A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que é Espiritismo?. 2 Tópicos Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec O que é Espiritismo? Codificação Espírita Alguns Conceitos O que não é Espiritismo?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que é Espiritismo?. 2 Tópicos Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec O que é Espiritismo? Codificação Espírita Alguns Conceitos O que não é Espiritismo?"— Transcrição da apresentação:

1 O que é Espiritismo?

2 2 Tópicos Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec O que é Espiritismo? Codificação Espírita Alguns Conceitos O que não é Espiritismo? Por que é preciso estudar? O que é ser um bom espírita?

3 3 Nascimento do Espiritismo "E eu rogarei ao Pai, e Ele vos enviará outro Consolador, a fim de que permaneça eternamente convosco: o Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber porque não o vê e não o conhece...o Pai enviará em meu nome, e esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito" (João, XIV, 16 a 26).

4 4 Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec A partir de 1850, fenômenos mediúnicos de efeitos físicos despertaram a curiosidade na França e em muitos países europeus. Alguns objetos (como por exemplo: mesas) respondiam, por meio de pancadas, a perguntas feitas a eles e se autodenominavam Espíritos que desejavam se comunicar. Em 1855, Hippolyte Léon Denizard Rivail, professor francês de aritmética, pesquisador de astronomia e magnetismo e discípulo de Pestalozzi (chamado de pai da pedagogia moderna) foi convidado por um amigo a observar tais fenômenos. Após algumas sessões algo começou a intrigá-lo. Percebeu que muitas das respostas emitidas através daqueles objetos inanimados fugiam do conhecimento cultural e social dos que faziam parte do "espetáculo". Foi então, que uma das mensagens foi dirigida ao professor. Um ser invisível disse-lhe ser um Espírito chamado Verdade e que ele, Rivail, tinha uma missão a desenvolver, que seria a codificação de uma nova doutrina.

5 5 Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec O Espírito de Verdade disse-lhe ser sim uma falange de Espíritos superiores que vinha até aos homens cumprir a promessa de Jesus, no Evangelho de João, capítulo XIV. Atento aos dizeres do Espírito, e depois de muitos questionamentos à entidade, pois não era homem de impressionar-se com elogios, resolveu aceitar a tarefa que lhe fora incumbida. Através dos espíritos, Rivail descobriu que em uma de suas encarnações anteriores foi um sacerdote druida, de nome Allan Kardec e decidiu usar este pseudônimo para evitar que as pessoas não fossem influenciadas por seu respeitável nome de educador. A partir daí foram 14 anos de organização da Doutrina Espírita. Hippolyte Léon Denizard Rivail, ou simplesmente Allan Kardec, é conhecido como codificador da Doutrina Espírita.

6 6 O que é Espiritismo? O Espiritismo é o conjunto de ensinamentos do mundo invisível trazidos pelo Espírito de Verdade juntamente com um grupo de espíritos superiores a fim de explicar e confirmar as palavras de Jesus. O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança. Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – cap. VI – 4) O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal. Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)

7 7 Espíritas e Espiritualistas Todos aqueles que acreditam na existência do Espírito são espiritualistas. Mas nem todos os espiritualistas são espíritas. Os espíritas são os praticantes do Espiritismo, ou seja, os praticantes da doutrina definida pela codificação espírita. Para que uma casa religiosa seja espírita, ela deve seguir os ensinamentos contidos nas Obras Básicas da Doutrina Espírita e no Evangelho de Jesus.Obras Básicas da Doutrina Espírita

8 8 Codificação Espírita O Livro dos Espíritos (1857): é o principal livro da Doutrina Espírita, sustentando todas as outras obras doutrinárias. É composto de 1018 perguntas feitas por Kardec aos Espíritos superiores responsáveis pela vinda do Espiritismo aos homens. O Livro dos Médiuns (1861): descreve os benefícios e os perigos da mediunidade. Kardec e os Espíritos superiores alertam sobre a sutileza desta faculdade, para que uma pessoa possa contatar os Espíritos sem ser prejudicada por entidades maléficas, descontrolando sua mediunidade. O Evangelho Segundo o Espiritismo (1864): esta obra pode ser entendida como a parte moral da Doutrina Espírita. Nela, Kardec e os Espíritos superiores comentam numa linguagem acessível as principais passagens da vida de Jesus, apresentando conselhos importantes sobre nossa conduta diária frente às dificuldades e dúvidas da vida. O Céu e o Inferno (1865): descreve a vivência espiritual de espíritos de diversas classes socias, crenças e condutas após o seu desencarne. Rainhas, camponeses, religiosos, assassinos, ignorantes e intelectuais são alguns dos que contam o que os aguardava depois de suas atitudes terrenas e como poderão ser suas vidas futuras. A Gênese (1868): Kardec explica a Gênesis Bíblica, segundo seus conhecimentos científicos e sua interpretação da doutrina espírita. Expõe o que são os milagres, explicados pelas leis da natureza, produtos da modificação dos fluidos que nos cercam. Enfim, faz a religião e a ciência caminharem juntas, fortalecendo a fé dos que crêem em Deus.

9 9 Codificação Espírita Metodologia utilizada por Kardec: Todas as perguntas e respostas feitas por Kardec aos Espíritos eram revisadas e analisadas várias vezes, dentro do bom senso necessário. As mesmas perguntas respondidas pelos Espíritos através dos médiuns eram submetidas a outros médiuns, em várias partes da Europa e América. Assim, o codificador viajou por cerca de 20 cidades. Isso para evitar influências dos médiuns sobre as colocações dos Espíritos, pois estes médiuns não mantinham contato entre eles, somente com Kardec. O controle rígido de tudo o que vinha de informações do mundo espiritual ficou conhecido por "Controle Universal dos Espíritos". Disto, estabeleceu-se dentro da Doutrina Espírita que qualquer informação vinda do plano espiritual só terá validade para o Espiritismo se for constatada em vários lugares, através de diversos médiuns, que não mantenham contato entre si. Fora isso, toda comunicação espiritual será uma opinião particular do Espírito comunicante.

10 10 Alguns Conceitos - Existência de Deus Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celereiros; e vosso Pai celestial as alimenta( Mateus, VI, "O Pai Nosso"). Para crer-se em Deus, basta se lance o olhar sobre as obras da Criação. O Universo existe, logo tem uma causa. Duvidar da existência de Deus é negar que todo efeito tem uma causa e avançar que o nada pôde fazer alguma coisa (Livro dos espíritos, Cap 1). Deus existe, e é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom. (Livro dos espíritos, Cap 1)

11 11 Alguns Conceitos - Existência da vida espiritual Seis dias depois, Jesus foi para um monte alto, levando consigo somente Pedro e os irmãos Tiago e João. Ali, eles viram a aparência de Jesus mudar: o seu rosto ficou brilhante como o sol, e as suas roupas ficaram brancas como a luz. E os três discípulos viram Moisés e Elias conversando com Jesus.(Mateus, 17, 1 a 13, "Transfiguração"). Os apóstolos Pedro, Tiago e João, viram Jesus conversar com os espíritos dos profetas Moisés e Elias, demonstrando a existência do espírito, da vida espiritual e a possibilidade de comunicação entre os dois mundos.

12 12 Alguns Conceitos – Reencarnação Quando desciam da montanha (depois da transfiguração), Jesus lhes fez esta recomendação: Não faleis a ninguém do que acabastes de ver, até que o Filho do homem tenha ressuscitado, dentre os mortos. Perguntaram-lhe então seus discípulos: Por que dizem os escribas ser preciso que primeiro venha Elias? Respondeu-lhes Jesus: É certo que Elias há de vir e que restabelecerá todas as coisas. Mas, eu vos declaro que Elias já veio, e eles não o conheceram e o fizeram sofrer como entenderam. Do mesmo modo darão a morte ao Filho do homem. Compreenderam então seus discípulos que era de João Batista que ele lhes falava. (São Mateus, cap. XVII.) Em verdade, em verdade vos digo: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.Se um homem não renascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus (São João, cap. III, v. 1 a 12). Se não existe reencarnação então qual é a justiça das crianças que morrem prematuras ou das pessoas que nascem com doenças crônicas? Qual a justiça e bondade das penas eternas? "...Ou qual de vós, porventura, é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, porventura, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma serpente? Pois se vós outros, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos Céus, dará boas dádivas aos que lhas pedirem" (Mateus ).

13 13 Alguns Conceitos - Evolução dos Espíritos Quando estava espalhando as sementes, algumas caíram na beira do caminho, e os passarinhos comeram tudo. Outra parte das sementes caiu num lugar onde havia muitas pedras e poucas terra. As sementes brotararam logo porque a terra não era funda. Mas quando o sol apareceu, queimou as plantas, e elas secaram porque não tinham raízes. Outras caíram no meio de espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas. Mas as sementes que caíram em terra boa produziram na base de cem, de sessenta e de trinta grãos por um (Mateus, XIII, 4 a 9, "Parábola do Semeador"). A parábola do semeador demonstra a diferença de graus de evolução entre os seres, que é um dos princípios da Doutrina, que ensina o seguinte: todo Espírito é criado simples e ignorante, e de encarnação em encarnação vai adquirindo conhecimentos, e optando pelo caminho do bem ou da ignorância, segundo seu livre-arbítrio. (ESEcap XVII pag 226). A virtude do Espírito é obtida por seus esforços em existências sucessivas, em se despojando, pouco a pouco, das suas imperfeições. Deus favorece todo homem de boa vontade, para se despojar do mal e para fazer o bem

14 14 Alguns Conceitos - A Lei de Causa e Efeito Aí Jesus disse: - Quem por espada ferir, por espada será ferido (Mateus, XXVI, 52) No momento de sua prisão, Jesus ensina ao apóstolo Pedro a Lei de Causa e Efeito, Ação e Reação, ou Plantio e Colheita. A Doutrina Espírita explica que tudo o que fazemos, de bem ou mal, retornará a nós mesmos, nesta ou em outras encarnações. É a justiça de Deus, que nos recompensa com nossos bons atos e nos ensina com nossas atitudes impensadas, nos fazendo refletir e modificar as más tendências.

15 15 O que não é Espiritismo? Rituais; Velas; Oferendas; Roupas especiais; Cobrança financeira de qualquer tipo; Promessa de cura; Mediunidade forçada; Comunicação de espíritos em público; Conversas durante o passe;

16 16 Por que é preciso estudar? Os espíritos não são necessariamente Santos e os médiuns influenciam as comunicações, duvidar é natural. Lembrar-se do "Controle Universal dos Espíritos". A opinião particular do espírito pode não corresponder com a verdade. Muitas vezes não há conhecimento científico por parte do espírito ou do médium. Devemos estudar e compreender o espiritismo para distinguir os bons espiritos dos maus. Todo este cuidado baseia-se na orientação dos próprios Espíritos superiores, responsáveis pela elaboração do Espiritismo, como também no alerta de João, o Evangelista, que em sua 1ª Epístola, capítulo IV, versículo 1, diz: "Amados, não creiais em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus". O estudo facilita a prática dos ensinamentos de Jesus, criando uma fé sólida e esclarecida, pois entendemos o porque das coisas. Além disso, é mais fácil aceitar as provas se temos idéia do porque elas acontecem.

17 17 O que é ser um bom espírita? Tentar isolar a alma do corpo; Buscar enxergar com os olhos do espírito; Não pensar apenas nessa vida mas pensar também nas vidas futuras; Se interrogar freqüentemente para ver se não violou uma lei e se fez todo o bem que podia; Não se preocupar em parecer bom mas se preocupar em ser bom; Fazer o bem sem esperança de recompensa; Ter fé em Deus, confiar em sua sabedoria, justiça e bondade; Entender que o fato de uma pessoa boa ter cometido erros não torna os outros melhores; Não sentir prazer nos defeitos dos outros e procurar destacar as qualidades das pessoas; Estudar suas imperfeições e trabalhar para combate-las; Não se envaidecer nem com a fortuna, nem com as vantagens pessoais e saber que tudo o que lhe foi dado, pode lhe ser retirado; Cuidar do corpo e acabar com os vícios; Tratar os subordinados com bondade e benvolência, porque são seus iguais perante Deus; Se for subordinado a alguém compreender sua posição e cumprir seus deveres conscienciosamente; Não só acreditar nas manifestações e ensinamentos como também aplicar estes ensinamentos; Ter consciência de que quanto maior é o conhecimento maior são as obrigações; Praticar a lei da justiça, do amor e de caridade em sua maior pureza; Jamais aceitar facilmente e sem controle aquilo que, pela reflexão e pelo exame, teria demonstrado a sua absurdidade ou impossibilidade;

18 18 O que é ser um bom espírita? "O propósito essencial do Espiritismo é a melhoria dos homens" (Alan Kardec) "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações". (Allan Kardec, E.S.E., XVII, 4). Lembrar-se ainda da máxima: Fora da caridade não há Salvação!

19 19 Referências Bíblia Sagrada Livro dos Espíritos Livro dos Médiuns Evangelho Segundo o Espiritismo Portal do Espírito (www.espirito.org.br)www.espirito.org.br Grupo Espírita Apóstolo Paulo (esta apresentação foi organizada segundo textos e recomendações deste grupo encontrados no site


Carregar ppt "O que é Espiritismo?. 2 Tópicos Nascimento do Espiritismo e Allan Kardec O que é Espiritismo? Codificação Espírita Alguns Conceitos O que não é Espiritismo?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google