A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

9º Ano Artigo de Opinião Prof. Luciana de Paula Osório.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "9º Ano Artigo de Opinião Prof. Luciana de Paula Osório."— Transcrição da apresentação:

1 9º Ano Artigo de Opinião Prof. Luciana de Paula Osório

2 É um gênero textual que pertence ao âmbito jornalístico e se caracteriza pela exposição de um ponto de vista sobre determinado assunto.

3 É comum encontrar esse gênero circulando em revistas, jornais, como também na internet, com temas polêmicos de relevância social que exigem posição por parte dos emissores (autores), causando também uma manifestação no leitor, ou seja, fazendo-o a tomar uma posição também.

4

5 Pode ser usada a 1ª pessoa (singular (eu) ou plural(nós)). Deve possuir: Título (Polêmico e Instigante) Introdução (Apresentando a TESE) Desenvolvimento (Argumentação) Conclusão (Proposta de Intervenção)

6 A tese é apresentada no primeiro parágrafo do texto, que constitui a introdução do artigo; No desenvolvimento, que representa a maior parte do texto, o autor vai expondo suas opiniões e os argumentos em defesa de suas ideias, procurando deixar claro para o leitor o seu ponto de vista; Na conclusão, no último parágrafo, o autor expõe sua opinião final, propondo uma intervenção, ou seja, uma possível solução para o problema.

7 LIBERDADE ESTRUTURAL (de acordo com a proposta mantendo a norma-padrão da língua); O AUTOR DOMINA O ASSUNTO; A LINGUAGEM COSTUMA VARIAR CONFORME O PERFIL DOS LEITORES (formal ou informal); APRESENTA UMA CLARA INTENÇÃO PERSUASIVA (Convencimento).

8 O importante é não se contentar mais com um texto com cara de redação escolar. É preciso ousar. Ousar com responsabilidade, bom senso e respeito à estrutura básica de uma dissertação: a apresentação do tema abordado com um ponto de vista (INTRODUÇÃO-TESE), a argumentação (DESENVOLVIMENTO- PROCEDIMENTOS ARGUMENTATIVOS) e uma retomada da tese inicial ou sugestões são propostas (CONCLUSÃO-PROPOSTA DE INTERVENÇÃO).

9 Deve-se ter preocupação fundamental com o tema oferecido, levando-se em conta que o parágrafo introdutório é o norteador de toda a estrutura dissertativa, aquele que carrega uma ideia nuclear a ser utilizada de maneira pertinente em todo o desenvolvimento do texto. Cuidados para não desviar-se do tema e tese são fundamentais: sempre releia o primeiro parágrafo.

10 Existem diversas maneiras de se elaborar a introdução de um artigo de opinião. Entretanto, o que veremos a seguir, vale ressaltar, são alguns modelos sugestivos, e não regras. As mais comuns são:

11 abre-se o parágrafo com uma afirmação. É a forma mais comum de se desenvolver a introdução. Política e televisão são duas instâncias da sociedade brasileira que parecem reunir o maior número de pessoas despreparadas e desqualificadas. É como se escolhessem a dedo as piores, com raras exceções, para legislar ou executar, animar shows de auditório ou de entrevistas, etc..

12 quando se tem por objetivo conceituar algo (um processo, uma ideia, uma situação): "Violência é toda ação marginal que atinge o indivíduo de maneira irreversível: uma bala perdida ou intencional, um assalto, um amigo ou conhecido que perde a vida inesperadamente através de ações inomináveis..."

13 Nas grandes cidades brasileiras, não existe sequer um indivíduo que não tenha sido vítima de violência: 48% das pessoas já foram molestadas, 31% tiveram algum bem pessoal furtado, 15% já se defrontaram com um assaltante dentro de casa, 2% presenciaram assalto a ônibus....

14 Ou uma sequência de interrogações – é uma forma criativa de envolver e despertar a atenção do leitor. ATENÇÃO! Deve-se tomar cuidado com o número de interrogações: todas deverão ser respondidas por você nos parágrafos argumentativos pois, afinal, é você quem estará opinando e não deve esperar que o seu leitor responda por você, muito menos sua banca corretora. É verdade que, depois da porta arrombada, uma tranca é sempre nela colocada? Foi pensando assim que o governo nomeou a procuradora aposentada Anadyr de Mendonça Rodrigues para comandar a Corregedoria Geral da União, que tem status de ministério, porque visa à apuração de todas as irregularidades cometidas no país."

15 TIPOS DE ARGUMENTOS 1. Argumento de Autoridade: a conclusão se sustenta pela citação de uma fonte confiável, que pode ser um especialista no assunto ou dados de instituição de pesquisa, uma frase dita por alguém, líder ou político, algum artista famoso ou algum pensador, enfim, uma autoridade no assunto abordado. A citação pode auxiliar e deixar consistente a tese. Não se esqueça de que a frase citada deve vir entre aspas. Veja: O cinema nacional conquistou nos últimos anos qualidade e faturamento nunca vistos antes. Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça - a famosa frase-conceito do diretor Gláuber Rocha – virou uma fórmula eficiente para explicar os R$ 130 milhões que o cinema brasileiro faturou no ano passado. (Adaptado de Época, 14/04/2004)

16 2. Argumento por Causa e Conseqüência: para comprovar uma tese, você pode buscar as relações de causa (os motivos, os porquês) e de conseqüência (os efeitos). Observe: Ao se desesperar num congestionamento em São Paulo, daqueles em que o automóvel não se move nem quando o sinal está verde, o indivíduo deve saber que, por trás de sua irritação crônica e cotidiana, está uma monumental ignorância histórica. São Paulo só chegou a esse caos porque um seleto grupo de dirigentes decidiu, no início do século, que não deveríamos ter metrô. Como cresce dia a dia o número de veículos, a tendência é piorar ainda mais o congestionamento – o que leva técnicos a preverem como inevitável a implantação de perigos. (Adaptado de Folha de S. Paulo. 01/10/2000)

17 3. Argumento de Exemplificação ou Ilustração: a exemplificação consiste no relato de um pequeno fato (real ou fictício). Esse recurso argumentativo é amplamente usado quando a tese defendida é muito teórica e carece de esclarecimentos com mais dados concretos. Veja o texto abaixo: A condescendência com que os brasileiros têm convivido com a corrupção não é propriamente algo que fale bem de nosso caráter. Conviver e condescender com a corrupção não é, contudo, praticá-la, como queria um líder empresarial que assegurava sermos todos corruptos. Somos mesmo? Um rápido olhar sobre nossas práticas cotidianas registra a amplitude e a profundidade da corrupção, em várias intensidades. Há a pequena corrupção, cotidiana e muito difundida. É, por exemplo, a da secretária da repartição pública que engorda seu salário datilografando trabalhos para fora, utilizando máquina, papel e tempo que deveriam servir à instituição. Os chefes justificam esses pequenos desvios com a alegação de que os salários públicos são baixos. Assim, estabelece-se um pacto: o chefe não luta por melhores salários de seus funcionários, enquanto estes, por sua vez, não funcionam. O outro exemplo é o do policial que entra na padaria do bairro em que faz ronda e toma de graça um café com coxinha. Em troca, garante proteção extra ao estabelecimento comercial, o que inclui, eventualmente, a liquidação física de algum ladrão pé-de-chinelo. (Jaime Pinksky/Luzia Nagib Eluf.. Brasileiro(a) é Assim Mesmo, Ed.Contexto)

18 4. Argumento de Provas Concretas ou Princípio: ao empregarmos os argumentos baseados em provas concretas, buscamos evidenciar nossa tese por meio de informações concretas, extraídas da realidade. Podem ser usados dados estatísticos ou falsos ou fatos notórios (de domínio público). São expedientes bem eficientes, pois, diante de fatos, não há o que questionar... No caso do Brasil, homicídios estão assumindo uma dimensão terrivelmente grave. De acordo com os mais recentes dados divulgados pelo IBGE, sua taxa mais que dobrou ao longo dos últimos 20 anos, tendo chegado à absurda cifra anual de 27 por mil habitantes. Entre homens jovens (de 15 a 24 anos), o índice sobe a incríveis 95,6 por mil habitantes. (Folha de S. Paulo. 14/04/2004)

19 6. Argumento de Senso Comum: É o argumento que traz uma afirmação que representa consenso geral, incontestável. São mais utilizados quando se quer defender um ponto de vista, uma opinião, um argumento que é massificado; ninguém irá apelar contra, pois é conhecido universalmente.

20 7. Dados Concretos: São argumentos que buscam representar a realidade fidedignamente. Eles buscam ilustrar a realidade de modo irrefutável. Dados estatísticos, pesquisas científicas e ocorrências históricas documentadas são exemplos de argumentos concretos. Muitas vezes os Argumentos de Autoridade e Argumentos Concretos se misturam. Quando isso ocorre, a argumentação torna-se mais densa ainda. Exemplo: "A aplicação de castigo físico a mulheres de 'mau comportamento' continua a ser vista como um dever e um direito da família. Uma pesquisa feita em 2008 com 4700 afegãs mostrou que 87% já tinha sido vítimas de espancamentos ou abusos sexuais e psicológicos – em 82% dos casos, infligidos por aparentes." Veja, 19 de maio, 2010.

21 Retome o que foi dito na introdução, porém, sem se repetir de forma tão evidente; Evite termos que indiquem tratar-se da conclusão. O último parágrafo já é a conclusão; Não utilize pronomes pessoais; Seja conciso e seguro ao reafirmar sua posição. Seja coerente ao propor intervenções, procure soluções viáveis e possíveis de execução na sociedade.

22 A leitura de vários pontos de vista, anote num papel os argumentos que mais lhe agradam, eles podem ser úteis para fundamentar o ponto de vista que você irá desenvolver. Ao compor seu texto, leve em consideração o interlocutor: quem irá ler a sua produção? A linguagem deve ser adequada ao gênero e ao perfil do público leitor. Escolha os argumentos, entre os que anotou, que podem fundamentar a ideia principal do texto de modo mais consciente, e desenvolva-os sem ser repetivo.

23 Pense num enunciado capaz de expressar a ideia principal que pretende defender. Pense na melhor forma possível de concluir seu texto: retome o que foi exposto, ou confirme a ideia principal, ou faça uma citação de algum escritor ou alguém importante na área relativa ao tema debatido. Crie um título que desperte o interesse e a curiosidade do leitor.

24 Após o término do texto, releia e observe se nele você se posiciona claramente sobre o tema; se a ideia está fundamentada em argumentos fortes e se estão bem desenvolvidos; se propôs uma intervenção, se a linguagem está adequada ao gênero; se o texto apresenta título e se é convidativo e, por fim, observe se o texto como um todo é persuasivo.

25 Releia o seu texto; Faça uma revisão ortográfica; Reescreva o texto, se necessário. BOM TRABALHO!!!


Carregar ppt "9º Ano Artigo de Opinião Prof. Luciana de Paula Osório."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google