOOL EM EXCESSO. O CONSUMO VEM CRESCENDO ENTRE TODOS OS SETORES DA SOCIEDADE, INDEPENDENTE DE COR, RAÇA, RELIGIÃO, CONDIÇÃO ECONÔMICA E TANTO NAS CIDADES QUANTO NA ZONA RURAL.

19 CAUSAS EXTERNAS (ACIDENTES E VIOLÊNCIAS) JÁ OCUPAM O TERCEIRO LUGAR EM RELAÇÃO AOS ÓBITOS DA POPULAÇÃO EM GERAL É A PRINCIPAL CAUSA DE MORTE NA FAIXA ETÁRIA DE 15 A 39 ANOS. EM RELAÇÃO AOS ACIDENTES DETRÂNSITO, ALÉM DAS MORTES TEMOS AS SEQUELAS. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA – LEI MARIA DA PENHA (LEI N° /2006). - TEM- SE QUE DENUNCIAR.

20 SAÚDE PÚBLICA E O SUS O SUS É OFICIALMENTE REGULAMENTADO PELAS CHAMADAS LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE DE 1990: - LEI 8080 – SOBRE A ORGANIZAÇÃO E O FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE - LEI 8142 – QUE DISPÕE SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NA GESTÃO DO SUS E SOBRE AS TRANSFERÊNCIAS DE RECURSOS. NO BRASIL, EM 2009, GASTOU-SE COM SAÚDE R$ 270 BILHÕES, PRÍNCIPIOS DOUTRINAIS DO SUS : UNIVERSALIDADE, INTEGRALIDADE E EQUIDADE.

21 PRÍNCIPIOS ORGANIZATIVOS : 1- REGIONALIZAÇÃO – LEVAR SAÚDE O MAIS PRÓXIMO DA POPULAÇÃO, 2- HIERARQUIZAÇÃO – DIVIDE O SISTEMA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA, TERCIÁRIA. ATUALMENTE FALA-SE ATÉ EM QUATERNÁRIA (HOSPITAIS ESPECIALIZADOS). 3- DESCENTRALIZAÇÃO - DISTRIBUIÇÃO DAS RESPONSABILIDADES; 4- RACIONALIZAÇÃO E RESOLUÇÃO – OS SERVIÇOS DEVEM RESPONDER AOS PROBLEMAS DE DETERMINADA REGIÃO.

22 AVANÇOS NO SUS PSF – ATINGE ATUALMENTE 100 MILHÕES DE BRASILEIROS. ELIMINOU-SE A PARALISIA INFANTIL, O SARAMPO E A RUBÉOLA. HOUVE DIMINUIÇÃO NAS MORTES POR DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS (AIDS, TUBERCULOSE, MALÁRIA E HANSENÍASE). SAMU (SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA. FARMÁCIA POPULAR – MEDICAMENTOS COM DESCONTO E, DESDE MARÇO DE 2011, MEDICAMENTOS PARA HIPERTENSÃO E DIABETES DE GRAÇA.

23 ESPIRITUALIDADE NA SAÚDE A ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL, NA DECLARAÇÃO SOBRE OS DIREITOS DO PACIENTE (2005) DIZ QUE O PACIENTE TEM O DIREITO DE RECEBER OU RECUSAR CONFORTO ESPIRITUAL OU MORAL, INCLUINDO A AJUDA DE UM MINISTRO DE SUA RELIGIÃO DE ESCOLHA. NO BRASIL, O MS APROVOU A PORTARIA N° 1820, DE 13/08/2009, QUE DISPÕE SOBRE OS DIREITOS E DEVERES DOS USUÁRIOS DA SAÚDE: ESTA CARTA, NO ART. 4°, DIZ QUE TODA PESSOA TEM DIREITO AO RECEBIMENTO DE VISITA DE RELIGIOSOS DE QUALQUER CREDO. O ARTIGO 5° DESTA MESMA CARTA AFIRMA QUE TODA PESSOA DEVE TER SEUS VALORES, CULTURA E DIREITOS RESPEITADOS NA RELAÇÃO COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE, GARANTINDO-LHE: (...) VIII – O RECEBIMENTO OU RECUSA À ASSISTÊNCIA RELIGIOSA, PSICOLÓGICA E SOCIAL.

24 DESAFIOS DO SUS NECESSIDADE DE MAIS RECURSOS E OTIMIZAÇÃO DO USO DO DINHEIRO PÚBLICO. NECESSITA-SE AUMENTAR O NÚMERO DE MÉDICOS E MELHORAR A DISTRIBUIÇÃO DESTES. ESVAZIAR OS PSs. FALTA DE LEITOS HOSPITALARES E DESIGUALDADE NA DISTRIBUIÇÃO PELO PAÍS, BEM COMO FALTA DE LEITOS DE UTI. FALTA DE HUMANIZAÇÃO E DE ACOLHIMENTO ADEQUADOS NAS UNIDADES DE SAÚDE. DESCASO COM A SAÚDE MENTAL (DEPENDENTES QUÍMICOS).

25 AÇÃO TRANSFORMADORA NO MUNDO DA SAÚDE PASTORAL DA SAÚDE REPRESENTA A ATIVIDADE DESEMPENHADA PELA IGREJA NO SETOR DA SAÚDE. A IGREJA, BASEADA NA PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO (cf. Lc 10,25-37), ENTENDE QUE NÃO É LÍCITO DELEGAR O ALÍVIO DO SOFRIMENTO APENAS À MEDICINA É VINCULADA À CNBB. SEU OBJETIVO GERAL É: PROMOVER, EDUCAR, PREVENIR, CUIDAR, RECUPERAR, DEFENDER E CELEBRAR A VIDA OU PROMOVER AÇÕES EM PROL DA VIDA SAUDÁVEL E PLENA. SUA ATUAÇÃO É EM ÂMBITO NACIONAL E DE REFERÊNCIA INTERNACIONAL. ATUA EM 03 DIMENSÕES: SOLIDÁRIA, COMUNITÁRIA E POLÍTICO-INSTITUCIONAL

26 SOLIDÁRIA: PELA CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE SOLIDÁRIA – ATENDENDO OS ENFERMOS. COMUNITÁRIA: DESENVOLVENDO AÇÕES DE CARÁTER EDUCATIVO E PREVENTIVO. POLÍTICO-INSTITUCIONAL: VISA CONSCIENTIZAR O CIDADÃO DE SEUS DIREITOS E DEVERES NO SISTEMA DE SAÚDE. A DIGNIDADE DE VIVER E MORRER SOMOS FINITOS. A MORTE FAZ PARTE DE NOSSA EXISTÊNCIA, NÃO HÁ COMO NEGÁ-LA OU CONSIDERÁ-LA COMO INIMIGA. PODEMOS SER CURADOS DE UMA DOENÇA CLASSIFICADA COMO MORTAL, MAS NÃO DE NOSSA MORTALIDADE.

27 ANTES DO DIREITO À MORTE DIGNA, É NECESSÁRIO O DIREITO À SAÚDE. NÃO DEVEMOS PROCURAR A CURA DA MORTE, SENÃO PODEMOS CAIR NA TECNOLATRIA E NA ABSOLUTIZAÇÃO DA VIDA BIOLÓGICA. DAÍ VEM A OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA (DISTANÁSIA), ADIANDO O INEVITÁVEL, ACRESCENTANDO MAIS SOFRIMENTO E VIDA QUANTITATIVA, AO INVÉS DE QUALITATIVA. TEMOS, NO MEIO TERMO ENTRE A ABREVIAÇÃO INTECIONAL DA VIDA (EUTANÁSIA) E O PROLONGAMENTO DO SOFRIMENTO E ADIAMENTO DA MORTE INEVITÁVEL (DISTANÁSIA), A ORTOTANÁSIA, ONDE A MORTE OCORRE NO TEMPO CERTO, DEIXANDO A NATUREZA SEGUIR SEU CURSO NATURAL. EM RELAÇÃO AOS PACIENTES TERMINAIS, COMO FOMOS CUIDADOS PARA NASCER, PRECISAMOS TAMBÉM SER CUIDADOS PARA MORRER.

28 MISSÃO DOS AGENTES DA PASTORAL DA SAÚDE: CONTINUAR A MISSÃO DE JESUS: EU VIM PARA QUE TODOS TENHAM VIDA E A TENHAM EM ABUNDÂNCIA (cf. Jo 10,10). A AÇÃO DE JESUS, SUA PROXIMIDADE E SOLIDARIEDADE COM OS POBRES E DOENTES, OS LIBERTA DE TODA ESPÉCIE DE SOFRIMENTO E ENFERMIDADE. OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE CRISTÃOS DEVEM SER AGENTES NATURAIS DA PASTORAL DA SAÚDE.

29 PROPOSTAS GERAIS PARA O SUS - DISCUTIR A CRIAÇÃO, NO PODER JUDICIÁRIO, DA VARA DA SAÚDE. - ESTIMULAR A PRÁTICA DA QUARENTENA POLÍTICA AOS GESTORES TÉCNICOS QUE DEIXAREM O CARGO, NOS TRÊS NÍVEIS DE GOVERNO. – PROIBIÇÃO DE SE CANDIDATAR, DURANTE CERTO PERÍODO, A CARGOS POLÍTICOS.

30 CONCLUSÃO AO LONGO DOS ÚLTIMOS ANOS, HOUVE MUDANÇA NO CONCEITO DE SAÚDE: DE CARIDADE PARA DIREITO. HOJE EM DIA, NO ENTANTO, ESSE DIREITO ESTÁ SENDO TRANSFORMADO EM NEGÓCIO. FAZ-SE NECESSÁRIO APROFUNDAR E COLOCAR EM PRÁTICA A CHAMADA BIOÉTICA DOS 4 Ps : PROMOÇÃO DA SAÚDE, PREVENÇÃO DE DOENÇAS, PROTEÇÃO DOS MAIS VULNERÁVEIS E PRECAUÇÃO FRENTE AO DESENVOLVIMENTO BIOTECNOLÓGICO.

31 A PASTORAL DA SAÚDE DEVE: ALÉM DE CUIDAR DOS DOENTES (DIMENSÃO SAMARITANA), EMPENHAR-SE PARA EDUCAR PARA A SAÚDE (DIMENSÃO COMUNITÁRIA) TRABALHAR PARA MUDAR AS ESTRUTURAS POLÍTICAS E SOCIAIS DESIGUAIS (DIMENSÃO POLÍTICO-INSTITUCIONAL). ZELAR PELOS VALORES HUMANOS E CRISTÃOS NA FORMAÇÃO DOS FUTUROS PROFISSIONAIS DA ÁREA. NA VISÃO CRISTÃ, A SAÚDE É VISTA COMO UM DOM QUE DEUS CONFIOU À RESPONSABILIDADE HUMANA. O QUE FOI PRIORITÁRIO PARA JESUS HÁ DE SER TAMBÉM PARA SEUS SEGUIDORES.


Carregar ppt "Conteúdo utilizado pelo Dr. Humberto Sanchez no Encontro Diocesano de Estudo da CF 2012 em Araçatuba (SP) INTRODUÇÃO A CF NASCEU EM 1961, ATRAVÉS DE 3."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google