A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Flávio Paranhos PUC Goiás UnB CEP-HC-UFG CONEP Ética e transplantes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Flávio Paranhos PUC Goiás UnB CEP-HC-UFG CONEP Ética e transplantes."— Transcrição da apresentação:

1 Flávio Paranhos PUC Goiás UnB CEP-HC-UFG CONEP Ética e transplantes

2 Ética n A Filosofia moral se propõe a difícil pergunta: O que devo fazer? n Ser > dever ser n Do assim é não se deriva (necessariamente) o assim deve ser.

3 Ética n Tomada de decisão (O que devo fazer?) n Julgamento da tomada de decisão do outro

4 Ética n A chave para a tomada de decisão em transplantes de órgãos estará tanto na ética quanto na bioética.

5 ÉTICA n NORMAS – ÉTICA NORMATIVA (as propõe) – ÉTICA DESCRITIVA (as descreve) n As normas têm origens diversas: biológicas (ex: incesto > doenças genéticas), culturais (ex: poligamia > pode, não pode), históricas (escravatura, discriminações diversas).

6 Éticas normativas n Não-Conseqüencialistas As normas morais são imperativos categóricos universais, ou seja valem SEMPRE. Ex: Mentir > NUNCA Conseqüencialistas: As normas morais levam em consideração suas conseqüências. Ex.: Mentir > DEPENDE

7 Éticas n A ética não-conseqüencialista é a ética dos escrúpulos, da voz da consciência n A conseqüencialista é a ética pragmática, do cálculo. n Qual das duas é a mais certa?

8 Ética e transplantes n Dilemas Você é diretor de um hospital que faz transplantes. Está com uma longa lista de espera Uma pessoa saudável chega até você dizendo que pretende se suicidar. Ela tem seus motivos e está determinada a fazê-lo. Pede-lhe que a ajude para poder aproveitar seus órgãos. Você tem absoluta segurança de que ninguém saberá.

9 Ética e transplantes n Dilemas Você é diretor de um hospital que faz transplantes. Está com uma longa lista de espera... Se você auxiliar o suicídio, a pessoa não sofrerá e você aproveitará 2 rins, 2 córneas, fígado, etc... Salvará pelo menos 5 pessoas e devolverá a visão a outras 2.

10 Ética e transplantes n Dilemas 2- Você é um médico africano imigrante ilegal na Inglaterra. Descobre um esquema de tráfico de órgãos (pessoas pobres vendem seus rins para pacientes ricos). O esquema é precário e os doadores não raramente morrem. O traficante lhe propõe realizar as cirurgias por dinheiro, mas como isso não adianta, lembra a você que, se você não fizer, os doadores morrerão.

11 Ética e transplantes n Dilemas 3- Você é presidente do Brasil. Tem maioria no congresso. Tem a possibilidade de fazer passar uma lei que estabeleça a doação compulsória de órgãos, sem possibilidade de recusa antecipada e/ou por parte da família.

12 Bioética n Bioética principialista – Não-maleficência – Beneficência – Autonomia – Justiça

13 Bioética n Não-maleficência – Antes de tudo não fazer mal (ao paciente). n Beneficência – Fazer o bem (ao paciente) – Não-maleficência > deixar de agir – Beneficência > agir

14 Bioética n Autonomia – Respeitar a vontade consciente e informada do paciente. n Justiça – Tratamento igualitário (comunidade, sociedade)

15 Bioética A bioética principialista é consequencialista ou não-consequencialista?

16 Bioética Tomada de decisão baseada em princípios sugere ética não-consequencialista. Entretanto, as duas situações são possíveis. Obedecer um princípio não é, necessariamente, obedecer a consciência, embora esta possa ser construída com base nos princípios.

17 Bioética Exercício: 1- Lei tornando doação compulsória. É defensável pela ética? É defensável pela bioética (principialista)? 2- Permitir a venda de órgãos de doadores mortos 3- Permitir a venda de órgãos de doadores vivos

18 Obrigado


Carregar ppt "Flávio Paranhos PUC Goiás UnB CEP-HC-UFG CONEP Ética e transplantes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google