A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Altino.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Altino."— Transcrição da apresentação:

1 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético WORSHOP BELO MONTE PARA JORNALISTAS (COORDENAÇÃO SECOM) O EMPREENDIMENTO DE BELO MONTE E O PLANEJAMENTO E A EXPANSÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO Brasília, 17/05/2011 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

2 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia O EMPREENDIMENTO DE BELO MONTE E O PLANEJAMENTO E A EXPANSÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO O BRASIL NO CENÁRIO ENERGÉTICO MUNDIAL PERSPECTIVAS DO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO NACIONAL O Plano Decenal de Expansão de Energia 2010/2019 : Principais Resultados e Desafios A USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE Principais Aspectos Técnicos, Econômico-Financeiros e Ambientais Licenciamento Ambiental Monitoramento do Sistema Elétrico UHE Belo Monte AGENDA

3 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Fonte: IEA e BEN MATRIZ DE OFERTA DE ENERGIA MUNDO x BRASIL (%) % Mundo Brasil %

4 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Fonte: IEA e BEN MATRIZ DE OFERTA DE ELETRICIDADE MUNDO x BRASIL (%) % Mundo Brasil %

5 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia COMPETITIVIDADE ENTRE AS FONTES PRIMÁRIAS PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO PLANEJAMENTO

6 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Fonte: IEA (2004) NUCLEAR EÓLICA BIOMASSA HIDRELETRICIDADE SOLAR PV GÁS NATURAL PETRÓLEO CARVÃO LINHITO * Considerando emissões em todo ciclo de vida, desde a fabricação dos equipamentos EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA [gramas de carbono equivalente / kWh] (*)

7 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia PLANEJAMENTO DA EXPANSÃO DO SETOR DE ENERGIA DO BRASIL 1)Planejamento de Longo Prazo (até 30 anos) Visão Estratégica – Diretrizes e Políticas Energéticas Plano Nacional de Energia 2030 e Matriz Energética Nacional )Planejamento de Curto Prazo (até 10 anos) Visão de Programação de Obras Plano Decenal de Expansão de Energia (último horizonte 2019)

8 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia PLANO DECENAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA 2010/2019 (PDE 2019) Principais Resultados e Desafios

9 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia BRASIL - CENÁRIO DEMOGRÁFICO E ECONÔMICO PDE

10 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia 5,1% ao ano Ano Consumo per Capita (kWh/hab.) Evolução da Capacidade Instalada MW por ano no horizonte decenal (incluindo a autoprodução) BRASIL - OFERTA INTERNA DE ENERGIA ELÉTRICA (%) PDE 2019

11 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia BRASIL - OFERTA INTERNA DE ENERGIA ELÉTRICA PDE 2019

12 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Incremento de MW no Decênio 2009/2019 (7.130 MW/ano) Fonte MW % Hidro ,2 Biomassa ,6 Óleo ,5 Eólica ,6 Gás Natural ,5 Carvão Mineral ,4 Gás Industrial ,2 Nuclear ,0 Total ,0 PDE 2019 ANO MW ( hidro-74%) ( hidro-67%) BRASIL - CAPACIDADE INSTALADA (inclusive autoprodução) PDE 2019

13 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Inventário do Rio Xingu - Década de 1970 Primeira Data Prevista no Planejamento da ELETROBRAS (Plano 2000, elaborado na década de 1980) – Ano de 1999 Retomada do Planejamento no Novo Modelo em 2005 Data Prevista no PDEE 2015, Elaborado em 2005 – Ano de 2013 Data Prevista no PDE 2019, Elaborado em 2010 – Ano de 2015 USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE HISTÓRICO

14 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia BRASIL - HIDROELETRICIDADE / USINAS NA AMAZÔNIA Bacia do Madeira (6.450 MW) : Jirau (3.300 MW) e Santo Antônio (3.150 MW) - suprimento 2012/2014 Bacia do Xingu ( MW) : Belo Monte ( MW) - suprimento 2015/2017 Bacia do Tapajós ( MW) : Baixo Tapajós: sete usinas (complexo São Luiz), totalizando MW – suprimento 2017/2020; Alto Tapajós : Teles Pires (cinco usinas, MW) e Juruena (treze usinas, MW), totalizando MW - suprimento 2015/ PDE 2019

15 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia BRASIL - EXPANSÃO DO SISTEMA ENERGÉTICO Principais Resultados Energia Elétrica A capacidade instalada no Brasil evolui do valor atual de cerca 110 GW (70% hidro) para 180 GW (67% hidro), em 2019; neste ano, gás natural 10%, biomassa 9%, óleo combustível/diesel 7%, eólica 3%, nuclear 2% e carvão mineral 2%. Petróleo e Gás Natural Produção nacional de petróleo, em 2019, de cerca de 5,1 milhões bbl/dia (10% de crescimento anual), com excedentes de 2,2 milhões de bbl/dia para exportação; Produção potencial de gás natural nacional, em 2019, de cerca de 230 milhões m 3 /dia (14% de crescimento anual), com excedentes de 40 milhões de m 3 /dia para exportação. Biocombustível Etanol – produção de 64 milhões m 3, em 2019, com excedente para exportação de 10 milhões de m 3 (produção de 26,1 milhões de m 3, em 2009). Biodiesel – produção de 4,2 milhões de m 3, em 2019, mantendo o percentual de 5% de mistura com o diesel fóssil (produção de 1,6 milhões de m 3, em 2009). PDE 2019

16 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia DESAFIOS DA EXPANSÃO DO SISTEMA ENERGÉTICO NOS PRÓXIMOS 10 ANOS Expansão de MW (incluindo auto-produção) no horizonte decenal 2009/2019 (média anual de MW) Elevação da atual produção nacional de petróleo de 2 milhões de bbl/dia para cerca de 5 milhões bbl/dia Elevação da atual produção nacional de gás natural de 60 milhões de m 3 /dia para cerca de 230 milhões de m 3 /dia Expandir a produção de biocombustíveis (etanol e biodiesel) à taxa de 10% ao ano (*) Representa cerca de 2,2% do PIB e 10,1% da FBCF, ambos acumulados no período PDE 2019

17 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia A USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE Principais Aspectos Técnicos, Econômico-financeiros e Ambientais

18 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Capacidade Instalada – ,1 MW Garantia Física – MWmédios (fator de capacidade de 41%); vazão média de m 3 /s, queda de cerca de 90 m Usina a Fio D´água - não altera a hidrologia do rio Xingu devido a operação do reservatório com nível constante; vazões mínimas serão mantidas na volta grande do Xingu Área Inundada km 2, dos quais 228 km 2 corresponde ao leito natural do rio, representando 0,04 km 2 /MW, 12 vezes inferior à média nacional de 0,49 km 2 /MW, como resultado da revisão do projeto da usina Conexão da Usina – Na linha de transmissão Tucuruí/Manaus (dois circuitos de 500 kV para o Nordeste e dois circuitos de 500 kV para Manaus, já existentes quando do início da operação de Belo Monte) USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE DADOS TÉCNICOS

19 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Rio Barragem Nível Mínimo Nível Máximo Lago Usina com Reservatório de Regularização Rio Barragem Lago Nível Mínimo Lago Nível Máximo Canal de Fuga

20 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Barragem Rio Nível de Montante Lago Usina Fio Dagua Rio Barragem Lago Nível Constante Canal de Fuga

21 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Preço da Energia – 70% para o mercado regulado a R$77,97/MWh (diante dos valores acima de R$130,00/MWh nos leilões anteriores de outras fontes) Utilização de Outras Fontes – a substituição da geração da usina de Belo Monte por outras fontes renováveis (biomassa e eólica) resultaria em quase dobrar o custo/preço da energia para o mercado regulado; além disto, considerando o elevado montante de geração de Belo Monte, possivelmente seria necessário considerar adicionalmente geração de térmicas a derivados de petróleo, com custo bem mais elevados Encargos – R$16,6 milhões anuais de UBP-Uso do Bem Público e R$175,00 milhões de Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos Empregos – geração de empregos diretos e indiretos, durante a construção da usina Integração Energética da Usina no SIN/Sistema Interligado Nacional – A geração média anual de energia da usina será plenamente disponibilizada para o SIN. A geração de Belo Monte é sazonal (elevada nos meses de cheia e reduzida nos meses de seca do rio), sendo compensada pela operação conjugada dos diversos reservatórios do SIN e a consideração das fontes biomassa e eólica. USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE DADOS TÉCNICOS

22 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia USINA HIDROELÉTRICA DE BELO MONTE Comparativo com as Usinas Hidroelétricas de Jirau / Santo Antônio e Itaipu, Tucuruí e Complexo Paulo Afonso / MoxotóUsina Capacidade Instalada Área Inundada MW / km 2 Garantia Física MW médio Investimento R$ bilhões Belo Monte , Jirau/Santo Antônio , Itaipu , Tucuruí , Complexo Paulo Afonso/Moxotó ,

23 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Comparativo entre tecnologias UnidadeBelo MontePCHEólicaBiomassaSolarGás NaturalNuclear Custo* R$/MWh77, Capacidade Instalada MW (277 a 554 usinas) ( turbinas de 1,5 MW) ( de painéis solares de 200 W) Fator de Capacidade % Custo de Instalação* R$/kW a a a a a Custo Total de Instalação bi R$2041 a 5047 a 8421 a a 5238,4 a 10,732 Área km a a Emissões anuais tCO 2 /ano [1] [1] Corresponde a valores médios para a área alagada das hidráulicas, área de plantio para Biomassa, e área de construção para solar. *Referência para estudos de planejamento **a garantia física de todas as fontes é cerca de Mwmédios – valor de Belo Monte)


Carregar ppt "Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético - SPE Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Ministério de Minas e Energia Altino."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google