A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociologia – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociologia – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia."— Transcrição da apresentação:

1 Sociologia – Unidade 2

2 Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia

3 Cronograma: Turma ADG0096 Sociologia DataAtividade 11/08 2º Encontro 1ª Avaliação Disciplina 09/08 1º Encontro 18/08 3º Encontro 2ª Avaliação Disciplina 25/08 4º Encontro 3ª Avaliação Disciplina (FINAL) 04/08 1º Encontro

4 Unidade 2 PENSAMENTO DA SOCIOLOGIA EM DIVERSAS ÁREAS 1/23

5 Objetivos da Unidade: Compreender: As discussões que envolvem modernidade e pós- modernidade; As possíveis influências das ideias modernas e pós-modernas na sua área de estudo; A diversidade de enfoque sobre as organizações; A evolução da teoria administrativa na visão de Alberto Guerreiro Ramos; As concepções de trabalho; Os desafios e tendências no mundo do trabalho; A educação para o mercado de trabalho na legislação brasileira.; 2/23

6 TÓPICO 1 Modernidade e Pós-Modernidade em Discussão 3/23

7 2 Pós-Modernidade A grosso modo, a pós-modernidade é o nome designado para as mudanças que aconteceram por volta dos anos 50 em diante, em diversos campos, entre eles as ciências, as artes, avanços tecnológicos (computação, ciências cognitivas, etc). É definida também como a era do Consumo. (Estamos na página 85 da apostila) 4/23 Tópico 1

8 2 Pós-Modernidade Também é um período no qual a privacidade das pessoas está aberta ao público (Orkut, Facebook, etc). Surgimento de novas palavras: Era da Informação, Gestão do Conhecimento, Globalização, Era pós-industrial, Fim do emprego, etc. Novas invenções: laser, internet, clonagem, fax, celular, skype, etc. (Estamos na página 87 da apostila) 5/23 Tópico 1

9 TÓPICO 2 Organizações: Diversidades de Enfoques 6/23

10 2 Organizações: Diversidades de Metáforas As organizações são compostas de diversos elementos: máquinas, pessoas, finanças, tecnologia, etc. Frente a este cenário, muitas organizações podem crescer e prosperar e outras simplesmente desaparecer. (Estamos na página 98 da apostila) 7/23 Tópico 2

11 2.1 Organizações vistas como máquinas Ao agir mecanicamente, o indivíduo enfatiza a rapidez (tempo) e o controle de tarefas específicas (produção). Assim o profissional é a engrenagem e sua potencialidade fica engessada e o raciocínio semibloqueado. (Estamos na página 101 da apostila) 8/23 Tópico 2

12 2.1 Organizações vistas como máquinas As organizações planejadas e operadas como máquinas são chamadas de burocracias. Fala-se de um conjunto de relações mecânicas. Espera-se que sejam rotinizadas, eficientes, confiáveis e previsíveis. (Estamos na página 101 da apostila) 9/23 Tópico 2

13 Organizações vistas como Máquinas

14 2.1.1 Paradigma Mecanicista na formação humana A industrialização e a tecnologia robotizaram o ser humano e a valorização exarcebada de bens materiais levou a uma competitividade sem limites e à idolatria do ter. As pessoas possuem bens materiais, mas não têm qualidade de vida. (Estamos na página 104 da apostila) 10/23 Tópico 2

15 2.2 Organizações vistas como organismos Ao olharmos para o mundo dos negócios é possível verificar diferentes tipos de organizações em diferentes tipos de ambientes que se adaptam mais à uma estrutura do que outra. Algumas têm mais facilidade do que outras para sobreviverem no seu habitat. (Estamos na página 107 da apostila) 11/23 Tópico 2

16 Organizações vistas como Organismos

17 2.3 Organizações vistas como cérebro Atualmente se fala em neurociência, cérebro artificial, neurochip, etc. Os estudos sobre o cérebro têm demandado esforços de diversos estudiosos e diversas áreas. Neste contexto, a competição no mercado têm-se tornado mais acirrada, através de fusões e incorporações, investimentos cliente a cliente e pesquisa de ponta. (Estamos na página 111 da apostila) 12/23 Tópico 2

18 2.3 Organizações vistas como cérebro Assim, o sucesso de uma organização está no ser humano, que percebeu a necessidade do autoconhecimento, seus limites e potencialidades e estar sempre aprendendo. Da mesma forma as organizações precisam saber seus pontos fortes, seus limites e estarem dispostas a aprenderem. (Estamos na página 112 da apostila) 13/23 Tópico 2

19 Organizações vistas como cérebro

20 2.4 Organizações vistas como cultura Devido à globalização, os profissionais de diversas áreas estão atentos à cultura de empresas de outros países. Tal conhecimento dos aspectos culturais são importantes para aquele com quem se deseja negociar ou entrar em contato. (Estamos na página 113 da apostila) 14/23 Tópico 2

21 Organizações vistas como Cultura

22 Diversidade de organizações Tópico 2

23 TÓPICO 3 Homem Contemporâneo: Consciente da qualidade de vida 15/23

24 1 Introdução O sociólogo Alberto Guerreiro Ramos se distingue no cenário intelectual brasileiro como um intelectual de grande importância internacional. Foi incluído pelo sociólogo clássico Pitirim A. Sorokin entre os autores eminentes que contribuíram para o progresso mundial da disciplina de Sociologia. (Estamos na página 121 da apostila) 16/23 Tópico 3

25 Alberto Guerreiro Ramos (1915 – 1982) 17/23 Tópico 3

26 2 Em Defesa da Abordagem substantiva nas instituições Para se desenvolver o trato com problemas administrativos e perceber suas causas, é necessário primeiro um ponto de referência. Esta referência Ramos chama de modelos de homem, que são o homem operacional, o homem reativo e o homem parentético. (Estamos na página 123 da apostila) 18/23 Tópico 3

27 2 Em Defesa da Abordagem substantiva nas instituições O homem operacional corresponde ao Homo economicus da economia clássica. O homem reativo tem uma abordagem mais humanista e o homem parentético possui um espírito mais crítico e racional, baseado em seus valores do dia-a-dia. (Estamos na página 126 da apostila) 19/23 Tópico 3

28 TÓPICO 4 Trabalho e Educação 20/23

29 2 Trabalho na História: Breves Considerações Trabalho está, de certo modo relacionado à labuta, tortura. Na antiguidade não era visto como atividade digna e, sim, atividade para escravos. Com o capitalismo o trabalho torna-se necessário para o consumo de bens, surgindo o trabalho assalariado. (Estamos na página 138 da apostila) 21/23 Tópico 4

30 3 Educação: preocupação com o trabalho Historicamente, a educação não teve como finalidade educar para o trabalho, ou seja, as preocupações quanto aos propósitos de educação variam de época para época e de pensador para pensador. (Estamos na página 145 da apostila) 22/23 Tópico 4

31 3 Educação: preocupação com o trabalho Platão postula que a Educação tem como papel tirar o homem de seu estado de alienação. No contexto Medieval a Educação era objeto de reflexão pelos pensadores da época. A mentalidade moderna tem o ideal educativo do homem burguês – formar indivíduos aptos para a competição do mercado. (Estamos na página 146 da apostila) 23/23 Tópico 4

32 Parabéns!!! Terminamos a Unidade.

33 PRÓXIMA AULA: Sociologia 2º Encontro da Disciplina 1ª Avaliação da Disciplina (Redação com consulta)


Carregar ppt "Sociologia – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Sociologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google