A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AUMENTO DA DISPONIBILIDADE OPERACIONAL DOS EQUIPAMENTOS; PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE; REDUÇÃO DE CUSTOS, MÃO-DE-OBRA E MATERIAIS; O B J E T I V O.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AUMENTO DA DISPONIBILIDADE OPERACIONAL DOS EQUIPAMENTOS; PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE; REDUÇÃO DE CUSTOS, MÃO-DE-OBRA E MATERIAIS; O B J E T I V O."— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4 AUMENTO DA DISPONIBILIDADE OPERACIONAL DOS EQUIPAMENTOS; PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE; REDUÇÃO DE CUSTOS, MÃO-DE-OBRA E MATERIAIS; O B J E T I V O S

5 MANUTENÇÃO CORRETIVA Manutenção realizada após a falha da máquina. FINALIDADE: Colocar o equipamento em operação. S ISTEMAS DE M ANUTENÇÃO E XISTENTES

6 MANUTENÇÃO PREVENTIVA 1. Manutenção desenvolvida de acordo a planos fixos preestabelecidos envolvendo reparos de rotina e substituição de partes e componentes das máquinas. 2. Também manutenção planejada. Manutenção de rotina (periódica) da máquina ou lubrificante realizada em resposta a limites cronológicos de utilização. FINALIDADE: Reduzir a probabilidade de falha. S ISTEMAS DE M ANUTENÇÃO E XISTENTES

7 MANUTENÇÃO PREDITIVA Um tipo de manutenção baseada nas condições enfatizando a previsão prematura de falhas utilizando técnicas não destrutivas tais como análise de vibração, e análise de resíduos de desgaste, serviço realizado em intervalos pré determinados. FINALIDADE: Prever falhas antes da quebra do equipamento. S ISTEMAS DE M ANUTENÇÃO E XISTENTES

8 MANUTENÇÃO PROATIVA Um tipo de manutenção baseada nas condições enfatizando a detecção e correção das condições das raízes das causas que, de outra maneira, poderiam resultar numa falha. Tais raízes de causas como elevada contaminação do lubrificante, alinhamento e balanceamento estão entre as mais críticas. FINALIDADE: Detectar ou retardar o processo de falha. S ISTEMAS DE M ANUTENÇÃO U TILIZADO

9 MANUTENÇÃO PROATIVA Aumento da vida útil dos componentes do sistemas hidráulicos. Origem das causas de falhas: Contaminação do fluido acima do aceitável. Análise química do fluido fora do especificado. Temperatura do fluido instável. Cavitação do fluido. CONCLUSÃO: Manutenção proativa tem objetivos de manter os parâmetros críticos das origens das causas dentro dos limites aceitáveis. SISTEMAS DE MANUTENÇÃO UTILIZADOS

10 VAZAMENTO ZERO SISTEMAS HIDRÁULICOS PREVIAMENTE PROJETADOS DENTRO DAS NORMAS DO FABRICANTE E TODAS AS PARTES INSTALADAS COM O RIGOR NECESSÁRIO, PERMANECEREM NA CONDIÇÃO DE VAZAMENTO ZERO. DEFINIÇÃO

11 VAZAMENTO ZERO CONSIDERAÇÕES A maioria ou quase totalidade dos equipamentos, que hoje estão em operação, não foram projetados, construídos e instalados de acordo com a tecnologia recomendada para vazamento zero; Exigir de empresas contratadas como prestadoras de serviços o conhecimento da tecnologia aplicada no programa de vazamento zero;

12 VAZAMENTO ZERO Para a grande maioria dos profissionais que trabalham com equipamentos hidráulicos e lubrificação, falar de vazamento zero é utopia; Um programa de vazamento zero em equipamentos industriais, deve ser implantado de uma forma semelhante ao programa de acidente zero, educando as pessoas para trabalharem de acordo com uma nova atitude, a atitude de vazamento zero;

13 VAZAMENTO ZERO INCLUIR NAS REFORMAS E GRANDES REPAROS DE EQUIPAMENTOS A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DO PROGRAMA DE VAZAMENTO ZERO; REVISAR EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES, ASESPECIFICAÇÕES DOS SOBRESSALENTES PARA ATENDER OS REQUISITOS DE VAZAMENTO ZERO;

14 VAZAMENTO ZERO - INICIATIVAS DIVULGAR AS EXIGÊNCIAS DAS NORMAS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE, QUANTO AOS VAZAMENTOS DE ÓLEO EM EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS; O VAZAMENTO ZERO NUNCA SERÁ OBTIDO APENAS COM ESFORÇO E DEDICAÇÃO DE ALGUNS, MAS SIM, COM A MUDANÇA DE ATITUDE DE TODOS; REVISAR OS PADRÕES E PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO DE ACORDO COM A ATITUDE DE VAZAMENTO ZERO; SOMENTE O REAPERTO DE CONEXÕES E FLANGES, NA MAIORIA DAS VEZES NÃO ELIMINA O VAZAMENTO.

15 PROJETAR AS OPERAÇÕES DO EQUIPAMENTO HIDRÁULICO COM O MÍNIMO DE CHOQUE E VIBRAÇÃO; UTILIZAR ACUMULADORES PARA ABSORÇÃO DO CHOQUE HIDRÁULICO; EVITAR O CHOQUE HIDRÁULICO POR COMPRESSÃO OU DESCOMPRESSÃO; UTILIZAR AMORTECEDORES DE PULSAÇÃO NA SAÍDA DAS BOMBAS; VAZAMENTO ZERO - INICIATIVAS

16 REDUZIR O NÍVEL DE RUÍDO DE TODO EQUIPAMENTO HIDRÁULICO; REDUZIR A VARIEDADE E A QUANTIDADE DE CONEXÕES; UTILIZAR MANGUEIRAS NAS SAÍDAS DAS BOMBAS; REDUZIR O NÚMERO DE VEDAÇÕES DINÂMICAS; UTILIZAR BLOCOS MANIFOLDS; VAZAMENTO ZERO - INICIATIVAS

17 UTILIZAR MATERIAIS DE VEDAÇÃO COMPATÍVEIS COM A TEMPERATURA DE OPERAÇÃO E O TIPO DE FLUIDO APLICADO; UTILIZAR VÁLVULAS CONTROLADORAS QUE DISPONHAM DE MEIOS PARA ABERTURA E FECHAMENTO SEM PROVOCAR CHOQUES; USAR FLANGES DE 4 PARAFUSOS COM VEDAÇÃO POR ANEL ELASTOMÉRICO; ( NORMA ISO 6162 ) UTILIZAR PARAFUSOS DE ALTA RESISTÊNCIA E APLICAR O TORQUE CORRETO; VAZAMENTO ZERO - INICIATIVAS

18 NÃO UTILIZAR ROSCAS CÔNICAS (NPT, NPTF, BSPT E PT); NÃO UTILIIIZAR TUBOS ROSCADOS; UTILIZAR ANÉIS DE VEDAÇÃO NORMALIZADOS; REDUZIR A VARIEDADE DE ANÉIS DE VEDAÇÃO; UTILIZAR RESERVATÓRIOS SELADOS E PRESSURIZADOS; UTILIZAR SUPORTES QUE ABSORVAMVIBRAÇÃO DAS TUBULAÇÕES; VAZAMENTO ZERO - INICIATIVAS

19 MEIO AMBIENTE CUSTOS GESTÃO DA MANUTENÇÃO PRODUÇÃO SEGURANÇA GESTÃO DA MANUTENÇÃO - JUNTE AS PARTES

20

21 GESTÃO DA MANUTENÇÃO POLÍTICA SEJA QUAL FOR A NECESSIDADE DO CLIENTE, INTERVENÇÃO COLETIVA, PLANEJAMENTO DE PARADAS DE PLANTAS OU MESMO A GESTÃO DA MANUTENÇÃO A EMPRESA POSSUI O MODELO ADEQUADO, PODENDO TRABALHAR EM DIVERSAS FORMAS DE CONTRATO, DENTRO DO PLANEJAMENTO E A PROGRAMAÇÃO DO CLIENTE. OBJETIVO DE FORNECER MEIOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES E TÉCNICAS QUE PERMITEM AO SETOR DE MANUTENÇÃO UM AUMENTO NA EFICIÊNCIA.

22 T E C N O L O G I A ENGENHARIA. Moderna: Equipamentos e profissionais capacitados. Parceria com empresas de tecnologia reconhecida mundialmente. NORMAS. ASME ( ) - Memoriais de cálculos. ISO - Construtivas, de acordo com suas séries. NR-13 - Norma nacional de segurança, caldeiras e vasos de pressão (13.6). GESTÃO DA MANUTENÇÃO

23 RECURSOS HUMANOS TREINAMENTO: A atuação da A EMPRESA, nos diversos seguimentos industrial é possível porque investe no treinamento de seus colaboradores. São profissionais qualificados e experientes que analisam e planejam todos as etapas de cada projeto sempre utilizando tecnologia atualizada. CURSOS Treinamento e atualizações no Brasil. Treinamento e atualizações no exterior. GESTÃO DA MANUTENÇÃO

24 RECURSOS HUMANOS SEGURANÇA: Atuando sempre em ambientes agressivos o programa de segurança é uma questão prioritária, estamos sempre adequando os métodos de prevenção de acidentes nos diversos tipos de plantas industriais de nossos parceiros. A consciência de todos pela segurança é fruto do treinamento, da participação e do comprometimento pela qualidade de vida do ambiente de trabalho. GESTÃO DA MANUTENÇÃO

25 MODELO DE GESTÃO APLICADO A A EMPRESA utiliza um modelo para manutenção de cilindros, fazendo um casamento entre: 1. RECUPERAÇÃO (Correção imediata) 2. PADRONIZAÇÃO (Gerador dos benefícios)

26 DESGASTES PREMATUROS PRINCIPAIS CAUSAS DOS PROBLEMAS APLICAÇÃO FORA DO ESPECIFICADO Pressão, temperatura, vedação, camada de cromo.... ESTOCAGEM. Estocar por mais de 30 dias sem procedimento. GOLPES HIDRÁULICOS. Falta de amortecimento. GOLPES MECÂNICOS. (Fadiga) Folga nas fixações. IMPUREZAS NO SISTEMA. Geradas pelo próprio sistema ou ambiente.

27

28 PERFORMANCE EM CONTRATOS Redução do número de cilindros recuperados em 15% no primeiro ano. Redução de 30% em valor após o primeiro ano. Após 05 anos de contrato número de cilindros está em torno de 55% menor. Redução no número de horas parada na produção. Redução nos gastos com fluídos. Padronização dos itens recuperados. Redução do número de itens no estoque. Menor agressão ao meio ambiente.

29 BENEFÍCIOS GM C OMPETITIVIDADE ImagemImagem MercadoMercado C USTOS Redução do DesperdícioRedução do Desperdício S EGURANÇA ReconhecimentoReconhecimento pelo exemplo pelo exemplo ÉticaÉtica O RGANIZAÇÃO ProdutividadeProdutividade MotivaçãoMotivação Parcerias (Internas/Externas)Parcerias (Internas/Externas)

30 CUSTOS DE MANUTENÇÃO CUSTO DA OPERAÇÃOPERDA DE PRODUÇÃO ESTOQUE ALTOMEIO AMBIENTE DESGASTE: CLIENTE - FORNECEDOR

31 PRINCÍPIOS RECURSOS HUMANOS MEIO AMBIENTE SEGURANÇA PARTE INTEGRANTE DA GESTÃO DE MANUTENÇÃO

32 GESTÃO DA MANUTENÇÃO POLÍTICA Que padrões de trabalho adequados respeitem a segurança, o meio ambiente e a saúde de todos, principal condição, na proposta da GESTÃO DA MANUTENÇÃO, e que todos os processos operacionais sejam continuamente melhorados.

33 GESTÃO DA MANUTENÇÃO Trabalhando de acordo com os procedimentos estabelecidos; Identificando as anomalias; Planejamento das atividades, evitando vazamentos; Garantindo o uso de procedimentos atualizados nas áreas; Registrando os dados das atividades de forma legível e confiável. COMO CONTRIBUIR COM A GESTÃO


Carregar ppt "AUMENTO DA DISPONIBILIDADE OPERACIONAL DOS EQUIPAMENTOS; PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE; REDUÇÃO DE CUSTOS, MÃO-DE-OBRA E MATERIAIS; O B J E T I V O."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google