A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA 01 – ONDE ESTOU? PRA ONDE VOU? PRA QUE SERVE TUDO ISSO?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA 01 – ONDE ESTOU? PRA ONDE VOU? PRA QUE SERVE TUDO ISSO?"— Transcrição da apresentação:

1 AULA 01 – ONDE ESTOU? PRA ONDE VOU? PRA QUE SERVE TUDO ISSO?

2 A Sociologia não pretende explicar tudo o que ocorre na sociedade. Ela toca, porém, em todos os domínios da existência humana na sociedade. Por esta razão, a abordagem sociológica, através dos seus conceitos, teorias e métodos, pode constituir-se como instrumento de compreensão das: situações presentes na vida cotidiana e múltiplas relações sociais nela inseridas.

3 Em outras palavras, tudo aquilo que está relacionado ao convívio humano: Relações Familiares e Sociais Organização de Empresas Métodos Educacionais Papel da Política na Sociedade Comportamento Religioso Preferências e transformações de Lazer de uma Comunidade Possibilidades e peculiaridades de interação social no universo das viagens.

4 BASEADA EM 03 ELEMENTOS 1) Percepção Objetiva: orientada pela ciência (busca explicar a realidade com base na observação sistemática dos fatos). E QUAL É A DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA E TECNOLOGIA?

5 RESPOSTA: À medida que as explicações científicas são fidedignas, elas podem e tendem a se transformar em tecnologia. Ou seja, em instrumento de previsão e, quando possível, de controle e transformação da realidade. Ciência e Tecnologia, portanto, são coisas diferentes. A Tecnologia é, conforme visto anteriormente, a aplicação da Ciência à previsão, ao controle e à transformação da realidade.

6 2) Baseada na ANÁLISE INDUTIVA : isto é, parte da observação sistemática de casos particulares para daí chegar a formulação de generalizações sobre a vida social. Algo diferente da Sociologia de Botequim, baseada em observações casuais, senso comum, suposições e preconceitos para definir tipos sociais.

7 A SOCIOLOGIA ACADÊMICA É MAIS IMPORTANTE QUE A SOCIOLOGIA DE BOTEQUIM?

8 Não! Ambas são importantes para a análise da sociedade. Nos botequins praticamos algo mais próximo à FILOSOFIA SOCIAL – dedutiva – assim como faziam Craques do pensamento (Sócrates, Platão, Aristóteles, Santo Agostinho, Maquiavel, etc.). Baseada na formulação de generalizações, base dos estereótipos, preconceitos e expectativas sociais (elementos essenciais ao funcionamento da sociedade).

9 Com isso, sabe-se que a visão mais completa da sociedade prevê também métodos dedutivos (Geral para Específico). Isto auxilia o desenvolvimento de uma crítica ao conhecimento estabelecido (Sociologia Científica/Acadêmica). Em suma: A CIÊNCIA PRECISA DO SENSO COMUM. AS INFORMAÇÕES DOS LABORATÓRIOS E DAS BIBLIOTECAS PODEM SER COMPLEMENTADAS PELAS OBSERVAÇÕES FEITAS EM BOTEQUINS E VIAGENS.

10 3. Sociologia busca NEUTRALIDADE VALORATIVA, sem estabelecer valores e normas Ao Direito, por exemplo, cumpre definir o que é certo e o que é errado nas relações sociais. À Ética também. Já a Sociologia não atribui valores, não busca julgar o que é bom ou mau na sociedade. Tampouco é normativa, isto é, não dita normas para as relações sociais. Não cabe à Sociologia dizer como a sociedade deve ser, mas constatar e tentar interpretar como ela é.

11 RESUMO 03 ASPECTOS PRINCIPAIS Percepção Objetiva Análise Indutiva Neutralidade Valorativa

12 As Ciências Sociais são o estudo das características sociais dos seres humanos e das maneiras pelas quais eles interagem e se transformam*. As Ciências Sociais incluem entre outras disciplinas: Sociologia, Filosofia, Antropologia, Economia, História, Psicologia Ciências Políticas.

13 As disciplinas das Ciências Sociais têm um foco comum no comportamento social das pessoas, mesmo que cada uma delas tenha uma orientação particular. Os antropólogos geralmente estudam culturas passadas e sociedades pré-industriais que ainda existem, bem como as origens dos seres humanos. Os economistas exploram as maneiras pelas quais as pessoas produzem e trocam mercadorias e serviços, bem como o dinheiro e outros recursos. Os historiadores estão preocupados com as pessoas e os eventos do passado, e seu significado para nós hoje. Os cientistas políticos estudam as relações internacionais, os atos do governo e o exercício do poder e da autoridade. Os psicólogos investigam a personalidade e o comportamento individual.

14 Vamos considerar como as diferentes Ciências Sociais podem abordar o tema polémico da pena de morte. Os historiadores estariam interessados no desenvolvimento [nos EUA] da pena capital do período colonial até ao presente. Os economistas poderiam fazer uma pesquisa para comparar os custos das pessoas encarceradas durante toda a vida com as despesas dos recursos que ocorrem nos casos de pena de morte. Os psicólogos observariam os casos individuais e avaliariam o impacto da pena de morte na família da vítima e na do preso executado. Os cientistas políticos estudariam as diferentes posições assumidas pelos políticos eleitos e as implicações dessas posições nas suas campanhas para a reeleição. [Por seu turno, os filósofos discutiriam se a pena de morte é certa ou errada em termos morais.]

15 E qual seria a abordagem dos sociólogos? Eles poderiam verificar [entre outros aspectos] como a raça e a etnia afetam o resultado dos casos de pena de morte. De acordo com um estudo publicado em 2003, 80% dos casos de pena de morte nos Estados Unidos envolvem vítimas de cor branca, apesar de apenas 50% de todas as vítimas de assassinato serem brancas. REFLEXÃO: FAÇA O MESMO EXERCÍCIO COMPARATIVO SOBRE ABORDAGENS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS USANDO COMO TEMA CENTRAL O CARNAVAL EM SALVADOR (BA).

16 HISTÓRICO – A evolução do Carnaval nas últimas décadas: de Dodô & Osmar a Psirico ECONÔMICO – A Cadeia Produtiva do Carnaval da Bahia PSICOLÓGICO – Análise Comportamental de Sociofobia nos Trios Elétricos Baianos FILOSÓFICO – Qual o sentido do Carnaval? POLÍTICO – Aprovação de Projetos Públicos durante Eventos Festivos SOCIOLÓGICO/ANTROPOLÓGICO – Como a formação étnica influenciou a cultura musical baiana (O QUE MUDA É A ABORDAGEM / MÉTODO DE ESTUDO)

17 DIFERENÇAS ENTRE SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA Abordagem QuantitativaAbordagem Qualitativa Predomínio de Pesquisa de Gabinete (Fontes Secundárias) Predomínio de Pesquisa de Campo/Vivências (Fontes Primárias) Olha de ForaOlhar Participativo Foco nos grupos sociais e suas relações Foco no homem e sua formação (biológica, social e cultural)

18 Enquanto Ciência, pode-se estruturar o pensamento sociológico em 04 grandes temas: PARTE I – Sociologia, Cultura e Sociedade PARTE II – Organização e Controle Social PARTE III – O Indivíduo na Sociedade PARTE IV – Estática e Dinâmica Social

19 Todos nós sabemos da existência de um certo tipo de organização social entre animais não humanos (ex. divisão de trabalho das formigas). Todas as espécies animais, incluindo o ser humano, apresentam padrões de comportamento: formas regulares de ação relacionadas a determinadas situações.

20 HÁ COMPORTAMENTOS SEMELHANTES ENTRE ANIMAIS E HUMANOS NAS SEGUINTES SITUAÇÕES: FAMÍLIA TRABALHO LAZER VIAGENS?

21 SOCIALIZAÇÃO E COMUNICAÇÃO SIMBÓLICA Socializar-se é transmitir e/ou assimilar padrões de comportamento, normas, valores e crenças. Além disso, a socialização auxilia o desenvolvimento de atitudes e sentimentos coletivos através da comunicação simbólica. É o mesmo que aprendizagem, no sentido mais amplo da expressão. Todos os animais se utilizam de linguagens emocionais, porém, só o homem comunica-se através de símbolos. Símbolo é alguma coisa cujo valor ou significado é atribuído pelas pessoas que o usam.

22 EXEMPLOS DE SÍMBOLOS (discuta seus significados)

23 SÍMBOLOS Está presente em todos os momentos da vida social. Não só pela comunicação verbal (palavra), mas enriquecida por símbolos de outra ordem. Max Weber afirma: Todas as ações sociais são ações com significado. Por esta razão, todas as relações sociais possuem necessariamente uma dimensão simbólica. Gestos, cores, objetos, vestuário são exemplos. REFLITA: AS VIAGENS E ENTRETENIMENTOS POSSUEM UMA DIMENSÃO SIMBÓLICA? IDENTIFIQUE AS MAIS COMUNS. E DEPOIS AS MENOS COMUNS.

24 SIMBOLOGIA DAS VIAGENS REALIZAÇÃO DE SONHO DE CONSUMO / COMPORTAMENTO (IR ONDE QUISER, QUANDO QUISER, POR QUANTO TEMPO QUISER E FAZER O QUE QUISER) LIBERDADE STATUS / PODER AUTO-ESTIMA / AUTO-REALIZAÇÃO RECOMPENSA RENOVAÇÃO (FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL) PAPEL SOCIAL DISTINTO CONHECER CULTURAS, PAISAGENS RELAXAMENTO APRENDIZADO

25 REFLITA: COISAS IGUAIS PODEM SIMBOLIZAR ELEMENTOS DIFERENTES? EXEMPLIFIQUE. REFLITA: COISAS DIFERENTES PODEM TER A MESMA SIMBOLOGIA? REFLITA: QUAL É O MAIOR SÍMBOLO DA EXPRESSÃO HUMANA?

26 A PALAVRA é o símbolo por excelência, mas não é a sua única expressão. A Socialização é um processo permanente, embora seja mais intenso durante a infância e adolescência. Nas sociedades capitalistas urbanas, as transformações da sociedade são mais rápidas e complexas. Com isso, demandam uma socialização forçada (escola e trabalho) para a continuidade dos sistemas sociais. Socialização Primária dá aos indivíduos os padrões de comportamento básicos necessários a uma vida normal na sua sociedade. O QUE É UMA VIDA NORMAL EM SOCIEDADE?

27 Já a socialização secundária é a que se refere à aprendizagem de padrões especiais de comportamento, vinculados a determinadas posições e situações sociais. O Casamento, por exemplo, demanda tal composição ao indivíduo, que deve se comportar de acordo com as exigências sociais desta nova condição (status).

28 CULTURA (Vídeo Ambiente e Comportamento Humano (I e II) – 20 minutos) As formas de organização das relações sociais humanas se baseiam, em boa medida, em padrões artificiais. Ou seja, não se baseiam apenas em características orgânicas específicas de nossa espécie. Trata-se de um Sistema conflituoso, com elementos Bio-sócio-culturais.

29 CULTURA - DEFINIÇÃO Sentido agrícola é o original do termo (Ex. Cultura da soja se expande na Amazônia). No senso comum, significa erudição, grande soma de conhecimentos (Ex. Fulano é culto); A Cultura nasce do trabalho do homem em sociedade transformando a natureza para satisfazer suas necessidades.

30 No sentido sociológico, CULTURA é todo o resultado da criação humana. Edward Taylor: Um todo complexo que abarca conhecimentos, crenças, artes, moral, leis, costumes e outras capacidades adquiridas pelo homem como integrante da sociedade. É necessário, portanto, compreender que abarca desde IDEIAS (IMATERIAL) até ARTEFATOS(MATERIAL).

31 CULTURA MATERIAL: artefatos e objetos em geral CULTURA IMATERIAL (denota o domínio de ideias): ética, crenças, conhecimentos, técnicas, tradições, valores, normas. DÊ EXEMPLO DE ELEMENTOS DE CULTURA MATERIAL E IMATERIAL, DANDO EXEMPLOS PRÁTICOS DE PATRIMÔNIO TURÍSTICO. QUAL DELES É MAIS IMPORTANTE? POR QUE?

32 BENS CULTURAIS MATERIAIS Templos Religiosos Castelos Conjuntos Urbanos Artesanato Pinturas Rupestres Festas Folclóricas Vestimentas Típicas Esculturas BEM CULTURAL MATERIAL E IMATERIAL Gastronomia BENS CULTURAIS IMATERIAIS Literatura Música Folclore Linguagem Costumes Tradições Símbolos

33 CULTURA, portanto: Decorre essencialmente das capacidades desenvolvidas através do convívio social e não de sua herança biológica. Só o ser humano possui cultura. A cultura não é exclusiva das pessoas letradas.

34 EXISTEM CULTURAS SUPERIORES? Como diria Quinho, intérprete da Escola de Samba Salgueiro: Nem melhor, nem pior. Apenas DIFERENTE!

35 EXISTEM CULTURAS SUPERIORES? À Ciência não compete julgar. Cada cultura possui uma realidade autônoma. Só pode ser adequadamente compreendida a partir de si mesma. ETNOCENTRISMO: adotar ponto de vista e valores de uma cultura particular, para julgar outra(s). Trata-se de uma tendência humana universal. Obra clássica sobre o tema: Orientalismo, de Edward Said. O QUE PARA UM É NECESSÁRIO, PARA O OUTRO PODE NÃO SER, ESPECIALMENTE NO QUE CONCERNE AO USO DO TEMPO LIVRE. DISCUTA.

36 FUNÇÃO DA CULTURA Satisfazer as necessidades humanas. COMO? Através de meios convencionalmente corretos para atendê-las: NORMAS. A partir de CRENÇAS, se estabelecem VALORES que definem as NORMAS. Um grande número de necessidades do homem é criado pela cultura e por ele assimilado através da socialização. REFLITA: DE QUE FORMA O SISTEMA ECONÔMICO HEGEMÔNICO (CAPITALISMO) CONTRIBUI PARA A CRIAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DAS NECESSIDADES?

37 Contudo, a cultura nem sempre é harmonizada com as condições orgânicas da espécie humana para a satisfação de suas necessidades. Conflito: INSTINTO X RAZÃO (EX. Sexo)

38 O processo de fusão de culturas em contato através de troca de seus padrões e da influência mútua é chamado HIBRIDAÇÃO. Quando esta troca simboliza a dominação ou sobreposição de comportamentos, crenças e valores trata-se de ACULTURAÇÃO OU TRANSCULTURAÇÃO. REFLITA: TODO INTERCÂMBIO CULTURAL ENVOLVE UM PROCESSO DE DOMINAÇÃO ENTRE CULTURAS? O que resulta de tais processos é um produto cultural novo, diferente das matrizes culturais que lhe deram origem (não é um processo matemático)

39 Sebastião Vila Nova aponta que: …A cultura das sociedades mais simples, como notadamente as das sociedades tribais, tende a possuir um grau mais elevado de homogeneidade e de integração. Seu ritmo de transformação costuma ser mais lento… REFLITA: VOCÊ CONCORDA COM ESTA DEFINIÇÃO? POR QUE?

40 Segundo Vila Nova, isto não ocorreria nas sociedades ditas complexas, predominantemente organizadas com base na industrialização e urbanização. Nelas, a participação cultural dos indivíduos é fragmentada e diversificada, tornando-a mais heterogênea, enquanto grupo social. Por esta razão, para compreender as culturas das sociedades complexas é necessário identificar as subculturas que as compõem.

41 SUBCULTURA Significa parte da cultura As subculturas, sendo diferentes do todo, não são independentes da cultural total. As pessoas participam de subculturas, mas não são subculturas. Nas sociedades complexas, as pessoas tendem a participar simultaneamente de várias subculturas (Ex. Universitário, Paulistano, Rockeiro, com menos de 20 anos). Portanto, as subculturas podem ser espaciais, etárias, profissionais, religiosas, etc. REFLITA: DÊ EXEMPLOS DE SUBCULTURAS ASSOCIADAS AO LAZER E AO TURISMO.

42

43

44

45 COMO AS SUBCULTURAS COEXISTEM? O que torna possível sua integração em uma sociedade complexa são os chamados ELEMENTOS CULTURAIS COMUNS. Algo como um Código Geral de Conduta. Ralph Linton: Compartilhados por todos os adultos socializados, independente de sua participação nas subculturas existentes. Exemplos: idioma, princípios éticos, tradição histórica compartilhada, sentimento de pertencimento a essa tradição, etc. Trata-se, em suma, de um núcleo de integração cultural ou ELEMENTOS DA CULTURA DOMINANTE. (OU SERIA (PRE)DOMINANTE)???

46 ESTEREÓTIPOS Os participantes de subculturas mais evidentes tendem a ser vítimas de rotulações sociais, ou seja, ESTEREÓTIPOS. REFLITA: APRESENTE EXEMPLOS DE ESTEREÓTIPOS CULTURAIS DO TURISMO NACIONAL E INTERNACIONAL

47 Exemplos de Destinações, Produtos e Serviços estereotipados em Lazer e Turismo: CINEMARK DISNEY WORLD AEROMOÇA CARNAVAL DE SALVADOR CAMPOS DO JORDÃO ESTÁDIOS DE FUTEBOL NO BRASIL CVC GUIA DE TURISMO ECOLÓGICO COMUNIDADES INDÍGENAS EM UMA DESTINAÇÃO

48 ESTEREÓTIPOS Em Sociologia representam imagens preestabelecidas para todos os indivíduos pertencentes a alguma categoria social, mediante a atribuição generalizada de qualidades de caráter positivo ou negativo (ex. Corintiano maloqueiro). O estereótipo, porém, sendo uma visão preconceituosa e, por vezes, discriminatória, indica uma representação falsa das pessoas, rotuladas através dele. Em suma, é uma simplificação exagerada do processo de identificação sociológica.

49 ESTEREÓTIPO Seu aspecto positivo ou negativo é relativo (ex. Malandragem Carioca pode ser encarada tanto como qualidade como defeito) A persistência, proliferação e agravamento de estereótipos são disseminados pelos veículos de comunicação, especialmente os de massa (Ex. TV, Agência de Viagens, Guia de Turismo)

50 NORMAS Sinônimo de Código Geral de Conduta. Não existe possibilidade de organização social se não existem regras partilhadas coletivamente. As regras em sociedade se manifestam com diferentes graus de rigidez: Costumes Regras de Etiqueta Códigos Legais e Normativos

51 NORMAS: ALCANCE E APLICAÇÃO Todo sistema social compreende necessariamente um compêndio de crenças (símbolos), valores e normas. Estes dão sentido e orientam as ações dos indivíduos à satisfação de suas necessidades, individuais e coletivas.

52 Algumas normas se aplicam a todos os indivíduos, indiscriminadamente. Grande parte, porém, vale apenas para alguns, de acordo com sua posição no sistema social total. As pessoas possuem obrigações (deveres) e usufruem de benesses (direitos) de acordo com sua posição ou papel social* (*TEMA A SER DISCUTIDO EM BREVE) REFLITA: EXISTE DIFERENCIAÇÃO DE REGRAS (NORMAS) PARA USO DE PATRIMÔNIO DE LAZER E TURISMO? ENTRE QUEM? É CORRETA TAL DIFERENCIAÇÃO?

53 VALORES Não existe sociedade se não existem ideias e sentimentos semelhantes compartilhados pelos indivíduos. A vida social depende de fatores externos (dimensão física ou coletiva) e fatores internos (mental ou subjetiva). Sem o conhecimento dos fatos intermentais, não é possível a compreensão sociológica das relações sociais. As noções do que é certo e errado, belo e feio, são chamados valores sociais. Eles orientam as ações dos indivíduos. (Ex. Competição na sociedade capitalista). O ambiente social em que somos criados ajuda a definir nossos valores, inclusive para o Lazer e o Turismo. Há uma estreita ligação entre valor e norma. O primeiro justifica o segundo.

54 O VALOR DEPENDE DE QUAL PESSOA, QUAL MOMENTO, PARA QUAL FINALIDADE

55 NORMAS: SAGRADAS E SECULARES SAGRADAS: vinculadas às regras as quais são reservadas punições mais severas, formais ou informais, que podem desestabilizar a ordem social de determinado grupo (ex. Judeu comer carne de porco); SECULARES: normas tidas como de menor importância pelos indivíduos (ex. adotar a dieta da sopa para emagrecer, quebrando o padrão convencional de alimentação de determinada sociedade e/ou grupo familiar). Nas sociedades contemporâneas, há uma tendência de tolerância em relação a uma série de regras tradicionais, além do surgimento de outros padrões de comportamento. DÊ EXEMPLOS DAS DUAS SITUAÇÕES EM UMA VIAGEM

56 NORMAS: IMPLÍCITAS E EXPLÍCITAS Alguns princípios de obrigatoriedade são formulados através de normas explícitas, ou seja, expressadas verbalmente e/ou por escrito. Já as normas implícitas são consagradas pelo costume (consuetudinárias). O poder de coerção (convencimento) de uma regra não depende do fato de ser explícita ou não. Algumas leis não pegam, apesar de claras e detalhadas. Já outras regras sociais, desenvolvidas na ação cotidiana, trazem um sentimento de culpa para quem as transgride maior que muitas leis.

57 ATITUDES As atitudes, como as crenças e os valores, não são necessariamente observáveis, já que se processam na mente, sendo sua consequência, por vezes, muito sutil. As atitudes tendem a derivar do sistema de crenças, valores, opiniões e sentimentos socialmente partilhados. As atitudes interessam à sociologia enquanto são coletivamente padronizadas (ex. Ansiedade e desejo velado de comer mais quando são servidos petiscos em aviões econômicos).

58 CONTROLE SOCIAL é qualquer meio de levar as pessoas a se comportarem de forma socialmente aprovada. A socialização, através da assimilação de crenças, valores e normas é o meio básico para a busca do controle social. Outro instrumento universal são as recompensas e punições. Estas podem ser formais/ritualizadas (ex. código penal), como informais (ex. ostracismo, gelo)

59 EXPECTATIVAS DE COMPORTAMENTO Através de sua concretização em padrões de comportamento, as normas dão origem às EXPECTATIVAS DE COMPORTAMENTO. Estas são as formas esperadas de conduta, em virtude da interiorização de regularidades de ação associadas a determinadas situações. POR QUE A EXPECTATIVA DE COMPORTAMENTO É UMA FORMA DE CONTROLE SOCIAL? ESTE É POSITIVO? JUSTIFIQUE.

60 EXPECTATIVAS DE COMPORTAMENTO São fundamentais para a fluência do convívio social. Agimos, por vezes, automaticamente. IDENTIFIQUE ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DESTA PADRONIZAÇÃO DE COMPORTAMENTO PARA O LAZER E O TURISMO. Só quando identificamos a posição social do outro, é que podemos ter expectativas de comportamento em relação a ele, e fazer previsões a respeito de suas prováveis ações, além de presumir o que ele espera de nós. REFLITA: COM QUE FREQUÊNCIA E PROFUNDIDADE SE PODE IDENTIFICAR O PAPEL SOCIAL DO OUTRO? PARECER É QUASE TÃO IMPORTANTE QUANTO SER?

61 STATUS: POSIÇÃO SOCIAL É a localização do indivíduo em uma hierarquia social, de acordo com sua participação na distribuição desigual de riqueza, prestígio e poder. DEFINA RIQUEZA, PRESTÍGIO E PODER. É próprio da condição social do ser humano ocupar posições com direitos e deveres preestabelecidos, independente dos indivíduos (ex. comportamento pré-definido do Presidente da República). São coercitivos, isto é, exercem algum tipo de pressão sobre o comportamento das pessoas que os ocupam.

62 STATUS: POSIÇÃO SOCIAL Todo indivíduo ocupa várias posições sociais. Algumas posições são ocupadas por escolha pessoal (status adquirido); Outras por pressão social e/ou, involuntariamente (status atribuído).

63 PAPEL SOCIAL: O HOMEM COMO ATOR Papel é o comportamento esperado dos indivíduos para determinados status. Também pode ser atribuído por terceiros ou adquirido pessoalmente. Um elemento subjetivo imprescindível para o desempenho de papéis é a percepção de si próprio através dos olhos alheios. Esta capacidade é aprendida através da socialização. Nenhum papel social existe isoladamente (ex. só existe fiel porque tem sacerdote).

64 Também pode se situar socialmente através da participação em GRUPOS, INSTITUIÇÕES E CATEGORIAS SOCIAIS. A sociedade possui mecanismos de ESTRATIFICAÇÃO: forma de divisão de riqueza, prestígio e poder. Isto gera DESIGUALDADE SOCIAL. O SISTEMA CAPITALISTA DEPENDE DA ESTRATIFICAÇÃO? HÁ SOCIEDADES COM MAIOR MOBILIDADE SOCIAL? O QUE REPRESENTA ISSO PARA O LAZER E O TURISMO?

65 A Sociedade Capitalista é baseada na Estratificação Social (DIVISÃO DE CLASSES) Algumas sociedades apresentam MAIOR MOBILIZAÇÃO SOCIAL do que outras A divisão de classes não ocorre apenas na esfera econômica A definição do PAPEL SOCIAL e da condição atribuída e adquirida de POSIÇÃO SOCIAL (STATUS) estão intimamente ligados ao modelo social de divisão de classes

66 Os grupos sociais que fogem dos padrões de comportamento são marginalizados. O rico marginalizado se intitula excêntrico. O importante é lembrar que tanto o rico como o pobre são marginais, no sentido de estarem fora do padrão convencional. Há outras formas de marginalização (religiosa, time de futebol, idade, etc). Grupos Marginais (Ou Não-Convencionais) são mais fáceis de serem estereotipados (categorizados socialmente por uma visão parcial e limitada presente no senso comum). O Senso Comum pode ser bom (Referência Social – Expectativa) ou ruim (Discriminação).

67 INTERAÇÃO Todos os processos sociais são interativos. Representam a influência recíproca (HIBRIDAÇÃO) ou unilateral (ACULTURAÇÃO) entre dois ou mais agentes sociais. QUEM SÃO OS AGENTES SOCIAIS DO TURISMO? O QUE PREDOMINA NO UNIVERSO DAS VIAGENS: ACULTURAÇÃO OU HIBRIDAÇÃO CULTURAL? Aculturação: sobreposição de uma cultura sobre outra Hibridação: influência recíproca de duas realidades culturais distintas.


Carregar ppt "AULA 01 – ONDE ESTOU? PRA ONDE VOU? PRA QUE SERVE TUDO ISSO?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google