A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Carla Forte Maiolino Molento Méd. Vet., M.Sc., Ph.D. Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Paraná

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Carla Forte Maiolino Molento Méd. Vet., M.Sc., Ph.D. Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Paraná"— Transcrição da apresentação:

1 Carla Forte Maiolino Molento Méd. Vet., M.Sc., Ph.D. Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Paraná

2 1. Introdução 2. Definição 3. Bases anatômica, celular e química 4. Hormônios 5. Feromônios 6.Teor principal

3 ? NeurologiaEtologia

4 Nascimento da Neuroetologia Livros: Neuroethology (Ewert, 1980; Guthrie, 1980; Camhi, 1984) Comparative Neurobiology (Mill, 1982) Motivation (Satinoff e Teitelbaum, 1983) Principles of Neural Science (Kandel e Schwartz, 1981)

5 Função e excitação neuronal, química de redes neurais, discriminação sensorial, motivação, aprendizado, herdabilidade de traços neurais, controle de padrões e processos comportamentais Mescla entre o conhecimento da fisiologia nervosa e da etologia

6 Base química do comportamento Base química do comportamento conhecimento de neurotransmissores conhecimento de neurotransmissores Famílias de atividades comportamentais Famílias de atividades comportamentais Estudo do controle nervoso do comportamento

7 Explica o mecanismo das atividades comportamentais Explica o mecanismo das atividades comportamentais Relacionada à primeira questão de Tinbergen: causa imediata Relacionada à primeira questão de Tinbergen: causa imediata A neuroetologia estabelece uma fundamentação satisfatória ao conhecimento do comportamento.

8 As sequências de atividades que compõem um tipo de comportamento são determinadas pela forma de interação entre os neurônios. Determinada pela distribuição espacial e pela especificidade química dos neurônios

9 Medula espinhal e tronco cerebral Medula espinhal e tronco cerebral Cerebelo Cerebelo Gânglios da base Gânglios da base Diencéfalo ligado a glândulas endócrinas Diencéfalo ligado a glândulas endócrinas Sistema límbico Sistema límbico Sistema tálamo-cortical Sistema tálamo-cortical Estrutura nervosa

10 Neurônios sensoriais ou aferentes Neurônios sensoriais ou aferentes Neurônios motores ou eferentes Neurônios motores ou eferentes Neurônios internunciais ou interneurônios: contidos inteiramente no sistema nervoso central; função de integração e distribuição das informações Neurônios internunciais ou interneurônios: contidos inteiramente no sistema nervoso central; função de integração e distribuição das informações Estrutura nervosa

11 SAYALERO,M.

12 Padrões de mensagens elétricas caminham dos receptores sensoriais às agregações de interneurônios e passam aos neurônios motores, mediados por NT químicos. Padrões de mensagens elétricas caminham dos receptores sensoriais às agregações de interneurônios e passam aos neurônios motores, mediados por NT químicos. Comunicação elétrica Princípio elétrico do comportamento

13 Classes de neurônios: 1.Macroneurônios = morfologia aparentemente invariável 2.Microneurônios (interneurônios) = altamente variáveis, envolvidos no comportamento que se modifica pela experiência Base celular

14 Ontogenia: 1.Macroneurônios = desenvolvimento completo durante vida fetal 2.Microneurônios (interneurônios) = diferenciação após o nascimento, altamente afetada pelo meio ambiente Base celular

15 1.Macroneurônios = formam as fibras nervosas (anatomia invariável) 2.Microneurônios (interneurônios) = Excesso de dendritos e ramificações de axônio; somente as sinapses úteis serão mantidasExcesso de dendritos e ramificações de axônio; somente as sinapses úteis serão mantidas Formam o componente variável do sistema nervosoFormam o componente variável do sistema nervoso Base celular

16 Estrutura neuronal fixa é essencial para o funcionamento nervoso adequado e o estabelecimento de comportamento espécie-específico. Acomoda certo grau de modificação em resultado de aprendizado. Base celular

17 Microneurônios Modificam o padrão de atividade gerada pela estrutura neuronal fixa, através de facilitação ou inibição

18 Propriedades dos neurônios: A. Excitabilidade Alteração da permeabilidade da membrana a íons Na +, K +, Cl - e Ca 2+ B. Condutibilidade Condução do impulso elétrico ao longo de seu axônio C. Sinapse Comunicação com outra célula Base química

19 Explique com detalhes: Despolarização Despolarização Repolarização Repolarização Hiperpolarização Hiperpolarização No contexto da fisiologia neuronal! Para próxima aula

20 Sinapse – a transmissão química pode ser dividida em 4 etapas: A. Síntese do neurotransmissor B. Estoque e liberação de NT C. Ligação NT + receptor na membrana pós- sinaptica D. Remoção do NT da fenda sinaptica Base química

21 O que são Neurotransmissores? Substâncias químicas liberadas na sinapse pelo neurônio pré-sinaptico que afetam outros neurônios ou células efetoras Base química Torres, B.

22 Base química Axônio pré-sináptico Neurônio pós-sináptico Neurônio pós- sináptico Acetilcolina Acetilcolinesterase Receptor

23 NeurôniosClassificados de acordo com o NT que produzem/liberam

24 1.Acetilcolina 2.Aminas biogênicas a.Dopamina b.Noradrenalina c.Serotonina d.Histamina 3.Aminoácidos a.Ácido -aminobutírico (GABA) b.Glicina c.Glutamato 4.Neuropeptídios Principais NT

25 Acetilcolina Neurônios motores - NT das junções neuro-musculares SNAP Grandes concentrações nos gânglios da base

26 Aminas biogênicas Tronco cerebral – ficar acordado (NA) SNAS (NA) Sistema límbico e hipotálamo (Dopa) Tronco cerebral – linha média (serotonina) Hipotálamo (histamina)

27 Aminas biogênicas São NT de grande efeito sobre o comportamento Mason, 1984

28 Aminoácidos Cerebelo e medula (glutamato, GABA) Interneurônios espinhais (glicina e GABA – inibidores)

29 Neuropeptídios Mais de 25 descritos Envolvidos com a percepção da dor, prazer e emoções Ações similares a opióides: endorfinas e encefalinas

30 1.Comportamento de manutenção Contínuo ao longo da vida: ingestão, locomoção, descanso, auto-higiene, atividades sociais, termo- regulação, etc. 2.Comportamento ocasional Circunstâncias ocasionais, específicas e críticas: novos papéis – comportamento materno, puberdade, estação de reprodução, etc

31 1.Comportamento de manutenção Química presente constantemente no organismo 2.Comportamento ocasional Função nervosa e comportamental dependente de agentes químicos temporários Hormônios

32 Circuitos neuronais necessários estabelecidos na fase embrionária. E.g. Circuitos neuronais para o comportamento relativo ao sexo oposto existem, mas normalmente não são eliciados Presença de tumor gonadal?

33 Tempo de vida dos neurônios Tempo de vida do animal

34 Regiões de secreção de hormônios importantes para o comportamento: Hipotálamo, hipófise, glândula pineal, glândula tireóide, testículos, ovários, placenta, glândula adrenal

35 Comunicação pelo olfato

36

37

38 Órgão vômero-nasal

39

40

41 Depressão: Diminuição da quantidade de NA no tecido cerebral Aumento CRH, aumento ACTH, aumento cortisol

42 Estereotipia: Aumento na quantidade de NA no tecido cerebral

43 1. Neuroetologia 2. Bases anatômica, celular e química 3. Categorias de atividades comportamentais 4. Hormônios e feromônios 5. Anormalidades


Carregar ppt "Carla Forte Maiolino Molento Méd. Vet., M.Sc., Ph.D. Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Paraná"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google