A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENERGIA SUSTENTÁVEL DO BRASIL S.A. Programas Ambientais Projeto Básico Ambiental Abril de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENERGIA SUSTENTÁVEL DO BRASIL S.A. Programas Ambientais Projeto Básico Ambiental Abril de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 ENERGIA SUSTENTÁVEL DO BRASIL S.A. Programas Ambientais Projeto Básico Ambiental Abril de 2010

2 2 Sistema de Gestão Ambiental (SGA) Prog. Ambiental para Construção (PAC) Prog. de Monitoramento do Lençol Freático Prog. de Monitoramento Sismológico Prog. de Monitoramento Climatológico Prog. de Monitoramento Hidrossedimentológico Prog. de Monitoramento Hidrobiogeoquímico Prog. de Monitoramento e Salvamento Paleontológico Prog. de Monitoramento Limnológico Prog. de Monitoramento e Controle de Macrófitas Aquáticas Prog. de Conservação da Flora Prog. de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) Prog. de Desmatamento do Reservatório Prog. de Conservação da Fauna Silvestre Prog. de Acompanhamento do Desmatamento e Resgate da Fauna Silvestre Prog. de Conservação da Ictiofauna Prog. de Resgate da Ictiofauna Prog. de Compensação Ambiental Prog. de Recuperação da Infraestrutura Atingida Prog. de Monitoramento e Apoio à Atividade Pesqueira Prog. de Gestão de Troncos e Detritos Prog. de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Meios Físico e Biótico PROJETO BÁSICO AMBIENTAL (PBA) Meio Socioeconômico Prog. de Acompanhamento dos Direitos Minerários e da Atividade Garimpeira Prog. de Comunicação Social Prog. de Educação Ambiental Prog. de Saúde Pública Prog. de Apoio às Comunidades Indígenas Prog. de Prospecção e Salvamento do Patrimônio Arqueológico Prog. de Remanejamento da População Atingida Prog. de Compensação Social Plano de Uso do Entorno do Reservatório Prog. de Apoio às Atividades de Lazer e Turismo Prog. de Ações a Jusante 33 Programas Socioambientais

3 3 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Execução: ESBR e FGV Objetivos Principais: – Manter uma estrutura de gestão organizada através de uma equipe com responsabilidades bem definidas para garantir a eficácia na implementação dos programas socioambientais e manter constantemente a qualidade ambiental das atividades construtivas. Ações de Implementação: – Contratação de empresas para a execução dos 33 programas socioambientais; – Acompanhamento das atividades construtivas, através de reuniões e vistorias periódicas, e dos programas; – Controle no atendimento às condicionantes das licenças ambientais e aos requisitos legais aplicáveis; – Implementação do Sistema de Informações Geográficas (SIG).

4 4 PROG. AMBIENTAL PARA CONSTRUÇÃO Execução : Camargo Correa e BS Construtora Objetivos Principais: – Determinar as diretrizes que deverão ser seguidas durante as atividades construtivas do AHE Jirau, de modo que as interferências ambientais sejam reduzidas. Ações de Implementação: – Monitoramento de efluentes dos sistema de tratamento, de emissões e de qualidade da água; – Controle do consumo de água, energia e insumos da construção; – Realização de treinamentos e campanhas educativas; – Gerenciamento de resíduos. Foto 1 – Aterro Sanitário

5 5 MONITORAMENTO DO LENÇOL FREÁTICO Execução: Geoanalises Sondagens e Monitoramentos Objetivos Principais: – Acompanhar a elevação do nível freático até estabilização do reservatório; – Avaliar os efeitos sobre a vegetação, o uso do solo e a qualidade da água subterrânea. Metodologia: – Instalação de 45 piezômetros e realização de ensaios. Foto 1 – Instalação de piezômetro Foto 2 – Piezômetro instaladoFoto 3 – Realização de ensaios

6 6 MONITORAMENTO SISMOLÓGICO Execução: Geoanalises Sondagens e Monitoramentos e UnB Objetivos Principais: – Acompanhar a evolução das atividades sísmicas naturais e induzidas antes, durante e após o enchimento do reservatório. Metodologia: – Instalação e operação de 01 (uma) estação sismológica. Figura 1 – Projeto da estação sismológica Figura 2 – Realização de ensaios

7 7 MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO Execução: ECSA Engenharia Socioambiental e SEDAM Objetivos Principais: – Acompanhar a evolução dos parâmetros climatológicos antes, durante e após o enchimento do reservatório. REDE DE MONITORAMENTO JIRAU E SANTO ANTÔNIO N°ÓrgãoTipoInícioLocalização 1SEDAMMeteorológica1997Porto Velho/RO 2INMETMeteorológica1945Porto Velho/RO 3SEDAMMeteorológica2008Ariquemes/RO 4SEDAMMeteorológica1997Guajará-Mirim/RO 5SEDAMMeteorológica2001Machadinho dOeste/RO 6SEDAMMeteorológica1997Ji-Paraná/RO 7SEDAMMeteorológica1997Cacoal/RO 8SEDAMMeteorológica1997Vilhena/RO 9SEDAMMeteorológica2001Costa Marques/RO 10SEDAMMeteorológica2008C. Novo de Rondônia/RO 11INMETPluviométrica2008Boca do Acre/AM 12INMETPluviométrica2008Humaitá/AM 13ANAPluviométrica1971Porto Velho/RO 14ANAPluviométrica1971Porto Velho/RO 15HumaitáPluviométrica1971Humaitá/AM 16SEDAMMeteorológicaInstalarPorto Velho/RO 17SEDAMMeteorológicaInstalarPorto Velho/RO 18SEDAMMeteorológicaInstalarPorto Velho/RO 19SEDAMMeteorológicaInstalarPorto Velho/RO Metodologia: – Identificação de estações existentes na região e proposição de estações a serem instaladas; – Configuração da rede de monitoramento climatológico: 15 estações existentes; 04 estações a instalar.

8 8 MONIT. HIDROSSEDIMENTOLÓGICO Execução: CNEC, COPPE/UFRJ, Instituto Sogreah, Internave, Petcon, FCTH (USP) e Geonorte do Brasil Objetivos Principais: – Monitorar e avaliar a evolução espacial e temporal do fluxo de sedimentos do rio Madeira a montante e a jusante do reservatório, antes, durante e após o enchimento do reservatório. Ações de Implementação: – Implantação e operação de estações fluviométricas; – Realização de medições de descargas líquida e sólida e de análises laboratoriais; – Levantamento de seções topobatimétricas e coleta de material para análise granulométrica; – Elaboração de banco de dados hidrossedimentométricos; – Caracterização e avaliação do sedimento transportado e retido.

9 9 MONIT. HIDROBIOGEOQUÍMICO Execução: Venturo Consultoria Ambiental, UnB e UNESP Objetivos Principais: – Monitorar as diferentes espécies de mercúrio nas matrizes ambientais (água, sedimentos, solo, macrófitas, peixes, plânctons, invertebrados aquáticos, mamíferos aquáticos) e humanas na área de influência AHE Jirau. Figura 1 – Campanhas de monitoramento Figura 2 – Divulgação do monitoramento para a sociedade

10 10 MONITORAMENTO PALEONTOLÓGICO Execução: GEOPAC e Antrópica Consultoria Científica Objetivos Principais: – Promover o levantamento de ocorrências de sítios paleontológicos e o salvamento de espécimes animais e vegetais fossilizados na área de influência do AHE Jirau. Figura 1 – Mapa dos pontos vistoriadosFigura 2 – Materiais encontrados

11 11 MONITORAMENTO LIMNOLÓGICO Execução: Life Projetos Limnológicos Objetivos Principais: – Prognosticar e mensurar as modificações na dinâmica limnológica decorrentes da implantação e operação do AHE Jirau e subsidiar a adoção de medidas de controle, caso sejam identificados problemas de qualidade da água. Foto 1 – Campanhas de monitoramentoFoto 2 – Monitoramento em tempo real

12 12 MONITORAMENTO E CONTROLE DE MACRÓFITAS AQUÁTICAS Execução: Life Projetos Limnológicos Objetivos Principais: – Acompanhar a dinâmica das macrófitas aquáticas da área de influência do AHE Jirau; – Subsidiar a adoção de medidas de controle, caso sejam identificados problemas de proliferação excessiva. Figura 1 – Campanhas de monitoramento

13 13 CONSERVAÇÃO DA FLORA Execução: CENARGEN/EMBRAPA Objetivos Principais: – Minimizar os impactos na vegetação através de monitoramento e resgate e conservação de germoplasma vegetal. Monitoramento: avaliar os efeitos sobre a vegetação. Resgate: conservar de genótipos vegetais que podem ser perdidos com a formação do reservatório. Foto 1 – Viveiro de mudas Foto 2 – Resgate no Canteiro de Obras

14 14 RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Execução: Camargo Correa e BS Construtora Objetivos Principais: – Recuperar e recompor as áreas que sofreram intervenções para implantação do AHE Jirau, incluindo áreas do Canteiro de Obras e da futura APP. Figura 1 – Viveiro de mudas no Canteiro de Obras

15 15 DESMATAMENTO DO RESERVATÓRIO Execução: Juris Ambientis, Intertechne Consultores e COPPE/UFRJ Objetivos Principais: – Estabelecer diretrizes e procedimentos de desmatamento e limpeza da área do futuro do reservatório, visando evitar os efeitos negativos sobre a qualidade da água, a fauna e a flora. Figura 1 – Mapa de Uso e Ocupação do Solo

16 16 CONSERVAÇÃO DA FAUNA Execução: ARCADIS Tetraplan e USP Objetivos Principais: – Realizar monitoramento contínuo da fauna terrestre antes, durante e após o enchimento do reservatório; – Realizar estudos qualitativos e quantitativos das espécies da região. Figura 1 – Campanhas de monitoramento

17 17 ACOMPANHAMENTO DA SUPRESSÃO E RESGATE DA FAUNA Execução: Systema Naturae Consultoria Ambiental Objetivos Principais: – Resgatar a fauna durante as atividades de supressão; – Realizar a recepção, a triagem e a destinação adequadas dos animais resgatados. Figura 1 – Acompanhamento da supressão Figura 2 – Marcações utilizadas

18 18 CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA Execução: Systema Naturae Consultoria Ambiental, Projeto Pacu Aqüicultura, Instituto Sogreah, Museu Paraense Emilio Goeldi, Itaipu Binacional e Universidade Federal de Maringá Objetivos Principais: – Avaliar o impacto da implantação do AHE Jirau sobre a ictiofauna e subsidiar as medidas de mitigação para o manejo e conservação da ictiofauna. Figura 1 – Campanhas de monitoramento Figura 2 – Sistema experimental Figura 3 – Estudos específicos

19 19 RESGATE DA ICTIOFAUNA Execução: Systema Naturae Consultoria Ambiental, Museu Paraense Emilio Goeldi, Itaipu Binacional e Universidade Federal de Maringá Até o momento, as atividades do resgate ocorreram em duas áreas: Recinto 1 (entre a margem direita e a Ilha Pequena) e Recinto 2 (entre a Ilha Pequena e a Ilha do Padre). Nos dois recintos, foi obtido índice de mortantade zero: – Otimização do projeto; – Integração entre as equipes de Meio Ambiente e Engenharia; – Monitoramento da qualidade da água, uso de aeradores e de bombas de fluxo reverso; – Treinamento de todos os profissionais envolvidos; – Participação de especialistas. Estão em andamento as atividade de resgate no Recinto 3 (entre a margem direita e a Ilha do Padre), com o mesmo sucesso dos resgates anteriores.

20 20 COMPENSAÇÃO AMBIENTAL Execução: ESBR Objetivos Principais: – Destinar recursos financeiros para a implantação e manutenção de Unidades de Conservação. – Total de recursos: R$ 34 milhões. Figura 1 – UC localizadas na área de influência

21 21 RECUPERAÇÃO DA INFRAESTRUTURA Execução: Intertechne Consultores Objetivos Principais: – Manter e recompor as condições de acesso e de comunicação das populações nas áreas próximas ao AHE Jirau e demais usuários da infraestrutura existente. Figura 1 – Mapa da infraestrutura atingida pelo empreendimento Infraestrutura atingida: – Rodovia BR-364; – Linha de Transmissão (LT) de 230 kV da ELETRONORTE; – Cabo de fibra ótica da Brasil Telecom; – Estradas vicinais.

22 22 MONITORAMENTO E APOIO À ATIVIDADE PESQUEIRA Execução: UNIR Objetivos Principais: – Caracterizar e monitorar a atividade pesqueira na área de influência do AHE Jirau; – Identificar e monitorar os possíveis efeitos ambientais e sociais sobre a atividade pesqueira gerados pela implantação do empreendimento.

23 23 GESTÃO DE TRONCOS E DETRITOS Execução: Intertechne Consultores e Instituto Sogreah Objetivos Principais: – Identificar, quantificar e caracterizar o material transportado no rio Madeira e fornecer informações para subsidiar a elaboração da solução para a gestão de troncos e detritos flutuantes e submersos. Metodologia: – Campanhas mensais de contagem de troncos flutuantes; – Vistorias para caracterização do material, com coleta de amostras. Foto 1 – Contagem de troncos flutuantes Foto 2 – Tronco retido na margem do rio

24 24 MONIT. DE PONTOS PROPENSOS À INSTABILIZAÇÃO DE ENCOSTAS E TALUDES MARGINAIS Execução: Geoanalises Sondagens e Monitoramentos Objetivos Principais: – Identificar áreas críticas, monitorar e controlar a erosão das encostas e taludes marginais. Metodologia: – Realização de sondagens; – Realização de ensaios de campo e de laboratório; – Instalação de marcos; – Levantamentos através de imagens; – Vistorias de campo. Figura 1 – Execução de ensaios STP

25 25 Sistema de Gestão Ambiental (SGA) Prog. Ambiental para Construção (PAC) Prog. de Monitoramento do Lençol Freático Prog. de Monitoramento Sismológico Prog. de Monitoramento Climatológico Prog. de Monitoramento Hidrossedimentológico Prog. de Monitoramento Hidrobiogeoquímico Prog. de Monitoramento e Salvamento Paleontológico Prog. de Monitoramento Limnológico Prog. de Monitoramento e Controle de Macrófitas Aquáticas Prog. de Conservação da Flora Prog. de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) Prog. de Desmatamento do Reservatório Prog. de Conservação da Fauna Silvestre Prog. de Acompanhamento do Desmatamento e Resgate da Fauna Silvestre Prog. de Conservação da Ictiofauna Prog. de Resgate da Ictiofauna Prog. de Compensação Ambiental Prog. de Recuperação da Infraestrutura Atingida Prog. de Monitoramento e Apoio à Atividade Pesqueira Prog. de Gestão de Troncos e Detritos Prog. de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Meios Físico e Biótico PROJETO BÁSICO AMBIENTAL (PBA) Meio Socioeconômico Prog. de Acompanhamento dos Direitos Minerários e da Atividade Garimpeira Prog. de Comunicação Social Prog. de Educação Ambiental Prog. de Saúde Pública Prog. de Apoio às Comunidades Indígenas Prog. de Prospecção e Salvamento do Patrimônio Arqueológico Prog. de Remanejamento da População Atingida Prog. de Compensação Social Plano de Uso do Entorno do Reservatório Prog. de Apoio às Atividades de Lazer e Turismo Prog. de Ações a Jusante 33 Programas Socioambientais

26 26 Execução: CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Implementar nova disciplina para a atividade de extração mineral na área do AHE Jirau; – Atuar com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão regulador e poder concedente dos bens minerais da União. ACOMPANHAMENTO DOS DIREITOS MINERÁRIOS E DA ATIVIDADE GARIMPEIRA Foto 1 – Barco de garimpo Foto 2 – Draga de garimpo

27 27 COMUNICAÇÃO SOCIAL Execução: Clara Comunicações Objetivos Principais: – Criar e manter canais de comunicação com as comunidades; – Informar e esclarecer à população, poder público, sociedade civil e trabalhadores da obra, sobre as atividades de implantação do AHE Jirau. Foto 1 – Visita na comunidade rural Foto 2 – Entrega de informativo

28 28 EDUCAÇÃO AMBIENTAL Execução: CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Treinar e capacitar monitores para o trabalho de educação ambiental e desenvolvimento sustentável com a população local valorizando os saberes populares.; – Ampliar a participação popular nos processos de produção e difusão de conhecimento sobre questões ambientais; – Fazer a educação ambiental se tornar um meio de conscientização e de transformação social. Foto 1 – Oficina de manejo Foto 2 – Beneficiamento de sementes

29 29 SAÚDE PÚBLICA Execução: CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Desenvolver ações para estender, melhorar e qualificar o atendimento de saúde da população da área do AHE Jirau; – Estabelecer medidas que permitam o monitoramento e prevenção de doenças. Foto 1 – Palestra sobre a dengue Foto 2 – Palestra sobre DST

30 30 APOIO ÀS COMUNIDADES INDÍGENAS Execução: ESBR e CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Realizar diagnóstico para desenvolver programas que tragam benefícios socioambientais e econômicos em longo prazo para as populações indígenas; – Apoiar o uso racional dos recursos indígenas através de instrumentos de comunicação a respeito do ponto de vista sociocultural e econômico indígena, de fauna e flora, relacionando-as aos principais usos, dieta alimentar, ciclos rituais e saúde pública. TI Uru-Eu-Wau-Wau TI Kaxarari TI Igarapé Lage TI Igarapé Ribeirão

31 31 PROSPECÇÃO E SALVAMENTO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO Execução: Documento e UNICAMP Objetivos Principais: – Realizar pesquisas arqueológicas e resgate dos sítios arqueológicos pré- históricos e históricos situados na área do canteiro de obras e do futuro reservatório do AHE Jirau; – Preservar, monumentos, localidades, estruturas e todos os elementos considerados de importância para a memória local e cultura regional para manter resguardada a tradição histórico-cultural. Foto 3 – Patrimônio cultural: EFMM Foto 2 – Urnas funerárias encontradas Foto 1 – Sítio de gravuras rupestres

32 32 REMANEJAMENTO DA POPULAÇÃO ATINGIDA Execução: ESBR e ECSA Engenharia Socioambiental Objetivos Principais: – Remanejar a população da Área de Influência Direta (AID) do AHE Jirau, buscando manter ou melhorar os padrões de qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável dos moradores que residem, trabalham, desenvolvem atividades ou sobrevivem dos recursos naturais existentes nesta área. Para isso serão realizadas ações participativas para a escolha das opções de remanejamento e forma de indenização. Situação do Remanejamento Tipo PropriedadeNúmero de Famílias Urbana299 Rural173 Total472

33 33 COMPENSAÇÃO SOCIAL Execução: ESBR e CNEC Engenharia Realização de investimento social destinado a contribuir decisivamente para o desenvolvimento social e econômico local e regional; Os valores de investimento da ordem de R$159 MM entre Estado e Município; Recursos utilizados na construção de escolas, postos de saúde, capacitação da comunidade entre outros. Foto 1 – Projeto Escola 12 salas de aula Foto 2 – Projeto Posto de Saúde

34 34 PLANO DE USO DO ENTORNO DO RESERVATÓRIO Execução: CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Propor usos e ocupação do solo (zoneamento) para a utilização da melhor maneira das áreas do entorno do reservatório do AHE Jirau; – Garantir a melhoria da qualidade ambiental na área de entorno do reservatório; – Definir os ambientes adequados para receber as comunidades a serem realocadas, além da alocação de espécies animais e o zoneamento ecológico e econômico na área do entorno do futuro reservatório.

35 35 APOIO ÀS ATIVIDADES DE LAZER E TURISMO Execução: CNEC Engenharia Objetivos Principais: – Implantar projetos no segmento de turismo e de lazer com ampla participação da comunidade e poder público, pelo aumento da demanda no setor turístico em razão da atração de contingentes populacionais nas fases de implantação e operação do empreendimento.

36 36 AÇÕES A JUSANTE Execução: IEPAGRO Objetivos Principais: – Gerar oportunidade de trabalho e renda para produtores rurais, pescadores e população residente nas comunidades ribeirinhas; – Desenvolver uma caracterização da população residente e das atividades econômicas desenvolvidas no local; – Acompanhar as alterações ocorridas nas mesmas, durante e após a implantação do empreendimento, para identificar as causas possíveis das alterações identificadas. Foto 1 – Comunidades a jusante


Carregar ppt "ENERGIA SUSTENTÁVEL DO BRASIL S.A. Programas Ambientais Projeto Básico Ambiental Abril de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google