A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A INOVAÇÃO NA UNIVERSIDADE DO SÉCULO XXI Alvaro T. Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI – Governo Federal 8 a Sessão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A INOVAÇÃO NA UNIVERSIDADE DO SÉCULO XXI Alvaro T. Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI – Governo Federal 8 a Sessão."— Transcrição da apresentação:

1 A INOVAÇÃO NA UNIVERSIDADE DO SÉCULO XXI Alvaro T. Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI – Governo Federal 8 a Sessão Pública da Comissão UnB.Futuro Núcleo do Futuro UnB – Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação Brasília, 25 de novembro de 2013

2 Australia Canada Spain South Korea Italy UK Holland Germany France India Mexico Japan Nigeria Paquistan Bangladesh Indonesia Rússia EUA Brasil China Area > 4 millions km 2 Population > 100 millions GDP > US$ 400 billions Brasil - Área, População e Economia

3 Algumas Vantagens Competitivas Área territorial e bom solo; Recursos naturais (minerais, petróleo) Grande potencial para energias renováveis (hidro, solar, vento, marés); Conhecimento científico; População criativa (jeitinho brasileiro…).

4 Algumas Fragilidades Grandes desigualdades (econômicas, sociais, educacionais); Baixa educação científica sobretudo das crianças; Baixo índice de escolaridade na educação superior; Pouca infraestrutura. Poucos engenheiros; Baixo índice de inovação em muitos setores industriais.

5 Cenário Geral Brasil tem uma Boa Ciência ; Nossa Ciência não é convertida em Benefícios Sociais e Econômicos.

6 Principais Produtos Exportados – Brasil (2011) Fonte: Anuário Estatístico MDIC Minérios de Ferro e seus Concentrados16,3 % Soja (Grão e Óleo)8,6 % Óleos Brutos de Petróleo8,4 % Açúcar (Bruto e Refinado)5,8 % Carnes (Frango e Boi) 4,4 % Café3,1 % Total:46,6 % Exportações de Aviões:1,5 %

7 Brasil - Balança Comercial (US$ milhões FOB) Inovação e Desenvolvimento Econômico Total Industria Outros Produtos

8 Cientistas e Engenheiros versus Investimento em P&D

9 Desafios a Superar A cultura científica e inovadora é pouco difuldida; O empreendedorismo tecnológico é incipiente; Os pesquisadores e cientistas estão nas Universidades; Há pouca interação entre Universidades e Empresas; O Setor Industrial investe pouco em P&D.

10 Como Superar estes Desafios? Formação de pessoas focando nas competências e habilidades empreendedoras; Foco nas Ciências Naturais e nas Áreas Tecnológicas; Promoção da P&D&I empresarial; Cada Cidadão/Instituição deve fazer a sua parte !

11 Algumas Áreas de Competência - Brasil Agricultura (laranja, soja, cereais em geral); Produção Animal (gado, frango, suinocultura) Automação: Bancária: uso da internet há vinte anos Eleições Nacionais: resultados em horas Plantas Industriais Aviação e Ciências Espaciais; Doenças Tropicais e Saúde Pública; Odontologia; Biocombustíveis (ethanol and biodiesel); Petróleo (extração em águas profundas); Controle Biológico de Insetos; Produção de Celulose e Industria de Papel;

12 Palavra Chave 1: Educação!

13 Por que a Educação é Importante? A Educação nos permite separar o verdadeiro do falso, e a verdade fortalece; A Educação nos permite pensar por nós mesmos, e isto nos dá autoestima e confiança; A Educação nos abre oportunidades.

14 Educar é nos revelar no nosso maior potencial ! Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos" José Saramago

15 IES Brasileiras do Século XXI Forte compromisso social (políticas de apoio estudantil, moradia, alimentação, bolsas, políticas de ações afirmativas, etc.); Ensino Presencial e a Distância (existindo não de forma discreta); Atividades e Cursos Cooperativos (com industria e diferentes setores da sociedade); Mobilidade Estudantil (formação em várias instituições); Internacionalizada (cursos em línguas estrangeiras);

16 O professor não ensina inspira e motiva, e o aluno estuda, aprende, se educa; Professor atuante e dinâmico não haverá espaço para intelectual absorto e descompromissado; Cursos interdisciplinares e currículos flexíveis (biólogo com formação em computação, etc.); Eficientes e bem administradas (corpo acadêmico e corpo administrativo). Não devemos ensinar aos nossos alunos aquilo que eles podem e devem aprender sozinhos ! IES Brasileiras do Século XXI

17 Caracterísitcas das Melhores Universidades Pesquisa Ensino Inovação Tecnológica Concentração de Talentos Governança Favorável Recursos Abundantes

18 Palavra Chave 2: Inovação!

19 Ciência, Tecnologia e Inovação

20 Ciência Ciência (Conhecer) Tecnologia Tecnologia (Fazer) Inovar Inovar (Mudar/Melhorar) Empreender Empreender (Realizar/Concretizar)

21 A Visão Tecnológica A inovação tecnológica deve ser combinada com o desenvolvimento científico Estimular a arte de aplicar a ciência para propósitos práticos

22 Inovação Inovação Tecnológica; Inovação Tecnológica; Inovação Inclusiva; Inovação Inclusiva; Inovação Aberta; Inovação Aberta; Inovação Incremental; Inovação Incremental; Innovação Disruptiva; Innovação Disruptiva; Inovação Frugal; Inovação Frugal;

23 Inovação nas Grandes Corporações Orçamentos Elevados Orçamentos Elevados Processos padronizados Processos padronizados Acesso controlado ao Conhecimento Acesso controlado ao Conhecimento Dispendioso e Demandante de Recursos Dispendioso e Demandante de Recursos Pouca Flexibilidade Pouca Flexibilidade Elitista Elitista Focado no Gerenciamento da Inovação – Procedimento Estruturado: Limitações:

24 Inovação no Brasil (Frugal) Oportunidades nas adversidades; Oportunidades nas adversidades; Mais com menos; Mais com menos; Flexibilidade no pensar e no agir; Flexibilidade no pensar e no agir; Simplicidade; Simplicidade; Inclusiva; Inclusiva; Apoiada na intuição. Apoiada na intuição.

25 Palavra Chave 3: Empreender!

26 Característica dos Bons Empreendedores Conhecimento; Auto-confiança; Determinação.

27 P & D Inovação e Empreendedorismo Conhecimento Recursos: Pessoas Equipamentos Instalações, etc. ConhecimentoRiqueza Sabemos Gerar Conhecimento: Não Sabemos Gerar Riqueza: Virtude e Fragilidade do Nosso Sistema de C&T

28 Nossos melhores alunos não são estimulados a criar empresas; Nossos melhores alunos não são estimulados a criar empresas; Nossos melhores alunos são estimulados a continuar estudando. A regra tem sido: Nossos melhores alunos são estimulados a continuar estudando. A regra tem sido: Acabou a Graduação, faça o Mestrado; Acabou a Graduação, faça o Mestrado; Acabou o Mestrado, faça o Doutorado; Acabou o Mestrado, faça o Doutorado; Acabou o Doutorado, torne-se um Pesquisador na Universidade. Acabou o Doutorado, torne-se um Pesquisador na Universidade. Precisamos mostrar aos nossos bons alunos que há vida virtuosa fora da Universidade, como empreendedores. Precisamos mostrar aos nossos bons alunos que há vida virtuosa fora da Universidade, como empreendedores. Destinos dos Nossos Melhores Alunos

29 Diversidade Humana Brasileira Civilização Humana Civilização Humana...herdamos dos índios essa capacidade e esse talento para o convívio, dos negros essa espiritualidade e dos europeus a tecnologia e a sabedoria ocidental. Estamos prontos para ser uma das civilizações do mundo. Darcy Ribeiro

30 Nunca ande pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os outros foram! Graham Bell


Carregar ppt "A INOVAÇÃO NA UNIVERSIDADE DO SÉCULO XXI Alvaro T. Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI – Governo Federal 8 a Sessão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google