A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aspectos de segurança na utilização de equipamentos eletromédicos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aspectos de segurança na utilização de equipamentos eletromédicos."— Transcrição da apresentação:

1 Aspectos de segurança na utilização de equipamentos eletromédicos

2 Acidente no ambiente hospitalar é fato! Estes envolvem, o profissional da área da saúde como também pacientes, visitantes, instalações e equipamentos. Muitos acidentes acarretam vários tipos de prejuízos, sendo que destes, alguns dão origem a ações legais movidas entre os envolvidos. Essa situação tem ocorrido e sido registrada, com freqüência, em países desenvolvidos; no Brasil já estão sendo dados os primeiros passos na mesma direção, através da ANVISA na sua divisão de TECNOVIGILÂNCIA.

3 Quando um acidente ocorre no ambiente hospitalar, a organização sofre consideravelmente todas as conseqüências a ele relacionado. São conseqüências sociais, econômicas ou materiais. A mais grave delas é a perda da vida humana. É no sentido de minimizar os riscos potenciais de acidente que o entendimento das fontes de lesão no ambiente hospitalar deve ser conhecido e os seus riscos controlados.

4 Dentre estas fontes de lesão estão os equipamentos eletromédicos. Com o avanço da tecnologia estes equipamentos tornam-se mais complexos a cada dia, o que aumenta sua susceptibilidade à erros operacionais, mas os deixam mais confiáveis e seguros do ponto de vista técnico, tais aparelhos são muito mais seguros contra sobrecargas e descargas elétricas que seus antecessores. Quem regulamenta e libera a comercialização destes equipamentos no Brasil é a ANVISA.

5 Atualmente os equipamentos eletromédicos comercializados no Brasil devem atender a um conjunto de requisitos e normas: –RDC 50: Boas Práticas de Fabricação de equipamentos médicos –NBR IEC : Equipamento Eletromédico – Prescrições Gerais para Segurança ; e normas técnicas particulares da série NBR IEC –Possuir certificado de conformidade do SBC (Sistema Brasileiro de Certificação) –Registro do produto (ativo) na ANVISA

6 Porém possuir todas as certificações e atender plenamente as normas não isenta os equipamentos do risco de acidentes. Para podermos evitar estes acidentes devemos ter em mente que os mesmos são ocasionados por um conjunto de falhas, seqüenciadas ou não; e que podem ter como resultado danos materiais leves e, nos piores casos, danos irreversíveis ao paciente. Nesse ponto, é importante mencionar algumas definições e afirmações relacionadas a erros:

7 –"O erro humano é uma decisão ou comportamento indesejável que reduz ou tem potencial para reduzir a eficácia, segurança ou performance de um sistema". –"Erro de operação é a principal fonte de risco para hospitais que usam equipamento biomédico". –... no mínimo, metade de todas as lesões ou mortes de pacientes relacionadas a equipamentos médicos envolvem o mau uso ou erro de operação feito pelo pessoal do hospital, incluindo falha ao seguir as instruções do fabricante". Fonte: ANVISA – Boletim Informativo de Tecnovigilância. Abril, 2004.

8 Para minimizar a possibilidade de falha humana, algumas medidas devem ser observadas. –Treinamento dos usuários, quanto da utilização / operação dos equipamentos; –Programas de incentivo para o bom uso e conservação dos aparelhos; –Check list operacional do equipamento antes de admitir novo paciente; –Avaliar o funcionário quanto ao conhecimento da utilização do aparelho.

9 Além da falha humana, outro fator que compõe um acidente é a falha mecânica, ou seja, quando o problema vêm do equipamento eletromédico. Tal falha é uma das piores que se pode esperar dentro do ambiente hospitalar, pois a equipe médica precisa ter total confiança em seus aparelhos, e os mesmos não devem ser fontes de erros, através de mau funcionamento; porém, como qualquer máquina, estão sujeitos a defeitos e quebras.

10 Caso real ocorrido em ambiente hospitalar. Num berçário patológico de hospital, onde estavam diversas crianças, ocorreu uma explosão seguida de incêndio em uma incubadora, cujo ocupante pereceu carbonizado. A conclusão de inquérito legal foi: "Homicídio culposo, morte de recém- nascido por causa de incêndio em berçário de hospital. Manutenção precária de aparelhagem – responsabilidade de encarregado de manutenção. Negligência também da atendente de enfermagem. Culpa criminal de ambos caracterizada !!" Fonte: ANVISA: Manual de Segurança no Ambiente Hospitalar

11 Responsabilização da Manutenção, segundo o inquérito: O encarregado da manutenção dos equipamentos não "examinou e cuidou com a diligência e atenção necessária da referida aparelhagem, concorrendo, dessa forma, com a sua negligência, no exercício de suas funções, decisivamente, para que o evento ocorresse Fonte: ANVISA: Manual de Segurança no Ambiente Hospitalar

12 Responsabilização da Enfermagem, segundo o inquérito: O atendente, por sua vez, "negligenciou nos cuidados que deveria manter com a referida vítima colocada na incubadora sinistrada e era sua obrigação manter vigilância redobrada e permanente sobre tal aparelho e, além de tudo, cuidar para que a criança recém-nascida fosse colocada em outra incubadora, pois existiam outras disponíveis " Fonte: ANVISA: Manual de Segurança no Ambiente Hospitalar

13 Medidas para minimizar falhas em equipamentos eletromédicos: Possuir equipe especializada na manutenção destes equipamentos; Instalação de um programa de manutenção preventiva; Instalação de um programa de calibração; Interação entre equipe de manutenção e corpo clínico para aumento da vida útil e confiabilidade dos equipamentos;

14 A observância destes itens, aumenta significativamente o índice de segurança na utilização dos equipamentos, assegurando ao paciente e equipe médica a certeza de confiabilidade nos equipamentos. É importante realçar que os itens abordados anteriormente não devem ser implantados apenas em partes, mas sim em conjunto, não se pode garantir confiabilidade sem programas adequados de: Manutenção Preventiva; Calibração e Treinamento.

15 Cuidados na Utilização de Equipamentos Eletromédicos Como já discutimos anteriormente todos os equipamentos médicos comercializados no Brasil, devem respeitar uma série de quesitos presentes nas normas pertinentes, porém é necessário que sua utilização seja feita de acordo com o que consta no manual de instruções do próprio equipamento. Como todo equipamento eletro-eletrônico, os equipamentos médicos também estão sujeitos a perturbações vindas da rede elétrica, a seguir alguns itens de segurança a serem observados:

16 O aterramento dos equipamentos deve ser eficiente, e o pino de aterramento presente no cabo de força do aparelho deve estar em boas condições, NÃO DEVE SER REMOVIDO. Pino de Aterramento

17 Apesar de serem construídos de modo a isolar a parte elétrica de alimentação da parte de sinal em contato com o paciente, equipamentos médicos que estão conectados à rede elétrica sem o aterramento, são potenciais fontes de risco para equipe e paciente. Outro fator de risco é a realização de aterramentos inadequados, como por exemplo, utilizar o cabo de aterramento externo do equipamento e conectá-lo à rede de gases.

18 Também é importante observar cabos e conectores de sensores em contato com o paciente, os mesmos devem estar com sua isolação externa intacta e conectados firmemente ao aparelho. EM SEU DEVIDO LUGAR! Se está difícil conectar, deve haver algo errado! NÃO FORCE CONECTORES, CHAME A MANUTENÇÃO!

19 Alguns equipamentos merecem atenção especial na sua utilização, como é o caso de bisturis eletrocirúrgicos, estes equipamentos utilizam alta tensão e alta freqüência, com uma baixa corrente nominal, para realizar dissecações e outros procedimentos, nestes aparelhos é imprescindível estar atento à: Contato do eletrodo de retorno (placa) e o paciente; Aterramento do ESU e da mesa cirúrgica; Contato dos eletrodos do monitor cardíaco;

20 Caso haja algum tipo de mau contato ou ausência de aterramento o médico e o paciente podem sofrer graves queimaduras e choques elétricos. Queimadura causada por mau contato do eletrodo do monitor cardíaco e falha de aterramento.

21 Para finalizar, a utilização de equipamentos médicos requer atenção, conhecimento e cuidado, além de manutenção adequada e constante, somente assim consegue-se diminuir o risco associado a utilização destes aparelhos e aumentar a confiabilidade nos mesmos gerando segurança tanto para a equipe quanto ao paciente.

22 MUITO OBRIGADO !! O arquivo desta apresentação está disponível para download no endereço:


Carregar ppt "Aspectos de segurança na utilização de equipamentos eletromédicos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google