A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BALDONEDO ARTHUR NAPOLEÃO SUBSECRETÁRIO DO AGRONEGÓCIO CENÁRIOS ATUAIS DO AGRONEGÓCIO E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BALDONEDO ARTHUR NAPOLEÃO SUBSECRETÁRIO DO AGRONEGÓCIO CENÁRIOS ATUAIS DO AGRONEGÓCIO E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS."— Transcrição da apresentação:

1 BALDONEDO ARTHUR NAPOLEÃO SUBSECRETÁRIO DO AGRONEGÓCIO CENÁRIOS ATUAIS DO AGRONEGÓCIO E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS

2 AGRONEGÓCIO NO MUNDO 2

3 DISTRIBUIÇÃO % POPULAÇÃO MUNDIAL * Estimativa ANOS Bilhões de hab.2,57,09,3 CRESCIMENTO POPULACIONAL Fonte: FAO/2010 China 19,8% Demais países (192) 52,0 % Índia 17,2% EUA 4,5% Indonésia 3,6% Brasil 2,9% Fonte: CIA WORLD FACTBOOK/2010 China + India = 37% 3

4 CONCENTRAÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL % POPULAÇÃO NA ZONA URBANA 50% 60% FONTE: FMI E OIT/ IBGE POPULAÇÃO BRASILEIRA – ZONA RURAL 4

5 Fonte: CIA WORLD FACTBOOK PIB PER CAPITA MUNDIAL (US$) PRINCIPAIS PAÍSES – US$** (2009) PosiçãoPaísPIB 1ºQatar ºLuxemburgo ºNoruega ºBrunei ºKuwait PosiçãoPaísPIB 6ºCingapura ºEUA ºIrlanda ºIlhas Cayman ºSan Marino PosiçãoPaísPIB 11ºHong Kong ºIslândia ºSuíça ºAndorra ºCanadá ºBrasil9.400 **Valores do PIB – Paridade de Poder de Compra, que é o PIB desconsiderando a variação da taxa de câmbio dos diferentes países. * Estimativa. Dados a preços de

6 PRODUÇÃO, ÁREA PLANTADA E ESTOQUES MUNDIAIS DE GRÃOS* Taxa de crescimento anual média = 2,0% Var. no período= 25,6% PRODUÇÃO DE GRÃO – MILHÕES DE TONELADAS MÉTRICAS ÁREA COLHIDA – MILHÕES DE HECTARES Taxa de crescimento anual média = 0,8% Var. no período= 8,8% ESTOQUE FINAL – MILHÕES DE TONELADAS MÉTRICAS Taxa de crescimento anual média = (1,3%) Var. no período= (13,0%) Fonte: USDA/Junho de 2011 ** Estimativa.* Referente a arroz, aveia, centeio, cevada, milho, soja, sorgo e trigo. 6

7 MILHO SOJA ARROZ TRIGO RAZÃO ENTRE O ESTOQUE FINAL E O CONSUMO DIÁRIO GRÃOS SELECIONADOS DIAS Fonte: USDA * Estimativa 7

8 PRODUÇÃO DE CAFÉ Fonte: USDA/Junho de 2011 CAPACIDADE DE ABASTECIMENTO MUNDIAL RAZÃO ENTRE O ESTOQUE FINAL E O CONSUMO DIÁRIO DIAS * Taxa de crescimento anual média = 1,2% Var. no período= 15% * Estimativa. MILHÕES DE SACAS Taxa de crescimento anual média = 13,4% Var. no período= 336% 8

9 CARNE DE FRANGO RAZÃO ENTRE O ESTOQUE FINAL E O CONSUMO DIÁRIO PRODUTOS SELECIONADOS DIAS Fonte: USDA * Estimativa. CARNE SUÍNA CARNE BOVINA LEITE EM PÓ 9

10 DESAFIOS – AGRONEGÓCIO 10

11 AGRICULTURA ENERGIA ÁGUA ALIMENTOS MEIO AMBIENTE POBREZA FONTE: ALAN G. MACDIARMID (PRÊMIO NOBEL DE QUÍMICA) DESAFIOS GLOBAIS DA SOCIEDADE EDUCAÇÃO DEMOCRACIA POPULAÇÃO DOENÇAS TERRORISMO & GUERRA OS DEZ MAIORES PROBLEMAS PARA A HUMANIDADE NOS PRÓXIMOS ANOS 11

12 DEMANDA DE ALIMENTOS PRODUÇÃO AGRÍCOLA GLOBAL PRECISA DOBRAR ATÉ 2050 PARA QUE A FOME SEJA ERRADICADA E A SEGURANÇA ALIMENTAR MUNDIAL SEJA ASSEGURADA. FONTE: DIRETOR-GERAL ASSISTENTE DA FAO E REPRESENTANTE REGIONAL PARA ÁSIA E PACÍFICO, HIROYUKI KONUMA ATUALMENTE A FOME CRÔNICA AFETA + DE 900 MILHÕES DE PESSOAS NO MUNDO INTEIRO. HÁ 18 ANOS ERAM 780 MILHÕES DE PESSOAS. 12

13 FONTE : ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A AGRICULTURA E A ALIMENTAÇÃO (FAO). CERCA DE UM TERÇO DOS ALIMENTOS PRODUZIDOS TODOS OS ANOS NO MUNDO PARA CONSUMO HUMANO. (1,3 BILHÃO DE T) PERDAS E DESPERDÍCIOS DESPERDÍCIOS PER CAPITA NA EUROPA E NA AMÉRICA DO NORTE: KG/PESSOA/ANO NA ÁFRICA SUBSAARIANA, NA ÁSIA MERIDIONAL E NO SUDESTE ASIÁTICO: 6-11 KG/PESSOA/ANO 13

14 POUCOS PRODUTORES RURAIS CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO INVESTIMENTOS DEMANDA POR MAIS ALIMENTOS CONCENTRAÇÃO DA PRODUÇÃO 14

15 BRASIL PROFUNDA TRANSFORMAÇÃO SOCIOECONÔMICA 15

16 QUEDA DA TAXA DE MORTALIDADE = DE 135 PARA 20 A CADA EXPECTATIVA DE VIDA = DE 50 A 73 ANOS TAXA DE FECUNDIDADE – MULHER BRASILEIRA 1960 – 6,0 FILHOS 2010 – 1,9 FILHOS MUDANÇAS DEMOGRÁFICAS: 1995 A 2010 MUDANÇAS NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO DO BRASIL 16

17 AUMENTO DA POPULAÇÃO COM MAIS DE 65 ANOS – DE 7 PARA 14% FRANÇA – 118 ANOS EUA – 70 ANOS AUSTRÁLIA – 68 ANOS BRASIL – 20 ANOS – DE 2011 A 2031 POPULAÇÃO IDOSA AUMENTARÁ DE 11% DO SEGMENTO ATIVO EM 2005 PARA 49% EM 2050 POPULAÇÃO EM IDADE ESCOLAR DIMINUIRÁ DE 50% EM 2005 PARA 29% EM 2050 VELOCIDADE DO ENVELHECIMENTO 17

18 FORÇA DE TRABALHO É MUITO MAIOR DO QUE A POPULAÇÃO DEPENDENTE – CRIANÇAS E IDOSOS SÓ ATÉ IMPACTOS DURARÃO INDEFINIDAMENTE SITUAÇÃO ATUAL – BÔNUS DEMOGRÁFICO DESEQUILÍBRIO PREVIDENCIÁRIO – POUCOS CONTRIBUIRÃO - MUITOS A ATENDER DESEQUILÍBRIO FISCAL – MENOS PAGANDO IMPOSTOS E MAIOR DEMANDA DE SERVIÇOS PÚBLICOS ACÚMULO DE POUPANÇA E CAPITAL PELA POPULAÇÃO IDOSA RISCOS 18

19 CRIAR OPORTUNIDADES SUFICIENTES PARA A CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E RECICLAGEM PARA A POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA MANTER EFICIENTES PROGRAMAS DE FORMAÇÃO DA JUVENTUDE ESTIMULAR A PARTICPAÇÃO DAS MULHERES NA PRODUÇÃO ECONÔMICA MAIORES INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO AUMENTO DA PRODUÇÃO E DA PRODUTIVIDADE TRANSFOMAÇÃO DA POUPANÇA PRIVADA EM INVESTIMENTOS MANUTENÇÃO DO CRESCIMENTO ECONÔMICO AUMENTO DA CAPACIDADE DE COMPETIÇÃO INTERNACIONAL VIDA DIGNA PARA OS IDOSOS CADA VEZ MAIS NUMEROSOS REDUÇÃO DA POBREZA BRASIL - DESAFIOS 19

20 BRASIL HOJE PROBLEMAS /DESAFIOS: EDUCAÇÃO SAÚDE SEGURANÇA TRÂNSITO REFORMA POLÍTICIA REFORMA TRIBUTÁRIA OPORTUNIDADES / DESAFIOS: PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PARA O MERCADO INTERNO E EXTERNO 20

21 21 AGRONEGÓCIO – MINAS GERAIS

22 PRODUTO/COBERTURA VEGETALÁREA (ha)% GRÃOS ,65 PASTAGENS ,64 OLERÍCOLAS ,16 FRUTICULTURA ,14 CAFÉ ,69 CANA-DE-AÇÚCAR ,27 FLORESTAS PLANTADAS ,45 VEGETAÇÃO NATIVA ,26 ÁREA COM OUTROS USOS ,73 ÁREA TOTAL DO ESTADO ,00 RELAÇÃO MG / BR (%)6,90 OCUPAÇÃO DO TERRITÓRIO MINEIRO Fonte: IEF / Ufla / IBGE / ABRAF 2009/Censo Agropecuário Refere-se a algodão, amendoim, arroz, feijão(1ª e 2ª safras), mamona, milho, soja e sorgo. 2 Refere-se a pastagens naturais e plantadas. 3 Refere-se a batata, tomate (de mesa e industrial) e mandioca. 4 Refere-se a abacaxi, banana, coco-da-baía, laranja e uva. 22

23 PRODUÇÃO AGRÍCOLA MINEIRA GRÃOS Milhões de Hectares Fonte: IBGE/LSPA Janeiro/ Produtividade (kg/ha) * Estimativa. 23

24 AGRICULTURA - RANKING 2º CANA-DE-AÇÚCAR 55,2 MILHÕES T MG/BR = 8,8% FONTE- IBGE/CONAB 1º CAFÉ 22,7 MILHÕES DE SACAS MG/BR = 50,8% 1º BATATA 1,1 MILHÕES T MG/BR = 41,1% 1º ALHO 22,2 MIL T MG/BR = 25,5% 1º FLORESTAS PLANTADAS 1,4 MILHÕES HECTARES MG/BR = 22,3% 2º FEIJÃO 612,0 MIL T MG/BR = 16,5% 3º MILHO 6,1 MILHÕES T MG/BR =11,1% 5º GRÃOS 11,4 MILHÕES T MG/BR = 6,6% 5º ALGODÃO 102,3 MIL T MG/BR = 2,0% 7º SOJA 2,8 MILHÕES T MG/BR = 4,1% 24

25 PECUÁRIA - RANKING 4º CARNE SUÍNA 329,6 MIL T MG/BR =10,7% 1º LEITE 7,9 BILHÕES LTS MG/BR = 27,2% 5º CARNE FRANGO 769,1 MIL T MG/BR = 7,2% 2º REBANHO BOVINO 22,4 MILHÕES CB MG/BR = 10,9% 5º CARNE BOVINA 559,3 MIL T MG/BR = 8,0% 2º OVOS 384,7 MILHÕES DE DZ MG/BR = 12,0% 3º OVOS DE CODORNA 14,1 MILHÕES DE DZ MG/BR = 7,3% 6º MEL 2,6 MIL T MG/BR = 6,7% 1º EQUÍDEOS 800,1 MIL CB MG/BR = 14,5% FONTE- IBGE/CONAB 25

26 US$ 23,8 BILHÕES EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO 2003 US$ 94,5 BILHÕES 2011 CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO BRASIL = 297 % 26

27 EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO MINEIRO CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO MINAS GERAIS = 506% US$ 1,6 BILHÕES US$ 9,7 BILHÕES 27

28 R$ 672 MILHÕES PIB DO AGRONEGÓCIO - BRASIL 2003 R$ 910 MILHÕES 2011 CRESCIMENTO DO PIB DO AGRONEGÓCIO BRASIL = 35,4 % 28

29 R$ 74 MILHÕES PIB DO AGRONEGÓCIO - MINAS CRESCIMENTO DO PIB DO AGRONEGÓCIO MINAS GERAIS = 61,0% R$ 119 MILHÕES

30 US$ 9,7 Bilhões Fonte: Aliceweb - MDIC EXPORTAÇÕES MINEIRAS DO AGRONEGÓCIO (PRINCIPAIS PRODUTOS) Café Açúcar Carnes Madeiras e Subprod. Complexo soja Outros

31 CONCLUSÃO 31

32 FINAL DO SÉCULO XVIII POPULAÇÃO CRESCIMENTO GEOMÉTRICO ROBERT MALTHUS TEORIA MALTHUSIANA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS CRESCIMENTO ARITMÉTICO += FOME = CIÊNCIA,TECNOLOGIA E INOVAÇÃO = AUMENTO DA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS, MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA E CONSERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS + 32

33 DESAFIO Crescimento econômico Mitigação da pobreza Produção sustentável A SOLUÇÃO DESTE DESAFIO EXIGE MUDANÇA DE ATITUDE E DE RUMO, NOS NÍVEIS DAS POLÍTICAS PARA O SETOR AGRÍCOLA MUNDIAL. Fontes:SCHAFFERT, Robert,E. e BAHIA FILHO, Antônio F.C Seminários Internacionais Multidisciplinares sobre Produção Sustentável de Alimentos - Itália, Alemanha e EUA COMPATIBILIZAR A ASPIRAÇÃO AO CRESCIMENTO ECONÔMICO E O IMPERATIVO ÉTICO DE MITIGAÇÃO DA POBREZA, COM A PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL 33

34 AGROPECUÁRIA PROBLEMA OU OPORTUNIDADE 34

35 OPORTUNIDADE PARA SE EXPLORAR A IMENSA POTENCIALIDADE DA AGROPECUÁRIA FACE À DEMANDA DE ALIMENTOS 35

36 MUNICIPALIZAÇÃO DO AGRONEGÓCIO FORTALECIMENTO DO PAPEL DOS GOVERNOS MUNICIPAIS NO DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO DO ESTADO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO – SEAPA EMATER – EPAMIG – IMA – RURALMINAS ASSOCIAÇÕES MICRORREGIONAIS DE MUNICÍPIOS DEPARTAMENTO AGROPECUÁRIO – DEPAGRO PREFEITURAS MUNICIPAIS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE AGRICULTURA PRODUTORES RURAIS 36

37 PROPOSTA DA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO FORTALECIMENTO DO PAPEL DOS GOVERNOS MUNICIPAIS NO DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO LOCAL: REDE ESTADUAL DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE AGRICULTURA; CAPACITAÇÃO TÉCNICA E GERENCIAL DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE AGRICULTURA; PRIMEIRO ENCONTRO ESTADUAL DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE AGRICULTURA; CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO AGROPECUÁRIO – DEPAGRO – NA ESTRUTURA DAS ASSOCIAÇÕES MICRORREGIONAIS DE MUNICÍPIOS; PARCERIA COMS AS UNIVERSIDADES – DEPARTAMENTOS DE EXTENSÃO; PARCERIA COM AS COOPERATIVAS DE PRODUTORES RURAIS; PARCERIA COM OS SINDICATOS RURAIS; PARCERIA COM OS CMDRS. 37

38 PROPOSTA DA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PRINCIPAIS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS: PROGRAMA MINAS LEITE; PROGRAMA MINAS CARNE; PROGRAMA INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA; PROGRAMA IRRIGA MINAS; PROGRAMA DE PRODUÇÃO DE OLEAGINOSAS PARA O BIODIESEL; PROGRAMA DA CACHAÇA ARTESANAL DE ALAMBIQUE ; PROGRAMA DE FLORICULTURA; PROGRAMDA DE FRUTICULTURA; PROGRAMA DE OLIVICULTURA; PROGRAMA DE VITIVINICULTURA; PROGRAMA DE USO, CONSERVAÇÃO E MANEJO DE SOLOS; PROGRAMA DE MITIGAÇÃO DO USO DO AGROTÓXICO. 38

39 FAEMG OCEMG FETAEMG SEBRAE AMAM SEDRU GOVERNO DO ESTADO GOVERNO FEDERAL MAPA MDA UNIVERSIDADES SEAPA EPAMIG – EMATER – IMA - RURALMINAS PRODUTORES RURAIS MERCADO PRODUTORES RURAIS COOPERATIVAS DE PRODUTORES RURAIS SINDICATOS DE PRODUTORES RURAIS ASSOCIAÇÕES DE PRODUTORES RURAIS CONSELHOS MUNICIPAIS DE DESENVOLV. RURAL SUSTENTÁVEL SECRETARIAS MUNICIPAIS DE AGRICULTURA PREFEITURAS MUNICIPAIS DEPARTAMENTOS DE AGROPECUÁRIA ASSOCIAÇÕES MICRORREGIONAIS DE MUNICÍPIOS VISÃO MATRICIAL DO AGRONEGÓCIO MINEIRO 39

40 A TRADICIONAL DIVISÃO DO MUNDO ENTRE CAPITALISMO E COMUNISMO FOI SUBSTITUÍDA PELA DIVISÃO ENTRE O RÁPIDO E O LENTO ALVIN TOFFLER – POWERSHIFT

41 41 MINUTA PREPARADA PELA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO DA SEAPA ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO PARAOPEBA - AMALPA RESOLUÇÃO Nº , de de de 2012 Altera o Estatuto da Associação e cria o Departamento Agropecuário. A Assembléia Geral Extraordinária da Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Paraopeba – AMALPA, de acordo com o Artigo 1º; Art. 4º; Art. 5º - Item 1, Letra A, incisos 1 e 5, Letra B, incisos 2 e 5, Item 2, Letras B, E e F; Art. 21º, Itens II, VII e VIII e Art. 47º de seu Estatuto, resolve: Art. 1º - Fica criado na estrutura organizacional da AMALPA o Departamento Agropecuário – DEPAGRO, subordinado ao Secretário Executivo. Art. 2º - São objetivos do DEPAGRO: I.Apoiar e fomentar o desenvolvimento agropecuário dos Municípios que integram a AMALPA; II.Apoiar e difundir as políticas federais, estaduais e municipais que têm como objetivo a valorização dos produtores rurais, especialmente as que se referem à melhoria das condições de vida rural; III.Apoiar, difundir e fomentar as políticas públicas que têm como objetivo estimular a permanência da população rural em seu meio; IV.Desenvolver ações que tenham como objetivo o aumento do número de empregos e o aumento da renda rural; Continua...

42 42 V. Facilitar o acesso dos produtores rurais às tecnologias disponíveis, tendo em vista o aumento da produtividade agropecuária da microrregião; VI. Realizar estudos e elaborar projetos e programas microrregionais que visem o melhor desempenho das cadeias produtivas existentes, bem como a diversificação das atividades produtivas do meio rural; VII. Desenvolver ações que visem a melhoria da infra-estrutura rural da microrregião; VIII.Realizar estudos de mercado com o objetivo de criar programas de apoio à comercialização dos produtos agropecuários da microrregião, fortalecendo o auto-abastecimento, combatendo a evasão de recursos financeiros locais e a conquista de novos nichos de negócios; IX. Cuidar da observância dos dispositivos constantes da Lei Orgânica Municipal e promover ações de preservação, proteção, conservação e defesa do meio ambiente; X. Desenvolver ações para a aquisição conjunta de insumos, máquinas e equipamentos, de forma a reduzir os custos da atividade agropecuária microrregional; XI. Desenvolver ações que visem a criação e o bom funcionamento de Secretarias Municipais de Agricultura em todos os Municípios da microrregião; XII. Criar e manter programas de capacitação técnica e gerencial de secretários municipais de agricultura, presidentes de Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável, Sindicatos Rurais, Cooperativas e Associações de Produtores Rurais; Continua...

43 43 Art. 2º - O DEPAGRO desenvolverá suas atividades em estreita articulação com a SEAPA e suas vinculadas – Emater, Epamig, Ima e Ruralminas -, com as instituições de ensino e pesquisa que operam no apoio ao desenvolvimento agropecuário e, especialmente, com as Secretarias de Agricultura dos municípios integrantes da AMALPA. Art. 3º - O DEPAGRO deverá ser composto das seguintes unidades operativas: I.Unidade de desenvolvimento da pecuária microrregional; II.Unidade de desenvolvimento da agricultura microrregional; III.Unidade de apoio administrativo. Art. 4º - A estrutura técnica e administrativa do DEPAGRO será proposta ao Presidente da AMALPA pelo Secretário Executivo. Aos funcionários do DEPAGRO, que deverão ser profissionalmente ligados ao meio rural, serão oferecidos estágios para capacitação técnica e gerencial na SEAPA e em suas vinculadas – Emater, Epamig, Ima e Ruralminas. Art. 5º - O Secretário Executivo da AMALPA tomará as providências necessárias às alterações do Estatuto resultantes desta Resolução. (Assinam a presente Resolução os Prefeitos e Presidentes de Câmaras Municipais que participarem da Assembléia Geral Extraordinária da AMALPA.) SEAPA/SAGRO, Maio de 2012

44 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO 44 Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº. Bairro Serra Verde – Belo Horizonte - MG Fone:


Carregar ppt "BALDONEDO ARTHUR NAPOLEÃO SUBSECRETÁRIO DO AGRONEGÓCIO CENÁRIOS ATUAIS DO AGRONEGÓCIO E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google