A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Panorama da sociedade brasileira: Século XX Antecedentes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Panorama da sociedade brasileira: Século XX Antecedentes."— Transcrição da apresentação:

1 Panorama da sociedade brasileira: Século XX Antecedentes

2 Café, Trabalho escravo e imigração Antecedentes: Antecedentes: Brasil: exportador de matérias primas e gêneros agrícolas (açúcar, fumo, algodão) e consumidor de produtos manufaturados Brasil: exportador de matérias primas e gêneros agrícolas (açúcar, fumo, algodão) e consumidor de produtos manufaturados. Pacto colonial: a Metrópole portuguesa impedia a fabricação de produtos manufaturados e incentivava a produção agrícola. Pacto colonial: a Metrópole portuguesa impedia a fabricação de produtos manufaturados e incentivava a produção agrícola.

3 Modo de produção Escravista Escravista 1850: marco das pressões para o fim do tráfico negreiro. Extinção do tráfico e Lei de Terras. 1850: marco das pressões para o fim do tráfico negreiro. Extinção do tráfico e Lei de Terras. Lei de terras: instituiu a propriedade privada da terra, impedindo o acesso a ela, or parte de ex escravos e imigrantes. Lei de terras: instituiu a propriedade privada da terra, impedindo o acesso a ela, or parte de ex escravos e imigrantes. Pressão para o fim do escravismo e busca de alternativa para o abastecimento de mão de obra. Pressão para o fim do escravismo e busca de alternativa para o abastecimento de mão de obra.

4 Café- economia cafeeira Café- economia cafeeira Produção doméstica até final do século XVIII. Produção doméstica até final do século XVIII. 1820: cultura comercial- Vale do Paraíba entre Sp e Rio 1820: cultura comercial- Vale do Paraíba entre Sp e Rio café se torna líder das exportações brasileiras café se torna líder das exportações brasileiras. Concentraçaõ de terras- barões do café- base de sustentação do Império. Concentraçaõ de terras- barões do café- base de sustentação do Império. Caminho da cultura cafeeira: RJ, Sul de minas, Vale do Paraíba, Oeste de SP. Caminho da cultura cafeeira: RJ, Sul de minas, Vale do Paraíba, Oeste de SP.

5 Ferrovias Necessidade de escoaento da produção cafeeira Necessidade de escoaento da produção cafeeira O complexo cafeeiro: diversificação de atividades urbanas (reflexo no urbano): comercialização, transporte, sacarias, beneficiamento (máquinas) O complexo cafeeiro: diversificação de atividades urbanas (reflexo no urbano): comercialização, transporte, sacarias, beneficiamento (máquinas) Antes- tropas de mulas, estradas de terra até portos do Rjaneiro, Parati e Santos. Antes- tropas de mulas, estradas de terra até portos do Rjaneiro, Parati e Santos.

6 Estradas de ferro Símbolo da Revolução Industrial Inglesa Símbolo da Revolução Industrial Inglesa 1a. No Brasil: a São Paulo Railway, ligando santos a Jundiaí 1a. No Brasil: a São Paulo Railway, ligando santos a Jundiaí Campo de investimento para o capital cafeeiro Campo de investimento para o capital cafeeiro Escoamento mais rápido- consolidação do grupo cafeeiro em São Paulo. Escoamento mais rápido- consolidação do grupo cafeeiro em São Paulo. Residências nas cidades- processo de urbanização. Ex: cidade de São Paulo. Residências nas cidades- processo de urbanização. Ex: cidade de São Paulo.

7 Comercialização do café São Paulo como entreposto comercial e financeiro: crescimento da população/ migraõçes e imigração estarngeira. São Paulo como entreposto comercial e financeiro: crescimento da população/ migraõçes e imigração estarngeira. Comissários do café e primeiros Bancos nacionais. Comissários do café e primeiros Bancos nacionais. Empréstimos da Inglaterra e endividamento do Estado. Empréstimos da Inglaterra e endividamento do Estado. Capital inglês: subsidiava as ferrovias e outros serviços de urbanização. Capital inglês: subsidiava as ferrovias e outros serviços de urbanização.

8 Escravidão Ao mesmo tempo: alicerce da econimia e do estado Nacional, mas minava a cidadania e a nacionalidade brasileiras. Aos poucos: consciência dos prejuízos da escravidão: à economia e pela degradaçaõ moral e cultural. Ao mesmo tempo: alicerce da econimia e do estado Nacional, mas minava a cidadania e a nacionalidade brasileiras. Aos poucos: consciência dos prejuízos da escravidão: à economia e pela degradaçaõ moral e cultural. Preconceito contra o trabalho manual, embrutecimento das relações sociais e de trabalho. Preconceito contra o trabalho manual, embrutecimento das relações sociais e de trabalho.

9 Experiências de trabalho livre Sistema de Parceria: o. Fazendeiro a introduzir mão de obra estrangeira: Nicolau de Campos Vergueiro- imigrantes alemães e suíços- Fazenda Ibicaba, interior de SP. Sistema de Parceria: o. Fazendeiro a introduzir mão de obra estrangeira: Nicolau de Campos Vergueiro- imigrantes alemães e suíços- Fazenda Ibicaba, interior de SP. Sistema de meia, mas que endividava o trabalhador (1a. Colheita do café- 4 anos) Sistema de meia, mas que endividava o trabalhador (1a. Colheita do café- 4 anos) Em 1855: havia imigrantes em 30 fazendas da Província de SP. Em 1855: havia imigrantes em 30 fazendas da Província de SP.

10 Homens livres na ordem escravocrata: Transição para o trabalho livre Coexistência do trabalho livre com o trabalho escravo- padrão escravista nas relações de trabalho. Coexistência do trabalho livre com o trabalho escravo- padrão escravista nas relações de trabalho. Fracasso do sistema de parceria (endividamento dos trabalhadores, revoltas, não cumprimento dos contratos, falta de liberdade dos trabalhadores). Fracasso do sistema de parceria (endividamento dos trabalhadores, revoltas, não cumprimento dos contratos, falta de liberdade dos trabalhadores). Não havia um mercado de trabalho livre para substituição dos trabalhadores Não havia um mercado de trabalho livre para substituição dos trabalhadores

11 Transição para o trabalho livre proibição do tráfico (escassez de mão de obra) proibição do tráfico (escassez de mão de obra) Lei do Ventre Livre, Lei dos sexagenários – continuação do tráfico entre as regiões N/ NE e Sudeste Lei do Ventre Livre, Lei dos sexagenários – continuação do tráfico entre as regiões N/ NE e Sudeste. A Lei de Terras forçou o assalariamento dos imigrantes impedindo o acesso às terras. A Lei de Terras forçou o assalariamento dos imigrantes impedindo o acesso às terras.

12 Fim do tráfico Forçou a mecanização da cafeicultura, o descaroçamento, a classificação e ensacamento, incentivando a produção de maquinaria. Forçou a mecanização da cafeicultura, o descaroçamento, a classificação e ensacamento, incentivando a produção de maquinaria. Deslocamento da produção cafeeira, do Vale do Paraíba (esgotamento do solo) para o interior do estado de SP, Oeste, regiões de Franca, Ribeirão Preto, São Carlos, Araraquara e expansão das ferrovias. Deslocamento da produção cafeeira, do Vale do Paraíba (esgotamento do solo) para o interior do estado de SP, Oeste, regiões de Franca, Ribeirão Preto, São Carlos, Araraquara e expansão das ferrovias. 1871/1886 até política de Imigração subsidiada de mão de obra estrangeira. 1871/1886 até política de Imigração subsidiada de mão de obra estrangeira.

13 Estradas de Ferro X Regiões cafeeiras: interior do estado 1- R.Norte: Vale do Paraíba e Litoral 1- R.Norte: Vale do Paraíba e Litoral 2- R.Central: R da Capital e Campinas 2- R.Central: R da Capital e Campinas 3- Mogiana: parte de Campinas a Ribeirão preto até M.Gerais. 3- Mogiana: parte de Campinas a Ribeirão preto até M.Gerais. 4- Paulista: de Limeira a Araraquara. 4- Paulista: de Limeira a Araraquara. 5- Araraquarense:Araraquara a S.J.R.Preto 5- Araraquarense:Araraquara a S.J.R.Preto 6- Noroeste:de Bauru a Pres. Alves 6- Noroeste:de Bauru a Pres. Alves 7- Sorocabana: de Botucatu a Pres.Prudente 7- Sorocabana: de Botucatu a Pres.Prudente (MILLIET, Sérgio. Roteiro do café e outros ensaios. HUCITEC: SP, (MILLIET, Sérgio. Roteiro do café e outros ensaios. HUCITEC: SP, 1982.

14 Imigração Estado como agenciador de mão de obra: custos de transporte, abastecimento do mercado de trabalho, baixos salários- sistema de colonato. Estado como agenciador de mão de obra: custos de transporte, abastecimento do mercado de trabalho, baixos salários- sistema de colonato. A partir de entrada em massa de imigrantes- período da Grande Imigração- Fluxo e maioria de italianos. Maiores nacionalidades; portugueses, italianos e espanhóis. Entre 1886 e os italianos representam 60% do total dos imigrantes. A partir de entrada em massa de imigrantes- período da Grande Imigração- Fluxo e maioria de italianos. Maiores nacionalidades; portugueses, italianos e espanhóis. Entre 1886 e os italianos representam 60% do total dos imigrantes.

15 Imigração Italiana Para o total do estado: Entre 1887 e 1900, entraram em SP italianos. A população total do Estado era de em Nesse ano, 21% da população era estrangeira. Em 1920, para uma população total do Estado, de , 18% era estrangeira. Para o total do estado: Entre 1887 e 1900, entraram em SP italianos. A população total do Estado era de em Nesse ano, 21% da população era estrangeira. Em 1920, para uma população total do Estado, de , 18% era estrangeira. Construção e Hospedaria em SP e Santos. Construção e Hospedaria em SP e Santos. Período das grandes epidemias: final do século XIX até 1904: febre amarela, cólera, tracoma, etc. Período das grandes epidemias: final do século XIX até 1904: febre amarela, cólera, tracoma, etc.

16 Formação da cultura e do povo brasileiro. Formação étnica, social e econômica Formação étnica, social e econômica Brancos, Negros, índios mestiços e imigrantes europeus. Brancos, Negros, índios mestiços e imigrantes europeus. Política de branqueamento da população Política de branqueamento da população A elite era branca, letrada e liberal, formada nas Faculdades de Direito, Medicina e Engenharia. A elite era branca, letrada e liberal, formada nas Faculdades de Direito, Medicina e Engenharia. Questão racial: Sílvio Romero e Nina Rodrigues: valorização da raça branca. Idéia de que a raça branca devia preponderar. Ataque à miscigenação como causa dos males da nação. Questão racial: Sílvio Romero e Nina Rodrigues: valorização da raça branca. Idéia de que a raça branca devia preponderar. Ataque à miscigenação como causa dos males da nação. Mestiços e jagunços do interior- marcas da degeneração. (M. Lobato, Jeca Tatu-homem do interior) Mestiços e jagunços do interior- marcas da degeneração. (M. Lobato, Jeca Tatu-homem do interior)


Carregar ppt "Panorama da sociedade brasileira: Século XX Antecedentes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google