A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Surgimento da Mamografia Noções Básicas de Mamografia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Surgimento da Mamografia Noções Básicas de Mamografia."— Transcrição da apresentação:

1 Surgimento da Mamografia Noções Básicas de Mamografia

2 Mamógrafo

3 Surgimento da Mamografia A mamografia é o método mais antigo (década de 50, quando surgiram os primeiros mamógrafos) usado nos diagnósticos precoces. Como a dose de radiação era demasiado alta e a qualidade da resolução das imagens era precária, a mamografia caiu em desuso até os anos 80 e início dos 90, quando surgiram os mamógrafos de alta resolução com características muito mais sofisticadas, permitindo doses de radiação bem menores e qualidade de imagem excelente.

4 Surgimento da Mamografia No entanto, até hoje, ainda é um recurso auxiliar de diagnóstico, destinado geralmente para mulheres acima dos 40 anos de idade, porque a mamografia mostra um contraste entre a glândula propriamente dita e a gordura da mama. Como a sua radiação perpassa mais facilmente a parte gordurosa e as mulheres mais jovens têm mais tecido glandular do que gorduroso, a mamografia acaba sendo de pouca valia para as jovens, exceto quando pertencem a grupos de risco, têm história familiar de doenças malignas e necessitam de um controle mais rigoroso - aquelas com história familiar positiva, parentes em primeiro e segundo graus que tiveram câncer ou hiperplasias (chamadas lesões precursoras) ou cujos partos foram realizados aos 30 anos ou mais e mulheres sem filhos.

5 Surgimento da Mamografia A mamografia identifica áreas de desarranjo arquitetural da mama, nódulos possivelmente existentes e micro calcificações, que, embora não sejam sinal de malignidade, em diversos casos são sinais suspeitos quando se encontram muito próximas umas das outras e são irregulares no entanto, a maioria dessas micro calcificações é benigna.

6 Surgimento da Mamografia Para as mulheres que têm próteses de silicone para aumento dos seios, implantados em cirurgias plásticas embelezadoras, o recurso da mamografia também se torna complexo, porque a glândula mamária encontra-se comprimida o que a torna mais densa. Num programa de prevenção precoce de moléstias do seio, a mamografia cumpre o seu papel.

7 Mamografia: Conceitos iniciais e conhecimentos básicos da mama. A mamografia é um tipo de radiografia especial, realizada em aparelhos específicos para avaliação das mamas. Homens e mulheres podem desenvolver câncer de mama. A mamografia de rotina é a melhor oportunidade de detectar precocemente qualquer alteração nas mamas antes até que o paciente ou médico possam notá-las ou apalpá-las. De acordo com o FDA, órgão americano de vigilância sanitária, a mamografia pode detectar um câncer de mama até dois anos antes de ele ser palpável. A mamografia é, ainda, o mais eficaz método de diagnóstico para a detecção de câncer de mama, quanto mais precoce a remoção do tumor na fase inicial, a estratégia é mais eficiente na redução da taxa de mortalidade das pacientes e melhor qualidade de vida.

8 Mamografia Diagnóstica A mamografia diagnóstica, por sua vez, é o exame realizado quando há a suspeita da existência de uma anomalia, sendo que massas e micro calcificações são as duas mais comuns. Esta suspeita se inicia quando há a descoberta de uma lesão palpável (nódulo), por exemplo por meio de auto-exame ou após o estudo de uma área previamente identificada em uma mamografia de rotina. A mamografia diagnóstica pode mostrar que a anomalia (lesão) tem uma grande probabilidade de ser benigna (não cancerosa) ou que características suspeitas de malignidade (câncer) podem ser observadas, e neste caso, normalmente é recomendada então uma biópsia (amostra do tecido).

9 O exame de mamografia é obtido através de um aparelho chamado mamógrafo.

10 Surgimento da Mamografia No exame, a mama é comprimida para que seu achatamento possibilite a redução das doses de raios-x, a uniformização dos tecidos, além de manter a mama imóvel. A dose de radiação é bem baixa e a exposição aos raios x é rápida. Neste estágio, também é possível a tomada de imagens especiais, com a ampliação da imagem.

11 Posição: A correta posição da mama durante a mamografia é extremamente importante para assegurar que a imagem mostre todo o tecido mamário e também a axila (região abaixo do braço). O técnico se certificará de que toda a mama esteja situada sobre a chapa de raios x e que nada bloqueie os raios x (como, por exemplo, uma jóia, o ombro ou a mama oposta).

12 Como são as mamas: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que conduzem o leite produzido para fora pelo mamilo. Como todos os outros órgãos do corpo humano, também se encontram nas mamas vasos sanguíneos, que irrigam a mama de sangue, e os vasos linfáticos, por onde circula a linfa.

13 Como são as mamas: A linfa é um líquido claro que tem uma função semelhante ao sangue de carregar nutrientes para as diversas partes do corpo e recolher as substâncias indesejáveis. Os vasos linfáticos se agrupam no que chamamos de gânglios linfáticos, ou ínguas. Os vasos linfáticos das mamas drenam para gânglios nas axilas (em baixo dos braços) na região do pescoço e no tórax.

14 Classificação da mama A substituição do parênquima mamário pelo tecido adiposo é um processo dinâmico que ocorre na mama da maioria das mulheres, em função da faixa etária. Embora seja um processo fisiológico, não existe correlação perfeita entre a faixa etária e a substituição adiposa, pois é comum encontrarmos mulheres jovens com a mama bem substituída e mulheres idosas com pouca ou nenhuma substituição na mama.

15 Classificação da mama Na mama sem substituição (geralmente da mulher mais jovem) o parênquima mamário ocupa toda a mama e tem a forma de um triângulo cujo vértice está ligado ao mamilo. O processo de substituição pode ocorrer de duas maneiras. Na primeira e mais comum, a substituição ocorre simultaneamente da metade inferior para a metade superior e da metade interna para a externa e a última região a ser substituída será o quadrante superior externo. Na segunda maneira, a substituição ocorre da parte posterior para a parte anterior da mama, sendo a região retroareolar a última a ser substituída.

16 Classificação da mama Nas mamas com cirurgia plástica, cirurgia conservadora e biópsia alargada recomendam- se cuidado ao avaliar a substituição, pois o padrão fica modificado pela desorganização que estas cirurgias provocam.

17 A descrição recomendada é a seguinte: Mamas densas - nenhum tipo de substituição adiposa. Mamas predominantemente densa - a substituição adiposa é menor do que 50% da área da Mama. Mamas predominantemente adiposa - a substituição é maior do que 50% da área da mama. Mamas adiposas - a substituição adiposa é total.

18 Preparo da paciente Antes do início do exame, o técnico em mamografia explicará à paciente o procedimento e solicitará que ela coloque um roupão, preferencial­mente um apropriado para a mamografia, que permite a exposição apenas da mama que está sendo examinada. A paciente será instruída a tirar qualquer tipo de jóia, talco ou desodorante antiperspirante que possam causar artefatos na imagem radiográfica. O técnico registrará toda a história relevante da paciente, de acordo com o protocolo do serviço.

19 Via de regra, a história dessa paciente incluirá os seguintes tópicos: Gravidez, número de gestações; História familiar de câncer de mama; Medicamentos (p. ex., terapia hormonal); Cirurgia prévia; Mamografias prévias, quando e onde foram realizadas; Descrição do problema, como mamografia de rastreamento, nódulos, dor e secreção papilar.

20 O técnico também deve anotar a localização de cicatrizes, massas palpáveis, sinais, verrugas, tatuagens etc.

21 Compressão da Mama A compressão dos tecidos da mama deve ser firme porem tolerável. É um dos aspectos cruciais para a boa qualidade da imagem mamográfica. O seu principal objetivo é uniformizar e reduzir a espessura da mama de modo a torná- la mais acessível à penetração do feixe de raios-x.

22 Compressão da Mama A compressão também reduz a distância entre a mama e o cassete melhorando a nitidez; separa as estruturas no interior da mama e diminui a probabilidade da lesão ser obscurecida por superposição de tecido normal.

23 Compressão da Mama A redução da espessura da mama resulta em menor dose de radiação dispersa, alem de imobilizá-la evitando que a paciente se movimente e prejudique a qualidade do exame. A mamografia ainda é a forma mais eficaz de detectar precocemente alterações que passam despercebidas no auto-exame.

24 Compressão da Mama O método digital detecta de forma mais precisa as lesões menores e mais difíceis de serem observadas. A microcalcificação é o grande desafio, tanto na mamografia convencional quanto na digital, porem estudo realizado pela Unifesp comparou o desempenho das técnicas e constatou que a mamografia digital identificou microcalcificações com 0,2 milímetros, enquanto que na convencional não foram detectados nenhuma lesão.

25 Responsabilidade do médico radiologista O radiologista tem as seguintes responsabilidades: Realizar a câmara clara, indicando incidências adicionais, para esclarecer o caso. Dar os laudos, seguindo a padronização do Serviço. Supervisionar o trabalho das técnicas. Coordenar as ações de controle de qualidade. Verificação da manutenção dos aparelhos.

26 Responsabilidades do técnico em Radiologia São responsabilidades do técnico em Radiologia: Preencher corretamente a ficha de anamnese, assinalando nódulos, cicatrizes, verrugas, etc. Planejar cada exame, de acordo com cada caso, escolhendo a técnica radiográfica (saber o que fazer, como e por quê, implica em evitar exposições desnecessárias para a paciente, conservação do aparelho e economia de filme). Mostrar o exame ao médico da câmara clara e liberar a paciente. Deixar as mamografias em ordem, para liberação pelo médico responsável.

27 Responsabilidades do técnico em Radiologia São responsabilidades do técnico em Radiologia: Zelar pela manutenção da ordem no ambiente de trabalho. Verificar e/ou executar a limpeza do material - écrans (diária, antes do início dos exames, utilizando compressa cirúrgica), câmara escura (diária), processadora (semanal). Fazer e/ou repor os químicos na processadora. Acompanhar a manutenção do mamógrafo e da processadora.

28 Responsabilidades do técnico em Radiologia São responsabilidades do técnico em Radiologia: Comunicar ao médico responsável se houver mal funcionamento de qualquer aparelho. Zelar pela conservação do material - écrans, numerador, acessórios do mamógrafo.

29 Fim


Carregar ppt "Surgimento da Mamografia Noções Básicas de Mamografia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google