A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FERRAMENTAS Fluxograma Lista de Verificação Diagrama de causa e efeito

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FERRAMENTAS Fluxograma Lista de Verificação Diagrama de causa e efeito"— Transcrição da apresentação:

1 Ferramentas da Qualidade para Controle da Qualidade e Resolução de Problemas

2 FERRAMENTAS Fluxograma Lista de Verificação Diagrama de causa e efeito
Diagrama de Pareto Histograma Diagrama de dispersão Brainstorming

3 FLUXOGRAMA INÍCIO FASE 1 DO PROCESSO DECISÃO FASE N DO PROCESSO FIM

4 LISTA DE VERIFICAÇÃO PROBLEMA M Ê S TOTAL A 1 2 3 4 5 6 7 8 B C D E I
II III IIII 9 10 12 15 20 13 67 Lista de verificação são formulários usados para padronizar e verificar resultados de trabalho, ou para verificar e coletar dados que poderão ser úteis para clarificar e identificar problemas

5 Diagrama causa e efeito OU Diagrama de Ishikawa OU Espinha de Peixe O diagrama de causa-e-efeito mostra sistematicamente as relações entre problemas no trabalho(efeito) e suas causas. Na solução de problemas, seleciona-se como efeito o problema que se deseja solucionar, e então busca suas causas.

6 Diagrama Causa e Efeito
CAUSA PRIMÁRIA CAUSA PRIMÁRIA CAUSA SECUNDÁRIA CAUSA SECUNDÁRIA CAUSA SECUNDÁRIA EFEITO CAUSA SECUNDÁRIA CAUSA SECUNDÁRIA CAUSA SECUNDÁRIA CAUSA PRIMÁRIA

7 Classes de causas: os 4 Ms
MATERIAL MÉTODO PROBLEMA DE PRODUÇÃO MÃO DE OBRA MÁQUINA

8 Causa e Efeito: Um Bom Restaurante
Instalações Comida ingredientes prédio higiene preparo paladar decoração pratos quentes variedades limpeza pratos frios Bom Restaurante acesso maitre silêncio barman garçons segurança porteiro Localização Atendimento

9 Diagrama Causa e Efeito: Variabilidade
Método Carro Dirigir muito rápido Ajuste ignição Desconhecimento do Manutenção do motor manual do proprietário Velas Sempre atrasado Não escutar o motor Calibração incorreta Rádio alto Ajuste marcha lenta Impaciência Falta de calibração Problema de audição Pressão pneus Ajuste carburador Uso incorreto das marchas ALTO CONSUMO DE Pouco treinamento COMBUSTÍVEL Combustível fora de especificação Direção imprópria Falta de óleo Falta de manual Óleo incorreto Falta de atenção Manutenção inadequada Lubrificação inadequada Falta de conhecimento Motorista Material

10 Diagrama de Ishikawa: relação causa => efeito
MATÉRIA-PRIMA MÁQUINA MEDIÇÃO Fornecedores Deterioração Instrumento Condições locais Fornecimento próprio Manutenção Inspeção EFEITO Características da qualidade Itens de controle Oficina Físico Informação Instrução Clima Mental Procedimento MEIO AMBIENTE MÃO-DE-OBRA MÉTODO Fatores de qualidade Itens de verificação CAUSAS PROCESSO FATORES DE PRODUÇÃO = 6M Figura 3.1 / pág 18

11 “Management” (gestão)
Ms 4Ms Mão de obra Método Material Máquina Ms Meio ambiente Medição “Management” (gestão) 5o M 6o M 7o M

12 Os 4 Ps Políticas Procedimentos 4 Ps Pessoal Planta

13 Diagrama de causa e efeito
Saúde Moral Encorajamento Orgulho Relaxamento Espírito de luta Nutrição Calorias Descanso Dedicação Paciência Alimentação Divertimento Calma Tempo Cuidado Quantidade Compostura Sono Concentração Confiança Profundidade Derrota em uma partida esportiva Força Informação Tempo Movimento Estudo do adversário Programa Planejamento Velocidade Exercício Análise Regras Cooperação Quantidade Qualidade Bom senso Observação Trabalho de equipe Recomendação Avaliação da situação Função Forma Experiências em partidas Modelo Repetição Estratégia Técnica Fonte: KUME, H, Métodos estatísticos para melhoria da qualidade. São Paulo: Gente, 1993.

14 Diagrama de Pareto Pareto é um gráfico de barras mostrando uma estratificação de várias causas ou características de defeitos, falhas, reclamações, e outros problemas. O número ou custos dessas causas ou fenômenos são mostrados em ordem decrescente através de barras de tamanhos diferentes. Gráficos de Pareto são usados para correta e objetivamente identificar os problemas mais importantes, e clarear as metas a serem atacadas na solução de problemas

15 DIAGRAMA DE PARETO P E R C E N T U A L D E F E I T O S 20 40 A B D C E
A B D C E 60 80 100 P E R C E N T U A L D E F E I T O S

16 Diagrama de barras Erros em pedidos de peças Porcentagem de erros
300 - 200 - 100 - 0 - - 100 - 80 - 60 - 40 - 20 - 0 Número do contrato errado Código de preço errado Código do fornece-dor errado Número de peça errado Data de entrega errada 94 80 66 33 27 Erros em pedidos de peças Porcentagem de erros Freqüência de erros

17 Defeitos por tipo - Tabela

18 Defeitos por tipo - ordenada

19 Defeitos por tipo - Diagrama de barras

20 Princípio de Pareto 80 % do resultado 20 % dos indivíduos

21 Histograma O histograma é uma forma gráfica de apresentar a distribuição de freqüências de uma variável. O histograma é um gráfico de barras verticais construído com os resultados da tabela de freqüências

22 Medidas de cintura

23 Tabela de classes e freqüências

24 Distribuição Normal m ±3 s 99,7% m ±2 s 95,4% m ± s 68,3% ' ' ' ' ' '
-3 s m -2 s m - s m m + s m +2 s m +3 s

25 Parâmetros de uma distribuição
Média Variância Desvio padrão

26 Diagrama de dispersão È um gráfico onde pontos de dois conjuntos de dados que compartilham de alguma dependência são colocados num gráfico. É um instrumento que permite saber se os dois conjuntos de dados são correlacionados

27 DIAGRAMA DE DISPERSÃO VARIÁVEL 1 VARIÁVEL 2

28 Porcentagem de defeitos x pressão de sopro

29 Diagrama de dispersão

30 Correlação Positiva Negativa Provavelmente positiva
y y 10- 10- 9- 9- 8- 8- 7- 7- 6- 6- 5- 5- 4- 4- 3- 3- 2- 2- 1- 1- 0- ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' 10 x 0- ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' x 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 y y 10- 10- 9- 9- 8- 8- 7- 7- 6- 6- 5- 5- 4- 4- 3- 3- 2- 2- 1- 1- 0- ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' x 0- ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' x 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Provavelmente positiva Provavelmente negativa

31 Sem correlação visível

32 Peso e altura de 50 pessoas
homem # mulher Altura Altura (m) (m) 2,00- 2,00- # 1,95- 1,95- # 1,90- 1,90- # # # # 1,85- 1,85- # # 1,80- 1,80- # # # 1,75- 1,75- # # # 1,70- # 1,70- # 1,65- 1,65- # # # # # # 1,60- 1,60- # # # 1,55- 1,55- 1,50- ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' 1,50- Peso (Kg) ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90 95 Peso (Kg) 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90 95 a) 50 pessoas sem estratificação: não há correlação aparente b) as mesmas 50 pessoas, mas com estratificação de homens e mulheres: a correlação torna-se visível.

33 “Brainstorming” Tempestade de Idéias
Brain = Idéia Storming = Tempestade

34 “Brainstorming”: Tempestade de idéias
Preparação Brainstorming Seleção convergente divergente convergente Detalhar a solução mais adequada para implementação Esclarecer o problema e os objetivos Levantar um grande número de idéias

35 Tipos de Brainstorming
Estruturado participantes apresentam suas idéias segundo ordem pré-estabelecida. Não estruturado participantes apresentam suas idéias conforme elas ocorrem. Misto começa estruturado muda para não estruturado quando idéias escasseiam

36 Regras do Brainstorming

37 Seleção Selecionar idéias viáveis Agrupar idéias redundantes
Melhorar idéias Escolher as melhores (votação múltipla) Estruturar solução (diagrama de afinidades)

38 6 SIGMAS – HISTÓRIO/DEFINIÇÃO
A abordagem seis sigma foi desenvolvida pela Motorola, na década de oitenta, com o objetivo de reduzir a taxa de falhas em seus produtos eletrônicos manufaturados. O programa foi elaborado com o severo desafio do “desempenho livre de defeitos”, e tinha como principais objetivos o aprimoramento da confiabilidade do produto final e a redução de sucata. A origem do padrão Seis Sigma está num trabalho de benchmarking conduzido pela Motorola. Foram associados os dados internos de sua experiência de pedidos, pagamento de fatura e ordens de pagamento a outras estatísticas vinculadas ao dia-a-dia nos Estados Unidos, como a precisão de contas de restaurante, perda de bagagem aérea e prescrição de medicamentos. Também foram pesquisadas empresas conhecidas como tendo alta qualidade e níveis elevados de satisfação do cliente (conhecidas como “best-in-class”) e comparadas com empresas médias. As empresas médias tinham taxas de falhas numa faixa de 3000 a por milhão de passos/procedimentos, o que é equivalente a um nível Sigma de 3 a 4. Os resultados das melhores empresas, as tais “best-in-class”, foram próximos a 3,4 falhas por milhão, que é equivalente ao nível de 6 Sigma.

39 SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia
Figura : Tradução do nível da qualidade para a linguagem financeira.

40 OUTRAS FERRAMENMTAS Benchmarking, 5 S 4 W 3 H = 4Q1POC (o que, quando,
Análise do campo de forças Benchmarking, 5 S 4 W 3 H = 4Q1POC (o que, quando, quem, quanto, porque, onde, como) Kamban Just in Time Ciclo PDCA ETC.


Carregar ppt "FERRAMENTAS Fluxograma Lista de Verificação Diagrama de causa e efeito"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google