A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O LIVRO DOS ESPÍTOS LIVRO QUARTO CAPÍTULO I PENAS E GOZOS TERRESTRES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O LIVRO DOS ESPÍTOS LIVRO QUARTO CAPÍTULO I PENAS E GOZOS TERRESTRES."— Transcrição da apresentação:

1 O LIVRO DOS ESPÍTOS LIVRO QUARTO CAPÍTULO I PENAS E GOZOS TERRESTRES

2 NATUREZA DA FELICIDADE TERRENA FELICIDADE E INFELICIDADE RELATIVAS

3 DEFININDO FELICIDADE RELATIVA Se praticássemos a lei de Deus, livraríamos De muitos males e seríamos felizes. Ela é relativa ao plano que nos encontramos. Um plano grosseiro, repleto de paixões. Mesmo que nossas atitudes fossem embasadas pelo bem moral, a natureza de nossa felicidade não poderia ser completa. Não podemos ao menos supor o que seja realmente a verdadeira felicidade

4 FELICIDADES E INFELICIDADES RELATIVAS O NECESSÁRIO E O SUPÉRFLUO O NECESSÁRIO E O SUPÉRFLUO QUEM VÊ APENAS O PRESENTE QUEM VÊ APENAS O PRESENTE DEUS PERMITE QUE O MAL PROSPERE DEUS PERMITE QUE O MAL PROSPERE O JUSTO QUE É INFELIZ O JUSTO QUE É INFELIZ

5 O NECESSÁRIO E O SUPÉRFLUO

6 O NECESSÁRIO E O SUPÉRFLUO VARIA DE ACORDO COM CADA SER. O HOMEM CRITERIOSO PARA SER FELIZ OLHA PARA BAIXO, E OUTROS SÓ OLHAM PARA CIMA. JAMAIS SERÃO FELIZES AQUELES QUE DESEJAM O SUPÉRFLUO, ESTÃO SEMPRE COMPARANDO O QUE TÊM COM OS OUTROS QUE TÊM MAIS.

7 QUEM VÊ APENAS O PRESENTE

8 SÃO COMPLETAMENTE MATERIALISTAS. SÓ PENSAM NO QUE TÊM QUE VESTIR, COMER, BEBER, A VIDA SE LHE APRESENTA COMO PRAZERES. SUAS NECESSIDADES SÃO ARTIFICIAIS. GERALMENTE INVEJAM OS ESTÃO ACIMA DELES. O HOMEM MAIS RICO É AQUELE EU VIVE COM O SUFICIENTE

9 DEUS PERMITE QUE O MAL PROSPERE

10 A quem cabe realmente a culpa? A culpa de grande parte do sofrimento cabe aos humanos. Eles travam as guerras, cometem crimes, poluem o meio ambiente, empreendem negócios motivados pela ganância, ao invés de se preocuparem com o próximo, e, às vezes, entregam-se a hábitos que sabem que podem ser prejudiciais à sua saúde. Ao fazerem tais coisas, prejudicam a outros e a si mesmos. Seria de esperar que os humanos fossem imunes às conseqüências de seus atos? É razoável culpar a Deus por essas coisas que os próprios humanos fazem?

11 O JUSTO QUE É INFELIZ

12 SE O JUSTO É INFELIZ, ISSO REPRESENTA UMA PROVA QUE SERÁ LEVADA EM CONSIDERAÇÃO, SE ELE SUPORTAR COM RESIGNAÇÃO E CORAGEM. LEMBREMOS DAS PALAVRAS DE JESUS: - BEM-AVENTURADOS OS QUE SOFREM, PORQUE SERÃO CONSOLADOS SABEMOS QUE TODO SOFRIMENTO É CANSEQUÊNCIA DE UMA CAUSA, PORTANTO, NADA É POR ACASO.

13 CAUSAS DOS SOFRIMENTOS MORAIS

14 OS SOFRIMENTOS MORAIS SÃO GERADOS PELO ORGULHO, PELO EGOÍSMO, PELA AMBIÇÃO FRUSTRADA, PELA ANSIEDADE, PELA AVAREZA, PELA INVEJA, PELO CIUME, E TODAS AS PAIXÕES QUE TRAZEM TORTURAS À ALMA

15 – PARTE II

16 SÃO PROVAS E EXPIAÇÕES

17 A DOUTRINA ESPÍRITA MATOU A MORTE ESTA É UMA LEGÍTIMA CAUSA DE DOR QUE ATINGE O RICO, O POBRE E REPRESENTA UMA PROVA E EXPIAÇÃO. DESTA DOR NENHUM DE NÓS ESCAPARÁ. E QUANTO MAIOR O VÍNCULO AFETIVO COM A CRIATURA DESENCARNADA, MAIOR A DOR. ESTA É UMA LEGÍTIMA CAUSA DE DOR QUE ATINGE O RICO, O POBRE E REPRESENTA UMA PROVA E EXPIAÇÃO. DESTA DOR NENHUM DE NÓS ESCAPARÁ. E QUANTO MAIOR O VÍNCULO AFETIVO COM A CRIATURA DESENCARNADA, MAIOR A DOR.

18 COMUNICAÇÃO COM OS ENTES QUERIDOS Contudo, Deus com sua infinita misericórdia, permite-nos a comunicação Com nossos familiares desencarnados através da mediunidade, psicografias, vidências, e de outras comunicações. Quando encontram-se em condições espirituais, colocam-se ao nosso lado, e auxiliam-nos com seus conselhos. Ficam felizes com o afeto que lhes demonstramos, alegram-se por nos lembrarmos deles.

19 DORES INCONSOLÁVEIS

20 Quando a criatura não se conforma com a perda, passando a sofrer de forma penosa, demonstra falta de fé e de confiança em Deus, assim acaba prejudicando o adiantamento do ente querido e até mesmo sua união com ele Precisamos entender que se o Espírito é mais feliz no Espaço do que na Terra, lamentar que ele tenha deixado a vida corpórea, é lamentar que ele seja feliz.

21 IV – UNIÕES ANTIPÁTICAS

22 a) A afeição de dois seres pode, muitas das vezes, transformar-se em antipatia ou, até mesmo, em ódio, o que se constitui uma punição. Muitos acreditam amar perdidamente porque apenas julgam pelas aparências. Quando obrigados a viver com as pessoas amadas, não tardam a reconhecer que só experimentaram um encantamento material. b) Em muitas uniões, ao contrário, a princípio parecem destinadas a nunca ser simpáticas. Com o tempo, depois dos que a constituíram haverem se conhecido bem, acabam por tornar-se amor duradouro e terno, baseado na verdadeira estima..

23 A Doutrina Espírita veio oferecer valiosos subsídios para a compreensão da temática familiar mostrando que ela não começa agora mas que casamento e família, inclusive a parte dela a que nos integramos pelo matrimônio (os parentes consanguíneos do cônjuge), não surgem por acaso mas resultam de cuidadoso planejamento reencarnatório que objetiva sempre a nossa felicidade, o que representa expressiva ajuda para que tanto na sua constituição pelo casamento, ampliação com a chegada de filhos e funcionamento como espaço de convivência mais íntima e reabastecimento emocional para a vida em sociedade, a família possa bem cumprir o seu papel.

24 c) Há duas espécie de afeição: a do corpo e a da alma. É comum tomar-se uma pela outra. Porém quem ama é o espírito, e não o corpo. A afeição da alma é duradoura; a do corpo, efêmera. d) A falta de simpatia entre seres destinados a viver juntos é causa de grandes dissabores.Constitui grave erro das leis humanas impor esse tipo de convivência pois Deus jamais constrangeria dois seres que se desagradam a permanecerem juntos. Uniões desse tipo, normalmente, resultam do orgulho e da ambição. e) Em uniões dessa natureza, quase sempre, há uma vítima inocente, para quem elas se constituem uma expiação. A responsabilidade por isso recairá sobre aqueles que tiverem sido causadores.

25 COMPORTAMENTO DOS ESPÍRITOS SIMPÁTICOS

26 OS ESPÍRITOS SIMPÁTICOS BUSCAM-SE RECIPROCAMENTE, E PROCURAM UNIR-SE HÁ SEMPRE SINTONIA ENTRE ELES, VIBRAM NA MESMA FAIXA. A simpatia geral é determinada pelas semelhanças, há afeições particulares entre os Espíritos. Mas o liame que une os Espíritos é mais forte na ausência do corpo, porque não está mais exposto às vicissitudes das paixões. As afeições dos Espíritos não são suscetíveis de alteração porque eles não podem enganar-se, não usam mais a máscara sob a qual se ocultam os hipócritas, e é por isso que as suas afeições são inalteráveis, quando eles são puros. O amor que os une é para eles fonte de uma suprema felicidade. A afeição que dois seres mantiveram na Terra prossegue sempre no mundo dos Espíritos. Isso se ela se baseia numa verdadeira simpatia: mas se as causas de ordem física tiverem maior influência que a simpatia, ela cessa com as causas. As afeições, entre os Espíritos, são mais sólidas e mais duráveis que na Terra, porque não estão subordinadas ao capricho dos interesses materiais e do amor-próprio.

27 MEDO DA MORTE – PERDA DOS GOZOS MATERIAIS MEDO DA MORTE PERDA DOS GOZOS MATERIAIS

28 QUEM TEM FÉ, TEM CERTEZA NO FUTURO QUEM TEM ESPERANÇA, CONTA COM UMA VIDA MELHOR QUEM TEM CARIDADE, SABE QUE NÃO TEM QUE TEMER O MUNDO PARA ONDE VAI.

29 A CASA DO PAI TEM VÁRIAS MORADAS, MAS VOCÊ ESCOLHE O LUGAR QUE QUER FICAR !!!

30 DESGOSTO PELA VIDA SUICÍDIO

31 SUICÍDIOS SUICÍDIOS O SUICÍDIO - NADA JUSTIFICA O SUICÍDIO - NADA JUSTIFICA EVITANDO O TÉDIO EVITANDO O TÉDIO SUICÍDIO VOLUNTÁRIO SUICÍDIO VOLUNTÁRIO SUICÍDIO INVOLUNTÁRIO SUICÍDIO INVOLUNTÁRIO SUICÍDIO PELO DESGOSTO DA VIDA SUICÍDIO PELO DESGOSTO DA VIDA SUICÍDIO COMO FUGA DA MISÉRIA SUICÍDIO COMO FUGA DA MISÉRIA SUICÍDIO INDUZIDO POR ALGUÉM SUICÍDIO INDUZIDO POR ALGUÉM

32 SUICÍDIOS SUICÍDIOS SUICÍDIO POR ORGULHO SUICÍDIO POR ORGULHO SUICÍDIO POR VERGONHA SUICÍDIO POR VERGONHA SUICÍDIO PARA ENTRAR NO PARAÍSO SUICÍDIO PARA ENTRAR NO PARAÍSO SUICÍDIO INVOLUNTÁRIO SUICÍDIO INVOLUNTÁRIO SALVANDO UMA VIDA EM DETRIMENTO DA NOSSA SALVANDO UMA VIDA EM DETRIMENTO DA NOSSA

33 TODAS AS CONSEQUÊNCIAS DO SUICÍDIO SÃO IGUAIS? TODAS AS CONSEQUÊNCIAS DO SUICÍDIO SÃO IGUAIS?

34 NÃO, AS CONSEQUÊNCIAS SÃO DIVERSAS. NÃO HÁ PENA DETERMINADA E SEMPRE É PROPORCIONAL AS CAUSAS QUE LEVARAM O INDIVÍDUO AO SUICÍDIO. PARA TODOS É GRANDE O DESAPONTAMENTO, MAS AS CONSEQUÊNCIAS NÃO SÃO AS MESMAS PARA TODOS, DEPENDE DAS CIRCUNSTÂNCIAS. ALGUNS EXPIAM A FALTA IMEDIATAMENTE, OUTROS EM NOVAS EXISTÊNCIAS QUE SERÁ PIOR, MAIS SOFRIDA DO QUE AQUELA QUE INTERROMPEU.

35 DISTINÇÃO ENTRE A MORTE NATURAL E O SUICÍDIO

36 CONCLUSÃO CONCLUSÃO A RELIGIÃO, A MORAL, A FILOFOSIA A RELIGIÃO, A MORAL, A FILOFOSIA CONDENAM O SUICÍDIO COMO ATITUDE CONDENAM O SUICÍDIO COMO ATITUDE OFENSIVA ÀS LEIS DA NATUREZA. OFENSIVA ÀS LEIS DA NATUREZA.. NÃO SE TRATA PARA O ESPÍRITO APENAS DE INFRAÇÃO AS LEIS MORAIS, MAS UMA GRANDE ESTUPIDEZ PELO SOFRIMENTO QUE A CRIATURA IMPÕE A SI MESMA, POR REBELDIA ÀS LEIS DE DEUS. JÁ A MORTE NATURAL É A ACEITAÇÃO DO ESPÍRITO, QUE MESMO DIANTE DA DOR MORAL OU FÍSICA, AGUARDA PACIENTEMENTE O MOMENTO PARA SUA GRANDE VIAGEM.

37 OS GOZOS MATERIAIS PODEM SER VIVIDOS COM DIGNIDADE. OS GOZOS MORAIS SE PERPETUARÃO NA ETERNIDADE.

38

39 TEXTO – O LIVRO DOS ESPÍRITOS CODIFICAÇÃO – ALLAN KARDEC IMAGENS – INTERNET FORMATAÇÃO – SUELY DOS ANJOS


Carregar ppt "O LIVRO DOS ESPÍTOS LIVRO QUARTO CAPÍTULO I PENAS E GOZOS TERRESTRES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google